História My criminal - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Personagens Akira Mado, Koutarou Amon, Nishiki Nishio, Touka Kirishima, Uta, Yoshimura
Visualizações 19
Palavras 802
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Fantasia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente
~~ ação

Capítulo 1 - Pessoa Nova


Fanfic / Fanfiction My criminal - Capítulo 1 - Pessoa Nova

 Sempre luto contra meus monstros interiores mas no fim nunca ganho. Cedi, cedo amanhã e cedirei de novo porque não tenho mais sanidade mental para aguentar a sociedade, ou você é um mostro ou apenas um fingido, meu vicio é bem simples: gostar de matar Ghouls mas isso não vem ao caso agora, o importante é que vou para um lugar indicado por pessoas da Anteiku, não vou para a escola desde que virei um ghoul, você não ouviu errado eu era uma humana normal mas certo dia fui sequestrada por um ghoul chamado Jason me sequestrar e colocar um órgão de ghoul em mim em seguida me torturando durante três dias porque a CCG invadiu o prédio, só fiquei viva pela regeneração e porque eles acharam que eu era humana. Desde então a CCG me acolheu já que era órfã ou seja sempre estou lá, se não atuasse muito bem já estaria morta, eu tenho uma amiga humana que não sabe sobre mim.

Mira: Pare de me encher Mika, eu tenho coisas a fazer ~ ela me puxa para o lado ~

Mika: Você é tão misterioso, nem confia em mim logo eu que sou praticamente sua irmã ~ faço drama mesmo ~

Mira: Já disse que vou procurar um emprego aish que saco ~ saio andando antes que essa louca me tranque em casa, moro com ela junto aos meus país adotivos que são investidores da CCG, devia ganhar o Oscar pois sou um ghoul e ninguém descobriu, ao passar na rua onde a Touka havia falado vejo um lugar com o nome estúdio, entro no mesmo ~

 Vejo várias máscaras, uma mais bonita que a outra. Nunca precisei de uma máscara mas atualmente muitas pessoas sabem como identificar ghouls então tenho que comprar a minha porque se verem minha face estarei ferrada. Ao olhar ao redor vejo algo sobre o pano me aproximo curiosa tirando o mesmo revelando um ghoul que ao que parece queria me assustar.

XxX: O que uma ghoul tão bonita faz aqui?

Mira: Puxa! Assim eu me apaixono ~ falo sarcástica e ambos rimos ~ A verdade é que preciso de uma máscara

XxX: Entendi, me chamo Uta e você, senhorita?

Mira: Me chamo Mira, faria uma máscara para mim? ~ peço sendo fofa ~

Uta: Sim mas antes vou fazer umas perguntas ~ pego meu caderno ~ Namora?

Mira: Não mas percebi que entre tantas perguntas começou com essa, não sabia que estava interessado em saber

Uta: Talvez, eu nunca vou te dizer, próxima pergunta : Como é sua personalidade ?

Mari: Posso dizer que não gosto das pessoas mas gosto de minha amiga, não me importo com ninguém além dela

Uta: Nem mesmo eu? Vou ficar triste ~ faço carinha fofa ~ Brincadeira, acho que tenho a máscara certa para você

Mari: Se tem então me mostre ~ ele vai ate um das máscaras do fundo e me dá ~ Que linda, quanto custa?

Uta: Para você? Nada apenas pegue meu número ~ dou o meu cartão com meu telefone e ela guarda no bolso ~

Mari: Entendi, quando eu chegar falo com você e valeu pela máscara ~ saio do estúdio e pego um táxi ~

Meu deus o que foi isso? Que gato! Estava me dando mole ou foi apenas um bom vendedor? Não faço ideia.

Sou interrompida pelo motorista anunciando que tinhamos chegado então pago ele e entro em casa vendo meu pai ( adotivo ) no sofá.

Pai: Chegou tarde filha, onde esteve?

Mari: Fui naquela lanchonete que as vezes vou depois da escola

Pai: Entendi, a Mika ficou preocupada e eu também ~ vou para a abraçar mas a mesma recusa ~ Eu sei que não sou seu pai verdadeiro mas podia ao menos tentar me ver bem?

Mari: Por mais que queira fingir você não é meu pai Amon e nunca vai ser ~ saio correndo para meu quarto trancando a mesma ~

Amon: Abre essa porta Mari, o que esta havendo? Você esta estranha comigo

Mari: Me deixa em paz ~ sobre ele só são despertos bons sentimentos mas estive pensando esses dias que não mereço estar na mesma casa que eles que sempre me acolheram, sim, não queria mas os amo mas não tenho certeza se me olharão da mesma forma quando descobrirem o que eu sou. Vou fugir daqui, esse pensamento me vem na cabeça, não quero os magoar e também não quero morrer ~

Ao levantar deixo o cartão cair, o cartão que o Uta me deu então resolvi mandar um oi por mensagem.

Mensagem. 💬

Mari: Olá Uta

17:50

Uta: Oi bela senhorita, finalmente resolveu falar comigo

17:51

Mari: Conhece algum lugar com aluguel barato?

Uta: Conheço vários lugares mas por que quer saber isso? Vai se mudar?

Mari: Eu quero sair da casa de meus pais mas nem tenho um emprego

Uta: Se concordar pode morar comigo

Mari: Sério mesmo? Não tem problema?

Uta: Sim mas tem uma condição...


Notas Finais


Para ou continua?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...