1. Spirit Fanfics >
  2. My Curse >
  3. Alívio

História My Curse - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Antes de qualquer coisa, queria agradecer a @clara_m por essa capa principal incrivelmente linda! Sério, não tenho palavras para agradecer seu empenho e carinho <3 <3

Espero de coração que essa história continue sendo interessante para vocês.

Capítulo 2 - Alívio


- Sexta é meu aniversário, já sabem né?

Ymir tinha comentado sobre o seu aniversário tantas vezes que era basicamente impossível não lembrar. Ela se referia ao costumeiro local de confraternizações de todos os aniversários da empresa, o barzinho de rock clássico.

- Tem como não lembrar? Você repete a mesma frase há séculos.

Dessa vez eu concordaria com Jean.

- Eu só não quero que inventem desculpas esfarrapadas ao longo dessa semana, principalmente você Jean.

De fato ele era um enrolado, ao contrário de mim que era um porre quando o assunto era compromissos e horários.

- Pode levar o Eren se quiser....

Continuei minha inexpressão rotineira, não entendi o porquê daquela frase, Jean olhou a situação rapidamente e deu um jeito de “ir ali”, afinal ele sabia o que significava a palavra Eren. Eu não queria responder, mas pela boa convivência e possível finalização do assunto eu a faria.

- Sabe que não estamos juntos.

- Aé? Então porque ele veio te buscar semana passada?

Sim, ele apareceu sendo inconveniente como sempre, na desculpa forçada de que queria dar um oi apenas, o desgraçado trabalhava a poucas quadras de mim, e pior, era quase que um vizinho, um amigo da família, logo namorado, ex e agora um peso que eu queria me livrar.

- Ele só queria me dar um oi.

- Claro, ele é sempre tão inocente, não é?

O tempo podia passar o que fosse, mas os sentimentos de Ymir por Eren eram os mesmos, não tinha como ser diferente, o desgramado me traiu com Historia logo que todos se conheceram em algum dos rotineitos “happyhours”. Além do sofrimento terrível que ele me causou, ainda me fez ter um desentendimento com Ymir, é como se ela me culpasse pelo que aconteceu, e foi o fim do mundo ser obrigada a trabalhar com ela todos os dias me odiando, até chegarmos na conclusão mais óbvia, nossa amizade não dependia de ninguém, e por isso não valia a pena.

Ymir deu uma nova chance a Historia, eu não odiava sua namorada porém nossa amizade não foi exatamente a mesma. Não fiz o mesmo com Eren, estava a tempo suficiente com ele pra saber que não valia a pena, não tinha sido a primeira e muito menos última vez que ele faria isso.

Quebraria o gelo.

- Que tal você me ajudar com esse BI? Esse inferno de Pipedrive vem uma bagunça de dados e os títulos dos campos nada óbvios. Preciso estabelecer o relacionamento entre as views e finalizar o visual antes que o Zeke me cobre de novo.

Ela riu, sabia que eu queria sair do assunto, mas se tinha algo que a Ymir nunca deixaria de fazer era me ajudar, era uma boa amiga.

(...)

 

Meu mal humor era palpável, o trabalho me irritava, o assunto anterior me irritava, meu superior me cobrando coisas que não eram minha responsabilidade mais ainda. Precisava respirar.

- Vamos?

Me referia ao almoço com os meninos no Skype, já era 12:30, sim, o famoso horário.

- Sim. Estamos levantando.

- Hoje vamos no shopping Mikasa,

A simples palavra shopping pegou o meu nível de estresse que já estava em um nível nada bonito e elevou ao cubo. Não, eles não fariam isso comigo, não hoje...

- Não gosto de comer lá.

Não era bem uma verdade.

- Mikasa, a gente só vai naquele lugar por sua causa, o preço é alto e nem é isso tudo.

Ymir concordava com Jean em um aceno, e porra, eu não sabia o que falar.

- É o local mais perto daqui, por isso gosto de ir. Enrolei

Eu acreditava naquele famoso ditado que dizia: uma mentira dita mil vezes se tornava verdade.

- Você fala isso o tempo todo, mas já parou para pensar que é apenas mais alguns metros? Ninguém vai morrer de andar até lá, vamos logo.

O dia não poderia ficar pior, não, não tinha como.

Se eu pudesse esgana-la eu faria, mas não podia ser tão egoísta a esse ponto, eles sempre me acompanhavam, eu precisava ir.

- Ok, vamos.

Comer algo diferente e ver um pouco de movimentação foi até legal, mas não ve-lo, foderia com meu final de dia com certeza.

 

(...)

 

Clamava pelas 17h porque sinceramente não aguentava mais, é como se eu estivesse presa em uma estrutura de loop e não existisse uma condição satisfatória de saída dessa iteração, a condição nunca era alcançada, fazendo eu gastar toda minha energia em pensamentos vazios, não ve-lô fez meu dia ser pior, muito mais do que eu imaginei, não tinha concentração, não conseguia chegar a lugar nenhum em minhas atividades, eu precisava ir embora apenas isso.

Peguei minhas coisas e desci o mais rápido que podia assim que chegou meu horário, hoje era o momento que eu dirigiria sem responsabilidade, se assim fosse necessário, para chegar em menos de 1 hora. Porém em minha descida desenfreada algo totalmente fora da curva aconteceu.

Era ele,

Estava em frente a outra empresa no andar abaixo do meu conversando com algumas pessoas, ele não deixou de notar que eu estava ali e nossos olhares se encontraram, me deu um leve aceno com a cabeça finalizando com o sorriso contido de sempre, voltando ao assunto com os colegas. Rubra era pouco pra situação do meu rosto, com certeza estava em chamas, desci desesperada mais uma sequência de escadas sem acreditar no que acabava de confirmar.

- “Então ele trabalha na famosa empresa de comércio de Vinhos?”

Sim, fazia sentido, a vestimenta sempre impecável, a preferência pelo restaurante próximo, e claro, o vinho degustado em refeições especificas, quartas e sextas-feiras sendo mais analítica.

- “Como nunca o vi antes aqui??”

Se ele trabalhava no mesmo prédio que eu, eu estava feliz pra caramba, só precisava pensar em mais uma forma de vê-lo em mais um dos ambientes em comum recém descoberto, teria tempo pra pensar nisso.

(...)

A aula de banco de dados que seria considerada a morte pra mim foi uma maravilha, meu humor antes destruído pela ideia de saída dos meus amigos não me afetava mais tanto assim, até pensei em uma forma de resolver o problema pendente no trabalho. É incrível como um bom estimulo pode mudar tanto o curso da nossa vida.

Precisava de um banho,

Liguei o chuveiro na temperatura agradável, morno podemos dizer, a chuva fina que começou do lado de fora só fazia o ambiente ficar ainda mais relaxado, sentir a água percorrendo o corpo era algo extremamente estimulante.

Fechei os olhos na intenção de conseguir limpar a mente e aproveitar toda aquela sensação de conforto, eu consegui esvaziar até certo ponto, porém a lembrança dele, era impossível, pela primeira vez o via interagindo tão abertamente, os olhos azuis-cobaltos em minha direção tão solícitos, o sorriso discreto, um sorriso que ele ofereceria a qualquer um, mas eu adorava acreditar que pra mim era diferente, sempre tão metódico, educado, alinhado.

 - “Por que era tão excitante?”

Não me contive, subi minhas mãos pelas pernas finalizando o caminho na base dos seios, mentalizando ainda seus olhos, não resisti em apertar um pouco, logo brincando com o bico enrijecido, imaginando como seria se eu ao menos lhe tocasse, era o suficiente pra subir a temperatura do meu corpo muito acima da água que caia, como no meu sonho, imaginei o tocando e senti a definição de seu corpo, aquilo foi o suficiente pra me convencer a descer a mão direita novamente em um caminho mais ao centro, apertei um pouco mais o seio esquerdo arfando com o toque, encorajando a mim mesmo a fazer aquilo.

- “Se toque pra mim.”

Era lindo imagina-lo tão nitidamente fazendo os pedidos que eu queria ouvir, a verdade é que a cada dia que eu o via, captava mais informações válidas para fantasiar, um eterno quebra-cabeça de montar cenários. É por isso que eu precisava, eu precisava vê-lo, precisava do seu aceno, mesmo que não significasse nada, eu precisava alimentar o meu desejo que sabia ser unilateral.

Mas seu pedido era uma ordem, e mesmo que imaginário eu o faria da melhor forma possível.

Cheguei no meu ponto sensível já molhado pelos dois fatores, externo e principalmente interno, a água quente continuava descendo pelo pescoço me dando o impulso que eu precisava, estimulei aquele ponto sensível com os dedos da forma que eu mais gostava, lento circular e ritmado, gemi baixo mordendo os lábios, pendendo a cabeça para trás, seus olhos ainda estavam ali, me observando, analisando minhas reações com desejo, sim, era assim que eu acreditava.

Continuei meu estimulo externo ficando cada vez mais molhada e entregue, mas eu precisava sentir mais, eu precisava do seu olhar mais desejoso, então penetrei meus dedos preferidos continuando o estimulo externo com os restantes, e porra, que sensação arrebatadora. Arqueei com toda aquela sensação, a masturbação era deliciosa enquanto eu apertava os seios já sofridos pelo meu prazer, contia os gemidos como forma de provoca-lo na minha mente e o olhava com luxuria. Agora era hora do meu último cenário, o maldito sorriso contido e a frase que eu mais desejava ouvir.

-“Goze pra mim...”

Seu pedido era uma ordem, fictício ou não, eu obedeceria qualquer coisa que aquele homem mandasse. Aumentei minhas investidas logo sentindo o tremor estarrecedor pelo corpo, o orgasmo chegava sem nenhuma dó o qual foi difícil demais se manter ereta, encostei no vidro gelado que contrastava com meu corpo febril e relaxei, vi um sorriso satisfeito em seus lábios, minha última imagem até voltar a vida real. O sorriso bobo teimava em vir e eu só queria memorizar cada etapa dessa sensação.

(...)

Terminei o banho que parecia horas sendo surpreendida com uma msg de Ymir.

- Está tudo bem Mikasa?

Ela sabia o quanto eu estava puta quando sai do trabalho, era uma boa amiga. Ela prosseguiu.

- Te ajudo amanhã, fica tranquila.

- Ymir, não estou bem, estou ótima! Não se preocupe.

A moça ficou atônita, era difícil eu mudar de opinião tão rápido, mas eu precisava disfarçar, saber que eu o veria tão perto me fazia querer não sair mais do trabalho, e era isso que eu precisava para seguir.

- “Sim, um excelente estimulo. ”

Sorri feliz,

Adormecendo no processo de fantasiar possíveis investidas, talvez as coisas ficariam bem interessantes...

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Espero de coração que tenham curtido! Pretendo atualizar uma vez por semana, se sentirem vontade, não deixem de relatar sua opinião, é super importante pra mim <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...