História My Daddy, my Baby Girl - Kim Namjoon (RM - BTS) - Capítulo 6


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Baby, Bdsm, Bts, Daddy, Ddlg, Little Girl, Namjoon
Visualizações 291
Palavras 5.447
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amoras, como estão Espero que bem



Bom gente, esse hot é o hot da minha vida, o meu favorito.

A musica que ela dança pro Nam é a 'Wet the Bed - Chris Brown ft. Ludacris'.....Serio, escutem ela enquanto leem o hot, é muito bom

Vou deixar a musica lincada nas notas finais

Boa leitura =

Capítulo 6 - Agora eu sou uma mulher!


 

- Você não ia trabalhar só segunda? - Ouvi Nam resmungar - Ainda é sexta.
 

- Eu sei, Daddy. - Fui até o guarda roupa. Tinha acabado de tomar banho - Mas eu já estou melhor, não tem do porquê eu ficar em casa - Comecei a separar minhas roupas
 

- Não confio no seu chefe - Se levantou - Vai no ensaio comigo hoje, hum? - Senti meu corpo se arrepiar quando o maior me abraçou por trás e cheirou meu pescoço, essa tática eu conheço muito bem
 

- Daddy, por favor.. - Fechei os olhos e mordi os lábios. - Eu prometo te fazer uma surpresa, para quando você chegar. - Sorri sugestiva 
 

Já fazia um tempo que eu estava com algo planejado. Vou contar para vocês!
 

Na hora em que estamos "brincando", normalmente, ele que comanda tudo, e como todos sabem eu sou a fofa da relação, para ser mais clara, a submissa. Mas eu estava pensando em algo diferente hoje, queria surpreende-lo, exitá-lo de uma forma diferenciada.

 

- Hum, surpresa? - Sorriu malicioso - Que surpresa?
 

- Se eu te contar não vai ser mais surpresa, Daddy - Ri - Mas acho que você vai gostar. - Dei uma leve mordida em seus labios
 

Voltei a separar as roupas que iria usar hoje. Separei uma camiseta 3/4, uma saia justa preta, um salto nude e uma bolsa também preta. Tirei minha toalha e a joguei em um canto, coloquei meu conjunto de lingerie vermelha e comecei a me vestir.
 

- Sua saia tem que ser tão apertada? - Nam já saiu do banheiro resmungando. - Eu prefiro quando usa suas roupas fofas. - 
 

- Eu também, Daddy. - Falei baixo - Mas tenho que me vestir de acordo. - Me virei, já pronta - Gostou?
 

- Gostei,  meu amor. - Sorriu sincero - Sabe que eu só não "gosto" por causa do seu chefe? 
 

- Sei sim, já estou careca de saber. -Brinquei. - Só vou me maquiar e passar perfume. - Fui até minha escrivaninha de maquiagem.
 Fiz uma maquiagem simples e completa, algo leve. Estava quente e não seria legal fazer algo forte ou carregado, uma pele bonita e um olho um pouco marcante já estava bom. Borrifei um pouco de perfume de criança no meu colo e atras das orelhas. - poderia até abrir mão das minhas roupas, mas nunca do meu cheiro infantil. -  terminando de me arrumar.
 

- Você me leva? - Perguntei para o moreno que estava sentado na ponta da cama.
 

- Levo sim, só não vou conseguir te buscar. - Fiz uma expressão confusa - Eu irei chegar mais tarde hoje, por volta das 19:00. - Perfeito, tudo que eu precisava 
 

- Okay, Daddy. - Me levantei e coloquei o necessário em minha bolsa. - Vamos?
 

- Vamos. - Entrelaçamos nossos dedos.
 

Namjoon PVO On

 

Abri a porta do carro para que ela entrasse. Estava tão linda, tão formal, nem parecia minha menina pequena e fofa. Eu até que gosto desse lado dela, mas não trocaria minha garotinha por nada.

 

- Daddy, passa no moço que vende churros. - Pediu animada.
 

Sempre passávamos em um senhor que vendia churros em forma de coração. Eu sempre quis saber como ele fazia aquilo, era tão delicado e gostoso. Mesmo cheio de calorias, uma vez ou outra não fazia mal
 

- Passo sim, amor. - Prestava atenção na estrada - Vai passar em mais algum lugar? -
 

- Vou passar no starbucks que tem do outro lado da rua. - Comentou.
 

- Pra ganhar tempo, eu vou no starbucks e você compra churros, Okay? - Assentiu - Qual é o pedido?
 

- Um capuccino no nome do senhor Chung. - Apertei o volante - Eu sempre levo café para ele, não precisa ficar assim, Oppa. - Falou incredula
 

- Estou normal, pequena. - Eu não conseguia confiar naquele homem nem um pouco. - Vamos? - Estacionei o carro e desci em seguida.
 

Fomos cada um para um lado. Pedi o cafe do Chung Hyung e esperei poucos minutos para que ele ficasse pronto. O peguei com a funcionaria e o paguei com o meu próprio dinheiro, não deixaria minha pequena gastar seu dinheiro com ele.
 

- Nam, o moço me deixou enfeitar o seu. - Falou toda feliz, logo que me viu perto
 

- Me mostre no carro. - Abri a porta e fiz uma leve reverencia ao senhor já de idade.
 

- Olha, Daddy. - Me mostrou o churros com formato de coração.
 

- Meu amor, ficou lindo. - Sorri. - Coloca no saquinho, vou dividir com os meninos. - Eu  nem poderia comer doce, mas abriria um exceção
 

- Okay, comprou o cafe? - Entreguei o copo - Senhor Chung? - Riu - Pensei que ia escrever "Ela tem namorado"
 

- Eu não sou assim. - Resmunguei
 

- Eu sei oppa, só estou brincado. - Soltou uma risadinha. - Vou sentir saudades.
 

- Eu também, minha boneca. - Sorri. Colocamos o cinto e eu dei partida logo em seguida 
 

Passamos o resto do caminho conversando, era tão legal a forma como ela mudava de assunto do nada. Tambem gostava da forma que falava sobre suas metas no trabalho, algo que estava planejando ainda nas ferias 
 

- Chegamos. - Suspirei olhando para o grande prédio.
 

- Tchau, Oppa. - Me deu um selinho - Te amo. - Me deu outro
 

- Também te amo. - Arrumei sua franja. - Qualquer coisa me ligue. - Dei um leve tapa em sua bunda, enquanto ela saia do carro
 

- Pode deixar. - Fechou a porta, enquanto soltava um sorrisinho
 

O carro ficava tão triste sem ela, tão quieto, não gostava disso


- Vamos lá, Kim Namjoon. - Liguei o carro novamente.


 

PVO _____ On
 

- Bom dia, Sun he unnie. - Sorri para a mulher de meia idade.
 

- Bom dia, pequena flor. - Pronunciou o apelido carinhoso - O escritório não é a mesma coisa sem você, fico feliz que tenha voltado - Nos reverenciamos
 

- Obrigada, eu também senti a sua falta.- Arrumei seus cabelos. - Eu queria conversar mais com você, mas infelizmente tenho que subir
 

- Pode ir. - Fui em direção ao elevador.
 

Hoje provavelmente seria puxado. Fiquei um mês fora e a secretaria que ficou no meu lugar não parecia muito prestativa. Todavia, hoje eu só ia dar uma passada, só iria retornar pra valer na segunda. Ainda tinha que pensar na surpresa pro Nam.
 

Passei a chave na porta e a abri. Levei um susto quando vi minha sala vazia, só passava uma coisa na minha cabeça.
 

- Fui demitida - Comentei comigo mesma.
 

Me dirigi até a sala do senhor Chung, queria uma explicação. Bati duas vezes e recebi um  "Entre!"
 

- Senhorita _____! - Se levantou e veio até mim - Que saudade.
 

- Este café é para o senhor. - Entreguei o copo bonito. - Eu também senti saudades, senhor Chung. -  Falei baixo, um pouco envergonhada pela situação
 

- Aah como eu sentia falta de você me trazendo café todos os dias! - Se sentou - O que te traz aqui, só iria voltar segunda. - Sentou-se em sua grande mesa de vidro
 

- Eu queria saber como estavam as coisas. - Sorri de leve - Por acaso eu fui demitida?
 

- Não, por que a pergunta? - Arqueou a sobrancelha 
 

- Minha sala - Indiquei com os polegares
 

- Sua sala é aqui agora. - Tomou um gole de seu café - Sabe aquela mesa? - Apontou para uma grande mesa no canto da sala - Ela é sua!
 

- Woh! - Arregalei os olhos - Obrigada senhor Chung. - Me curvei
 

- Sem formalidade. - Sorriu - Pode me chamar de Chung, ou de Oppa
 

- Okay. - Estava me sentindo desconfortável.
 

Fui em direção a minha nova mesa. Ela era branca e com o tampo de vidro, puro luxo. A cadeira nova, também branca, não se comparava a minha antiga, era tão confortável, poderia dormir ali mesmo.
 

Comecei a fazer meu trabalho. A agenda do senhor Chung estava uma bagunça, os contratos caíram e as estatísticas da empresa estavam estranhas. Teria que refazer tudo, obrigada antiga funcionaria 

 

Namjoon PVO On

 

- Namjoon, acorde! - Falou Yoongi Hyung - Eu estou te explicando e você esta longe.
 

- Desculpe Hyung. - Suspirei - É que eu não consigo pensar em outra coisa a não ser _____. - Confessei frustrado
 

- O que houve? - Suga Hyung era bom de conselhos, eu também era, mas naquele momento estava meio que intrigado.
 

- _____ foi trabalhar hoje, e eu não confio no chefe dela. - Fechei minhas mãos - Ele é tão metido e argh!
 

- Namjoon, você esta com ciumes. - Falou indiferente
 

- Não estou, eu não tenho ciumes! - Disse  incrédulo
 

- Você não aceita o fato dela estar na presença de outro homem neste exato momento. - Riu irônico - Você só esta com ciumes.
 

- Okay, eu posso estar um pouquinho - Ergueu uma sobrancelha - Ta, eu tenho ciumes. - Confessei com um pouco de raiva
 

- É só isso?
 

- Não. - Dei uma pausa - Ela falou que tem uma surpresa pra mim hoje. Eu quero saber o que é - Vi o menor sorrir malicioso
 

- Se deu bem. - Me deu um leve tapa no peito.
 

- Não sei - Fiquei pensativo - Dela eu espero tudo. - Sorri

                                                                                              ***

PVO ___ On

 

Acho que nunca trabalhei tanto em um dia só. Sinto que a outra secretaria servia para outras coisas, as reuniões estavam mal organizadas e por conta disso os contratos caíram, os gráficos das estatísticas estavam errados e horrendos. Não conseguia acreditar.

 

- Senhor Chung! - Chamei a atenção do mais velho que lia alguns contratos - Pode vir aqui?
 

Logo ele se levantou e veio até mim

 

- O que deseja? - Se apoiou em minha cadeira.
 

- Essas três reuniões terão que ser canceladas e remarcadas. - Mostrei a agenda. - Temos dois contratos vencidos e o gráfico esta errado. - Suspirei - A empresa não caiu 70%, estaríamos mais que falidos, ela caiu 20% nos últimos 2 meses.
 

- Nossa, eu não tinha ideia. - O senhor arregalou os olhos.
 

- Se... quer dizer Chung, quer um conselho? - Assentiu - Procure uma secretaria boa de cabeça, não de corpo! - Arregalei os olhos quando vi o que disse - Me desculpe eu não...
 

- Não precisa se desculpas. - Me cortou - Você tem razão, eu deveria prestar mais atenção em quem coloco dentro da empresa. - Falou sincero. - Obrigado pelo conselho.
 

Não falei mais nada. Continuei com o meu trabalho os mais rápido possível, teria que sair mais cedo.
 

Terminei minhas tarefas e as entreguei para o senhor Chung. Olhei no relógio - 16:15 - Já poderia ir embora.
 

- Já estou indo senhor Chung - Comecei a organizar minha bolsa - Segunda eu chegarei no horário normal. As 7:30 como sempre. - Fui até sua mesa e me curvei
 

- Obrigado por arrumar as coisas por aqui. - Riu nasal - Gostei da sua saia, muito bonita.
 

- Obrigada. - Me curvei novamente - Tchau, até segunda. - Falei e fechei a porta em seguida
 

Teria que me organizar mentalmente. Tenho que chegar em casa antes das 18:00, tomar banho e me preparar. Mas primeiro tenho que ir no Sex Shop.
 

Pedi um taxi que logo chegou. No caminho fiquei pensando no que faria, não queria decepcionar o Nam. Pensei em cada detalhe, desde roupa até o clima que deveria estar, pensei em varias alternativas. Estava nervosa. O taxi parou um pouco longe do meu destino. Ninguém precisa saber onde vou.
 

- Obrigada, tenha um bom trabalho - Me curvei, logo apos o pagar 
 

Andei apressada até o local, ainda tinha que andar com a cabeça baixa para ninguém me reconhecer. Chegando em meu destino já pude ouvir o sininho e minha amiga americana no caixa.
 

- Hilary, quanto tempo - Sorri  largo. - Esta sumida. - Lhe dei um pequeno abraço
 

- Você que não me visita mais. - Ela era linda, morena com os cabelos cacheados. - O que te traz aqui? - Sorriu largo, já imaginava o que eu queria
 

- Eu preciso de uma roupa especial. - Sorri maliciosa.
 

- Baby? - Ela sabia do meu relacionamento. Não é a toa que é minha melhor amiga.
 

- Não, eu preciso de uma roupa sensual. - Suspirei - Eu queria agradar o Daddy de uma forma diferenciada, se você me entende. - Mexi em meus dedos 
 

- Hum entendi - Saiu de trás do balcão - Vem comigo.
 

Me puxou para um setor cheia de lingeries lindas. Eu poderia me perder dentro daquela loja facilmente. Era legal por ser estilo Americana, esse tipo de loja aqui na coreia é muito rara. Eu peço meus brinquedos pela internet, e a maioria vem do japão, Hilary é minha salvação quando eu preciso urgentemente das coisas
 

- Essas aqui chegaram ontem. - Colocou em cima de uma mesa que tinha ali.
 

Fiquei encantada com todas. Eram tão delicadas e curtas, nunca tinha usado tal peça, nem mesmo na nossa primeira vez.
 

- Essa é linda, mas o que é isso? - Vi um rabo sair dela.
 

- É um Plug anal. - Pegou a peça - Ele é junto com a lingerie. - Acariciou a peça 
 

- Então deixa. - Falei frustrada.
 

- Oxi, por que? - Sempre com aquele jeito extremo
 

- É que... - fiquei com vergonha - Eu nunca... a você sabe! - Bati o pé no chão
 

- Você é virgem no buraquinho? - Perguntou incrédula - Eu não creio.
 

- O que? - Fiquei brava - Eu só não me sinto confortável. Minha primeira vez doeu muito com Nam.
 

- Eu lembro! - Começou a rir - Você falou que se sentia rasgada. - Continuava a rir histericamente. Tenho certeza que se ela não fosse a dona da loja, seriamos expulsar por causa do barulho
 

- Aish, só me ajude. - Estava com vergonha.
 

Continuamos nossa procura pela "lingerie perfeita". Já estava ficando cansada, eram tantas opções que minha cabeça  estava começando a doer. Até que ela apareceu, era tão linda e detalhada, era uma calcinha preta rendada fio dental, um sutiã também preto e rendado com abertura na frente, mas o que eu mais amei era a cinta liga juntamente com uma meia preta que ia até metade das coxas. Era aquela que eu ia levar.
 

- É essa! - Pulei feliz - O Daddy vai amar. - Sorri largo
 

- Sabia que eu já tive um Daddy? - Neguei - Na verdade tentamos, mas eu não gostei ai continuamos o relacionamento. - Suspirou - Um tempo depois terminamos.
 

- Sinto muito, miga.
 

- Não sinta. - Riu nasal - Namorar um idol não era tão legal.
 

- Você também já namorou um idol? - Assentiu - Quem é?
 

- Isso eu não posso contar. - Beijou os dedos.
 

Não iria mais insistir. Peguei preciosa e levei até o caixa.
 

- Volte mais vezes. Não é legal conversar só pelo celular. - Assenti - Alias, tenho que conhecer seu Daddy!
 

- Verdade, você não o conheceu ainda. - Pensei - Vamos marcar um dias desses.
 

Me despedi da mais velha e segui o meu caminho. Ainda era 17:45, teria tempo de sobra.

                                                                                                 ***
 

Chegando em casa vou direto para o banho. Não lavei meus cabelos pois não daria tempo. Relaxei todo meu corpo na água morna que eu tanto amava, estava tão tensa. Me enrolo na toalha e vou para o quaro. Passo creme com cheiro de baunilha por todo meu corpo. Vesti a pequena Lingerie com cuidado, coloquei o sutiã o arrumando sutilmente em meus seios, arrumei a calcinha que marcava minhas partes de princesa delicadamente e coloquei as meias pretas levemente transparente com um detalhe nas coxas, prendi a cinta liga e estava pronta.

 

Me sentia a mulher mais gostosa coreia. 
 

Arrumei meus cabelos soltos, só fazendo uma pequena trança de lado. Passei uma sombra marrom opaca e um leve brilho em seguida, não ia exagerar já que iria borrar de qualquer jeito, passei um brilho mentolado e estava pronta. Parecia uma mulher madura, com curvas e um olhar marcante, Sexy!
 

Olhei no meu relógio - 18:30. - Teria tempo ainda. Desci até a cozinha e peguei uma cadeira.  Minhas pernas estavam bambas e meu coração acelerado, tinha medo dele não gostar. Subi novamente com um pouco de dificuldade, levar uma cadeira, semi nua, não é fácil. A coloquei no quarto em frente a cama. Coloquei um salto preto com alguns detalhes prateados.
Estava pronta e um pouco nervosa. Fiz uma playlist com musicas sexuais, algo que iria precisar hoje, e passei para caixa de som via Bluetooth. Fiquei mexendo no celular enquanto esperava. 

Já era 19:15 quando ouvi o carro do Daddy estacionar. Me sentei na cadeira com as pernas cruzadas, ajeitei minha postura e posicionei minhas mãos sobre minhas coxas.
 

- Princesa? - Ouvi ele gritar la de baixo. Estava começando a me exitar imaginando a cena - Já chegou?
 

- Estou no quarto, Daddy! - Gritei
 

Ouvi seus passos rápidos em direção a escada. Senti como se toda tenção sexual presa em mim fosse liberada de uma vez só. Quando ele entrou no quarto e me viu sentada franziu a sobrancelha, estava surpreso.Sua menininha era uma mulher forte, confiante e com toda certeza, sensual 
 

- Tudo isso é meu? - Se aproximou lentamente com os olhos presos nos meus - Você fez isso pra mim, Baby? - Sua voz soou rouca e sádica
 

- Tudo pra você - Me levantei indo em sua direção. Meus saltos faziam um som alto e firme - Daddy!
 

O puxei pela camiseta sem delicadeza. Encarei seus olhos e em seguida seus lábios, tão chamativos e rosados. Não demorei em tomá-los com um delicado selinho, que logo foi se transformando lentamente. Pedi passagem com a linga que foi aceita na hora.
 

Um beijo lento e quente, com um toque suave de menta. Minhas mão entraram em contato com os seus fios castanhos, o puxando junto a mim. Suas mãos seguraram minha cintura firmemente, roçando nossos corpos
 

- Hum... - Gemi entre o beijo quando senti minha bunda ser apertada com doçura. Suas mãos percorreram minhas nádegas com polidez.
 

Seu beijo era algo que poderia provar incansavelmente, sem parar um segundo sequer. Mas infelizmente tínhamos que respirar. Puxei seus lábios com os meus dentes, fazendo um pequeno estralo no final. Coloquei ambos meus braços em volta de seus pescoço
 

- Eu quero que escolha uma musica.. - Encarei seus lábios novamente - Pra mim dançar pro senhor! - Sorri malicioso e olhei em seus olhos
 

- Okay. - Devolveu o sorriso. Logo ele se  direcionou ao som e ligou o Bluetooth do seu celular. Começou a mexer rapidamente na tela e sorriu. Não demorou muito e eu comecei a ouvir o "Tic tac" da musica 

                                                                  (Liguem agora, aproveitem!)
 

- Faça das palavras dele as minhas! - Falou rouco e se sentou.
 

- Agora eu sou uma mulher! - Mordi os lábios - Sua mulher.
 

Chris Brown começou a cantar com suas voz afinada.


 

Comecei a rebolar sutilmente olhando em seus olhos. Me virei de costas e mexi meu corpo colocando meus cabelos de lado. Podia sentir seu olhar sobre meu corpo. Sorri maliciosa e me virei. Fui andando lentamente em sua direção com os olhos fixos nos seus.
 
Não tenho medo de me afogar, se isso significa que
vou mais fundo no seu oceano 
(yeah)
Gata, eu vou te beber toda, bebendo seu corpo a noite inteira
Só quero pegar suas pernas e abri-las, gata, você está gozando agora
Minha cabeça no seu peito ouvindo os batimentos do seu coração
Nadando no seu mar, e você suando sobre mim.

 

Passei meu pé direito entre suas pernas, ainda o encarando. Mordi os lábios e abri suas pernas com minha, a apoiando na cadeira. Suas mãos acariciaram elas, desde o  meu pé com o salto, até metade das minhas coxas, onde estava a meia preza na cinta liga.
 

Tirei minha perna rapidamente, sem perder o equilíbrio. Lancei um olhar marcante para o maior e cheguei mais perto. Coloquei suas mãos em minha cintura e me deixei levar pela musica lenta com a letra suja.
 
Menina, venha pra frente e não corra
Eu não quero ser um cara de um minuto
Amor você e como uma tempestade chovendo em mim, gata você está toda molhada (oooh)



 

Fechei suas pernas com minhas mãos, lhe dando a visão dos meus seios. Coloquei uma perna de cada lado de seu quadril e comecei um Lap Dance. Meus quadris se mexiam no ritmo da musica carinhosamente, sem perder nenhum detalhe. Daddy já estava começando a se exitar, e isso eu conseguia senti em baixo de mim.
 
Eu vou te beijar com jeito
(yeah, yeah)
Eu vou te lamber a noite toda
 (yeah yeah)
Gata quando eu estou dentro 
(yeah yeah)
É gata, você ouviu o que eu disse
Quando eu te fizer molhar a cama, yeah yeah
Vou te fazer molhar a cama, cama, cama
Quando eu te fizer molhar a cama, ( Oooh)
Vou colocar suas pernas atrás da cabeça

Quando eu te fizer molhar a cama
 

Movia meu quadril para frente a cada "yeah, yeah". Era uma sensação tão gostosa estar dançando para ele, me movia provocante revisando em olhar em seus olhos e para seus membro coberto pela calça apertava. Coloquei meus braços em seu pescoço e senti suas mãos em minha bunda, as apertando e dando impulso.
 

- Você é boa nisso. - Falou rouco.
 
Você não sabe onde se meteu
Prestes a entrar em sua mente, huh
Vou fazer você se sentir como uma nifomaniaca
Esta noite, ohh whoa, Você é minha, baby girl.

 

Sorri com a letra. Realmente combinava conosco, principalmente com ele. Tão selvagem e sádico. Me levantei e o puxei juntamente a mim, encostei meu bum bum em seu membro duro e rebolei lentamente na batida da musica.
 
Qualquer hora que você quiser
Estarei pronto e disposto a te dar isso
Começo a te lamber e você começa a tremer
Se mexa gata, me deixe te pegar de lado
E posso visitar todos aqueles lugares que você gosta
Seu pescoço, suas costas, seus lábios sexy
sua bunda e suas coxas.



 

- Humm...Joonie! - Gemi manhosa quando senti suas mãos apertarem meus seios por cima do sutiã.
 

- Você conseguiu me animar, princesa! - Abriu o fecho, deixando meus peitos expostos - Eu vou chupá-los com tanto gosto. - Me virou para ele.
 

Me puxou pela cintura e me deu um beijo quente. Nossa linguás entraram em um guerra por espaço, uma sincronia macia e doce. Suas mãos ágeis retiraram meu sutiã rapidamente. Daddy começou uma massagem gostosa. Eu como uma boa menina também lhe dei prazer. Minha pequena mão foi em contanto com o seu membro ereto o massageando, massageava com vontade toda suas extensão
 

- Não me provoque. - Murmurou quando o beijo parou.
 
Eu não quero ser um cara de um minuto
Baby, você é como uma tempestade
chovendo em mim, gata você está toda molhada
(Ye, ye)


 

Daddy puxou minha bunda para cima com força, assim, me levantando para que eu encaixasse minhas pernas em sua cintura. A musica continuava no fundo, lenta e suja. Namjoon me encostou na parede ainda em seu colo, onde começou uma simulação gostosa de estocadas, no ritmo da musica.
 
Eu vou te beijar com jeito, yeah, yeah
Eu vou te lamber a noite toda, yeah yeah
Gata quando eu estou dentro, yeah yeah
É gata, você ouviu o que eu disse
Quando eu te fizer molhar a cama
(yeah, yeah)
Vou te fazer molhar a cama, cama, cama
(yeah yeah)
Quando eu te fizer molhar a cama
Vou colocar suas pernas atrás da cabeça
Quando eu te fizer molhar a cama.

 

- Daddy, me foda com força! - Pedi manhosa rebolando em seu membro. - Foda sua princesa. 
 

- Antes eu vou te chupar. - Mordeu meu lábio inferior.
 

O maior me carregou até a cama, onde me deitou com cuidado. Me sentia uma flor delicada. Nam tirou seu cinto e jogou em um canto qualquer, retirou sua calça preta apertada em seguida. Me lançou um olha sexy e deu um sorriso de lado. Eu poderia gozar só por ve-lo de cueca.
 

Abri minhas pernas, deixando minha flor coberta pela calcinha amostra. Daddy chegou mais perto e assoprou minha lingerie encharcada, estava tão exitada.
 

- Ah...Namjoon! - Gemi alto quando sua boa entrou em contato com a minha bocetinha coberta
 
Eu vou te beijar com jeito, yeah, yeah
Eu vou te lamber a noite toda, yeah yeah
Gata quando eu estou dentro, yeah yeah
É gata, você ouviu o que eu disse
Quando eu te fizer molhar a cama
yeah yeah
Vou te fazer molhar a cama, cama, cama
(yeah yeah)
Quando eu te fizer molhar a cama
Vou colocar suas pernas atrás da cabeça
Quando eu te fizer molhar a cama.

 

A musica já estava acabando. E minha princesinha estava pulsante.
 

- Daddy... Tire meus saltos -  Pedi entre gemidos.
 

Nam parou o que estava fazendo e tirou meus saltos olhando em meus olhos. Beijou minha canela e foi subido até a meia, onde apertou o "botão" e começou a soltar a cinta liga. Desviou o olhar para as meias e as tirou delicadamente.
 

- Eu posso te ajudar a deslizar essa calcinha? - Perguntou rouco 
 

- Pode sim.. - Estava levemente ofegante
 

Daddy segurou os dois lados da pequena peça, e deslizou cuidadosamente sobre minhas pernas, me fazendo arrepiar por inteiro. O castanho pegou a peça e cheirou, revirando os olhos logo em seguida
 

- Tão cheirosa. - Sorriu
 

Ele então se aproximou novamente e lambeu minha coxa, até chegar no ponto que queríamos. Assoprou novamente meu clitóris, dando uma sensação gostosa e refrescante na região. Arquei minhas costas buscando mais contato daquela boca gostosa.
 

- Apressada. - Murmurou e depois beijou minha entradinha. Fazendo um barulho erótico.
 

Senti seus dedos abrir meus grandes lábios e me penetrar lentamente. Namjoon começou a chupar minha bonequinha com firmeza e precisão. Os espasmos que meu corpo sentia eram incríveis e deliciosos, me faziam revirar os olhos.
 

- Wooh...ai D-daddy! - Falei quando ele mordeu meu botãozinho
 

Suas mãos fortes seguravam minhas pernas, as impedindo de se fechar. Minha excitação era tanta, tão forte. Não conseguia segurar meus gemidos, provavelmente hoje os vizinhos saberiam o nome de Namjoon de cor.
 

Minhas pernas começaram a tremer de uma forma incontrolável. No quarto só se ouvia, suas sugadas em minha vagina e meus gemidos agudos, o meu cheiro já estava espalhado e o quarto abafado. Um exemplo de pornografia.
 

- Kim Namjoon! - Gritei o nome do maior e segurei seus fios. Estava sentido meu gozo se aproximar, de uma forma fodidamente gostosa. Seus dedos foram mais rápidos na penetração, e sua linguá não parou o trabalho. Ele era bom noque fazia, e o bendito sabia....
 

Apertei os lençóis e e gemi arrastado. Tinha gozado perfeitamente.
 

- Minha princesa é tão doce! - Limpou o canto da boa. - Eu amo o seu mel.
 

- Que bom que gosta, Daddy. - Sorri tentando recuperar meu folego. - Deixa eu te agradar?
 

- Deixo, mas do meu jeito - Assenti e me levantei com dificuldade, minhas pernas estavam bambas
 

O castanho continuo em pé. Me ajoelhei perto do maior e esperei suas ordens..

PVO Namjoon  ON
 

Seus olhinhos me observavam em expectativas, revisavam em olhar para minha cueca e meus olhos. Minha boca ainda estava com seus gostinho.
 

- Tira pro Daddy. - Me referi a cueca, calmamente.
 

Suas unhas arranharam minhas coxas, de baixo para cima. Pegou em minha cueca e abaixou de uma vez, meu membro pulou de uma forma.Peguei em seus cabelos soltos a trazendo mais a frente. Segurei meu membro com força e o senti pulsar. Estava bem exitado.
 

- Chupa o Daddy, amor. - Pedi carinhoso e ela abriu a boca. Puxei sua cabeça devagar até meu pau. - Olhe para o Daddy! - Pedi sorrindo de leve.
 

A mesma olhou em meus olhos de uma forma impactante. Coloquei meu membro lentamente em sua boca, sentido sua linguá quente percorrer meu pênis. O soltei e segurei em seu cabelos com mais firmeza. Suas mãos entraram em contato com as minhas coxas as segurando com força.
 

- Ahh...que boquinha princesa! - Gemi rouco quando ela sugou com força. - Pode fazer!
 

Soltei seus cabelos a deixando livre. Minha princesa tirou meu membro da boca e começou uma masturbação lenta e dolorosa. Ainda olhando em meus olhos. Chupou minha glande com força enquanto massageava meu testículos sutilmente. Estremeci quando o colocou por completo em sua boca.
 

Ela chupava com vontade até a metade, e masturbava o que não cabia em sua boca. Peguei em seus cabelos novamente e forcei sua boca um pouco. - Desculpe. - Pedi quando a ouvi engasgar. Tão sensível. Senti minhas pernas tremerem, e as veias do meu pênis engrossarem. Iria gozar.
 

- I-isso amor... Não pare. - Pedi e forcei meu quadril para frente. Meu jato foi forte, em sua boquinha desenhada.
 

Ela engoliu tudo olhando em meus olhos, nem reclamou. Minha menininha era uma mulher, minha mulher.
 

- Que gostoso, Daddy. - Lambeu seus lábios de uma forma provocativa. Se levantou e me empurrou na cama. - Quero te deixar varias marquinhas! - Sorriu maliciosa e subiu em cima de mim.
 

Segurou ambos os meus braços e começou subir sutilmente a minha camiseta vermelha, que até então, cobria todo o meu abdômen. A ajudei a terminar de tirar minha ultima peça de roupa, me deixando totalmente nu  
 

 ______ então beijou meus lábios rapidamente e foi descendo. Chupou meu pescoço com força, me fazendo grunhir, chupou meu tronco nu, deixando varias marquinhas roxas. Eu levaria uma bela bronca no Manager, mas no momento não ligava para mais nada.
 

- Daddy, já esta duro de novo? - Perguntou risonha.
 

- Sim, meu amor. - Coloquei parte do seu cabelo atrás da orelha. - Não pense que não vou te deixar marcas também.
 

Mudei as posições ficando por cima. Apertei seus seios com certa força, não demorei em colocá-los na boca com certo gosto. Amava chupá-los e velos vermelhos depois.
 

- Humm.. Daddy. - Gemeu ofegante
 

Deixei vários chupões entre seu pescoço e seios. Estavam lindos.
 

- De quatro pro Daddy. - Bati em sua bunda.

PVO ___ On

 

Fiquei na posição que o maior pediu. Minha pequenina clamava por sua atenção.

 

- Bem fundo,Daddy - Me empinei 
 

Senti suas mãos em minha cintura. Seu membro foi encaixado na minha bocetinha molhada e escorregou, de uma forma lenta e delicada. Suas estocadas começaram lentas e sofridas, uma forma de provocar nos dois. Um vai e vem tão úmido, gostoso e viciante 
 

- Tão apertadinha! - Grunhiu
 

Seu membro começou a ir mais rápido na minha princesinha. No quarto só se ouvia meus gemidos clamando por seu nome e nosso corpos se chocando. Um sexo gostoso e forte. Seu quadril se chocava fortemente com a minha bunda, trazendo uma leve ardencia no local
 

- Ai...Namjoon! - Foi logo no meu pontinho.
 

Daddy começou a estocar aquele lugar incansavelmente, já podia sentir meu orgasmo se aproximando. Minha boceta apertava Namjoon de uma forma deliciosa. Nosso sexo era diferente de qualquer outro, era intenso, era forte, era apaixonante....era perfeito
 

A forma que ele me dava prazer, a forma que deixava eu lhe proporcionar prazer, era magnifico. 
 

- Isso... rebola no Daddy! - Gemeu rouco e forçou se quadril.
 

Senti seu liquido quente dentro de mim. Namjoon tinha gozado, porem, não parou a estocadas. Estávamos insaciáveis.
 

Senti minhas pernas falharem e tremerem freneticamente. Soltei um gemido alto e agudo, até os vizinhos poderiam ouvir. Gozei forte.
 

- Hum... - Gemi manhosa quando ele saiu de dentro de mim lentamente
 

- Vem aqui, princesa! - Bateu em seu peito.
 

Fui engatinhando até o maior e deitei em seu peito. Meu corpo estava mole.
 

- Não sinto minhas pernas. - Comentei rindo soprado - Você é grande, Daddy!
 

- Gostei desse seu lado. - Riu - Uma linda mulher. - Mexeu em meus cabelos - Mas não troco minha princesinha por nada.
 

- Eu sei Daddy. - Mexi em sua barriga. - Eu te amo muito, sabia?
 

- Sabia, sabe por quê? - Neguei - Por quê eu te amo também.
 

Lhe roubei um beijo, um bem calmo e fofo. Agora nos encontrávamos nus, soados e satisfeitos....Muito satisfeitos 
 


Notas Finais


Link da musica: : https://www.youtube.com/watch?v=47cK2r_2aG0


Eu disse que ia vir mais cedo (20:30 para ser exata)...mas não deu, desculpa

Outras fanfics:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/my-lamp-genie--crack-fic--jung-hoseok--j-hope-11421889 ( J-hope - Crack fic)

https://www.spiritfanfiction.com/historia/a-bad-birthday--one-shot--park-jimin-bts-12302490 ( Jimin - One shot)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...