1. Spirit Fanfics >
  2. My Daddy (Park Jimin - BTS) >
  3. Irmão mais novo

História My Daddy (Park Jimin - BTS) - Capítulo 40


Escrita por:


Notas do Autor


EAI MEUS AMORES
não taquem pedras pelo aMOR
Demorei eu sei... demoro meeesmo dsclp.
Ent, como vcs ja sabem eu falei que queria reescrever a historia, porque no inicio ela é muito vergonha alheia sacas? Tipo... a minha vontade de me jogar da ponte. Eu acabei por pegar até o capitulo NOVE, e reescrevi até ai, mais não repostei, consequentemente a fanfic vai ficar com menos capitulos, pois eu juntei alguns e show.

ENTÃO. ಥ⌣ಥ
eu fui entrar agr na historia e a página estava dando erro varias vezes. eu pensei: pronto acabou, minha fanfic foi excluidaa. Juro eu tava com o c* na mão, mas deu tudo ceeerto.

Espero que aproveitem bem esse capítulo, pois eu vou sumir mais um ano para postar o próximo.
Brincadeira, não sei
Se tiver algum erro revelem bele? RElevem
Boa leitura!!

Capítulo 40 - Irmão mais novo


Já havia se passado três anos após eu ter voltado para casa. Me formei no ensino médio, fiz o vestibular e consegui ganhar uma bolsa de estudos na faculdade de psicologia e estou cursando o segundo ano da faculdade. Muita coisa mudou nesses três anos, eu e as meninas conseguimos passar no vestibular e cada uma seguiu em sua especialização. Roseanne entrou na faculdade de nutrição e seu namorado David seguiu pediatria, Jisoo na faculdade de artes cênicas, Jennie seguiu na moda e Lisa entrou na faculdade de dança, já Tomas foi para os Estados Unidos após concluir o ensino médio e lá estuda o curso de direito.

– Para onde você vai mocinha? – Papai diz sentado na mesa, enquanto toma seu café e mexe em seu tablet, provavelmente sobre o trabalho.

– Preciso ir atrás de alguns livros que irei precisar na faculdade, vou aproveitar essa saída para visitar Jimin lá na empresa. – Sim, eu e Jimin ainda estamos juntos. Sim, ele me esperou.

– Certo, tome cuidado sim? – Dou um beijinho em sua bochecha me despedindo antes de sair de casa e caminho até meu carro segurando minha bolsa em meu braço e o papel com a lista de livros.

A movimentação na cidade não está tão grande então consigo chegar rapidamente até a biblioteca, onde após muitos minutos acho os benditos livros que preciso. Caminho rapidamente com eles até a bibliotecária, onde faço a reserva dos livros e depois de muita burocracia, eu finalmente saio de lá, aliviada por ter achado a maioria dos livros.

– Tinha que ter faltado o mais importante? – Bufo e escoro minha cabeça no volante. Pego o papel, onde os livros que encontrei estão grifados com marca texto, sobrando apenas um. – Tudo bem. Vejo se encontro em outra biblioteca. – Reviro os olhos, ligando o carro e partindo rumo a outras bibliotecas. É o livro que todo iniciante em psicologia deve ler, e no primeiro ano eu não li.

[...] horas depois;

Se passaram algumas horas, e eu fui em outras três bibliotecas, nenhuma tinha o livro. Frustada, vou ao meu ultimo destino, a empresa Park's. Ao chegar, estaciono do outro lado da rua e atravesso-a com cuidado, logo chegando a recepção vendo Nari.

– Bom dia senhorita ____. – Diz Nari com o seu sorriso radiante. – Quer ver o senhor Park, não é? – Ela me olha maliciosa e eu a repreendo com o olhar.

– Já falei que não precisa me chamar de senhorita, é chique mas eu acho estranho. – Digo apoiando meus braços no balcão, vendo-a mexer em alguns papeis.

– Eu sei, é a força do habito. – Sorrio concordando. – Sabe que sua entrada é liberada sempre, não precisa ficar esperando. 

– Só queria cumprimentar minha amiga, não posso? – Faço um biquinho enquanto ela revira os olhos e começa a rir junto a mim.

Nari é uma boa pessoa, sempre sorrindo e radiante tanto no trabalho quanto fora dele. Muito esforçada e dedicada, não é atoa que é sempre bem tratada e todos gostam de sua companhia. Sempre fofocamos quando acontece algo tanto na empresa quanto na faculdade, é muito bom compartilhar algo com ela.

– Sem conversas senhorita Choi, está em horário de trabalho. – Um homem de terno, jovem, passa por nós, avisando em tom um tanto indelicado. Arqueio uma sobrancelha e volto a olhar Nari, logo quando a porta do elevador se fecha com o homem dentro.

– Quem é esse? – Pergunto baixinho e curiosa. Até porque, ninguém nunca havia se incomodado enquanto Nari e eu conversávamos um pouco. – Nunca o vi por aqui.

– O filho mais novo da família Park. Ele chegou aqui já faz duas semanas mais ou menos, e já tacou o terror em todo mundo. – Diz suspirando. – Ele é lindo, não é?

– Nari! – A repreendo, enquanto rimos um pouco. – Já vou indo, te vejo mais tarde?

– Claro. – Ela sorri e avisa no telefone que eu havia chegado, logo se levantando e me dando um abraço, seguindo um caminho contrário do meu com alguns papéis na mão.

Aperto o botão do elevador esperando que ele chegue a este andar. Sinto as borboletas no estômago, era assim toda vez que eu vinha vê-lo. Era uma mistura de saudades com tesão que pelo amor. Entro no elevador assim que as portas metálicas se abrem e aperto o botão para chegar ao andar onde fica o escritório de Jimin. Me olho no espelho que havia no elevador, arrumando minhas roupas e meu cabelo, passando rapidamente um lip tint para dar cor a minha boca e um pouquinho nas minhas bochechas. Guardo-o da bolsa e caminho até a mesa da secretária de Jimin.

– Bom dia. – Digo assim que chego até sua mesa e a mais velha me olha sorrindo.

– Bom dia ____. Jimin está na sala dele, pode entrar. – Me curvo agradecendo e bato na porta do escritório, escutando a voz que me faz minhas pernas estremecerem.

Abro a porta e vejo Jimin sentado atrás da mesa de madeira escura, enquanto folheava alguns papéis. Mordo meu lábio ansiosa querendo correr e pular em cima dele, mas mantenho a postura mesmo quase tendo um chilique. Ponho minha bolsa em cima do pequeno sofá que havia no escritório e caminho até ele, chamando a sua atenção com o barulho de meus saltos. O que mais me anima e me instiga pular em cima dele, é o sorriso que ele abre, deixando os papéis em cima da mesa e se levantando da sua cadeira vindo até mim e finalmente me abraçando.

– Oi meu poderoso chefão. – Digo entrelaçando meus braços em seu pescoço, e colando seus lábios nos meus. Quebrando o espacinho que faltava entre nós.

– Meu bem. Estava com saudades e bastante preocupado, já que não apareceu durante um mês. – Diz ainda me abraçando pela cintura, acaricio seu rosto com carinho observando cada detalhe, vendo a presença de olheiras não tão escuras em seu rosto. – Por que não veio antes?

– Estava meio corrido na faculdade. Provas e novos assuntos, ainda agora estava atrás de livros para poder estudar. – Ele sorri me dando um selinho, caminhando juntos até sentarmos no pequeno sofá, onde nos agarramos para matar a saudade.

– E encontrou? – Nego com a cabeça e solto um suspiro frustada.

– Era um importante para iniciantes no rumo da psicologia, mas não tinha o que eu precisava nas bibliotecas. – Sento de frente para ele, não conseguindo conter um sorriso. – Estava com tanta saudades de você. 

Me inclino para frente dando-lhe um selinho, Jimin acaba por segurar minha cintura e me puxar para o seu colo, intensificando o beijo. Suas mãos arrancam o cardigan de meu corpo, descendo suas mãos até minha bunda onde ele aperta com força, me fazendo morder seu lábio levemente. Puxo levemente para mim, para que eu consiga retirar o seu blazer, deixando-o com sua camisa de botões branca.

– Você vestido tão formal assim me excita, sabia? – Digo com os nossos lábios rente ao do outro, enquanto minhas mãos seguram seu rosto, vendo ele me jogar aquele olhar de novo. 

– Sabia. Por isso que eu sempre uso, hum? – Ele diz baixinho, quase ronronando em meu ouvido, enquanto uma de suas mãos adentram minha blusa. – Por que justo a blusa de gola alta? Sabe que eu amo deixar minhas marquinhas ai.

– É por isso mesmo que vim com ela. Na faculdade ficam me olhando de mais toda vez que eu apareço lá depois de vir te visitar senhor bonitão. – Passo meu polegar em sua boca, antes de descer meu rosto para o seu pescoço. – Mas não me impede de deixar as minhas marquinhas em você, não é?

– Garota, aprendeu com quem essa safadeza toda ein? – Solto uma risada abafada, por estar muito próxima de seu pescoço. – Ah é, foi comigo. 

Chupo seu pescoço apenas para deixar uma marquinha fraquinha. Jimin inclina a cabeça para trás, deixando seu pescoço mais amostra, me fazendo beijar e dar mordidinhas em cada cantinho, subindo lentamente até sua boca onde mordo seu lábio inferior antes de beija-lo. Apressadamente começo a desabotoar sua camisa, ansiosa em poder ver seu peitoral antes de marca-lo com minhas unhas. Sinto um de meus saltos cair de meu pé, desajeitadamente tiro o outro salto, me jogando em Jimin. Este que me deita no sofá, derrubando minha bolsa no chão, junto ao seu blazer, que foi empurrado pelo mesmo. Seu corpo sob o meu, me faz morder meus lábios querendo mais.

– Incrível como só ficamos longe por mais ou menos um mês, e estamos com esse fogo todo. – Digo respirando ofegante após Jimin separar sua boca da minha, descendo seu rosto até o cós de minha calça, onde é aberta lentamente enquanto seus olhos não desviavam dos meus.

– Não precisamos nem de um dia longe para fazermos o que iremos fazer, meu bem. – Diz dando um sorriso, antes de levantar minha blusa até os meus seios e beijar minha barriga, mordendo-a antes de prosseguir. – Você me enlouquece babe.

Sorrio jogando minha cabeça para trás, sentindo arrepios em minha barriga. Jimin passa a ponta de sua língua de meu ventre até bem embaixo de meus seios, onde ele estava ansioso para tocar, mas algo o impede.

– Não sabia que comer mulheres se tornou seu trabalho, irmão.

Me assusto e abaixo a camisa me sentando no sofá. Vejo o mesmo moço que havia dado uma bronca em Nari, nos olhando com a sobrancelha arqueada, para mim justamente com um olhar bem indiferente.

– O que está fazendo aqui Jihyun? Deveria estar no seu setor, que suponho ser uns três andares abaixo deste. – Jimin diz frustado, abotoando novamente sua camisa. E me ajudando a calçar os meus saltos.

– O que acha que o papai vai pensar ao saber que você fica transando na empresa ao invés de trabalhar, hum? – Diz desafiando o irmão com o olhar. 

– Que você é um fuxiqueiro e preguiçoso, por ficar passeando na empresa ao invés de ir trabalhar também. – Diz Jimin se levantando e parando em frente ao irmão, cruzando os braços, e paizinho do céu, um sexo era tudo o que eu queria agora depois dessa visão de um Jimin sério.

– Não tem muito o que fazer naquele setor Jimin, você sabe. – Jihyun diz bufando e revirando os olhos.

Tem cara de ser mimado.

– Não Jihyun, eu não sei, porque não faço questão de saber onde você fica ou deixa de ficar. – Jimin diz fechando os olhos com força e colocando as mãos no bolso de sua calça. Ele está ficando estressado.

– Como meu hyung é mal. – Diz sorrindo maldoso enquanto seu olhar se move até mim. Desvio o olhar dos dois irmãos e cato minha bolsa do chão, vestindo meu cardigan de novo.

– Se não tem o que fazer aqui se retire. Só hoje você já veio me encher a cabeça bem umas seis vezes e ainda nem chegou a hora do almoço. – O mais novo olha para Jimin indignado.

– Eu tenho que vir aqui te avisar todos os problemas que aconteçam aqui na empresa Jimin! – Diz começando a ficar vermelho, arregalo os olhos mas continuo calada. – Inclusive, essa garota também tem haver com um dos problemas.

– Eu? – Minha vez de ficar indignada, me levanto e ando até ficar ao lado de Jimin.

– Você mesma. Atrapalhando os funcionários durante o horário de trabalho. 

– Eu não passei nem dez minutos conversando com Nari. – Ele me olha esperando algo mais obvio. – Isso para você é um problema?

– Jihyun, vou te avisar apenas porque eu sou seu irmão e não me importo contigo. Não faz nem duas semanas que você está aqui e metade dos funcionários veio falar comigo, perguntando quando você vai embora e quando vai parar de reclamar sobre tudo e todos. – Jimin diz passando as mãos no rosto, ele está muito estressado.

– Mas é o meu trabalho Jimin?!

– Este não é o seu trabalho e você sabe muito bem caramba! – Diz começando a puxar o ar com mais força, apontando para seu irmão antes de prosseguir. – Se não parar com toda essa putaria aqui na empresa, quem irá falar com o papai sou eu, e pensa bem porque sabe que o papai tem bem menos paciência do que eu com você. – Jihyun olha atentamente para Jimin, antes de me olhar e sair bufando da sala. – Me desculpa ____. Eu acho que vou colocar uma tranca anti Jihyun nessa porta.

– Ta' tudo bem Jimin. – Passo minha mão por suas costas. – Você está mais estressado que o normal. – Passo minhas mãos em seu rosto dando-lhe um beijinho.

– É por causa do trabalho, está ficando cada vez mais pesado. – Diz deitando sua cabeça em meu ombro, abraçando minha cintura enquanto eu lhe faço um cafuné. – E também, sabe que eu fico estressado quando alguém atrapalha nossa foda, babe. – Solto um risinho fraco.

– Amanhã é sábado, tire o final de semana para cuidar de você Jiminie. – Ele começa a resmungar em meu ombro. – Você está muito sobrecarregado meu bem, quer uma massagem? – Ele nega me abraçando mais forte. – O que quer hum?

– Quer ir jantar comigo hoje a noite? – Jimin ergue a cabeça e me olha esperançoso. – Só você para me acalmar.

– Claro! – Digo e dou uns pulinhos já animada. – Me busque as oito, sim? – Ele assente e me beija. Pego minha bolsa e saio do escritório de mãos dadas com Jimin. Sinto alguns olhares sob nós, mas estando com Jimin eu me sinto bem. Ele me acompanha até o elevador, aperto o botão vendo que ele já está subindo.

– Até mais tarde babe. – Ele me dá um selinho rápido, e olha para os lados antes de respirar fundo e me deixar entrar no elevador. – Tchau.

Jimin diz baixinho, abaixando a cabeça. Saio do elevador rapidamente para abraça-lo com força, sendo retribuída na mesma intensidade.

– Trabalhe bem sim? – O olho atenciosa. – Todo o seu esforço merece uma recompensa, hoje a noite. – Pisco para o mesmo, que abre um sorriso lindo. – Até mais tarde Jiminie.

Aceno para ele, vendo ele ficar na porta do elevador me olhando tristinho até a porta metálica se fechar. Suspiro frustada, ele está mal, se esforçando muito para que não dê nada de errado na empresa e com certeza está acontecendo alguma coisa na empresa para deixa-lo nesse estado. O trabalho puxa muito o Jimin, deixando-o derrotado. 

Mas hoje a noite, eu irei lhe dar atenção e o carinho que ele precisa.

 


Notas Finais


Personagens novos e vou dizer logo que a partir daqui vai dar mais merda ainda.
AIAI eu já sei oq vai acontecer nos próximos capítulos, só q é difícil de escrever ainda mais quando meu EAD segue firme e forte.
Cara, só saibam que no próximo capítulo (este que já esta escrito).... ( ͡° ͜ʖ ͡°) já dizendo tudo oq eu tinha pra falar
Foi mal a demora dnv ai bro
amo vcs bro
obg pela leitura bro
(ง ͠° ͟ل͜ ͡°)ง
bro

~ Me sigaam: @Park_Queen


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...