História My dangerous boss - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Barbara Palvin, Justin Bieber, Selena Gomez
Visualizações 106
Palavras 890
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente perdoa os erros, e comentem pra me motivar❤

Capítulo 13 - Home part. 2


Estados Unidos, nova York.

Point of view. Justin Bieber 

Eu estava louco com o fato de Aria estar sendo agora a protegidinha de nolan, tudo bem que eu errei, mas apenas esqueci que não estava em casa. Ela já estava bêbada, jogada no sofá provavelmente pelo copo misturado que chris deu a ela. 

(...)

- A gente pode nadar pelado.- era a nova da equipe, Megan. 

- Não perde tempo, e assim tão expostos?

- Quer algo mais particular?- Ri de lado pra ela não respondendo.

Point of view. Aria palvin

Amber acabou me puxando pro centro da sala pra dançarmos, e eramos as únicas até aí mas logo as outras que haviam na casa se juntaram a nós, os garotos estavam todos sentado nos olhando o que deixava tudo mais interessante. Com minha consciência no beleleu eu não me importava com nada. Estava tocando uma música super pra dança sensual e eu aproveitei isso, as meninas foram cada uma frente a um homem e o que me sobrou foi justin eu no fundo até queria mas por um momento lutei comigo mesmo pra não fazer isso, fiz. Parei em sua frente com minha cintura seguindo a música e fazendo movimentos que nunca imaginei. O mesmo segurava minha cintura me provocando e por alguns momentos olhei pra trás vendo que seus olhos não saiam do movimento da minha bunda próximo ao seu membro, eu não encostava mesmo que eu quisesse e mesmo que ele me puxasse, quanto a Nolan estava com uma das mulheres da casa não me importei, estava bem empolgado também. 

- Já pode passar a vez.- uma mulher de cabelos morenos disse me cutucando.

- É todo seu- disse saindo.

- Não...- Justin me puxou. Sorri por dentro.

- Me poupe.- ela tirou o braço dele de mim e eu literalmente fiquei de escanteio.

(...)

Mesmo depois do copo eu resolvi beber mais, estava um caco e finalmente Nolan me chamou para ir embora.

- Eu vou levar você, vamos...- ele disse oferencendo as mãos.

- Eu levo, é meu caminho.- Justin disse atrás dele nessa altura sem camisa e com as mãos no bolso.

- Claro.- Nolan forçou sorriso.

- Vamos Aria.- ele disse e foi na frente. Me despedi de todo mundo e fui embora. 

(...)

- Justin espera!- ele já estava no carro e só faltava acelerar não sei que pressa era essa.- Se quiser eu vou a pé ok? 

- Entra logo.- parecia que nem depois de uma noite agradável desamarrava a cara.

(...)

Nos primeiros 10 minutos foi um silêncio constrangedor. Mas aproveitei a coragem que estava dentro de mim para falar umas besteiras.

- Você tem alguma coisa pessoas da minha classe? Não sei porquê mal fala comigo e sei lá parece que sou um bicho.

- Fica quietinha, se for pra falar besteira, fica quietinha.- ele não tirou os olhos da estrada .

- Eu não aguento mais ser distratada, eu já tive outros patrões e nunca tiveram preconceitos.

- O que preconceitos? Tá maluca?

- Sim, você não fala comigo e também mal me olha, também...

- Chega! 

- Não, agora eu quero falar... Me diz por quê você é assim comigo? Vai me diz? Por que não age como com as outras empregadas?

- Porque...

- Diz...

- Por que com você é diferente, eu não posso te olhar sem querer...

- Sem querer o que?- ele levou a mão até minha cocha.

- Sem querer tocar  você...- apertou. Abri as pernas tentando dar passagem as suas mãos e assim foi. Não demorou a tocar minha intimidade e mesmo dirigindo me fazia sentir algo inexplicável.- Vira pra mim.- Eu virei e fiquei com uma das penas cima da dele é dessa vez foi prático. Ele tentou penetrar um dedo em mim e eu recuei. Ele riu.- Impossível.- ele novamente riu.- Virgem?- Apenas assenti com a cabeça.- Isso tem que ser com calma...- ele disse de forma carinhosa eu me derreti toda. Talvez eu fosse uma otaria mas sei lá.

- Eu quero agora.- disse baixo com a cabeça baixa.

- Agora?- Assenti. Ele virou bruscamente em uma rua já vazia e parou o carro.- ele ajustou meu banco e partiu pra cima de mim me beijando de forma quente, nosso beijo se encaixava de forma perfeita e isso era o pior, seu beijo me dava tesão que nunca ninguém me fez sentir sequer com um toque o que eu não esperava aconteceu ele se ajoelhou frente ao meu banco e levantou minha saia, colocou meu body de lado e eu tive a melhor sensação de toda minha vida. Eu não pude conter meus gemidos e me contorcia com o contato da sua língua em minha intimidade, sua boca quente fazia tudo ser melhor, eu puxava seus cabelos não me contendo com todo tesão que ele me proporciona...

- Vamos indo.- ele parou novamente do nada.

- Não.- disse grossa e óbvia como podia me deixar daquele jeito?

- Não? 

- Como assim?

- Eu não quero você assim Aria.

- O que? Mas...

- Chega.- ele foi seco virei a cabeça pra janela ainda indignada e assim fiquei durante a viagem, podia ouvir alguns risos aleatório dele, talvez pela minha reação.



Notas Finais


O que estão achando?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...