História My Dear Dancer - Capítulo 19


Escrita por: e since24th05

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Daniel, Emma Swan, Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Swanqueen
Visualizações 357
Palavras 2.197
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


um capitulo para alegrar o final de semana..
e curtinho mas importante.
Obrigada a todxs que estão acompanhando!!!

desculpa os erros...

Capítulo 19 - 19


Eu estava sentada no chão da sala da senhorita Swan, esperando ela sair do banho, novamente ela tinha me emprestado roupas, então eu estava vestindo um de seus shorts curtos e blusas compridas.  Minha taça de vinho já estava pela metade, então obriguei-me a ir mais devagar. A campainha toca, deveria ser a pizza, levanto, pego o dinheiro na minha bolsa, deixando o de Emma na mesinha e vou até a porta, ao abrir o entregador em encara

- Oi, boa noite, sua pizza – Pego e lhe dou o dinheiro trocado. Ele ainda fica me encarando

- Algum problema? – Resolvo perguntar

- Eu só gostaria de saber como ela faz isso – comenta, enquanto ainda me encara de cima a baixo

- Fazer oque?

- Ter uma mulher bonita toda vez que venho lhe entregar algo. – Fico em reação ao que ele me diz, então Emma realmente trás muitas mulheres aqui?

- Isso você teria que perguntar a ela mesmo, com licença – Digo fechando a porta, ao me virar ela esta parada perto do sofá

- Desculpa a demora no banho, meu cabelo estava com um pouco de nó – Diz fazendo uma careta, esta vestindo um  blusão igual ao meu e um shorts, seus cabelos molhados caindo pelos ombros

- O entregador queria lhe fazer uma pergunta interesante

- Que seria? – Ela me segue, indo deixar a pizza no balcão

- Ele queria saber como você consegue ficar com tantas mulheres diferentes e bonitas – Ao dizer isso percebo que ela fica sem graça

- Eu não faço isso, das vezes que ele veio estava Elsa, minha prima, depois Sabina com Noah, e Ivy,agora você. Talvez eu devesse parar de pedir pizza ali

- Não seria necessário, além disso essa pizza é uma das melhores da cidade, e sinceramente, eu não posso reclamar, você é livre, pode ficar com quantas pessoas quiser – Estou virada de costas para ela, de certa forma isso me incomoda um pouco, mas como eu disse, não posso reclamar de nada. Sinto suas mãos em minha cintura, apertam um pouco ali, ela se aproxima mais, sua respiração bate no meu pescoço.

- Eu já disse senhora Mills, e volto a repetir, dentre todas as pessoas que eu possa me relacionar, a única que eu realmente quero é você – Como, como vou suportar ficar perto dessa menina, ela me dizendo essas coisas?  Me afasto um pouco, tentando respirar

- Você disse que iria se comportar

- Estou me comportando senhora Mills, vamos comer alguma coisa enquanto assistimos á um filme – Diz caminhando de volta para a sala e eu faço o mesmo.  Nos senamos no chão como de costume quando venho em sua casa, nos primeiros dez minutos de filme estou concentrada em comer minha pizza e ver o que está passando na tela, logo após isso fico concetrada no gesto carinhoso que Emma está fazendo em meu braço, não sei exatamente quando ela começou, mas é bom, muito bom, viro-me para trás e a vejo me encarando

- Oi – ela diz sorrindo

- Oi – Lhe respondo, acabo sorrindo também – O que foi?

- Nada, quero saber se você está bem?

- Sim, estou bem

- Mesmo? Você sabe que se quiser pode conversar comigo não é?

- Posso? – Pergunto, não sei se ela sabe que eu nõ confio muito nas pessoas

- Sim, você pode, pode me dizer o que quiser – suspiro, ultimamente tenho conversado apenas com Zelena e Male sobre isso, mas é mais sobre como estou e o que farei, conversar com alguém de fora, que não nos conhecia, não conviveu conosco poderia ajudar

- Faz apenas algumas semanas que estou divorciada. Em certos momentos sinto falta de Daniel, de seus beijos, sua conversa, das vezes em que ele cozinhava para mim, mas as vezes me sinto bem por estar sozinha. É estranho, estive com ele por tanto tempo e então acabou.

- Eu nunca tive um relacionamento tão duradouro assim, mas se você está feliz, neste momento é o que importa. Se não estava te fazendo bem, porque continuar? As vezes temos que parar de dar murro em pota de faca, era o que minha mãe dizia, insistir em algo só porque você gosta ou ama, em algo que só te machuca porque você tem a esperança de mudar, não faz bem. O que você tem fazer é viver o hoje, viver o agora, se você se arrepender, segue em frente. Sentir falta dele você vai sentir, mas lembre-se do motivo de ter terminado, e siga em frente. Você merece ser feliz senhora Mills  – Ela disse tudo isso me encarando, vejo sinceridade no que me diz, ainda acaricia meu braço, por um impulso levanto um pouco o meu corpo, acabo sentando em suas pernas, encaro ela – Está tudo bem? – suas mãos vão para a minha cintura

- Não, eu... – Olho para nossos corpos, estão mais perto do que de costume, por um momento me sinto envergonhada por ter feito isso, penso em sair do seu colo e ir direto para a porta, ela parece que lê meus pensamentos

- Não precisa se envergonhar, tudo o que você disse mais cedo, sobre se comportar, ir devagar, podemos fazer da maneira que você quiser, se quiser ficar sentada no meu colo me encarando, tudo bem, eu gosto disso – ela diz rindo, apertando um pouco minha cintura – Mas se quiser se sentar ao meu lado, tudo bem também. Eu sei que isso pode ser confuso, e você deve também estar se martilizando por está aqui comigo sendo que acabou de se separar, mas como eu disse, agora você é livre, pode fazer o que quiser em relação a isso, eu só gostaria de saber o que quer

- Eu quero muitas coisas agora, uma delas é sair correndo de vergonha, mas a outra é.. apenas ficar aqui, olhar para você, te tocar

- Você pode fazer isso, eu não me importo

- Você age como se tudo o que eu fizesse está bom

- Não é a verdade, mas eu não vou forçar você a fazer algo que você não queira ou não esteja pronta ainda. Claro que a partir do momento que você disse que queria tentar, eu aceitei, a um bom tempo eu quero você, então sim, eu aceito o seus termos – Olho bem para o rosto dessa menina, que em um piscar de olhos se tornou uma mulher, até mais experiente do que eu, se duvidar.  – O que você quer? – Pergunta, me inclino para ela, tocando em seus cabelos viro um pouco o seu pescoço para me dar acesso a ele, dou um beijo ali, suas mãos apertam mais minha cintura, deposito outro beijo

- Eu quero tentar, muito, para ser sincera a um bom tempo eu não me sinto assim, quero dizer, por outra pessoa. Talvez eu e ele entramos na rotina, mas foi esfriando, posso ter me separado a pouco, mas desde um tempo eu já tenho reparado em você, ou pelo menos o meu corpo reparava, em seus toques, seus olhares

- Isso te incomoda?

- Não muito, é complicado. Vivemos em uma sociedade tão preconceituosa, eu fui casada por muitos anos com um homem e então de repente eu me interesso por uma mulher, tem o meu filho, que mesmo gostando de você, sendo o seu amigo, pode não aceitar bem isso. É complicado

- Se quiser não precisamos falar para todo mundo, fica só entre a gente, até porque ninguém precisa saber de nada de nossas vidas, e nem de tudo.

- Você tem razão. Eu quero, quero fazer isso, só devagar – Ainda estou sentada em seu colo, suas mãos ainda estão em mim, olho novamente pra seu rosto, seus lábios, seus olhos – Você é linda – Digo, talvez eu tenha pensado alto demais, pois ela me sorri

- Você também é – É o que me responde,abaixo a cabeça, um pouco sem graça – Hey

- Sim? – Ela coloca o dedo em meu queixo erguendo o meu rosto

- O que foi?

- Eu não sei responder bem a elogios, ainda mais... – “De uma aluna” é o que eu iria dizer

- Você ainda tem medo? De acontecer novamente?

- Talvez, não que eu não confie em você, não estaria aqui se não confiasse ao menos um pouco.

- Ai, essa doeu – Ela riu – Posso te abraçar?

- Eu seria um pouco hipócrita se estivesse nesta posição com você e lhe negasse um abraço – Me aproximo dela e ela me abraça, apertado, minhas mãos em seus cabelos já secos prendem ali, sinto ela beijar meu pescoço, um arrepio percorre meu corpo, um arrepio bom, ela beija de novo, sinto seus dentes ali, em uma leve mordida, involuntariamente meu corpo se move para frente, uma de suas mãos desce para minha cintura me puxando mais para ela, seus lábios ainda estão em meu pescoço, provavelmente irá deixar uma marca. – Sem marcas, por favor – Digo em um sussurro. Ela se afasta uma pouco, eu aproveito para beijar o seu pescoço, seu ombro, suas mãos puxam meu corpo para frente e para trás, em uma fricção deliciosa, estou excitada, não estou pensando com clareza.  – Emma – Digo soltando um gemido, ela se afasta

- É melhor pararmos, se continuarmos com isso vamos acabar não indo devagar – Ela diz sem folego

- Sim, é melhor mesmo – Seus lábios estão vermelhos – Eu.. eu ainda nem beijei você e já estamos assim

- Se você quiser resolvemos esse probelma agora – Balanço a cabeça, tentando não rir

- Eu preciso ir, Zelena deve ter levado Henry para minha casa. – Saiu de seu colo e fico de pé, ela faz o mesmo  

- Está tudo bem?

- Sim, não se preocupe, está tudo bem

- Ok, gostei de conversar com você.

- Eu também, você quer ajuda para arrumar? Acabamos nem vendo o filme

- Não precisa, pode ir, Henry deve está te esperando

- Ok – Caminho até a porta

- Nos vemos amanhã?

- Sim, amanhã, na companhia – Ela riu, eu estava um pouco desconcertada

- Sim, amanhã

- Quer sair comigo? Um encontro? – Pergunto um pouco nervosa

- Sim, claro, sim eu aceito – Ela responde um pouco rápido demais, talvez mais nervosa do que eu

- Sabado, Henry vai para a casa da minh irmã, ela e o marido vão viajar, você pode ir para lá e podemos ter o encontro

- Perfeito, nos vemos amanhã – Caminho até ela e lhe dou um beijo nos lábios, um simples selinho, ela é pega de surpresa

- Para você ter uma certeza de que realmente quero isso – Digo saindo em seguida, com um sorriso nos lábios e o coração acelerado. Entro no meu carro e percebo que estou com a roupa dela, que não peguei as minhas, que a única coisa que tenho comigo é o meu celular, não irei voltar até la, preciso pensar no que aconteceu nessas ultimas horas. Eu a beijei, um simples encostar de lábios, mas foi muito mais do que já tivemos dentro todos esses meses.

No caminho para casa pensei em alguns pontos que ocorreu neste dia. Eu a queria, isso era fato, talvez não me senti atraida assim por alguém desde Daniel, no inicio. Iriamos devagar, se conhecer primeiro, isso era a melhor coisa para se fazer.
Eu a beijei, um simples beijo, sentei em seu colo, fiquei excitada  apenas com os beijos e mordidas que deu em meu pescoço, tudo isso em menos de uma hora o filme foi esquecido. Agora teriamos um encontro real no proximo final de semana. Meu medo era dela dizer para alguém, ou alguém descobrir, ainda era cedo demais para tudo isso.

Estaciono em minha garagem, Henry já está em casa. Ele não passaria a noite fora. Caminho para dentro , ele está jogando video game na sala

- Oi querido, pensei que você ficaria com sua tia e sua avó

- Eu quis vim para casa hoje, já que final de semana irei viajar com a tia Zelena

- Eu vou tomar um banho – Subo, antes que ele perceba que não estou com minhas roupas e sim de sua amiga. Ao entrar no quarto tiro sua roupa e coloco no cesto de roupa suja, entro no banheiro e ligo o chuveiro. – Eu fiquei excitada por uma garota – Falo para mim mesma. Eu não sei o que deu em mim para ir para o seu colo, beijar seu pescoço, balançar meu corpo sobre o dela procurando fricção, eu parecia uma adolescente. A vergonha toma conta de mim, eu queria ir devagar, eu pedi por isso e então estava no colo dela como uma adoslecetne desesperada. – Calma Regina. – Tentei terminar o banho, troquei de roupa, peguei o meu celular e antes de descer para ficar um pouco com Henry vejo uma mensagem em meu celular.

 

“Eu gostei muito da tarde de hoje, não precisa se preocupar que eu não contarei a ninguém. Como eu disse vamos devagar, no seu ritmo, se quiser beijar, vamos, se não tudo bem também. Eu gosto muito de você senhora Mills. Boa noite...
Obrigada pela certeza de hoje” xx E

- Eu também gosto muito de você – Respondo olhando para o celular, bloqueio e desço para ficar um pouco com Henry.

 


Notas Finais


o que acharam? muito rápido da parte da Regina?

Deem suas opiniões...

o link do grupo do whatsapp ta no capitulo 18...

xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...