História My Dear Imaginary Friend (Imagine Min Yoongi) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Amigo Imaginário, Bts, Hot, Imagine, Min Yoongi, Suga
Visualizações 50
Palavras 1.239
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eaiiii manos, brotei do chão aqui pra outro capítulo, e... Sobre esse capítulo KKKKKKVAIDARMERDAKKKKKKKKK

Capítulo comprido pra compensar o tempo sem postar nada :D

(Bebês, desculpem a demora pra atualização da fic, ta difícil pra mim)

Desespero e gritaria, bora


Boa leitura♡

Capítulo 5 - Nunca me desafie...


S/N POV's 17:34

Acordei no meu quarto, minhas mãos estavam algemadas, olhei em volta e minha tia estava sentada na poltrona perto da cama, eu apenas soltei um "Que porra é essa?"

Tia: - Você estava gritando no meio da rua, sozinha... Eu te apliquei um calmante. 


Ela se aproximou abrindo as algemas, eu só queria saber de onde ela tirou essas algemas...

Ela saiu do quarto e Suga apareceu sentado na ponta da cama. Eu revirei os olhos.

- O que você quer aqui?

Suga: - Eu moro aqui.

Ele sorri cínico e eu dou um tapa no braço dele.

- Por que você não aparece pra ela?

Perguntei enquanto brincava com meus dedos.

Suga: - S/N.... Sua tia não pode me ver... Um dia você vai entender... Eu quero te dar uma coisa...

Ele abre uma gaveta e eu fico confusa, ele tira uma arma de dentro da gaveta e eu solto um "Oi?!?!?" Ele solta uma risada nasal e coloca a arma em cima da cama.

Suga: - Você vai precisar dela. Acredita em mim.

Eu pego a arma e a observo por alguns segundos.

- Não sei se devo agradecer... Mas eu ainda estou brava com você.

Ele faz uma expressão um pouco triste e se senta ao meu lado na cama.

Suga: - Não fica brava comigo, eu te contei a verdade, não posso te obrigar a aceitar... Tenta confiar em mim.

Ele me olha triste e eu sinto um aperto no peito, eu o abraço pedindo desculpas... Talvez eu realmente tenha que acreditar mais nele... Afinal, ele é meu melhor amigo.

Ele retribui o abraço dizendo que eu não precisava pedir desculpas... Que ele me entendia...

[...]

Algumas horas mais tarde eu saí do quarto e desci as escadas, assim que chego na sala, vejo minha tia de costas conversando com alguém no telefone, eu iria voltar para o quarto, quando ouço meu nome na conversa...

Tia: - Não, ainda não consegui... O estado dela está piorando como o esperado... Preciso daqueles remédios, não... Ele não está me fornecendo mais os remédios...

"Como o esperado?" Pensei.

Suga: - S/N, sai daqui agora!

Me viro vendo Suga sério atrás de mim.

- Por quê? Eu tô na minha casa, não vou sair não.

Falei baixo em tom de deboche.

Suga: - Sai agora, ou vai acontecer um assassinato aqui dentro dessa casa.

Ele continua sério e eu o olho confusa.

- Não eu não vou sair.

Nesse momento ouço um barulho vindo da cozinha, vejo minha tia pegar uma faca, e Suga desaparece dizendo: "Pegue a arma".

Tia: - Não, a herança vai ficar pra quem tem a guarda dela, não estamos conseguindo os resultados que precisávamos... Temos que acabar com isso.

Ela desliga o telefone e eu subo correndo pro meu quarto procurando a arma.

"Ela vai mesmo tentar me matar? Eu não acredito!" Pensei enquanto carreguei a arma, logo guardei a mesma na cintura e desci as escadas.

Tia: - Chegou na hora certa minha querida.

Ela sorria de uma forma estranha escondendo algo atrás dela, que eu sabia que era a faca.

- Hora certa de quê?

Felei ríspida enquanto me sentava no sofá.

Tia: - ah, S/n... Você não sabe o quão decepcionada eu estou com você... - Ela dizia se aproximando de mim vagarosamente com as mãos atrás das costas. - Você sabe que tem uma herança de grande valor no seu nome... Não sabe?

Ela estava falando de uma forma psicótica, meus olhos arregalaram e eu só disse "Herança?!" Sem entender nada. Ela revirou os olhos e suspirou.

Tia: - Seus pais te deixaram herança, por causa do seu estado... A sua digital e alguns números, te daria milhões de dólares, e algumas casas, sua família era extremamente rica... Porém, se algo acontecesse com a única herdeira... A herança iria pra quem tem a guarda dela...

Ali eu entendi tudo.

Adeus mundo cruel.


Ela tira as mãos das costas revelando a faca, da qual ela apontava pra mim sorrindo de uma forma psicótica.

Tia: - Eu diria que sinto muito, mas esse sempre foi meu plano.

Ela sorria cinicamente.

Eu queria chorar de ódio, nesse momento eu levantei do sofá rapidamente, e puxei a arma da cintura apontando pra ela, a mesma riu.

Tia: - S/n, você não pode me matar... Você seria internada, novamente.

Ela mantinha a postura firme, mas sua voz falhava um pouco.

- Posso matar sim, você não vai ficar com porra de herança nenhuma.

Eu disse com ódio, enquanto minha tia já havia parado de rir.

Tia: - Você tem tanta certeza que eu não vou? Se você morrer, tudo isso é meu e--

Nesse momento ouvimos passos pela sala, eu não olhei para trás, mas ouvi a voz de Suga atrás de mim.

Suga: - Fala ae vacilona, encosta nela pra você ver o que acontece.

Minha tia deixou a faca cair.

Ela olhava espantada para ele, eu não entendi foi porra nenhuma do que aconteceu ali.

Suga: - Atira S/n.

Ele falou do nada, e eu só o olhei confusa, minha tia riu novamente.

Tia: - Ah, sério Min Yoongi? Você acha mesmo que ela teria coragem de me matar? -Ela sorria cinicamente, meu sangue ferveu naquele momento. - Eu duvido que ela iria atirar para matar, ela não conseguiria.

"Mire e atire". Foi meu pensamento naquele momento.

- Nunca me desafie... 

Mirei a arma na cabeça dela e atirei...

Seu corpo caiu no chão, sem vida.

Eu a matei...

Eu soltei a arma e algumas lágrimas desceram dos meus olhos involuntariamente.

Seu sangue escorria pela sala, seus olhos estavam abertos. Eu me sentia horrível.

Yoongi me olhava sério. Eu não sabia o que fazer, senti o tempo a minha volta parar, minha vista escureceu... Ouvi Suga me chamar, foi a última coisa que escutei, eu desmaiei...

[...]

Acordei no meu quarto, tinham várias malas espalhadas. Suga entrou no quarto.

Suga: - Levanta, nós vamos sair daqui a g o r a. 

Eu o olhei sem entender nada. Ele continuou...

Suga: - Tô com o celular da sua tia, peguei tudo que você precisa, consegui um apartamento, temos que sair dessa casa.

- Quanto tempo eu fiquei desacordada?

Só consegui dizer isso, o mesmo me olhou apático.

Suga: - Duas horas.

- Oi?!?!? Como você fez tanta coisa em duas horas?

Suga: - Eu sou um anjo, consigo tudo que eu quero.

Ele sorri de lado e eu me levanto, vou até o banheiro e troco de roupa, logo saio e ele me dá a arma.

Suga: - Pra sua segurança.

Eu pego a arma e coloco na cintura.

Suga: - Nós vamos ficar um tempo longe do colégio até a poeira abaixar. Avise seus amigos.

Ele me entrega meu celular, e eu mando mensagem no grupo.

S/N Off

Mensagem On

(Bonde dos sem futuro)

Rapaziada, vou sumir do colégio por um tempo, não se preocupem comigo, daqui uma semana /- eu volto, amo vcs, embustes

Entregue às 22:30

Mensagem Off

S/N POV's

- Pronto. Vamos.

Suga pegou algumas malas e eu peguei as outras, logo estávamos no carro dele, do qual eu nem sabia da existência, ele deve ter conseguido durante o tempo que ficou fora...

[...]

Chegamos no apartamento e o mesmo era L I N D O, Suga tem muito bom gosto. Era por volta das 1:00 AM, e nao conseguia dormir, Suga entrou no quarto e se sentou do meu lado, acariciando meu rosto.

Suga: - Não consegue dormir anjinho?

Ele fala de uma forma doce, e eu levanto o olhar encontrando seus olhos.

- Toda vez que eu fecho os olhos eu revejo aquela cena.

Sinto calafrios pelo meu corpo e fecho os olhos abraçando o travesseiro.

Ele se deita na cama e me abraça.

Suga: - Está tudo bem anjinho. - Ele diz acariciando meu cabelo enquanto eu o abraço fortemente. - Eu estou aqui, sempre vou estar. 

Ele pega uma coberta nos cobrindo e logo nós dois adormecemos, abraçados...



Continua...?


Notas Finais


Final cute (*-*♡
Bom gnt, foi isto.
Obrigada a quem leu até aqui, desculpa qualquer errinho de ortografia, e, vou tentar trazer cap novo o mais rápido possível.

É isto.

Até loguinho♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...