História My Dear Love - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Álvaro Morata, Cristiano Ronaldo, Francisco "Isco" Suárez, Gareth Bale, Karim Benzema, Luka Modric, Marcelo Vieira, Marco Asensio, Sergio Ramos, Toni Kroos
Personagens Álvaro Morata, Cristiano Ronaldo, Francisco Román Alarcón Suárez, Gareth Bale, Karim Benzema, Luka Modric, Marcelo Vieira, Marco Asensio, Personagens Originais, Sergio Ramos, Toni Kroos
Tags Asensio
Visualizações 210
Palavras 1.534
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - Capítulo 11


Fanfic / Fanfiction My Dear Love - Capítulo 11 - Capítulo 11

Marco Asensio POV. 

Cancún, México. - 8 de Junho de 2017.

- Marco? - Ouvi a voz de Morata me chamando.

- Oi amor. - Ele revirou os olhos e levantou o dedo do meio para mim.

Dei risada e levantei da minha cama, peguei meu celular e sai do quarto junto com Álvaro. Estava um calor dos infernos aqui e nós decidimos ir para a praia, na verdade todos já estavam na praia, apenas eu e Morata que acabamos enrolando estávamos indo agora.

- Já estão todos lá? - Perguntei.

- Sim, quem mandou tu demorar? - Falou saindo do elevador.

Revirei os olhos e nós saímos do hotel, indo em direção da praia que ficava na frente do hotel, tinha bastante gente, não que me incomodasse, é claro. Avistei Vazquez e Isco na água e as garotas sentadas em algumas cadeiras de praia. 

- Aquela é a Liz? - Morata perguntou.

- Parece que é sim. - Falei olhando a garota que estava sentada ao lado de Leah.

Morata sentou perto de Alice e eu fui até Leah. Ela estava usando um vestido branco meio transparente, estava com uma expressão serena. Cheguei perto da mesma e sentei e em seu colo, ela soltou uma risada gostosa e deitou a cabeça nas minhas costas, e abraçou minha barriga.

- Oi Liz. - A cumprimentei e ela sorriu.

- Oi Marco. 

- Não vão entrar? - Perguntei para as duas.

- Agora não. - Leah respondeu.

- Pois eu vou entrar. - Falei e levantei do seu colo, quando eu tirei minha camisa Macarena abriu a boca.

- Já passou o protetor? - Falou cruzando os braços, eu fiz uma cara de desgosto e me sentei ao seu lado.

Ela passou protetor em mim e eu esperei alguns minutos. Me sentia uma criança.

Longos minutos depois, me levantei e fui até Vazquez e Isco, mergulhei e Morata veio logo atrás.

- Sobe aí. - Vazquez disse e eu subi em seus ombros, Morata subiu nos de Isco.

Briga de galo. Isco como um bom trapaceiro, empurrou Vazquez e eu acabei caindo.

Me virei para as meninas e vi Macarena correr até nós e mergulhar, Alice veio logo atrás, Leah parecia tentar convencer Liz. Leah tirou o vestido que usava e eu lambi os lábios. Ela não tinha nada de exagerado, era tudo na medida certa, ela puxou Liz e as duas entraram na água. Depois de voltar a superfície, eu fiquei totalmente vidrado nela, parecia um imã.

- Tem lanchas para alugar. - Vazquez disse olhando em direção delas.

- A gente pode alugar uma amanhã. - Alice disse.

Nós concordamos. Jogamos vôlei com algumas pessoas desconhecidas e nos divertimos.

Eu sai da água e fui em direção a um lugar que vendia água de coco. Senti a presença de alguém do meu lado e avistei Leah. Ela fica linda molhada.

- Sobe aqui. - Falei e ela de impulso, e subiu nas minhas costas. 

Segurei suas coxas grossas e ela passou os braços pelo meu pescoço.

Coloquei ela sentada em um dos banquinhos e pedi duas águas de coco.

- Sabia que vai ter uma festa do hotel? - Falou me olhando com os olhos claros por causa do sol.

- Hoje? - Paguei o moço e dei uma água de coco para ela.

- Sim, quer ir? - Assenti e entrei no meio de suas pernas.

Ela balançou a cabeça.

- Por que você faz isso? - Perguntou baixinho. Acariciei sua bochecha e suspirei.

- Por que eu sou trouxa. - Falei entre risos.

- Isco está olhando para cá. - Ela falou e eu virei a cabeça.

Isco nos olhava atentamente, semicerrou os olhos para mim, mas assim que Liz passou já sua frente ele perdeu a concentração. Eu e Leah caímos na risada.

(...)

- Por que você tem que demorar tanto? - Morata disse. Eu ri e arrumei meu topete.

- Já estou pronto. - Os três gritaram um Aleluia e nós saímos do quarto.

Eu tinha acabado de descobrir que esse hotel tinha um salão de festas, assim que entrei e passei o olhar pelo lugar, percebi que parecia mais uma balada.

- Cadê as meninas? - Isco perguntou.

Eu estava ocupado demais observando o Neon, era uma festa de Neon, observei algumas pessoas pintadas e sorri de lado.

Nós avistamos as meninas e fomos até elas, vi vários lugares espalhados onde poderíamos nos pintar.

- Eu sou um homem de sorte. - Vazquez disse olhando Macarena.

Os dois casais começaram a tocar carícias e eu fiz cara de nojo.

- Ficamos de vela. - Isco reclamou.

- Acho que você não vai ficar de vela. - Falei e dei dois tapinhas em suas costas.

- O que você...

Observei Leah e Liz entrarem no salão, ela estava incrivelmente linda. As duas estavam usando vestidos iguais, só que de cores diferentes, Leah usava um rosa claro que batia na metade de suas coxas e Liz um azul com as mesmas características. Ela andava graciosamente.

- Caralho. - Isco disse e eu segurei o riso.

- Boa sorte campeão. - Sai de perto dele e fui até um bar. Peguei duas taças de champanhe e me dirigi até Leah.

- Buh. - Ela me olhou e colocou a mão no coração.

- Você sabe que eu não bebo né? - Soltei uma risada irônica e ela revirou os olhos.

Ela pegou a taça da minha mão e deu um gole, dei uma boa olhada no seu corpo e ela percebeu.

- Asensio, Asensio...

Bebi mais umas cinco taças. Já separado de Leah, agora do lado de Isco, tomei um negócio que me deram.

- Vai ficar aí? - Perguntei para Isco que apenas bebia e observava Liz.

- Vou. - Balancei a cabeça e fui até Leah novamente.

Puxei ela até um dos lugares que pintavam as pessoas.

- Você já está bêbado não é?  - Ela perguntou entre risos.

Observei seu rosto, seus lábios estavam vermelhos, pareciam ser assim naturalmente. Tirei minha blusa e ela me olhou surpresa, fixou o olhar no meu abdômen e eu soltei uma risada baixa.

- Vai escrever o que? - Perguntei assim que ela passou o dedo em uma tinta Neon verde. Ela encarou e depois começou a escrever no meu abdômen.

Ficava linda concentrada, ela mordeu os lábios e voltou os olhos para mim. Parou de escrever e eu tentei ler o que estava escrito.

Comecei a rir ao ver a palavra gostoso escrita em verde. Passei o dedo na tinta azul e peguei seu braço delicadamente, comecei a escrever meu nome e depois um coração. Nós dois rimos e voltamos a nos pintar com coisas aleatórias.

- Cara, você tá muito bêbado. - Vazquez disse rindo da minha cara.

Estava jogado em um dos sofás ali enquanto bebia. A felicidade que eu estava sentindo acabou a partir do momento que eu vi aquele Arthur chegar do nada e começar a dançar com Leah. Quando eu ameacei levantar, Morata me segurou e balançou a cabeça.

- Presta atenção. - Ele falou e nós olhamos para onde Leah estava.

Ela dançava animadamente com o tal de Arthur, não parava de sorrir em nenhum momento. No meu estado de bêbado me perguntei se não era melhor eu deixar tudo isso para lá, ela estava se divertindo com um cara da sua idade, isso não causaria nenhum problema para ela, a mídia não iria cair em cima, igual iria se ela tivesse algo comigo. 

Tudo era bem mais fácil com a Marina, nós tínhamos um relacionamento normal, ela era um ano mais nova que eu, ela era um pouco possessiva eu confesso, mas ainda sim, eu não tinha nenhum problema. Olhei para o teto e pensei no que aconteceria se nós reatarmos o relacionamento. Falei tudo para Morata, eu estava bêbado, falava tudo embolado.

- Cara, você tá bêbado deixa isso para amanhã. - Ele falou apreensivo.

- Não, eu agora ligar para ela. - Falei confundido as palavras.

- Marco...

Me levantei e sai do salão, entrei no elevador e apertei no botão do meu andar. Chegando no meu andar, peguei meu celular e procurei o número de Marina nos contatos. Ela não atendeu, então resolvi mandar diversas mensagens, pedi para ela retornar minha chamada, falei que queria voltar, escrevi tudo errado mas enviei.

Eu não estava raciocinando direito, fazer essas coisas por impulso foi mais fácil do que tentar resolver tudo com calma. 

- Quanto eu bebi? - Perguntei para mim mesmo e balancei a cabeça.

Ouvi a porta sendo aberta e encarei Leah parada me olhando.

- Vi você subindo, queria saber se tá tudo bem. - Falou com a voz doce e eu senti uma pontada de arrependimento.

Meu celular apitou e eu senti minha cabeça prestes a explodir. Leah veio até mim e pegou o celular.

- Marco... - Ela me balançou. - Quer que eu leia?

Falou e eu balancei a cabeça.

- Não, não, não lê. - Falei e tentei pegar meu celular. - Leah...

- Por que? - Falou rindo. - Está escondendo alguma coisa de mim? - Brincou e eu tentei pegar de novo.

Ela começou a ler e cada palavra que ela lia, o sorriso ia se desmanchando cada vez mais. Ela abaixou o celular e me olhou sem expressão.

- Leah? - A chamei e ela abriu a boca diversas vezes mas nada saiu.

- Eu preciso descer... 

Ela balançou a cabeça e saiu do quarto. Enterrei minha cabeça entre minhas mãos e bufei.

Depois disso não lembro de nada, eu apenas apaguei e prometi para mim mesmo que nunca mais iria beber.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...