1. Spirit Fanfics >
  2. My Dear Stalker - Imagine Jungkook >
  3. Faculdade de artes e fotografia

História My Dear Stalker - Imagine Jungkook - Capítulo 34


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, colágenados. Espero que gostem desse capítulo.

Capítulo 34 - Faculdade de artes e fotografia


Fanfic / Fanfiction My Dear Stalker - Imagine Jungkook - Capítulo 34 - Faculdade de artes e fotografia

S/n On

Entrei no carro de Jungkook e vi sua mãe no banco da frente. 

— Olá, senhora Jeon. — a cumprimentei com um tom de voz baixo. A mulher fixava seu olhar para a frente enquanto mordia seu dedo indicador. Jungkook entrou no carro e dirigiu até a minha casa, que era mais perto.

Chegamos no local e sai do carro, me despedi da mãe de Jungkook que sorriu singela e me despedi de Jungkook. Adentrei a minha casa, que estava vazia. Hee estava na escola e a minha mãe no trabalho, junto com o meu pai. Me joguei no sofá e mordi meu lábio inferior. Eu não podia sentir pena do meu namorado e de sua mãe, o Irie estava em um lugar melhor. Senti o meu celular vibrar e tirei o aparelho do meu bolso.


Nana, Jaemin do clube 

Jaemin: Noona, por que saiu tão cedo? Ainda tínhamos uma prova. 


— Me desculpa, eu tive um imprevisto.


Jaemin: Com Jungkook? 


— Sim, com ele mesmo. Me desculpa, irei avisar para Dahyun.


Jaemin: Tudo bem, noona. Não se preocupe, já cuidamos de tudo. 😉 


— Vocês sempre me ajudam, obrigado, de verdade.


Jaemin: Deixa disso, mulher. Mas, você pode vir para a escola de tarde? Vamos organizar os vídeos e postar no YouTube. A Dahyun disse que se você não vir, ela vai ficar super chateada.


— Ok, eu vou. É o mínimo que posso fazer. De que horas?


Jaemin: Às sete horas. Tchau, noona, a prova já vai começar. 🙋‍♂️

Desliguei o meu celular ainda pensativa. Por que tão tarde? Era estranho. Me levantei para fazer alguma comida para mim e para a minha família.


Jungkook On

Entramos em casa e minha mãe se sentou no sofá. Peguei um copo com água da cozinha e entreguei para a minha mãe.

— Obrigada... — ela falou quase em um suspiro. Suas mãos tremiam, o que dificultava para ela beber a água.

— Omma, se acalme. Tudo vai ficar bem! — falei me sentando ao lado da mesma e abraçando ela. 

— Eu não sei o que fazer, Jeon... Eu estou... eu estou em pedaços! Ainda tem o assunto da Jieun! Aish, como eu queria... — ela falou se corroendo. — Eu queria me livrar disso tudo! Me mudar para bem longe! 

— Mãe, eu vou estar ao seu lado. — enxuguei as lágrimas da mais velha. — Vou preparar a água pro seu banho, hum? Depois você sobe. — ela concordou com a cabeça. Subi para o andar inferior e entrei no banheiro para ajeitar o banho da mais velha.


S/n On
18:45 — casa de S/n.


Sai do banheiro enquanto eu escovava os dentes ao ouvir o barulho da porta sendo aperta. Corri para a sala e vi a minha mãe, que fingiu medo ao me ver com os cabelos molhados e vestida com um pijama. 

— O que foi? Sou tão bonita que ficou espantada? — falei com espuma na boca.

— Vai limpar isso, você está ridícula! — Hee falou rindo da minha feição. Fiz uma careta para o garoto e subi as escadas. 

Terminei de escovar os meus dentes, logo sequei o meu cabelo e coloquei uma blusa branca e por cima um moletom verde, pois estava frio em Seul, e uma capri acinzentada. Desci as escadas e coloquei minhas meias e um sapato branco. 

— Mãe, irei sair. Vou na escola me encontrar com o pessoal do clube, eles só vão editar um vídeo e logo volto. Vou levar a minha chave. — falei e a mais velha assentiu com a cabeça, ela estava tão hipnotizada pela novela que nem percebeu a minha saída.


Cheguei na escola minutos depois e tudo estava escuro. O porteiro abriu o portão e disse que os alunos estavam na sala do clube. Engoli o seco e continuei andando naquela escuridão. Liguei a lanterna do meu celular e me assustei ao pisar num plástico. Respirei fundo e continuei seguindo o meu caminho. Ouvi algumas vozes vindo da sala do clube e adentrei o mesmo. Ao ligar a luz me assusto com os mais novos pulando em minha direção.

— SURPRESA! — falaram em harmonia. Sorri descontroladamente ao ver os chapéus de festa.

— O que é isso? O meu aniversário é em janeiro! — apontei para os jovens que riram da minha surpresa.

— Não é pelo aniversário que estamos comemorando, e sim por uma coisa maior! — exclamou Mark me deixando curiosa. A professora do clube adentrou na sala e mostrou um papel em minha direção. Peguei o envelope e o abri.

— O que é isso? — interronguei enquanto lia as palavras difíceis do papel. — Está em outra língua? 

— É francês. — afirmou Jihyo com os braços cruzados. 

— Me dê — Dahyun pegou o papel da minha mão. —, vou traduzir! — a garota fingiu tossir e os jovens se aproximaram para ouvir atentamente. — Blá blá blá, você foi aceita na faculdade de artes e fotografia de Paris. — ela disse calmamente. Arregalei os meus olhos ao ouvir aquela notícia.

— O-o que? — gaguejei e todos riram. 

— Você se lembra da prova que eu pedi para você fazer? Então, era para poder passar neste concurso. Uma prova simples das matérias básicas e depois algumas fotos. Por isso pedi para que tirasse as fotos no parque, e várias outras fotos no decorrer deste ano. Seus pais já sabem da notícia, na verdade eles sempre souberam e apoiaram a idéia. — a professora falou segurando os meus ombros. — Você tem uma mente criativa e brilhante. O professor de fotografia da faculdade ficou fascinado ao ver suas fotos. Você tem um dom, S/n, não desperdice e aceite essa proposta. Ela pode mudar a sua vida... — a professora falou por fim me abraçando.

— Vamos embora agora. — disse Mina. — Venha conosco, está muito estranho para sair sozinha de noite. — a garota me arrastou e os jovens saíram da escola.

Eu estava assustada e ainda com os olhos esbugalhados e fixados em um canto aleatório enquanto caminhávamos. Mark apontou para mim de relance e exclamou alguma coisa com Jaemin, talvez eles estejam preocupados por eu não ter festejado. 

— Quanto tempo que eu vou passar lá? — falei lentamente. — Se eu for...

— No máximo, cinco anos. — Dahyun disse fazendo uma careta de negação quando viu a minha reação de surpresa. — É uma vaga para uma faculdade excelente.

— É muito tempo! Eu tenho muitas pessoas aqui na Coreia. Eu não quero abandonar ninguém! — exclamei.

— Você não vai abandonar ninguém. — afirmou Mina. — Essa é uma ótima oportunidade, que você vai decidir com sua própria opinião... depois nos falamos, tenha uma boa noite, unnie. — a garota fez uma reverência ao se aproximar da minha casa.

— Boa noite, noona. Nos responda quando você decidir. — falou Jaemin bagunçando meus cabelos e rindo com Mark. Os jovens seguiram seu caminho e eu adentrei a minha casa, ainda hesitante.

— Filha? — meu pai interrogou ao ver a minha cara de desolação. — Você descobriu? — ele perguntou novamente e a minha mãe apareceu ao seu lado.

— Por que vocês não me contaram? Vocês me deixaram fazer tantas amizades novas... um amor novo e eu vou ter que abandonar todos? Eu precisava saber disso, era necessário! — exclamei sem derramar uma lágrima. No meu coração, infelizmente, havia raiva e um toque de orgulho, por eu ainda passar nessas provas.

— Nós somos os seus pais e decidimos o que é melhor para você. — disse a minha mãe.

— Vocês vão passar cinco anos longe de sua filha e ainda falam isso?

— Fotografia é o seu sonho, e nós faríamos de tudo para realizar os seus sonhos. Por que está sendo tão ingrata, S/n? — perguntou o meu pai elevando a voz.

— Ingrata? Eu só estou pedindo para me avisarem quando as coisas irão modificar algo na minha vida! — exclamei e logo corri em direção à escada.

— Você vai, S/n. Querendo ou não querendo, você vai! — disse a minha mãe que seguiu para a cozinha.

— ISSO NÓS VEREMOS. — gritei e corri até o meu quarto.


Jungkook On
22:18 — casa de Jungkook.


Me revirei pela quinta vez em minha cama. Eu não consegui dormir, os pensamentos do meu pai rondavam a minha cabeça e me impedia de descansar por sequer alguns segundos. Me levantei da minha cama e sai para o quintal. Chegando lá vejo a data, 31 de agosto. O meu aniversário era daqui à quase duas horas e eu não tinha nem percebido. Os dias tinham passado tão depressa e comemorar sem a presença do meu pai era desnecessário. Ele sempre completava a festa, a personalidade dele era incrível, engraçado na medida certa e amoroso. Fechei os meus olhos, pois chorar naquele momento era desperdício. Senti um pingo de chuva em minha bochecha e logo começou a chuviscar. Adentrei a minha casa e voltei ao meu quarto.

Ao entrar no cômodo me assusto com a vibração no meu celular na cômoda. Pego o aparelho e o atendo.

— Alô? 

— Olá, Jeon. Nós não terminamos a nossa conversa...

— Me desculpa, mas quem é que está falando?

— Sou o Yoongi, o irmão da Jieun. Podemos nos encontrar amanhã às dez horas da manhã? 

— Tudo bem. Vamos nos encontrar na praça central. Boa noite. — desligo a ligação e me deito novamente na cama.


Notas Finais


O que estão achando do imagine? 👀
Comentem a opinião de vocês, é importante para mim.
Obrigado por lerem este capítulo e até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...