História My Dear Teacher - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias One Direction
Personagens Louis Tomlinson, Personagens Originais
Tags Colegial, Professor, Romance, Romance Proibido
Visualizações 173
Palavras 1.489
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OOI MEUS AMORES! Olha quem voltooooou! Sim, eu passei um século para voltar e hoje casualmente resolvi abrir o site e vi vários comentários fofinhos aqui que me inspiraram para escrever esse capítulo rapidinho e postar para vocês. Meu celular queimou e eu estou sem computador, aproveitei que estava na casa da minha madrinha para fazer algo útil.
Então, amanhã vou mandar arrumar meu celular (rezem para ele dar voltar a funcionar), se tudo der certo vou postar com mais frequencia, pois enquanto aguardo a resposta da lista de espera da faculdade vou escrever bastante.
ENFIM, espero que vocês gostem e me perdoem os erros, escrevi rapidamente.
Boa leitura!

Capítulo 6 - Capítulo Cinco


Fanfic / Fanfiction My Dear Teacher - Capítulo 6 - Capítulo Cinco

My Dear Teacher – Capítulo Cinco

 

   Era uma surpresa para ambas as partes. Os dois não possuíam nenhuma intimidade e simplesmente acordaram na mesma cama apenas de roupas intimas era algo muito constrangedor. E se eles tivessem transado? Seria um desastre! Charlotte estava consciente que isso seria o maior erro de sua vida, pois ele era seu professor! Mesmo sendo muito atraente.

   A moça então voltou a si e se levantou rapidamente buscando cobrir o corpo com um lençol que estava enrolado nos pés da cama.

─ Então, o que aconteceu aqui? ─ A garota tentou parecer calma, mas sua  voz saiu muito esganiçada.

─ Eu não bebi ontem, diferente de você. Passou da conta ontem, uh? ─ Louis tentou controlar sua voz, mas estava irritado. A moça não poderia ter bebido tanto! E se ele não tivesse chegado a tempo? Não gostava nem de pensar, pois sentia um ódio fortíssimo do babaca que ousou tocá-la sem permissão.

─ Esse não é o foco da conversa! O que aconteceu entre a gente? ─ Charlotte tentou não olhar para o corpo sarado do homem que vestia sua calça.

─ Você bebeu demais e um filho da puta tentou agarrar você, eu cheguei a tempo e salvei a donzela em perigo.

─ Isso não explica o fato de eu estar seminua!

─ Você acha que eu abusei de você? ─ Louis sentiu-se ofendido. Como ela poderia pensar isso dele?

─ Claro que não! Eu só quero saber como fiquei de roupas intimas. ─ A morena procurou por seu vestido e o viu no chão quase em baixo da cama.

─ Você estava se sentindo sufocada com ele e pediu que eu a ajudasse. O quanto você bebeu ontem? ─ Louis indagou enquanto observava a moça se enrolando para se abaixar enrolada no lençol para pegar seu vestido.

─ Apesar disso não ser da sua conta, eu só bebi uma dose de vodca.

─ Só? E como ficou naquele estado? ─ Louis estava sem acreditar na moça.

─ Eu não tenho costume de beber e não tinha comido nada. Você pode se virar por favor? ─ Charlie tentava esconder sua vergonha, mas não foi possível.

─ Não há nada que eu não tenha visto. Inclusive você tem um corpo muito bonito. ─ Oi? Louis se arrependeu assim que ouviu as palavras proferidas de sua boca. Como ele podia ter falado aquilo?

─ Obrigada. ─ A morena ficou visivelmente envergonhada e o clima ficou estranho, principalmente quando eles se olharam nos olhos.

Louis chegou a conclusão de que sentia desejo pela moça, mas só podia estar louco ou algo assim. Elogiá-la daquela forma era algo que ele nunca tinha feito antes. A moça provavelmente deveria achar que ele era um pervertido.

─ Tem um banheiro naquela porta se quiser usá-lo. ─ Tomlinson colocou as mãos no bolso para tentar de alguma maneira dispersar a vergonha.

A moça respondeu apenas com um sorriso e foi para o banheiro com o vestido na frente do corpo. Inevitavelmente o professor olhou o caminho que a morena fez e não pôde deixar de admirar o belo quadril que ela possuía e a calcinha de renda preta deixou tudo ainda melhor. Louis balançou a cabeça e resolveu arrumar a cama para tentar ignorar os pensamentos eróticos.

Charlie fechou a porta do banheiro e pôde finalmente respirar tranqüila. Ela nunca tinha sentido tanto calor com um simples e formal elogio. Seus pensamentos estavam uma bagunça. Era normal sentir-se atraída por seu professor? Procurou não responder a própria pergunta e tratou de vestir a roupa rapidamente. Sua maquiagem estava levemente borrada o que ela resolveu facilmente com papel toalha que possuía lá. A morena respirou fundo três vezes antes de abrir a porta e quando finalmente procurou coragem o quarto estava vazio.

Charlotte resolveu procurar seu professor pela casa para agradecer pela hospitalidade e sair correndo para casa. Após descer as escadas encontrou Louis em pé na sala olhando alguma coisa no computador sobre a bancada da cozinha. Ela já tinha visto muitos homens bonitos, mas como ele não existia. A camisa branca marcava seus músculos e seu pescoço estava com as veias saltadas como se ele estivesse com o maxilar trincado. Sua boca abriu levemente enquanto o homem estava concentrado observando algo no notebook. A morena observou cada movimento feito por ele, principalmente os lábios e desejou ardentemente saber como era o sabor daqueles lábios.

Como ela podia pensar algo assim? Reprimiu-se e fingiu uma tosse. O moreno olhou para ela fechando o computador.

─ O senhor poderia chamar um táxi? Não faço a menor ideia de onde estamos. ─ Deu uma risadinha nervosa provocando um meio sorriso no homem.

─ Não precisa me chamar de senhor, não estamos na universidade.

─ Desculpe. ─ A moça falou baixinho deixando o homem satisfeito por obedecê-lo.

─ Tudo bem. Você quer comer alguma coisa ou tomar um café? ─ Perguntou levantando e indo em direção aos armários.

─ Não, obrigada. Não costumo comer durante a manhã.

─ Tudo bem. Posso levá-la em casa se quiser. ─ Louis falou despretensiosamente colocando as mãos nos bolsos.

─ Não queria incomodá-lo, posso pegar um táxi. ─ Charlotte falou olhando para o chão, pois estava com vergonha.

─ Não é incomodo. Eu iria sair de casa de toda forma, pois tenho que comprar umas coisas no supermercado.

─ Mas você não sabe onde é minha casa. E se for muito longe de qualquer supermercado? ─ Com um meio sorriso no rosto, Charlotte observou o moreno soltar uma risadinha.

─ Todo mundo sabe que há supermercados espalhados por toda cidade. Imagino que não seja diferente em relação a sua casa. A menos que você more em uma floresta.

Os dois riram e a garota ficou séria rapidamente.

─ Você é tão sério na sala de aula, se me permite dizer, até grosseiro. Principalmente comigo, por quê?

─ Charlotte, não é pessoal. Na faculdade eu preciso manter minha postura para não perder minha autoridade. Não tenho culpa se você adora quebrar as regras. ─ Louis falou em tom de brincadeira e a garota soltou uma risadinha.

─ Me desculpe pela minha grosseria, não queria magoá-la. ─ Louis sentiu-se culpado por ter ferido os sentimentos da moça, não imaginava que tinha sido tão rude.

─ Tudo bem. ─ A moça sorriu levemente e olhou para o chão em seguida.

─ Vamos?

O trajeto foi razoavelmente tranqüilo, pois a rádio estava ligada e Charlotte cantarolava uma música que Louis nunca tinha ouvido antes.

─ Nunca tinha ouvido essa música antes. ─ Louis comentou.

─ É Little Mix, você certamente nunca ouviu falar. ­­─ A morena riu imaginando o professor dançando ao som de Move.

─ Qual é a graça? ─ Louis teve curiosidade do motivo da risada da moça. Era tão suave, um som realmente agradável.

─ Imaginei você dançando uma música delas.

─ E porque seria tão engraçado? ─ Louis perguntou sorrindo deixando a morena admirada pelo seu sorriso.

─ Porque é algo inimaginável. Só vendo para acreditar. ─ A morena se tocou que tinha feito uma espécie de convite e não soube para onde olhar.

O moreno percebeu e mudou de assunto.

─ Sua casa é na próxima esquina?

─ Sim é a penúltima casa.

─ Se fosse a última casa eu faria uma piadinha, mas como não é deixa quieto.

A morena riu pensando como ele divertido e como ela queria conhecê-lo melhor. Afastou o pensamento, pois era algo que ela sabia que seria impossível.

Quando parou em frente sua casa Charlie pensou que esse provavelmente seria o último encontro casual deles e sentiu seu coração apertar.

─ Muito obrigada senhor... desculpe. Louis! ─ Os dois deram uma risadinha e Charlotte prosseguiu: Obrigada por ter me salvado e por ter cuidado de mim. Outro em seu lugar teria se aproveitado.

─ Não precisa agradecer.

─ Precisa sim. Obrigada pela carona também.  ─ A morena sorriu e Louis acabou sorrindo ao ver o sorriso da moça.

─ Gostei de conhecer esse lado “mais descontraído” seu. Você é muito divertido! ─ Louis sorriu em resposta e se aproximou da garota, pois decidiu abaixar o volume do rádio.

─ Você é muito divertida também.

Os olhares se encontraram e o ar ficou rarefeito. O único pensamento de Louis era sentir os lábios de Charlotte no seu, mas encarou a realidade e percebeu que seria um erro beijá-la. Se afastou rapidamente e olhou para frente.

A garota percebeu que ele tinha voltado atrás e sentiu uma pontada de rejeição. Ela pigarreou e arrumou a bolsa no ombro.

─ Obrigada mais uma vez. ─ Sem esperar uma resposta Charlie abriu a porta do carro e entrou em casa sem olhar para trás.

Tinha ficado visivelmente chateada e não conseguiu esconder isso na sua voz ao agradecer mais uma vez ao professor. A morena entrou em casa e foi diretamente para seu quarto, pois sua única vontade era dormir até o próximo século.


Notas Finais


O que acharam? COMENTEM POR FAVOR!
Muito obrigada pela paciência e consideração, eu amo vocês!
P.S.: Estou escrevendo uma nova história, mas só irei postar quando ela estiver finalizada, será curtinha. E tenho uns imagines (tipo um capítulo só) quase prontos, vou revisar e postar, okay?
Até logo! <3
(A fic também é postada no Wattpad, se quiserem ir lá <3)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...