História "My depression, my salvation..." - Imagine Vkook - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, J-hope, Jimin, Jungkook, Suga, V, Youngjae
Tags Bts, Got7, Jungkook, Taekook, Vkook, Yoonkook
Visualizações 94
Palavras 2.422
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção Adolescente, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Para aqueles que estão confusos, logo o Vkook virá meus amores, apenas aguardem.

Como estava ansiosa para postar então nem revisei direito uhesjri quando chegar em casa eu coloco uma capa no capítulo, esperem ueshur.
Aproveitem amores, e me desculpem por qualquer erro.

Capítulo 9 - Excuse Me


Seu momento de reflexão fora interrompido quando uma pedrinha fora jogada em sua janela, e sem ao menos olhar quem havia atirado-a já sabia o responsável por isso, era Kim Taehyung, que nesse momento estava escorado no parapeito da mesma. Com um sorriso retangular em lábios o moreno acenou para o Jeon, mas ao não obter a resposta esperada fez algumas caretas, podendo assim arrancar algumas risadas do mais novo.

Talvez, mas só talvez...

Taehyung possa ser uma dessas estrelas.

 

No outro dia todas as coisas foram da mesma forma, inclusive seu caminho até a escola, exceto pelo fato de que quando estava á sair de casa não deparou-se com ninguém mais ninguém menos que Taehyung, esse jovem era algum tipo de assombração ou algo do gênero? O mesmo dizia estudar na mesma escola que Jeongguk, que pudera confirmar o comentário do outro ao ver seu uniforme. Como eles não haviam se visto? Seriam de turmas distintas?

Ao chegar no centro educacional o ruivo despediu-se do mais novo, para que assim pudesse rumar até sua respectiva turma. No momento em que o Jeon adentraria em sua própria sala pudera sentir uma mão envolver seu pulso direito, e logo tivera seu corpo puxado para o lado, fazendo assim com que fosse guiado para a lateral da porta do cômodo, ao lado de alguns dos armários. 

- Hyung, não me assuste dessa forma! - Reclamou, dando um soco mínimo em um dos ombros de Yoongi. No momento em que o mesmo ia pronunciar-se fora interrompido quando seus olhos chocaram-se com ambas as mãos de seu pequeno, algo havia lhe acontecido.

Por mais que a curiosidade lhe consumisse decidiu que não perguntaria para o outro como havia se ferido, afinal, poderia ser um assunto desagradável para o mesmo. Buscando ignorar tais pensamentos o loiro balançou rapidamente a cabeça de um lado para o outro, fazendo com que suas madeixas acabassem por se desgrenhar.

Ambas as mãos do Min rumaram para a cintura do menor, para que logo pudesse entrelaçá-las por detrás da mesma. O doce sorriso que até então era sustentado em seus lábios fora desmanchado pelo pequeno bico que ali se formou, para que dessa forma um breve selar pudesse ser deixado na testa de Jungkook.

- Pequeno, você poderia me fazer um favor? - Indagou, logo recebendo um breve aceno com a cabeça como resposta. - Por que não vai em uma festa comigo, hm? - Pediu por fim, lançando uma espécie de "olhar secreto"  para aquele que estava abraçado consigo, para que assim tentasse convencê-lo.

- Yoongi-ah, eu não gosto muito de frequentar esses lugares.. - Murmurou enquanto mantinha seu olhar fixo ao do mais velho. Ambas as mãos do acastanhado rodearam o pescoço alheio, entrelaçando-as ali. - Eu acho que terei de rejeitar o convite.

- Por favor.. - Insistiu o descolorido, buscando utilizar o tom mais manhoso o possível. - Irá ser divertido, eu prometo. Confie em mim pequeno, você precisa se distrair.

Foram necessários alguns minutos de insistência até que o Jeon cedesse ao pedido do outro. Ele nunca fora um garoto que gostara muito de sair, afinal, não é como se ele geralmente fosse convidado para as festas ou algo assim. O rapaz só tivera tempo de sentir seus pés distantes do chão e seu corpo ser girado no ar, enquanto a gargalhada de seu Hyung chegava como uma espécie de música aos seus ouvidos.

Ao fundo de toda essa cena adorável tinha-se um ruivo com uma expressão neutra, afinal Taehyung fora até lá com a intenção de puxar algum assunto com Jeongguk;

Mas pelo visto ele estava muito bem acompanhado.

Os lábios do Kim foram torcidos antes que seus calcanhares fossem girados, para que assim pudesse retornar para sua sala de aula. Por mais que estivesse deveras surpreso pelo fato de tê-lo encontrado com um outro alguém, não era possível retirá-lo de seus pensamentos. Foram incontáveis as vezes aonde ele se vira pensando naquele garoto deveras misterioso de personalidade frágil e aparência delicada.

O Jeon tivera seu corpo lançado sem muita força contra a parede mais próxima, fazendo com que um pequeno murmúrio dolorido escapulisse por seus lábios. Á sua frente estava Yoongi, que não permitia sua saída daquele canto. Com um sorriso brincalhão á iluminar sua face o jovem permitiu-se perder-se nos próprios devaneios por breves segundos.

Por mais que buscasse extinguir tais fantasias, era impossível esconder o quanto sentia-se atraído pelo rapaz de madeixas acastanhadas, que agora possuía suas bochechas deveras ruborizadas. O descolorido não sabia se seus pensamentos eram certos ou errados, apenas era capaz de senti-los por todo o seu corpo.

Como se fossem uma droga.

Yoongi sentia uma vontade imensurável de ter o Jeon apenas para si, mas não fora capaz de conter-se quando o menor umedeceu os próprios lábios, aquele fora o estopim para que ele pudesse perder o seu controle, já estando deveras próximo do rapaz.

Ambas as mãos do mais velho foram delicadamente guiadas até as laterais da face do Jeon, aonde ele deixara um breve carinho. Lentamente o loiro tratou de aproximar sua face da de Jungkook, para que dessa forma pudesse deixar um delicado selar naqueles lábios que eram como um pecado aos seus olhos. Sem mais delongas o mais velho tratou de findar o espaço entre ambos, podendo assim provar superficialmente o contato entre ambas as bocas.

Por mais que não houvesse movimentação alguma, toda essa situação era agradável para ambos, que estavam completamente imersos na atmosfera calorosa que ali se instalara. Com tal ato de seu amigo o moreno ficara deveras assustado, afinal, fora bastante repentino. Todos os pelos de seu corpo se eriçaram quase que de imediato, enquanto era possível sentir algo estranho em seu estômago, como se houvessem as mais diversas borboletas no mesmo.

Com receio de que o outro acabasse por se afastar o mais novo levou ambas as mãos para a gola do uniforme do mesmo, para que dessa forma mantivesse-o perto de si. O pequeno não sabia o que fazer ao certo, afinal, esse era seu primeiro beijo;

Em toda sua vida.

Seus lábios possuíam uma textura deveras aveludada, e sua cavidade bucal possuía um sabor semelhante á hortelã, que fora superficialmente sentido pelo mais velho que, ao ver que o contato não fora rejeitado, tratou de aprofundá-lo, movimentando assim sua boca contra a do jovem pelo qual estava efetivamente hipnotizado.

"Excuse me, cuse me baby

Cuse me, cuse me

Olhe para mim, eu quero você."

Com os olhos fechados ambos usufruíam do momento como se fosse único, era como se vários choques elétricos percorressem seus corpos. Em um ato divertido Yoongi levou a destra até as madeixas alheias, para que pudesse entrelaçar seus dedos nas mesmas, puxando-as com suavidade. 

Era perceptível o quanto Jeongguk estava nervoso, afinal, não era possível esconder toda a sua inexperiência. Suas bochechas estavam mais avermelhadas do que um morango, ao mesmo tempo que sua face estava quente como um forno. Quando o oxigênio fez-se necessário o garoto de madeixas acastanhadas tratou de romper o contato, sequencialmente permitindo que seu olhar fosse direcionado pra baixo.

Ele estava envergonhado como nunca ficara antes.

Os dedos de sua mão esquerda foram direcionados para os próprios lábios, para que assim pudesse relembrar o contato que até então tivera com os lábios do outro. Por mais que não fosse capaz de se expressar, o Jeon estava extremamente feliz, realmente feliz.

- Foi a minha primeira vez. - Sussurrou. - Me desculpe caso eu tenha feito algo errado.

- Não se sinta assim, certo? - Disse enquanto tratava de erguer a face do outro, para que dessa forma pudesse tornar a encará-lo nos olhos. Nesse momento um largo sorriso tomava posse dos lábios do maior, que não era capaz de esconder o quão feliz estava. - Você é maravilhoso, em todos os sentidos.

"Excuse me, cuse me baby

Cuse me, cuse me

Com licença, por um minutinho."

- Hyung, seria errado se eu apenas quisesse fazê-lo novamente? - Perguntou, sentindo a timidez possuir cada célula de seu corpo. - Eu apenas queria beijá-lo novamente.

- Guk-ah, não me deixe envergonhado.. - Brincou, gargalhando minimamente. - Apenas vamos para outro lugar, certo? - Disse antes que entrelaçasse uma de suas mãos na destra do outro, para que assim pudesse puxá-lo pelos corredores do colégio, rumando á qualquer lugar que fosse consideravelmente "reservado".

Talvez esse fosse o início de uma bela paixão

Mas que não seria necessariamente eterna.

[...]

Por mais que estivesse feliz, nesse momento todos seus sentimentos estavam emaranhados em seu peito, como um antigo e largado novelo de lã. Ele não sabia que emoção era aquela, apenas queria desfrutar do mesmo o máximo possível, afinal, nessa altura do campeonato já encontrava-se completamente viciado nessa maldita droga chamada amor.

Muitas vezes o amor não é algo eterno, muitas vezes você irá amar alguém temporariamente, mas é melhor entregar-se á esse sentimento enquanto está vivo do que simplesmente ignorá-lo como se não fosse um nada.

Você tem que viver o amor, viver no amor.

Mesmo que ainda não tenha ciência disso, Jeongguk já era capaz de amar Yoongi de todas as formas possíveis, enquanto esse sentimento ainda era vivo dentro de  seu peito. Para si a grotesca vontade de estar próximo ao outro o e toda a confiança que tinha em si não se passava de uma bela e forte amizade.

Para ter sucesso em algo nós devemos fracassar e iremos fracassar, inclusive no amor.

Mesmo sem saber definitivamente o motivo pelo qual seus batimentos cardíacos estavam descompassados, o pequeno acastanhado tinha total certeza de aquilo era algo bom, era algo que faria-o desabrochar, assim como um pequeno botão, que um dia tornou-se uma deslumbrante flor.

 

- Yoongi, Jimin Hyung não veio hoje, será que lhe aconteceu algo? - Indagou o Jeon, que nesse momento mantinha suas mãos entrelaçadas ás do descolorido, enquanto seguia seu caminho até a saída do colégio.

- Mais tarde podemos fazer uma ligação, certo? - Disse para o mais novo, sorrindo em sequência.

Por poucos segundos um silêncio instalou-se entre ambos. Quando o menor dera-se conta de que o caminho que seguiam era até a residência do descolorido tratou de romper essa atmosfera que ali se instalara, sugerindo que fossem para algum outro lugar.

- Vamos para a minha casa hoje, hm? Meu pai está de viajem e só voltará na próxima semana Hyung, fique lá comigo durante o dia, por favor. - Pediu, não tardando á receber um breve selar em seus lábios como resposta.

Durante o trajeto até a casa do moreno ambos puderam ter um momento mais descontraído, aonde acabavam por brincar um com o outro ou até mesmo distrair-se com simples coisas na rua. Dessa forma puderam chegar rapidamente na casa dos Jeon, que possuía de uma certa forma um bom astral.

A princípio o Min estava deveras receoso, afinal, tinha muito medo de que o pai do acastanhado aparecesse repentinamente e lhe chutasse da casa, ou até mesmo fosse capaz de castigar o próprio filho. No momento em que a porta da residência fora aberta para si, fora possível sentir um peso grotesco sair de suas costas, ele estava realmente aliviado.

- Mãe! - Gritou o mais novo, chamando a atenção daquela que até então estava de costas para si á arrumar as cortinas da sala que haviam se embolado. - Esse é meu amigo, Yoongi. Hyung, aquela é a minha mãe, Jeon Yeong.

Ao ver ambos os rapazes a mulher esboçou um doce sorriso, logo dizendo para que subissem, pois logo ela prepararia algo para que pudessem almoçar caso sentissem fome. Dessa forma o "casal" subiu, indo em direção ao quarto do mais novo. Já no cômodo desejado o descolorido não pensara duas vezes antes de fechar a porta que, agora estava atrás de si. Suas mãos rumaram para a cintura do menor, que logo tivera o corpo colado ao seu.

- Pequeno, posso contar-lhe um segredo? - Indagou, podendo assim contemplar uma expressão confusa na face do outro. - Toda essa situação é estranha, não concorda? - Disse, logo recebendo uma resposta afirmativa do outro. - Eu não quero forçar-te a nada Jeongguk, eu apenas quero vê-lo sorrir, e faz um certo tempo desde que esse tem sido o meu propósito. - Sussurrou.

- É tudo tão estranho Yoongi-ah, eu não sei o que sinto, apenas sei que é algo bom, e me faz querer permanecer próximo de você. Eu não sei como posso definir, apenas sei que tenho um carinho enorme por sua pessoa. Não sei se definiria como gostar, eu não sou bom com essas coisas, apenas sei que eu me sinto muito bem ao seu lado, entende? Apenas acho que deveríamos aproveitar esse sentimento, mesmo que ele acabe um dia, não podemos deixá-lo passar.

- Você gostaria de tentar comigo? Nós podemos tentar ficar juntos Guk-ah, eu gosto muito de você, gostaria de ter uma chance para fazer-te feliz, seja sendo seu amigo ou qualquer outro "cargo" em sua vida. Pequeno, você não tem de assumir um relacionamento comigo, apenas deixe-me tentar ser sua felicidade.

Um sorriso adorável surgiu nos lábios do mais novo, sendo capaz de revelar seus esbranquiçados dentes frontais deveras avantajados, que recordava-lhe um pequeno coelho. Em silêncio puxou o rapaz de madeixas descoloridas até a sua cama, para que assim pudesse sentar-se na mesma, ficando de frente para o outro.

Ambas as mãos do pequeno rumaram para as madeixas alheias, para que assim pudesse colocar os fios em seus devidos lugares. Ao tocar no cabelo do outro permitiu que um grunhido escapulisse pelos seus lábios, afinal, ele nunca fora capaz de sentir uma textura como aquela.

- Você é muito bonito. - Murmurou, gargalhando do próprio comentário em sequência. - Apenas sinto vontade de beijar-te novamente Hyung.

Antes que fosse capaz de pronunciar-se sobre algo apenas tivera tempo de sentir os lábios alheios contra os seus em um ósculo lento, aonde ambos eram capazes de aproveitar todas das mais diversas sensações que corriam por suas veias. O corpo do Jeon fora levemente inclinado para trás, fazendo com que tivesse de usar uma de suas mãos como apoio.

Um mínimo sorriso ladino ocupou os lábios do mais velho, ele realmente não sabia como expressar-se diante dessa situação, não haviam palavras suficientes para descrever o quanto sentia-se feliz.

O quanto sentia-se completo.

Todos esses acontecimentos foram sim deveras repentinos, mas não é como se fossem inesperados afinal, ambos já possuíam dentro de si um sentimento especial um pelo outro, que apenas está a desabrochar.

 

 


Notas Finais


Para aqueles que estão confusos, logo o Vkook virá meus amores, apenas aguardem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...