História My Devil - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Kuroshitsuji, Motionless In White
Personagens Christopher "Chris Motionless" Cerulli, Personagens Originais, Richard "Ricky Horror" Olson
Tags Chris Motionless, Sebastian Michaelis
Visualizações 25
Palavras 1.230
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


EAEEEEEE XUXUZINHOS :3 OLHA QUEM TÁ DE VOLTA DEPOIS DE 3 MESES :3 esse capitulo é em agradecimento a xuxuzinha Geeh_Nana <3 que me lembrou que eu não tinha excluído essa fanfic kkkkk
ENTÃÃÃÃÃÕ boa leitura meus amores <3

Capítulo 6 - MIC Drop


Fanfic / Fanfiction My Devil - Capítulo 6 - MIC Drop

E lá estava eu novamente, jogada na cama repensando em tudo o que  me aconteceu nesse terrível dia e tentando achar uma razão lógica pra isso esta acontecendo logo comigo, e como se já não bastasse, ainda terei que olha-lo hoje a noite...Fui tirada dos meus pensamentos com batidas vindas do vidro da janela,olhei pra mesma e vi um corvo?! O que diabos um corvo estava fazendo aqui? Caminhei ate o mesma e abri olhei o corvo atentamente e percebi que o corvo segurava uma rosa negra no bico, peguei a rosa e o corvo foi embora fechei a janela e admirei a rosa e percebi que no meio dela tinha um colar peguei o mesmo e vi que ele tinha um pingente  em forma de coração, deixei em cima da cama e fui me arrumar para encontrar o diabo em pessoa.  

Tomei banho,me arrumei e fiquei sentada na cama peguei o celular e vi que faltava apenas cinco minutos pra meia noite, peguei o colar novamente e fiquei observando, se ele pensa que uma simples rosa com um colar vai me agradar, há, ele esta muito enganado

- Pronta? -disse o capeta brotando bem na minha frente, concordei com a cabeça ainda olhando o colar

- Quem lhe deu isso? -disse ele pegando a rosa que estava em cima do criado mudo

- Não foi você? -digo olhando pra ele com a sobrancelha direita arqueada 

- Não! -disse ele levando a rosa ate seu nariz e inalando seu perfume, ele soltou um suspiro debochado e jogou a rosa no chão

- Você é bem mais interessante do que imaginava -disse ele me puxando pelo braço me fazendo ficar de pé

- Feche os olhos -disse ele segurando minhas duas mãos, senti uma quentura infernal e que estavam me sugando

- Abra os olhos -disse Christopher, abri os olhos devagar e vi que estávamos numa floresta, no meio tinha uma mesa para dois bem arrumada...em cima da mesa tinha duas taça de vidro uma de cada lado, dois pratos brancos, uma faca de manteiga do lado e um vaso com rosas bem no meio junto com o vinho

- Sente se -disse ele se sentando numa das cadeiras

- Você tem muita sorte -disse ele me olhando enquanto eu me sentava

- Eu?! Não me faça rir -digo debochada

- Cuidado com esse tom de voz -disse ele serio

-Você iria morrer hoje, sabe -disse ele pegando uma rosa e admirando 

- Nossa! O que estamos esperando? -digo debochada novamente

- Pelo que percebi hoje, você tem mesmo algo importante...pegue uma rosa -disse ele me olhando, peguei uma, contra minha vontade é claro

-  Agora, pegue a faca e faça um corte no pulso

- Ótima  oportunidade pra me matar -digo pegando a faca

- Sim, porem, não vai -disse ele rindo, fiz um corte superficial no pulso e observei ele fazendo o mesmo

- Deixe seu sangue cair na rosa - disse ele deixando o sangue cair na rosa, fiz o que ele mandou  e a rosa escureceu, ele pegou a minha e fez o mesmo

- Faça o mesmo com a minha -disse ele colocando a rosa sob o prato, peguei a dele e fiz o que ele me mandou, a rosa ficou preta

- Guarde ela pra você -coloquei a rosa no cabelo, até porque não tinha onde colocar, e observei ele se levantando e vindo ate mim, ele pegou minha mão e me fez levantar, ele chegou perto de mim e me beijou,o beijo dele era rude e agressivo, ele estava começando a me machucar, tentei empurra-lo mas de nada adiantou, estava começando a entrar em desespero ate que sinto ele me soltar, um homem tinha empurrado ela pra longe mas não consegui ver seu rosto, comecei a ficar tonta e desmaiei.

POV'S CHRISTOPHER

- Não era você que eu estava esperando -digo limpando o canto da minha boca, um filho da puta desses teve a audácia de me bater

-Quem é você? Preciso saber do nome do ser que ousou me bater - digo com um sorriso de lado

- Sebastian Michaelis - disse ele fazendo uma pequena reverencia 

- Ora! e o que lhe trás aqui, Michaelis? 

- A mando do meu mestre -solto um suspiro debochado e uma risadinha baixa

- Uma besta como você brincando de mestre e servo, é de se admirar -digo rindo

- Pois então, o que seu "mestre" quer com a Roberta?

- O meu senhor esta encarregado de cuidar dessa pobre alma -disse ele olhando pra Roberta

- Se você tivesse chegado um pouquinho antes...já fizemos o acordo, ela só poderá morrer se eu morrer, o que é praticamente impossível -digo rindo

- Pois fique sabendo, você será derrotado por quem você menos espera- disse ele pegando a Roberta e indo mais a fundo na floresta

- Onde pensa que esta indo? -digo jogando a faca que estava em cima da mesa, ele se desviou no mesmo instante 

- Tenho ordens para cuidar dela -disse ele sumindo pela floresta

POV'S ROBERTA

Acordei com muita dor de cabeça, parecia que el iria explodir a qualquer momento, sentei na cama e olhei em volta, estava em casa, na minha cama..Como?!Tentei levantar mas meu corpo começou a doer deitei novamente e fiquei olhando pro teto, depois de, julgo cinco minutos escutei a porta sendo aberta e o cara do bar? entrando com uma bandeja em mãos 

- Você deve esta com dor, trouxe alguns remédios e água -disse ele colocando a bandeja em cima do criado mudo

- Você não é o cara do bar?! O moço do balcão?! O que esta fazendo aqui? -digo pegando dois comprimidos e água

- Sim, me chamo Sebastian Michaelis e vou ser seu mordomo por um tempo - disse ele colocando sua mão esquerda em cima do peito e fazendo uma reverencia

- Como assim?! Eu não contratei ninguém pra tal serviço, nem tenho condições para lhe pagar -digo colocando o copo antes cheio d'agua, vazio em cima do criado mudo

- Não se preocupe minha senhora, meus serviços não lhe custaram quase nada

- Como?! Nada nesse mundo é de graça querido

- Por isso não vai custar quase nada, no final, você só vai me dar que não ira usar mais -disse ele com um sorriso debochado que não saiu do rosto dele desde que ele entrou

- Você não é humano né?! -digo olhando ele de cima a baixo

- Um mordomo do inferno, digamos -disse ele sorrindo 

- Agora, acho melhor você ir tomar um banho e ir dormir, my lady

- Esta certo -digo levantando e olhando ele ali, em pé

- Pode ir já, eu sei tomar banho sozinha -digo indo pro banheiro

- Entendido -disse ele se retirando

Sai do banheiro depois de uns 20 minutos, banheiro é o melhor lugar pra pensar na vida, me joguei na cama e Sebastian entrou logo em seguida perguntando se precisaria de mais alguma coisa, tomei um puta susto e o dispensei, virei de lado e adormeci depois de algumas horas.

Eu tenho uma dor de cabeça

Eu estou preste a enlouquecer

É este o auto-ódio?

Apague minha besta suja dentro de mim

Eu tenho dor de cabeça

Eu estou preste a enlouquecer

Ninguém me ajuda

Apague minha besta suja dentro de mim.

~ Inside Beast - The Gazette

 


Notas Finais


E é isso xuxuzinhos, comente o que acharam e ate a próxima ^^/ KISSUS <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...