História My Dirt Paradise - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 8
Palavras 10.223
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Orange, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Os termos de conduta falam sobre "encorajamento a ações criminosas"... Bem, esta história é voltada ao público +18; entretanto imagino que não haja uma restrição etária de fato neste site para visitantes e leitores menores de idade que acabem por se interessar por histórias de conteúdo sujo, adulto e pesado... Me pergunto então:
Aqueles que estão cientes do que estão escrevendo para seu público-alvo tem que ser comedido e censurado apenas para a segurança de idiotas que se aventuram num terreno que não os compete e alimentar sua idiotice com um conteúdo que lhes é impróprio?
Não desejo que minha idiotice inspire idiotas psicopatas à exercitarem sua psicopatia, desejo que minha idiotice divirta outros idiotas que como eu gostam de alguma violência gratuita na ficção e não são fãs do "politicamente correto"! A esses idiotas eu digo "Bom divertimento"... Aos psicopatas eu digo: "Vão se tratar, e não se atrevam a fazer besteira com minhas ideias! Não endosso, nem encorajo uma linha do que escrevo de errado!"
A vida é muito boa pra ser desperdiçada com crime... Seja de qualquer espécie!

Capítulo 9 - A canção da Borboleta e da Aranha


Fanfic / Fanfiction My Dirt Paradise - Capítulo 9 - A canção da Borboleta e da Aranha

Iowa abriu seus olhos e percebeu que estava em um lugar escuro... Seus sentidos haviam sido entorpecidos graças a um tratamento brutal com venda e som alto em seus ouvidos... Remexeu-se no escuro e percebeu que o chão onde estava era macio; embora fosse frio... Sentiu algo gélido em seus pulsos e pernas, percebendo que estava presa a algo...

« [Pshrrrrr...] Bom dia! Como tá se sentindo, puta lôra? »

Iowa sentou-se na escuridão em silêncio... Tomava ciência de sua condição aos poucos... Estava nua e presa em um quarto acolchoado tão escuro que mal podia ver além da ponta de seu nariz... A voz num alto-falante era alta e clara... Era Caroline Hertza quem falava com ela.

« Eu tô te vendo muito bem, apesar da escuridão aí dentro! Pode não acreditá; mas tem câmeras infravermelhas aí nessa cela! Ah, e microfones! Posso ouvir sua respiração e até mesmo um assobio baixinho da sua bunda! E aí? Quer conversar um pouco? »

--- Não tenho nada pra falá com uma perturbada escrota feita você! --- respondeu malcriada.

« Sério? Que pena! Eu tô aqui coçando minha xereca um pouco enquanto te deixo tomá um fôlego! Tô sozinha agora... Tá mó saco na TV... Já finalizei três games no PSP e tô c’os dedões cansados... ‘Bora batê um papo, vai? Eu botei duas cachorras pá te lambê... Tu gozô umas dez vezes antes de apagá... Vai, seja legal comigo, cara! »

--- Eu não pedi pra você fazê isso, sua escrota!! Quanto tão te pagando pra fazerem isso comigo? Anda, fala! Eu cubro a oferta! ---

« Meio milhão de dólares americanos! »

--- EU TE DOU DOIS MILHÕES!!! --- exclamou Iowa.

« Dãããããã... Mentira, sua babaca! Não tô fazendo essa merda por dinheiro!! Pode me oferecer à porra que for! Meu pagamento é em uma coisa que você não entende e muito provavelmente nunca vai entender... Ou talvez até venha entender, quem sabe? Hihihi... Mas na boa... Vai dizer que não curtiu? Duas piranhas sujas te lambendo o cu e a xereca? Chuparam e morderam seus peitinhos... Aliás... Seus peitinhos são uma delícia! Eu fiquei com água na boca! Mas eu sô exigente! Só chupo quem mi chupa e me lambe o cu!! Eu bem que gostaria de umas lambidinhas suas no meu cuzinho peludo, suado e cheio de badalhocas!! »

--- SUA PORCA IMUNDA!!! Eu nunca que vô fazê isso, sua vadia!! Me solta! Vem aqui e me solta pr’eu te comê na porrada sua piranha!! --- exclamava Iowa, furiosa.

« Ó... Cuidado com o quê ‘cê deseja, vaca lôra! Eu vô aí e te sapeco uma coça! Te realizo a vontade de tomá umas lambadas qui vão deixá essa cara safada vermelha junto c’a sua bunda! Aliás... ‘Cê num prefere um macho fazendo isso? Te pondo na coleira e te dando umas chicotadas? Depois o malandro te enfia a pica e te fode até te deixá assada e com o cu inchado? Aaaaaaah... Eu mal posso esperar pra pedir isso de recompensa! Ser posta de quatro e ser usada por um macho forte e viril com uma piróca do tamanho de uma escopeta e ser fudida até ficá c’a bunda ardida empinada tomando um arzinho pra aliviar!! »

--- Você só sabe falá de putaria?! ---

« E você de merda! Estamos quites nessa parte! »

Iowa rangia os dentes de raiva...

--- Quer conversar sobre o quê, sua escrota? ---

« Huuum... Gosta de algum seriado de TV? Eu curto Game of Thrones e Doctor Who! Ah… Tem uns clássicos q’eu adoro! Gosto de Scooby-Doo e… »

--- Isso é coisa de nerd! ---

« Eu sô nerd, ué!? »

--- Hunf... Retardada! --- resmungou.

« Falaí então do quê tu gosta, puta! »

--- Eu gosto de moda! Estilismo, design de interiores e... ---

« Aaaaff... Tá; mas coisas pra se divertir! Esportes, talvez? Gosta de futebol americano? Baseball? Basquete? Eu adoro basquete! Meu pai sempre me leva pra assistir basquete com ele, eu... »

--- Hum... Agora que você falou... Eu gosto de vôlei e tênis... Gosto de softball e pólo... ---

« Pólo aquático ou a cavalo? »

--- A cavalo... Mas eu gosto do aquático também... --- respondeu Iowa.

« Eu curto corrida de jóquei, mas ver uns caras de sunga jogando bola na piscina é bem mais interessante, não? »

Ela deu um sorriso e balançou a cabeça concordando...

--- Haha... É verdade! ---

« No clube da cidade tem uma equipe de natação amadora... Eu sempre fico lá admirando os caras de sunguinha! Ai, é uma delícia! Aqueles caras saradões se aquecendo antes de mergulharem me deixam toda molhadinha!! Hihihi... »

--- Se bem que rolam uns boatos que caras assim são meio viado... ---

« Ai, nem ligo!! São uma delícia assim mesmo!! »

Sem perceber, Iowa começou a conversar espontaneamente com Hertza, que usava sua simpatia com ela...

« Tá com fome? »

--- Morrendo de fome! --- respondeu.

« Seguinte... Vô te mandá um sanduba com um suco... Prefere de caixinha qual sabor? Tenho laranja, frutas vermelhas e grapefruit... »

--- O sanduíche é de quê? –

« Salada de atum! Ah, tem frango com queijo pastoso e patê de azeitonas pretas! »

--- Bom... Eu vô aceitá o segundo; mas tô com tanta fome, q’eu comeria os dois! ---

« Seguinte, mona... Me responde umas coisinhas; e eu te libero os dois, valeu? »

Iowa ficou em silêncio um instante... Ponderou a proposta e achou-a justa...

--- Pergunte! ---

« Eu saquei que tu num é mais virgem... Comé qui tu perdeu teu cabaço? »

--- Eu respondo; mas se você responder como tu perdeu o teu! --- rebateu Iowa.

« Feito! »

--- Me masturbando! Eu tinha nove anos e fiquei tão excitada que... Enfiei um legume na minha xereca... F-foi uma... Cenoura! --- respondeu encabulada.

« Sério? Minha babá enfiô um pepino na minha xota! Ela era um monstro e se divertia me torturando! Atochô aquela porra na minha xoxotinha sem piedade e cuidô do sangramento pros meus pais num notarem... Eu tava com sete anos! Doeu pra caralho... Depois disso, ela me incitava com um dildo... Eu achava horrível; até o Doc... »

--- Aquele homem? O tio da Eva? Ele se aproveitou de você? ---

« Não! Me acompanhou durante dois anos me ensinando a lidar com minha excitação... Aí, eu quis ter uma experiência sexual com um moleque mais velho que eu; mas eu num gozei... Pedi pra ele fudê comigo; e foi uma delícia! Hehe... Experiência nessa hora; é tudo!!! »

--- Ele domina você? Fica mandando você fazer coisas pra ele em troca de sexo? --- indagava Iowa.

Hertza ficou em silêncio por um longo instante...

« Digamos que sim... O quê me diz a respeito? »

--- Que você tá se enganando e deixando-se fazer de fantoche dele! Ele tá te manipulando e... ---

« Lôra... Se você amasse muito um cara, e soubesse que ele tá te usando, mas quando ele aparece pá tu com um sorriso do tamanho da lua, ‘cê se derrete toda por ele, ‘cê faria o quê? Tentava descobrir se ele te ama, nem que seja um pouquinho; ou passava por cima dele feito um rolo-compressor por causa do teu orgulho? »

--- Eu odeio que me usem! ---

« Sei... Você prefere manipular os outros e gozá mais que eles, né? »

--- Acha q’eu tô errada fazendo isso? ---

« Na boa... Tô nem fudendo se é errado ou certo... Eu num gosto dessa parada! »

De repente, o som de algo se abrindo e fechando se fez ecoar; e uma luz se acendeu dentro da cela... Uma bandeja de cartão com dois sanduíches e uma caixa de suco ficou visível para Iowa.

« Prometi dois sandubas pá tu... Taí! Come e descansa um pouco... Mas, ó... Isso aí, num foi cortesia minha não, falei? Foi o Doc que me pediu pra ser legal contigo; pois tu é chegada da sobrinha dele! Por mim, tu comia bosta e bebia mijo!! »

--- “Chegada da Eva”? Nossa! Fiquei até comovida! --- dizia Iowa, rastejando até sua refeição.

 

Numa sala de monitoramento, Hertza observava sua prisioneira se alimentar... Esta fazia o mesmo junto de Margareth Khorn, que se divertia com aquilo.

--- Hehehehe... Ma’ tu é foda, hein Hertz? Ela nem faz ideia da porra qui tu botô pá ela naquela merenda! ---

--- Claro neguinha! Tu acha q’eu ia dizê pá puta qui botei uma droga afrodisíaca naquela porra?! Acha o quê? Q’eu sô feita tu, miolo de pomba? Mas, corta o lero... E os animais qui tu arrumô? Vêm mesmo? --- rebateu Hertza, indagando.

--- Vem! Eu molhei a mão de uns caras que tavam secos pra fazê merda! Sabe esses filhas da puta qui num tem merda ninhuma entre as zorêia? Arrumei uns seis! Eu merma conferi se os putos têm “rola grossa”... Cara... Eu quase caí de boca num irmão de cor que tem uma trolha deste tamanho... O cara é bunito e taludo! Garanto qui tu vai ficá ligadona na jereba do maluco! ---

--- E as minas? --- indagou Hertza, sem dar muita atenção ao comentário de sua companheira.

--- Aí qui pegô... Eu passei umas cantadas por aí; mas num achei nenhuma “boa-moça” qui topasse... Umas; grávidas, outras; “brocadas*”, saca? --- explicava Margareth, cheia de trejeitos.

(*Ela quis dizer “doentes” com alguma doença venérea.)

--- Burra! Num importa se as vadias estão grávidas! Se quiserem levá rola, convencesse-as assim mesmo! Mas arrumou alguém? ---

--- ‘Rrumei, mona! Uma piranha chamada Solange “Firehead”! Cara... Ela tem uma fama du caráio! Eu joguei milzinho pá ela, a puta me jogô uma proposta... Tive qui prometê quatro mil e duzentos pá vadia! Dei dois na mão dela e prometi o resto depois... Mas ela vai fazê umas paradas “du mal” com os cara! Aí, malandra... Se deixá essa lôra c’o ela, sei não... Ela é uma “adestradora de garotinhas”!! ---

Hertza lançou um olhar intrigado para Margareth...

--- “Adestradora” é? Tipo você com aquela magrinha? ---

--- Pió! Ouvi qui ela tava adestrando uma sobrinha e a filha do motorista da patroa da mãe dela! A puta é cheia di anel nos dedo e tatuage no couro branco dela... É meio qui nem tu; só qui bunitona e com um cabelo di fogo e olhos verde qui chega ‘té dá uns arrepio! « Brrrrrr... » --- explicava tendo um tremelique. --- Ela só trepa com um monte duma vez! E óia qui a puta tem só 17 anos, meu!! ---

--- “Ruiva bad girl”, é? Huum... Tá… Isso eu quero vê! Tu costuma falá muita merda, Marge; então, uso a “máxima de São Tomé” e só acreditarei vendo! Essa puta num é do tipo qui usa drogas não, né? --- indagou Hertza.

--- Nada! Nem fumá a bandida fuma... Sei lá; mas ela parece inteligente paca! ---

Hertza analisou o comentário de Margareth e fez uma careta pensativa...

--- Certo! Então me ajude a arrumar o “palco” pra ela e esses otários! O afrodisíaco que pus em Iowa tem um efeito retardado... Quando ela ficar estimulada, vejamos qual vai ser a reação dela... Ah... Não invente idéias, falei? Só eles vão trepar! ---

--- Falô!! --- respondeu Margareth, seguindo-a.

 

Após algumas horas a campainha tocou... Hertza foi até o monitor e conferiu quem estava à porta...

--- Quem fala? --- indagou no microfone.

« Solange! Procuro uma neguinha! »

--- Tá sozinha? --- prosseguiu Hertza.

« Tem duas comigo! Fazem parte do esquema, Hertza! »

--- Entre! --- respondeu Hertza abrindo o portão.

Duas meninas entraram logo atrás da maior... Margareth as recebeu e conduziu pela casa até a sala de estar... A mais velha sentou-se no sofá, ordenando às menores a sentarem no chão, ela obedeceram prontamente e ficaram aguardando em silêncio.

Hertza aproximou-se indo até a garota, esta não se levantou para cumprimentá-la e Hertza sentou-se à frente, encarando-a.

--- Solange “Firehead”... Eu sô Hertza! E aí? ---

--- Hum... Tô de boas! Huuum... Gostei do teu visual! Não é tão “escrotinha” quanto me disseram! --- disse Solange, fazendo pose, cruzando as pernas. --- Falaê... Qualé a parada que tá me valendo dois conto e duzentos? ---

--- É simples! Uma pessoa vai assistir vocês fudendo! ---

--- Hahahahahaha... Sério?! Um tarado voyeur?! Taí... Eu num achava qui ainda existia essas porra! É quem, teu velho? --- indagou debochada.

--- Não te interessa quem vai ver você e um bando de trutas fodendo feito uns bichos no cio; o quê importa, é qui vai rolá uma grana e tu vai poder trepá do jeito que quiser! Só! --- rebateu Hertza.

--- Falô! ---

--- São essas pirralhas? Quem são? ---

--- Essa branquinha é minha sobrinha, Hillary e essa moreninha com cara de indiana é Sarah! Digam “oi” pra ela!! --- ordenou Solange, apresentando as duas meninas.

--- E aí, maninha? --- disse Hillary.

--- Oi! --- cumprimentou Sarah.

--- Elas são novinhas; mas sabem o quê fazer com os corpos delas! Hehe... Eu que ensinei! --- disse Solange, sorrindo orgulhosa.

--- Sério? Fazem naturalmente? ---

--- Sarah... Diz pra ela do quê ‘cê mais gosta de fazer com um cara! --- disse Solange com um sorriso lascivo.

--- Eu gosto que me enfiem o pirú na bundinha! Eu piro! Adoro quando um cara mi enraba com força e deixa meu cuzinho ardendo!!! Hihihi... --- respondeu a menina, que parecia não ter mais que oito anos.

--- Eu também adoro!! Mas eu prefiro minha xereca! Adoro chupá uma piróca enorme igual minha tia!! Hehe... Ela adora uma garganta profunda; e eu também! ---

--- Os meus gostos, Hillary, eu mostro! --- disse Solange, em tom repreensivo. --- Mas e aí, mona? Acha que essas duas vão agradá o tarado que vai nos vê fudendo? Ele é pedófilo? Se quiser, eu ligo e mando vir aqui uma puta com umas tetas enormes que engole fácil três só c’o rabo dela; mas ela cobra uma baba pra se exibir, mora? Eu tô começando no ramo, então... ---

Hertza analisava cada uma delas...

Solange Firehead era uma jovem atlética. Seus olhos eram verdes e felinos; e tinha um semblante discreto e confiante... Tinha um pequeno piercing sob o lábio inferior e suas orelhas ornadas com vários e um par de brincos grandes e dourados. Seu cabelo era recortado; liso e brilhante em um escarlate intenso... Suas roupas curtas e justas ressalvavam suas curvas e permitia que muitas de suas tatuagens ficassem expostas, como uma aranha tatuada sobre o seio esquerdo... Ela aparentava não ter mais que 17 anos de idade e tinha uma aparência bastante chamativa, com pulseiras e anéis brilhantes em seus dedos nas duas mãos... Usava ainda um par de botas pretas de cano longo.

Sua sobrinha não era menos discreta; embora fosse tremendamente jovem... Não parecia ter mais que sete anos de idade, mas já usava roupas bem curtas e apesar de um penteado infantil repartido em longas tranças, os piercings nas orelhas denunciavam sua educação transviada... Parecia uma bonequinha de olhar arisco e travesso.

Sarah era uma menina de origem indiana. Pele morena e olhos e cabelos negros brilhantes... Corpo magro e longilíneo sem marcas aparentes... Suas roupas eram tão justas e curtas quanto às de suas acompanhantes e mesmo aparentando não ter mais que dez anos de idade, usava duas enormes argolas douradas nas orelhas e um fino cordão prateado no pescoço com um pingente, que se destacava em sua pele bronzeada.

--- Marge, quando é que os caras vão chegar? --- indagou Hertza.

--- Huuum... Os que confirmaram, disseram que chegariam aqui por volta das quatro horas da tarde! São uns vagabundos; mas parece que fazem uns bicos pá sobrevivê, mora? --- respondeu Margareth, conferindo a hora em seu celular.

--- Humpf! Assim é foda! São duas e quarenta ainda! Seguinte Solange... Quero vê se essas daí sacam duma boa putaria! Tem algum problema de dá uma aquecida nelas? --- indagou Hertza, com uma cara enfadada.

Solange ficou pensativa um instante... Balançou a cabeça e deu sua resposta...

--- Nenhum! Acho até bom! ‘Cês me pagaram dois conto adiantado... Acho até natural uma “prévia” antes do serviço com os caras! A neguinha disse qui ‘cês têm uns aparatos aqui... Quer ver essas putinhas usando? ---

--- Exato! Quero ver se são criativas também... Na hora, eu e a Marge vamos ficá no backstaff só observando; então quando os caras estiverem com vocês, façam como bem entenderem... Mas exijo que façam de um jeito bastante HARDCORE, mora? --- respondeu Hertza, levantando-se.

--- “Hardcore”, é? Huhuhu... Eu contava que me pedisse algo assim! Não se preocupe Hertza! Essas cachorrinhas não só foram adestradas pra esse tipo de coisa; tanto que como eu, elas ADORAM sexo hardcore! --- disse Solange, também se levantando. --- Mostre o caminho! ---

Elas seguiram para um saguão no porão da casa... O lugar era incrivelmente amplo e confeccionado justamente para parecer um luxuoso quarto de hotel, incluindo teto e uma parede espelhada.

--- A pessoa que vai assisti-los vai ficar atrás desse espelho! Ele vai poder ver tudo; mas vocês não poderão vê-lo! Prefiro que vocês saibam pra conduzirem tudo como bem entenderem; mas prefiro que os caras ignorem ok? Homens costumam ser muito exibidos e podem se desconcentrar do principal! Quero que façam espontaneamente e que gozem como bem entenderem! Se fizerem isso bem, prometo um extra bem generoso pra você e suas cachorrinhas; que tal, Firehead? --- explicava Hertza, apontando o enorme espelho na parede.

--- Começa a falá minha língua perfeitamente, Hertza! --- respondeu Solange, com um sorriso satisfeito. --- Como pretende testar minhas cachorrinhas? ---

--- Marge... Traga aquela magrela, a Louise! ---

--- Ela ainda tá dormindo! Nem tomô banho ainda! --- respondeu Margareth.

--- Ótimo! Acorde-a e traga assim mermo! Não diga nada a essa infeliz! Quero ver como reage a uma surpresa! Vocês duas... Tirem as roupas! Quero as duas peladinhas!! ---

Louise foi trazida ao saguão por Margareth, ainda  sonolenta como esta dissera... A menina estava descabelada e coçava os olhos, bocejante, quando então percebeu que era aguardada para algo que não seria um desjejum tardio.

--- Venha aqui, cadela! --- ordenou Hertza.

Ela ficou olhando para ela e as outras duas meninas desnudas e entendeu que algo perturbador estava preparado para ela...

--- P-por favor, Srtª Hertza... --- balbuciou Louise.

Hertza encarou Margareth com um olhar duro e desgostoso...

--- “Adestrada”, você disse? Humpf! Eu lhe mostro Marge! --- disse ela se dirigindo a uma prateleira de apetrechos e sacou dela um látego com cinco pontas longas.

Hertza caminhou até Louise, congelada pelos olhos frívolos que a encarava...

--- Essa neguinha com cara de abestada já te puniu alguma vez, Louise? --- indagou Hertza.

--- E-ela já mi bateu... C-com a mão... --- respondeu trêmula.

--- Hum... Machucou? ---

--- S-sim! --- respondeu temerosa.

--- Este chicote... É feito de um couro especial pra não rasgá a carne e a pele... Se usa pra instigar pessoas masoquistas a sentirem prazer sendo açoitadas e xingadas... Você é masoquista, Louise? ---

--- E-eu... Eu não sei o quê é isso! --- respondeu tensa.

--- Ah... Você não sabe? Tudo bem! Descobrirá agora! ---

« VAAAAAAAAAAAPT!! »

--- HAAAAAAAHNNNN!!! --- gritou a menina ao receber uma lambada em suas costas.

Hertza derrubou Louise dando-lhe uma rasteira em suas pernas e pôs a menina de quatro, dando-lhe outra açoitada em suas costas...

--- Você gostou sua puta? --- indagou Hertza com sua voz áspera.

--- N-não!! --- gritou a menina.

« VAAAAAAAAAAPT!! »

--- Eu não te ouvi, cadela... Grite pr’eu te ouvir... Gosta de apanhar com essa chibata, sim ou não? ---

--- NÃO!! « Hic! » EU NÃO GOSTO; POR FAVOR, PARE!!! --- gritou choramingando.

--- Uma de vocês, putinhas... Curte levá umas lambadas dessa porra? --- indagou Hertza às duas meninas trazidas por Solange.

Sarah aproximou-se de Hertza e jogando os longos cabelos sobre os ombros, virou para ela suas costas nuas...

« VAAAAAAAAAAP!!! »

--- AAAHNNN... --- gemeu Sarah.

Hertza segurou seu látego e a menina encarou-a com um sorriso travesso...

--- Uma só? --- indagou Sarah.

--- Comé qui se pede algo, puta? ---

Sarah deu um sorriso desafiador e remexeu seus quadris para Hertza...

--- Por favor, Srtª Hertza... Esquente o meu rabinho atrevido com sua força!! Eu lhe imploro!! ---

« HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA... »

--- ‘Cê ensinou isso pá ela, Firehead?? --- indagou Hertza após uma escandalosa gargalhada.

--- Ensinei que ela deve pedir pra que façam isso com ela... Mas como ela deve pedir, é com a cabecinha depravada dela! --- respondeu Solange.

--- Certo! Eu gostei!! Adorei como me pediu!! Huhuhu... Vai fazer exatamente o quê eu disser? ---

--- Sim, mestra! --- respondeu Sarah.

--- Tudinho? --- instigava Hertza, exibindo seu sadismo.

--- TUDINHO!! --- afirmou Sarah, ansiosa.

--- Levante-se, Louise! --- ordenou Hertza. --- Dispa-se! Você; agarre essa cadela magricela e boline-a! Aperte-a encima e embaixo!! ---

Louise se livrou de suas roupas rapidamente, enquanto Sarah posicionou-se atrás dela, agarrando os seios e as partes íntimas de Louise, que mesmo consternada, não ofereceu resistência.

« VAAAAAAAAAPT!! »

--- AAAAAAAH... MESTRA HERTZA?! --- surpreendeu-se Sarah, sendo novamente açoitada.

--- Ande! Faça essa outra aí gemer!! Enfia os dedos na xereca e no cu dela... Na boca... Lambe as orelhas dessa filha da puta, anda! Faça isso, e eu te darei as “carícias” que tanto deseja! Ande puta!! ---

« VAAAAAAAAAAAAAAPT!! »

Obedecendo as ordens de Hertza, fustigada sob seu látego, Sarah seguiu instigando Louise... A menina era intensamente bolinada enquanto a outra tinha suas costas açoitadas para instigá-la... Os gemidos languidos, embalados pelo som das chibatadas ecoavam no saguão enquanto Margareth e Solange observavam afastadas, Hillary se masturbava vendo sua amiga submetida naquele show libidinoso.

--- Você, sua branquinha safada! Quer levar umas lambadas? --- indagou Hertza.

--- N-não, mestra! --- respondeu Hillary.

--- Então se enfie entre as pernas dessa magrela anêmica e lamba a xereca dela!! --- ordenou apontando o látego. --- E você, sua puta marrom... Lamba o cu dessa desgraçada; ou eu irei deixar que seu rabo esfrie, ouviu? ---

--- SIM, MESTRA!!! --- respondeu Sarah.

--- Huuungh... Aaaahn... S-Srtª Hertza... Aaaahnn... Elas têm qui mi fazê isso? --- gemia Louise.

--- Acha ruim? ---

--- N-não... M-mas eu num tomei banho!! --- respondeu consternada.

--- Mais um motivo pra que elas te limpem! Eu dei uma bela cagada hoje de manhã e limpei meu cu com um guardanapo... Minha rosca tá cheia de badalhoca enrolada nos pentelhos... Adivinhe qual das desgraçadas eu irei usar pra limpá meu precioso cu? ---

--- NYAAAAAAH... N-NÃO!! P-POR FAVOR, SENHORITA!! ---

« VAAAAAAPT! »

--- “NÃO”!? VOCÊ SE ATREVE A ME DIZER “NÃO”, SUA VADIAZINHA MAGRICELA? EU TÔ FAZENDO O FAVOR DE PÔR DUAS CADELAS PÁ TE LIMPÁ E VOCÊ AINDA SE ATREVE A NEGÁ LAMBÊ O MEU CU?! --- gritava Hertza açoitando as costas de Louise, indignada. --- Marge, mi dá um “rabo de rato*”! Eu vô dá uma lição nessa vadia!! ---

(*Rabo de rato é um tipo de braçadeira plástica ou de metal onde se passa a fita ou cinta por uma fivela com trava.)

Dominada por Hertza, Louise teve suas mãos atadas e foi colocada de cara para o chão.

--- Marge... Me dá o “gel do amor”!! ---

--- Não!! P-por favor!! Não use aquilo ni mim di novo!! Não!! Por favor, não!!! --- suplicava esperneando-se no chão.

--- Pois é agora mermo q’eu vô usá essa merda em você, puta! Vô passá ‘ssa porra no teu cuzinho safado! Quero ouvir você implorando pra ser enrabada! ---

Hertza besuntou seus dedos e cruelmente os introduziu em Louise... A menina agitava suas pernas e gritava enquanto esta enfiava dois de seus dedos besuntados de gel, preenchendo fundo o reto da menina.

--- Arf... Arf... Agora q’eu quero vê, Lulu! Passei ainda mais que da última vez e pus bem fundo no seu cuzinho! Enquanto isso, quem vai se divertir com essas putinhas agora, sou eu! --- dizia Hertza pondo-se de pé e livrando-se de sua roupa.

 

Desnuda, Hertza colocou Hillary e Sarah para fazerem sexo oral com ela... As meninas lambiam suas partes íntimas intensamente, enquanto esta atiçava Louise, estirada de bruços no chão.

« VAAAAPT! »

--- E aí? Já tá c’a bundinha latejando? Anda! Quero saber como tá o seu cuzinho, puta! ---

--- Aaaah... Aaaah... M-meu bumbum não pára de latejá!! Nyaaaah... Senhorita... O meu cu quer... O meu cu quer... --- balbuciava Louise.

--- “Quer”? --- indagava Hertza, em tom malicioso. --- “Quer” o quê, pirralha? Fala bem alto!! Eu quero que grite pra gente o quê seu cuzinho sujo quer!!! ---

--- Mete algo!! Meu cuzinho quer que meta algo nele!! Por favor!! Eu não aguento!! Eu... Eu preciso!! --- suplicava a menina.

--- Quem é sua dona? ---

--- É a Senhorita! ---

--- Huhuhu... Não seria a Margareth? --- ironizava Hertza.

--- E-ela também... ---

« VAAAAAPT!! »

--- NYAAAAAAAAAAAH!!! --- exclamou sendo açoitada.

--- “Ela também” é o caralho!! Essa puta além de burra é molenga! Você é minha agora, ouviu? --- disse Hertza, autoritária. --- Pergunto de novo... Quem é sua dona, puta? ---

--- A Senhorita!! ---

«VAAPT! »

--- MAIS ALTO!! ---

--- A SENHORITA!!! --- gritou Louise.

--- Isso... Gostei de ouvir! Agora... Implore direitinho pra sua dona... O quê você precisa, vadia? ---

--- Meta algo na minha bunda!!! --- suplicou. --- Por favor, Srtª Hertza... Eu não aguento!! Enfie algo na minha bunda!!! ---

--- Só isso? Atochar uma trolha no seu rabinho de puta? --- retrucou. --- Pffff... Mas que sem graça! Prefiro continuar com essas duas lambendo meu cu e minha xereca! Que, aliás... Essa cachorrinha indiana aqui no meu rabo lambe que é uma delícia! ---

--- HYAAAAAAAAAH... NYAAAAAAAAH... EU TÔ PIRANDOOOO!!! AAAAAAAAH... --- esperneava Louise, em frenesi.

Hertza olhou para Margareth e Solange, que se divertiam com seu sadismo.

--- Falaí, Firehead... Já fez uma porra dessas com essas vadiazinhas? ---

--- Já fiz bastante coisa, Hertza; mas tenho que admitir que você tem tato pra dominatrix e adestradora! Dá pra ver na tua cara que tu tá lôca pá fazê uma putaria bizonha com essa coitada e minhas cachorrinhas... Vai fundo! Nos surpreenda! --- respondeu Solange.

Hertza deu um largo sorriso...

--- Você, sua piranhazinha branquela... Vá até ali e traga três dildos duplos! Ande!! ---

Hillary obedeceu e voltou com três objetos fálicos como ordenado.

--- Tome Sarah! Atoche isso no cu dessa puta e COMA ela!! --- disse entregando um dildo.

--- Posso enfiá um na minha bunda? --- indagava Sarah enquanto se levantava.

--- Eu mesma enfiarei um desses no seu cu, puta! Agora seja boazinha e meta nela! --- disse Hertza.

Sarah deu um sorriso esperançoso... Obediente, foi até Louise para cumprir a ordem dada.

Ela segurou Louise pela cintura para ajeitá-la de joelhos... A menina cooperou se apoiando com a traseira empinada para a outra.

--- « Ptuif! » Vô dá uma molhadinha na ponta dessa coisa... --- disse cuspindo no dildo. --- Você tem uma bundinha magra; mas bem gostosinha Lulu... A da Hillary é mais gordinha e gostosa que a sua; mas eu vô dá um trato legal em você, tá? ---

--- Arf... Arf... Vem! Vem logo!! Arf... Arf... Eu num tô agüentando!! Mete! Mete fundo!! --- suplicava Louise.

--- Hihi... Tá! Isso também vai entrá na minha xereca... Hihi... Imagino que gostaria de um de verdade, né? Eu também tô louca pá... ---

--- PORRA!! METE LOGO ESSE CARALHO NO MEU CU I MI FODE SUA PIRANHA!!! --- exclamou impaciente.

--- Aaaaah... É assim, ééééé?!? Tá... ENTÃO, TOMA!!! ---

« CHOOOOOOOOP!! »

--- AAAAAAAAAAHNNNN!!! --- exclamou Louise ao ter o falo enterrado em seu ânus.

--- Woooooow!! Eu adorei ver isso!! --- admirou-se Hertza. --- Vai! Agora fode!! FODE ELA ANDE! FODE!!! ---

« SLAAAPT!! SLAAAAAAAAPT!! »

Hertza açoitou as costas de Sarah e esta, instigada, passou a mover seus quadris, segurando os de Louise, empurrando em ambas o dildo de ponta dupla...

--- Aaaah... Aaaah... Qui delícia!! Eu tô fudendo e sendo fodida por essa cachorra magricela! Hyaaaaaah... Qui loucura!! Isso é uma delícia!! --- exclamava Sarah, extasiada.

Hertza tomou para si outro dildo, enfiando-o em sua vagina... Dispensou o látego e se colocou atrás de Sarah, segurando-lhe firmemente uma de suas nádegas, escancarando-a.

« CHOOOOP!! »

--- AAAAIIII... S-Srtª HERTZAAAA?! --- surpreendeu-se.

--- Apertada! Huhu... Imagino a cara de um desses macacos que virão aqui e irão fudê seu cuzinho mais tarde! Vô fazê a gentileza de já deixá-lo larguinho e aquecido pra eles... Nessa hora, bem q’eu gostaria de ter um pirú de verdade só pra sentir a glande forçando um anelzinho safado feito o teu pra se abrir! Minha xereca cabeluda vai escová a tua bunda, cachorra! Use isso pra se mexer com vontade nessa aí! --- dizia Hertza agarrando-se em Sarah. --- Você, sua branquinha nojenta... Use essa porra no meu cu!! ---

--- Srtª Hertza, eu sô uma putinha safada! Eu adoro usá meu cuzinho também... Posso usá isso no meu cu e no seu? --- indagou Hillary.

--- Se sabe como fazer, não perca tempo! --- consentiu autoritária.

Hillary enfiou o dildo em Hertza até deixá-lo firme em seu ânus... Prontamente a menina virou-se de costas ajoelhada e empurrou em si a outra ponta...

--- Aaaahnnn... Huuungh... T-tá encaixando!! Aaahnnn... S-só um pouquinho mais... Aaaaah... Qui delícia!! --- murmurava Hillary.

--- Aaaah... Isso ficou bonito! --- dizia olhando a formação do quarteto no espelho na parede. --- Agora, mexa-se, Hillary! É você quem dá o ritmo! ---

Hillary ficou de quatro e começou a se empurrar contra Hertza... Logo que se acostumou, seus movimentos foram ficando mais rápidos, distribuindo em suas outras duas parceiras.

« PAF, PAF, PAF, PAF, APF, PAF, PAF... »

--- Aaaah… Aaah… Srtª Hertza… Sua bunda é tão macia!! Aaah... Aaaah... Qui delícia! ---

--- Huuuh... Huuuuh... Isso!!! Mexa-se! Aaah... Qui bundinha quente e lisa... Aaaah... Isso!! --- gemia Hertza.

« PAF, PAF, PAF, PAF, APF, PAF, PAF... »

--- Aaaah... Qui loucura! Aaah... M-meu cu e minha xereca... Aaaah... Fudê e ser fudida... Ooooh... Huuum... Eu vô pirá! --- murmurava Sarah.

--- Huuuum... M-mais rápido!!! Aaahnnn... M-mais rápido!! Aaaahnn... Mete fundo!! Mete no meu cu!!! --- exclamava Louise.

 

Margareth olhava estarrecida... Nunca passara pela sua cabeça algo como aquilo... Quatro meninas usando dildos daquela forma... Solange observava friamente, tinha um sorriso satisfeito com o desempenho das meninas que adestrara para algo como aquilo.

--- Cara! Tô bolada!!! ---

--- É por que você num tem criatividade, neguinha! --- respondeu Solange.

--- Tu já fez uma porra dessas, mona? ---

--- Não sou dada a grupal lésbico; mas tenho que admitir que isso daí mexe com as bases... Huhuhu... --- respondia com um sorriso debochado.

Margareth encarava Solange, admirando sua beleza exótica e sua postura altiva... A jovem de fato era muito sensual e vestia-se com um jeito muito insinuante.

--- Errr... Aí... Tu vai ficá só olhando, mona? ---

--- Hahahahaha... Qualé neguinha?! Tá querendo colá comigo?! Toca siririca aí, ou arruma uma trolha grossa pá enfiá na rabiola! Comigo, é com grana; ou com pirú, mora? --- dispensou-a friamente.

 

Uma hora e meia depois, Hertza estava satisfeita sentada nas costas de Louise, espojada no chão após vários orgasmos consecutivos...

--- Tomem um energético hidratante! Já está quase na hora e os sujeitos já devem estar chegando! Marge... Eu vô tomá um banho! Vá pra sala de vídeo e libere a entrada dos macacos à medida que chegarem! Avise-os que só estarão liberados só quando tiverem ao menos quatro e tocar uma campainha avisando, falei? --- explicava Hertza, indo para o banheiro.

--- Aê, neguinha... Tu num liga dela mandá em tu desse jeito? --- indagou Solange.

--- Ela é mais inteligente que eu... Aprendi qui quando se cola com nêgo inteligente, ‘cê se levanta c’o ele; ou cai c’o ele... Agora, se opor a quem é mais inteligente que tu, é fria! E eu num sô tão burra! --- respondeu Margareth, com um sorriso irônico.

Na cela acolchoada, Iowa continuava no escuro, pensativa...

“--- Faz um tempo que estão em silêncio... O que estarão aprontando? Algemada desse jeito, eu não tenho mobilidade pra explorar esse lugar e meu corpo ainda tá meio mole... Elas me instigaram a vagina e o ânus e nua nesse lugar acolchoado... Se eu me mexer muito, vou começa a sentir umas coisas indecentes... ---”

De repente, ela teve uma sensação desconfortável... Um pensamento agitou sua mente, refletindo imediatamente em seu corpo...

“--- Eu pensei no quê fizeram comigo e minhas partes íntimas se agitaram e meu corpo sentiu um arrepio estranho! Droga! É essa escuridão que tá mexendo comigo! Eu não gosto de escuro! Droga! Minha cabeça tá uma bagunça! Até minha raiva tá esquisita! Eu não consigo me concentrar... Aquela música irritante fica martelando na minha cabeça e ela parece que vai estourar! ---”

A respiração dela ficou acelerada e alguns murmúrios começaram a escapar de sua boca...

--- Aquela besta... Eva... E aquele homem... Eu não consigo associar coisas a eles!! Ericsson... Aquela cara... Aquela barba... Merda! Eu só consigo pensá enquanto a barba dele é sensual! Bosta! Foi a Sasha latindo no meu ouvido em quanto o tio daquela lambisgoia é bonito! Merda! E pensar q’eu gosto de homem com barba! Bosta! Minha cabeça tá variando! Eu o odeio!! Eu odeio aquele homem... Odeio a sobrinha dele!! Merda, eu... Eu... --- resmungava, desconcertada.

« PLOFT!! »

Ela atirou-se de bruços no chão estofado e ficou bufando num misto de raiva e frustração... Sua mente estava um caos e já não conseguia entender o que acontecia de fato consigo mesma.

 

Dois rapazes foram os primeiros a chegar, logo mais dois chegaram sendo recepcionados por Margareth... Esta os recebeu no hall de entrada, sozinha, enquanto Hertza terminava de tomar seu banho...

--- Falaí, trutas! Ué? Cadê os outros dois? --- indagou Margareth.

--- Pediram desculpas; mas não puderam vir! --- respondeu um dos rapazes.

--- Filhas da puta! Ainda bem q’eu só dei duzentos dólares pra eles! --- resmungou ela. --- Humpf! Mas ‘cês vieram... A gaita q’eu ofereci pá vocês? Serviu pá atiçá a curiosidade? ---

--- Na boa, mina... A gente tá interessado nas xotas! Gaita é bom; mas fudê é ótimo! --- rebateu um deles.

--- Só! Normalmente a gente paga pá fudê cumas putas; é a primeira vez que pagam pá gente fudê c’o elas! ---

--- Issaí! Mas fala... É só essa porra mermo? --- indagou um mais desconfiado. --- A gente vai fazê algum vídeo pornô? ---

--- Hahahaha... Tem algum problema c’o isso, truta? --- indagou Margareth.

--- Sei lá! Já ouvi duns malandro qui fizero e si fudêro! --- respondeu.

--- Fica frio! Num vai pá internet, não! Até por que ‘cês vão comê uma “di menor”, tão ligados? ---

--- Opa! Pedo, é? --- indagou um deles, empolgado. --- Haha... Eu curto uma lolitinha safada! Falaí, neguinha... Tu vai também? ---

--- Vô não, amor! Mas num esquenta! Num vai faltá uma mina fogosa pá tua pica! Podem ir tirando a roupa toda e afiando as pirócas! Elas já tão no ponto esperando! Sigam-me! ---

Margareth guiou os quatro rapazes... Eles tinham idades entre 20 e 24 anos... Eram bem atléticos e descolados.

Hertza observava através de câmeras a movimentação deles pelos corredores...

--- É... Até que a neguinha acertou nos sujeitos! Eles são bonitos e parecem cheios de energia! Espero que dêem um cansaço naquela piranha e suas cachorrinhas adestradas... Huhuhu... Aquela lôra vai pirá quando a cela se inundá com gemidos e a putaria que eles vão fazê... Quando ela começá a ver então... Vai ser uma loucura!!! --- regozijava-se Hertza, enxugando seus cabelos.

Eles entraram no saguão usando apenas roupa de baixo... Solange estava sentada em uma banqueta apenas de lingerie... Seu corpo alvo e atlético recoberto de tatuagens coloridas causou um frisson nos quatro rapazes logo que bateram os olhos nela.

--- Opa! Mas que gatos! --- elogiou Solange.

--- Nossa! E que gostosa! --- disse um deles, adiantando-se. --- Falaí gata! Tu vai trepá c’a gente, ou é só pá botá água na nossa boca? ---

--- Hihihi... Aí, vai dependê de vocês! ‘Cês tão vendo essas garotinhas? Elas também tão cheias de fogo! Eu sô uma tarada qui adora vê umas molecotes dessas levando vara! Se vocês as fizerem gemer um bocado, eu me animo e trepo na boa com todos, que tal? --- respondeu com um sorriso atrevido.

--- ‘Cês ouviram essa? --- indagou irônico.

--- Só! É uma proposta interessante! --- respondeu um deles.

--- Hehehehe... Eu gostei dessa branquinha de tranças! Aí, elas sabem o quê fazê com um pirú; ou a gente vai ter qui ensiná coisas pra elas? ---

Hillary lançou um olhar para sua tia e Solange acenou a cabeça, consentindo... A menina caminhou até o rapaz e começou a acariciar o volume em sua cueca...

--- E o moço sabe como usá isso daqui; ou é daqueles caras qui só sabe vê putaria na internet e batê punheta na frente do PC? --- rebateu com um olhar indecente.

--- Hahahahaha... Chupa essa, Mark! Afiada, a menina tem a língua! --- ironizou o companheiro.

--- Certo! Gosto de garotinhas com resposta na ponta da língua! ---

« SUUUUUUP... POIM! »

--- Mas eu quero vê se tua língua é afiada em “outra coisa”!! --- disse Mark, abaixando sua cueca, exibido seu membro semi-ereto.

--- Aaaahnnn... Mas qui maninho mais indecente! Hihihi... Tá, eu te mostro! Mas não vô fazê isso sozinha, qui tal? --- respondeu Hillary, segurando o pênis dele.

--- Quanto mais, melhor! --- rebateu com um sorriso malicioso.

Ela olhou para Louise... A menina arregalou os olhos surpresa e voltou-se para as demais...

--- Se a Hillary tá te chamando, é por que foi c’a tua cara, magrela! Pode brincá c’o ela e esse mané aí! Vocês dois, têm coragem de encarar essa garotinha indiana? Ela é gulosa e tá precisando se exercitá fazendo putaria com dois marmanjos! --- disse Solange se voltando aos outros rapazes.

--- E você, branquinha? Qualé a tua parada? --- indagou um dos dois apontados.

--- Esse amigo de vocês! --- apontou Solange.

--- Eu? --- indagou.

--- Issaí negão! Vem cá! Quero vê se tu é o mais taludo desse bando! Gato tu é! --- disse ela se aproximando dele.

 

Margareth esquivou-se saindo de fininho e seguiu para a sala de monitoramento onde Hertza estava sentada tomando um suco de caixinha.

--- E aí, Hertz? Gostô dos truta? ---

--- « Sssssrrrp! » Eles são uns gatos; mas têm mesmo cara de pamonha! Menos aquele negão! Huhu... A piranha da Solange tá se derretendo toda pro malandro! Eu senti que ela é dada a um inter-racial logo que eles entraram no quarto! Hehe... A buceta da puta já deve tá melada pelo cara! --- comentava enquanto sugava seu suco.

--- Hihihi... Então tô aprovada como caça-talento? ---

--- Deixa eles se entrosarem primeiro neguinha! Huhuhu... Olha a puta lôra... Não faz a mínima do quê tá rolando bem do lado dela! Huhuhu... Mal posso esperá pra vê a cara dela quando eu levantá a parede e liberá o áudio da putaria rolando!! --- disse Hertza.

--- Hum... Eu não ‘tendi direito qualé a dessa parada... ---

--- Acho qui posso desperdiçá um pouco do meu tempo te contando... Primeiro, nós bagunçamos a mente da lôra instigando ela com aquelas duas putas (Dorothy e Cecília) e deixamos ela vendada, amordaçada e com uma música repetitiva alta nas orelhas com vibradores enfiados nos buracos dela... Ela ingeriu um afrodisíaco sem saber e tá pelada e acorrentada em um quarto escuro e acolchoado... Radical, não? Pois, bem! Se estivéssemos infringindo dor nela, ela se acostumaria... Um machucado ou um osso quebrado uma hora deixa de doer e a pessoa ganha resistência pra resistir psicologicamente; mas “prazer” não! O corpo da lôra já deve tá fervilhando sem que ela saiba o porquê; isso vai servir de ignição pra lavá a cabeça dela assim que ela começá a desejá ser fodida de qualquer jeito! Num é como beber e comer que logo depois que você faz isso e se sacia, passa! Primeiro, ela vai se masturbá feito uma louca; depois, o cérebro dela vai exigir que ela procure novas sensações... Coisa qui só a masturbação sozinha NUNCA será o suficiente!! ---

--- Ô, PORRA!? Isso é du mal, mona!! --- indignou-se Margareth.

--- Claro qui é! --- respondeu Hertza, focando no desenrolar das coisas no monitor. --- Mas é um método eficaz de ADESTRAMENTO! Viu o quê fiz com a tua cadelinha? Primeiro injuriei ela; depois dei prazer a ela! Tá que ela já tava amaciada antes; mas essa daqui é diferente! Preciso vê se ela vai ceder de cara; ou vamo tê “martelá” muito a cachola dela, mora? ---

Margareth ficou intrigada com a frieza na explicação de Hertza...

--- Cara... Foi o Doc quem te ensinô essas paradas? ---

--- Ele me deu umas dicas; mas eu percebi isso enquanto me consultava com ele! --- respondeu Hertza. --- Te deixei ainda mais bolada, né Marge? Tá achando q’eu sô pirada? ---

--- Hehe... Eu já te achava antes! Na moral... Tenho mó inveja da tua inteligência, cara! ‘Cê num quer conquistá o mundo comigo não? ---

--- Sai fora, Marge! Tá mi tirando de “cientista maluca”? Eu quero é ter uma vida boa sem fazê força! Vô estudá pá caralho e me formá numa parada qui mi renda uma boa grana pr’eu só coçá minha xereca depois! “conquista global” é coisa de retardado! --- respondeu voltando seu foco para o grupo no salão.

 

Iowa se revirava sobre o piso acolchoado... Soltava baixinho, gemidos languidos a cada movimento...

--- Merda... O quê tá acontecendo comigo? Não paro de pensá bobagem e meus mamilos estão duros! Meu grelo tá coçando... Bosta... Esse lugar tá abafado... Quente... Sinto meu corpo suado e fedendo... Merda... Será qui eu tô ficando menstruada? Não... Ainda tá longe... Tem algo muito estranho... --- resmungava consigo mesma. --- Estão quietos faz algum tempo! Droga! Essa ansiedade... Se vão fazer algo comigo, venham logo, suas filhas da puta! ---

 

--- Ela parece impaciente!! --- comentou Margareth.

--- Natural! Ela já tá um tempo sem ser instigada e o afrodisíaco já deve tá fazendo efeito graças ao corpo dela que tá se esfregando no chão acolchoado... Huhuhu... Vô dá uma provocada nela... --- disse Hertza, pegando no microfone.

« [Prrrsh...] E aí? Sentindo-se solitária, lôra? »

--- Tô me sentindo estranha! Como podem mi deixá nessa merda abafada pra caralho?! ---

« Abafada? Huuum... Que estranho... A ventilação tá funcionando perfeitamente! Tem certeza que tá sentindo calor? Será que não é febre? Diga... Tem mais algo estranho acontecendo com seu corpo? »

--- NUM FODE!! Desce aqui e confere sua piranha escrota!! Eu tô algemada... Vem cá! Tá com medo de quê?? --- respondeu malcriada.

« Huuum... Quanta agressividade!! Hihihi... Eu tava pensando em ser boazinha contigo e te oferecer uma diversão... Huhu... Parece meio entediada! »

Iowa bufava irritada... As provocações de Hertza faziam seu sangue se agitar e os efeitos da droga estimulante estariam funcionando ainda mais rápido.

--- É? E o quê você tem pra me mostrar? Umas revistas velhas? Ou vai trazer um celular com internet pra mim? --- rebateu em tom irônico.

Hertza acendeu a luz, regulando-a para que não ficasse muito forte... Logo que percebeu que Iowa se acostumara, respondeu à sua ironia...

« Eu vou te mostrar algo que tá acontecendo em tempo real bem pertinho de você, lôra! Você vai poder ouvir o quê tá rolando; mas não vai poder falá com ninguém! Ah, o vidro é à prova de balas! Se bater nele, vai machucá os punhos ou rachá seu crânio, ok? »

Uma das paredes subiu para revelar um painel de vidro para que ela pudesse ver o quê acontecia noutro cômodo... Iowa surpreendeu-se e rastejou rapidamente, encostando-se no vidro para ver melhor; entretanto sua face escandalizada denunciava a incredulidade em sua mente...

 

Dispostos pelo saguão, eles interagiam libidinosos... Hillary e Louise havia se juntado ao rapaz chamado Mark, que havia se sentado em uma cadeira, enquanto recebia o serviço da menina... Ele bolinava Louise, beijando-a e enfiando os dedos em suas partes íntimas...

Solange havia se despido e avançado sobre um rapaz negro chamado Todd... Esfregava-se lasciva enquanto brincava com o pênis desse, que retribuía com caricias, tão obscenas quanto às dela... Sarah recebia um cunilingus de um de seus parceiros enquanto praticava uma felação em outro, demonstrando sua avidez sugando intensamente o pênis desse rapaz.

--- M-mas... Que merda é essa?! Quem são? Porra! Aquelas pirralhas... São menores que a pirralha da Mary Ann!! Puta qui pariu, o quê tá acontecendo nesta merda?!? --- indignava-se Iowa, vendo a orgia que desenrolava diante dela.

« Eles não conseguem te ver, Iowa! Um artifício interessante, não? O quê acha? »

Iowa não conseguia desviar os olhos... Tentava entender o quê acontecia... Hertza percebeu sua confusão e então deu um sorriso sádico.

« CLICK! »

Ligando uma chave, ela liberou para que Iowa pudesse ouvir o quê se passava naquele cenário... E o quê ouvia, era ainda mais desconcertante...

--- Aaaah... Você chupa direitinho, Hillary! E até que você beija gostoso, Louise! Huhu... Olhem só como o meu pau ficô duro? A bucetinha de vocês já não tem mais cabaço, né? ---

--- Não! --- respondeu Louise.

--- Hihi... Não mesmo! O maninho quer a xerequinha de uma das duas? Hihi... Eu tô cheia de fogo! Eu meti um pirú de plástico e exercitei meu cuzinho; mas a xerequinha ainda tá apertada... Se quisé, eu tô disponível! --- insinuou-se Hillary.

--- Aaaah... Puta merda! Me falando isso, mi deixô cheio de vontade, sua putinha!! Vem cá! Eu vô te botá no meu colo, bonequinha!! --- disse Mark, segurando-a pelos quadris.

--- Hyaaaaah!! Qui selvagem!!! ---

Hillary fora erguida facilmente e obrigada a arreganhar suas pernas para se encaixar em seu parceiro... Prontamente os lábios de sua vagina se apartaram e a glande começou a pressionar para adentrá-la...

--- Huuuum... Aaaahnnn... Qui pintão enorme!! Aaahnn... Empurra! Aaahn... Quero sentir ele entrando! --- gemia a menina.

--- Huuunf... É mesmo apertadinha! Mas não é problema... É só empurrar com jeitinho e seu peso faz o resto!! Aaah... Tá vendo? Tá escorregando!! ---

« CHOP! »

--- AAAAAHNNN... ENTROU!! --- anunciou Hillary.

--- Hehehe... Hora de botá pá fudê! Ei… Lambe o cuzinho dela, Louise! Vai deixá-la mais excitada!! --- sugeriu Mark.

--- Ela num gosta... --- disse Hillary.

--- Eu faço! Eu faço! --- disse Louise. --- D-depois... É a minha vez, né? ---

Ele acenou a cabeça com um sorriso obsceno... Louise seguiu então para a traseira de Hillary, cujas nádegas apartadas exibiam seu ânus rosado e latejante.

« SLIIIIP... SLIIIIP... SLIIIIP... »

--- Huuuum... Lulu!? Aaaah... Qui lambida gostosa!! --- vibrou Hillary, extasiada.

--- Hahaha... Tu curtiu, branquinha? Então saca só o quê eu vô fazê na tua xerequinha agora! Um, dois e... ---

« CHOP, CHOP, CHOP, CHOP... »

--- AAAH... AAAH... ISSO!! AAAH... M-MI FODE!! AAAH... M-METE! METE NA MINHA XOXOTA! AAAH... --- gemia Hillary.

--- Hehehe... Verdade que aquela menina é tua sobrinha, ruiva? Ela geme bem gostoso no pau do cara ali... ‘Cê geme assim também? --- ironizava Todd, sendo instigado por Solange, que o masturbava.

--- Hehehe... Gemo! Mas sabe o quê eu mais gosto? É fazer os outros gemerem! --- rebateu.

--- Oooooh... Que mão mais perigosa!! --- disse ele ao ter os testículos apertados.

--- Hihihi... Tu tá afim de um cuzinho apertado, negão? ---

--- Vim aqui pra isso, gostosa! --- respondeu Todd.

--- Eu vô afiá a tua pica... Vai na fé... Vai pirá comigo!! --- respondia Solange, abaixando-se para uma felação.

Sarah sugeriu a seus parceiros partirem para o sexo de fato, um deles deitou-se e prontamente a menina subiu nele para cavalgá-lo...

« CHOOOOOOP!! »

--- Aaaaahnnn... Qui piróca grossa!! --- gemeu Sarah.

--- Hehe... Aí, eu lambi tua xereca! Dá uma chupada aqui enquanto o Nelson dá uma machucada na sua xota! --- disse o sujeito esfregando seu pênis no rosto dela.

--- Chupo! Mas eu quero qui faça de um jeito bem selvagem, mano! --- insinuou-se segurando o membro.

--- Tu ouviu, cara? Já novinha, gosta de ter a boca estuprada! --- empolgou-se --- Ceeeerto! Se é o quê a gatinha quer, vô dá uma fodida nessa boquinha!! ---

Ele segurou-lhe a cabeça, empurrando o membro até invadir a garganta de Sarah... O rosto delicado desfigurou-se com os movimentos seguintes, que ficaram bem rápidos.

« CHUUUP, CHUUUUP, CHUUUUP... »

--- WOW!! É COISA DE LÔCO, MEU!! ---

--- Hahahaha... A xereca dela tá espremendo o meu pau, maluco!! Haaaaaaaah... Assim que dá gosto de fazê uma putaria com uma lolita!! --- disse Nelson, empolgado.

 

Iowa observava a tudo de seu cativeiro, enquanto também era observada por Hertza e Margareth...

--- A lôra num vai fazê nada? ---

--- Leva tempo, Marge! A mente dela tá bagunçada... Tá associando o quê vê ao quê tá sentindo! --- explicava Hertza. --- Não vai demorar pra ela ceder... ---

--- Tem certeza? --- indagou Margareth.

--- É aí que tá a diversão, neguinha! TUDO pode acontecer! ---

--- E caso não dê certo? --- indagou novamente.

--- Tentamos outra coisa! Mas as chances ainda não foram esgotadas! Olhe em como ela não tira os olhos da orgia! ---

Margareth percebia que Hertza estava certa... Iowa seguia vidrada, observando a orgia que desenrolava... Imaginava até onde aquilo levaria...

“--- Arf... Arf... O meu corpo tá pelando! ---” pensava Iowa. “--- Não é como ver um filme pornô! Estão mesmo fazendo sexo bem na minha frente... Aquelas meninas e aqueles caras... Fodendo... Isso é estarrecedor e ao mesmo tempo... ---”

« AAAAAAAAHNNN?! »

Iowa deu um gemido estridente ao encostar seu peito no vidro...

--- M-merda! O quê foi isso?! --- indignava-se envolvendo os seios com os braços. --- Porra! Meus mamilos parecem que levaram um choque! ---

--- O quê deu nela? --- indagou Margareth.

--- Ela encostou-se no vidro gelado... Os mamilos dela estão ainda mais sensíveis, é natural que ela tenha tido uma reação! Huhu... Traga uns petiscos e um suco, Marge! Parece que nossa piranha lôra vai nos dá um showzinho de masturbação a qualquer momento! --- ironizava Hertza. --- Aí... Eu vô botá uma música praquela galera... Huhu... ---

--- Hehehe... Demorô! Fudê com trilha sonora instiga mais!! --- concordou indo cumprir o pedido de sua companheira.

 

--- Huuum... Aê... Botaram um som manêro nessa porra! --- comentou Todd.

--- Só! Isso me deu ainda mais vontade de fudê essas minas com raiva!! Aê, Louise... Tua vez! Eu fiquei cheio de vontade de comê tua xerequinha!! --- disse Mark, descendo Hillary de seu colo.

--- C-como eu faço? --- indagou Louise.

--- Você é um pouco mais alta que a Hillary... Se apóie na banqueta! Vô fazê “cachorrinho” em você! ---

Seguindo a orientação, Louise se apoiou na banqueta, empinando sua traseira para Mark, que prontamente pôs seu pênis nela, instigando-a.

--- Aaaah... É magrinha; mas tem uma xerequinha beiçuda e molhada! Hehehe... Eu adoro garotinhas com jeitinho inocente! A Hillary tem uma carinha de safada... Isso é bom; mas a sua carinha inocente me instiga mais! Hehehe... Você já fudeu com muitos caras? ---

Ela sacudiu a cabeça negando...

--- Sério? Huhuhu... Isso é ótimo!! Eu não gosto de “virgenzinhas”; mas também não gosto de bucetas largas! Muito bem! Chega de lero-lero! Eu vô te dá uma bela fodida; e vai ser agora!! --- disse ele, puxando-a.

--- E eu? --- indagou Hillary.

--- Ela lambeu o seu cuzinho... Pode beijá-la na boca; ou lambê as minhas bolas enquanto eu meto nela, que tal? ---

A menina posicionou-se entre as pernas de Mark e acariciou-lhe os testículos...

--- Huuum... Eu sempre quis chupá um saco cabeludo feito o teu! Hihihi... Tá! Manda bala nela!! ---

--- HAHAHAHA... Não precisava nem pedir! --- debochou Mark.

« THUUUUUUUUUD!! »

--- Uuuuugh!? Nyaaaah... Q-qui força!? --- surpreendeu-se Louise ao levar uma estocada em sua vagina.

« PAF, PAF, PAF, PAF, PAF, PAF, PAF... »

« PAF, PAF, PAF, PAF, PAF, PAF, PAF... »

--- AAAAH… AAAH… S-SEU PAU… SEU PAU TÁ MI FURANDO!! --- gritava Louise, sendo fustigada.

--- Huuuh... Huuuh... Qui delícia!! Aah... Fazia tempo q’eu não comia uma bucetinha tão gulosa! Haaah... Aperta! Huuum... Isso! Aperta essa xereca! ---

« PAH! »

--- AAAAAAAHNNN... --- gemeu ao levar um tapa na traseira.

--- O maninho é selvagem!! Hihihi... Vai fazê assim ni mim, num vai? --- indagou Hillary, impressionada.

--- Se chupar meu saco direitinho... Anda! Quero sua boquinha safada nas minhas bolas!!! --- instigou Mark.

--- Aquele teu parceiro é bem cruel, hein? Ele é assim só por que elas são garotinhas; ou ele é assim com todo mundo? --- indagava Solange, ainda instigando Todd com suas mãos.

--- Uff... E que liga? Quando é que ‘cê vai me virá teu burrão, gostosa? ---

Ela foi até o ouvido dele, dando-lhe uma mordida sensual em sua orelha.

‘--- Eu perguntei se tu gostava de cu; mas não disse que daria o meu pá tu... Tá vendo minha vadiazinha indiana trepando c’aqueles dois? ---’ sussurrou insinuante.

‘--- Eh?! Qualé?! Olha o tamanho do meu pau e a bundinha dela! ---’ rebateu Todd.

‘--- De repente, tu pode ter uma surpresa! Vai lá e enraba ela! Faça a putinha gozá com tua pica no rabo dela, e depois, tenta a sorte comigo! Ou tu tem medo?? ---’

Todd cedeu ao desafio de Solange... Sarah estava entretida cavalgando sobre um de seus parceiros, enquanto masturbava e sugava outro em pé.

--- Aí, Nelson... Segura aí um instante!! --- interrompeu Todd.

--- Opa! O quê tá rolando? --- indagou o outro rapaz, surpreso.

« CHOOOP! »

--- AAAAHNNN?! AI, MOÇO... O MEU CU?? --- gemeu ela, ao ter o ânus dedilhado.

--- Tua “prima” disse que tu gosta de tomá no rabinho e que só se satisfaz com grossão! Na boa... Tem uma bundinha muito gostosa! E eu tô muito impaciente, saca? Vô metê no teu cu e vai ser agora!! --- disse Todd, segurando Sarah.

--- Aaaai... Tia?! Olha o tamanho do pirú dele! Ele vai mi rasgá!! ---

--- Rasga nada! Tu já enfiô uma trolha quase da grossura desse aí! Eu já chupei e deixei bem molhado! --- dizia Solange.

--- Chega de papo!! Aê, Nelson, segura a mina! Eu vô botá no cu dela!! --- disse Todd ao parceiro.

--- Vê lá, hein?! Num vai mi sangrá ela encima de mim não, ok? --- disse ele segurando os braços da menina.

--- Aaaai... Aaaai... Essa pica tem um cabeção muito grosso! Ai, tia! Ele vai mi arrombá! Ele vai mi deixá toda arrombada!! --- gemia Sarah.

--- Na tua idade, eu já tinha levado uns dois dessa grossura na xota e na bunda! Fica fria e relaxa! --- dizia Solange, tranqüilizando-a.

--- Ai... É por isso qui vivem dizendo qui só um cavalo consegue gozá na sua bunda, de tão largo qui tá teu cu? ---

Os risos de todos coraram Solange... Ela encarou irritadiça a menina e segurou-a pelos cabelos, ficando com seu púbis diante dela.

--- Na boa, querida? Chupa minha xereca, valeu? Negão... Pau na bonequinha! ---

« SUUUUUP... »

--- AAAIII... T-TÁ ENTRANDOOO!! AAH... T-TÁ ALARGANDO O MEU CUZINHOOO... AAAH... TÁ D-DOENDOOO... AAAAAH... QUI DELÍCIAAAAA!!! --- gemia a menina, sendo penetrada.

--- O quê há com essa puta? --- indagou Nelson.

--- Ela é masoquista! Não esquentem com isso... Fodam ela! Ei, você... Fica a toa aí não! Vem cá na minha bunda! Confere aí se o quê essa pirralha disse é verdade! --- disse Solange ao último deles.

--- Opa! Só se for agora!!! --- exclamou encoxando-lhe a traseira.

« THUUUUUUD!! »

--- UHUUUU!! ÊITA QUI ESSA BUNDA É BOA DIMAIS, SÔ!! --- vibrou o sujeito.

--- Aaaaahnnn... S-seu animal!! Aaah... PIREI!! Aaaah... Vem! Agora mi fode!! --- gemeu Solange, instigando-o.

« PAF, PAF, PAF, PAF, PAF, PAF, PAF... »

« PAF, PAF, PAF, PAF, PAF, PAF, PAF... »

« PAF, PAF, PAF, PAF, PAF, PAF, PAF... »

« PAF, PAF, PAF, PAF, PAF, PAF, PAF... »

--- AAAH… AAAAH… M-MOÇO… MAIS! MAIS MOÇO!! --- gemia Louise.

--- Haaah... Haaah... Delícia!! Ô bucetinha gulosa!! É uma tortinha pronta pra ser recheada!! --- murmurava Mark.

--- Eh?! “Recheada”? ‘Cê vai...? --- indagou receosa.

--- Vô! Aah... Eu vô! Vô enchê teu útero!! Aaah... Mas num esquenta não! Tô c’as bolas cheias! Tem porra o suficiente pras quatro!! ---

--- Huuumm... Qui bom! Eu num vejo a hora di ser minha vez! Eu quero qui o maninho encha minha bundinha com seu leite condensado!! --- murmurava Hillary, lambendo-lhe os testículos.

--- Haaah... Haaaah... Pode ter certeza qui vô, boneca! Mas antes... Eu... Eu... Uuuuuuh... ---

« PAH, PAH, PAH, PAH, PAH, PAH, PAH... »

« PAH, PAH, PAH, PAH, PAH, PAH, PAH... »

« PAH, PAH, PAH, PAH, PAH, PAH, PAH... »

--- AAAAH… AAAH… ISSO!! AAAH… M-MOÇO?! AAAH… QUI MASSA!! MI FODE!! EU TÔ PIRANDO!! AAAH... A MINHA XERECA... AAAH... EU VÔ... EU VÔÔÔ... --- gritava Louise, extasiada.

 

“--- Eu... Eu... Não aguento mais ver... Eu... Eu... ---”

Margareth percebeu que algo acontecia e tocou no ombro de sua companheira apontando para tela que mostrava a cela de Iowa.

--- Começou! --- disse Hertza.

--- O qui ‘cê vai fazê, mona? ---

--- Nada! ---

--- Oi?! --- surpreendeu-se Margareth.

--- Calma Marge! Ela só tá tocando levemente na xereca e nos peitinhos... Ela tem que fazer bem mais que isso! --- respondeu Hertza.

Iowa movia suas mãos conforme as algemas lhe permitiam se mover... Ora em seus seios, ora em suas partes íntimas... Sua respiração ofegante denunciava o aumento de sua libido...

« THUMP! »

--- Haaah... Haaaaah... N-não aguento!! Haaah... Haaah... Minha xereca... Meus seios... Haaah... Haaah... --- murmurava ela, esfregando-se na vidraça. --- Aaaahnn... Merda! O meu grelo tá duro!! Minha xereca tá ficando toda molhada! Aaah... ---

--- A coisa tá ficando quente lá pá lôra! --- comentou Margareth.

--- Hehehehe... Talvez esteja na hora de darmos uma chance pra ela... Leva a chave das algemas nos pulsos dela! --- disse Hertza, entregando um chaveiro para Margareth.

Uma portinhola se abriu na cela e Margareth lançou a chave para dentro...

--- Hum? O quê? ---

Iowa rastejou até onde havia o pequeno brilho e percebeu que era uma chave... Testou-a em suas pernas; mas percebeu que era inútil...

--- Só pode ser dessas aqui! Huuum... Qui merda! É difícil; mas tenho que abrir... Huuum... Quase... Quase... ---

« CLICK! »

--- AAAAAAAH!! ABRIU!! PUTA QUI PARIU, ABRIU!! ---  gritou empolgada.

Ela olhou para as algemas abertas com uma cara de felicidade; entretanto...

--- Haaah... Haaaah... E agora? Estou com as mãos livres; mas... Eu... Não sei o quê fazer!! Minha cabeça... Tá em branco!! ---

Os sons libidinosos transmitidos à cela pelos alto-falantes ecoavam pela sua mente... Novamente ela se voltou para a vidraça e continuou a observar o grupo libertino cada vez mais intenso em sua orgia.

[Foder...]

--- Droga... --- murmurou Iowa.

[Foder...]

--- D-droga!! --- murmurava ela, tocando seus seios mais intensamente.

[FODER...]

--- AAAAAH... MERDAAAA!!! EU QUERO!! EU QUEROOO!!! AAAAAH... VENHAM CÁ, PORRA!! AAAAAH... VENHAM!! VENHAAAAM!!! ---

Ela começou a se masturbar intensamente tocando suas partes íntimas e zonas erógenas em um frenesi desconcertado... Esfregava sua face na vidraça, comprimindo seus seios no vidro enquanto tocava seu clitóris e ânus intensamente.

Iowa gritava obscenidades e esperneava-se frustrada enquanto instigava a si mesma, sem se importar fosse com quer que seja quem a estivesse observando... Parecia uma fera ávida por sua comida, debatendo-se em sua jaula, clamando para ser saciada.

Hertza pegou seu celular e imediatamente fez uma ligação...

--- Doc? Sou eu! Seu plano tá dando certo! Ela passô do “estágio A”!! Sim! Isso mermo!! Sim, ela tá bastante agitada! Dô o quê ela precisa agora...? Hã? Nocauteá-la? Mas... Tá... Tá... Eu entendi! E quanto aos outros que tão fudendo feito uns loucos? Ah... Tá... Isso é mole! Tudo bem! Doc... ‘Cê vem...? Tá... Tô te aguardando... Beijo, te amo!! ---

--- Vai nocauteá a lôra, Hertz? --- indagou Margareth. --- Olha comé qui a bicha tá virada num tigre! Eu qui num entro lá naquela jaula! ---

--- É pra isso que serve a tecnologia, abestada! --- disse Hertza clicando um botão em um painel. --- Gás sonífero! É só injetá um pouco disso na jaula e... ---

« THUMP!! »

--- VOILÀ!! Pronto! Só tenho que ir lá conferir se tá tudo bem com ela agora! --- disse se levantando após ver Iowa desmaiar no chão.

--- E aquele povo fudendo feito louco? --- indagou Margareth.

--- Deixe-os se saciarem! Quando tiverem terminado, pague o que deve e libere-os! Dê um extra pra Solange! As cachorrinhas dela fizeram um ótimo serviço!! --- respondeu Hertza, pegando uma maleta médica e indo para a cela de Iowa.

CONTINUA...

 


Notas Finais


Alguns devem estranhar por que eu uso onomatopeias (expressão de sons) nas minhas histórias... Eu apenas sinto que dá mais vida ao texto descritivo e ma interlocução nas falas dos personagens quando estão fazendo algo intenso como cuspir, engolir ou até mesmo arrotar... As risadas como (Hihihi...) dão uma ênfase feminina ou de malícia bem assim como "Kkkkk..." pode dar uma ênfase de maldade ou deboche numa conversa.
Em resumo, é só meu jeito esquisito de escrever!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...