1. Spirit Fanfics >
  2. My Distraction >
  3. Capítulo 25

História My Distraction - Capítulo 27


Escrita por: e bea031205


Capítulo 27 - Capítulo 25



O caminho de carro até a delegacia foi digamos estranho.
Cinco tinha insistido em dirigir, mas Diego se opôs dizendo que ele era o número dois e por isso divia liderar a missão.
Claro, o menino ficou extremamente irritado mais cedeu depois de fazer sua birra diária.
Por causa disse exigiu que se sentasse na frente e Allison não querendo perder tempo com o irmão disse ele podia ir na frente no lugar dela.
Dessa forma Charllotte e a Hargreeves foram atrás e nos bancos da frente Cinco e Diego.
Todos eles estavam no carro de cor preta de Diego indo em direção a delegacia da cidade, porque segundo Diego seja lá quem era esse tal de Harold Jenkins, concerteza tinha ficha criminal, pelo menos era o que ele dizia.
E como antes tinha dito, o trajeto até lá foi estranho, muito estranho.
E tinha como não ser considerado que envolvia a família Hargreeves? Com toda a certeza não.
O moreno mais velho, logo parou o carro, fazendo Charllotte que estava distrida olhando pela janela, voltar a sua atenção na conversa que se iniciou entre Cinco e Diego.
– Tenho total certeza que esse Jenkins tem ficha criminal- pronunciou o número dois e desligou o carro- eu só preciso achar o arquivo dele- o homem completou.
– E qual é o seu plano?- Allison perguntou a Diego que apenas tinha seu olhar vidrado no retrovisor- entrar lá em uma boa é pedir para eles?- a mulher disse com deboche e Lotte abriu um sorriso, como ela pode por um tempo não gostar da mulher ao seu lado, ela era tão incrível.
– Eu conheço a delegacia com a palma da minha mão- o latino respondeu ainda com seu olhar vidrado no retrovisor de seu lado esquerdo.- eu passei um bom tempo lá dentro.
– Algemado- a irmã disse e Cinco olhou confuso. Diego tinha sido preso? Depois de pensar melhor ele concluiu que aquilo devia ser algo normal, se considerar o fato de que o irmão agia como um doido de pedra.
Já a Gillis apenas olhava tudo aquilo divertida, era bom poder sorrir.
– Tanto faz, esse é o plano- o homem disse rápido.
– Plano?- o ex-agente exclamou fazendo Diego olhar para ele- eu consigo o arquivo em um piscar de olhos- o menino disse e Charllotte balançou a cabeça em afirmação, seria rápido e fácil, eficiente.
– Não, não é- Diego tentou argumentar e arranjar uma desculpa para ele liderar- você  não conhece os detalhes, desse lugar, tá legal?- o homem disse embolado.
– Ontem eu fiz isso literalmente- o Hargreeves mais novo disse ao irmão.
– O quê?- o número dois perguntou, ele não se lembrava de Cinco ter invadido lugar algum, aliás o ontem de Cinco e Charllotte era diferente do de Diego e todos as outras pessoas.
– Aliás- o menino percebeu o seu erro- o meu ontem não o seu ontem- Allison franziu o cenho, ela já não entendia mais nada, já Lotte apenas ficava quieta em seu canto, deixando os irmãos conversarem sozinhos.– Eu vou precisar de dois segundos- a mulher mais velha no carro virou a sua cabeça para trás, observando da janela do carro o telefone público quentinha ali, logo decidindo ligar para Vanya e pedir desculpas sobre o incidente de mais cedo. Lotte ao ver a atriz olhar para trás, fez o mesmo mais voltou a sua posição normal ao ver que não era nada de mais aparentemente- eu só vou ter que...- Diego cortou a fala do menino.
– Olha só- o latino começou- você não vai entrar lá, fiz uma ligação- ele voltou a encarar o número Five- é isso que um líder faz, lidera.
Cinco apenas soltou o ar pela boca dando uma risada curta e seca, àquilo era inacreditável, como todos da sua família podiam ser tão ignorantes.
O de preto logo saiu do carro e olhou mais uma vez para Cinco pela janela.
– Fica aí- ele disse ao irmão que bufou.
O moreno então logo saiu dali e andou em direção ao beco do lado da delegacia de polícia.
– Eu vou precisar ligar para alguém rapidinho- ela disse aos dois adolescentes e apontou o telefone público do outro lado da rua.
– Uh claro- Lotte disse algo pela primeira vez e a mais velha sorriu para ela e saiu do carro- vamos com ela- a menina se dirigiu a Cinco, que se teletransportou do banco da frente para o de trás, para ser mais fácil olhar para a garota.
– Por que?- ele perguntou com seu costumeiro tom de voz e com a cara emburrada.
– Oh, você fica fico desse jeito- a menina disse e apertou as bochechas do garoto que chacoalhou a cabeça na tentativa da garota parar com àquilo.
Charllotte apenas riu e saiu do carro indo em direção a Hargreeves que teclava um número no telefone.
Five no entanto permaneceu por mais alguns segundos ali, com as bochechas quentes.
Por Deus, como Charllotte mexia com ele daquela forma? Ele talvez não saberia tão cedo, por isso abriu a porta do carro e saiu indo em direção a irmã e a garota que o abalava com uma enxurrada de sentimentos bons.
Ele se encostou na parede de um prédio e observou a irmã a sua frente por alguns instantes, antes de sentir a cabeça de alguém em seu ombro direito.
Ele olhou para baixo e e encontrou a cabeleireira castanha da agora ex-agente da comissão.
Ele deu um pequeno sorriso bobo no rosto, e passou o braço ao redor dos ombros da menina.
Charllotte estranhou o ato mais era tão bom estar daquela maneira que simplesmente não se importava com aquilo, apenas se aconchegou mais e voltou o seu olhar a Allison que logo começou a falar com o telefone.
– Oi Vanya- ela começo a dizer e a Gillis logo percebeu que ela falava com a Vanya por isso aguçou o seu ouvido para escutar a Hargreeves- sou eu...ah, eu só queria...ah...as coisas ficaram tão complicadas, eu, eu só queria ser uma irmã boa para você, só w ir eu não em sai muito bem nisso, por favor me liga tá? Te amo irmã- a mulher voltou a enganchar o telefone em seu lugar de sempre.
Foi aí que Diego surgiu e limpou a garganta na tentativa de chamar a atenção dos três.
Charllotte então se afastou de cinco e voltou a ficar em sua posição ereta e olhou para o moreno mais velho, que trazia uma pasta amarelada de documentos em suas mãos.
Allison então se aproximou para poder ler as informações contidas no arquivo e assim saber quem seria o responsável pelo apoclipce daqui a alguns poucos dias.
– E aí?- o garoto perguntou e tentou pegar a pasta, mais Diego a levantou.
– De nada- ele disse debochado enquanto a pasta ainda estava no ar, sem pouco esforço a mulher puxou a pasta da mão do irmão logo a abrindo.
Lotte se aproximou dos ombros da atriz para poder ver melhor, enquanto isso Cinco cruzava os braços sobre o peito e Diego olhou para ele fazendo uma careta.
A Hargreeves virou as diversas páginas até chegar a uma foto do sujeito e assim ficou de boca aberta, antes de falar com os irmãos.
– Mais que merda- ela exclamou atraindo mais a atenção do latino e do ex-agente da comissão.
– O que foi?- o número dois perguntou e a atriz virou a pasta para que eles pudessem ver a foto do homem.
– Harold Jenkins é o Leonard Peabody.
– Quem é esse?- a Gillis perguntou olhando a foto- e por Deus como ele é feinho- ela deu uma risada, e ao perceber os olhares de repreensão de Five ela parou e murmurrou- ok, já entendi, sem risadas.
– É o namorado da Vanya- Allison respondeu a pergunta da garota- precisamos ir atrás dele.
– Claro que temos, tenho certeza que tem o endereço dele em algum lugar por aí- o latino disse e pegou a pasta em suas mãos a olhando rapidamente.- Achei- ele exclamou agitado e então começou a andar até o carro andando rapidamente e apressado.
A mulher logo começou a segui-lo e Cinco se teletransportou direto para dentro do carro.
– Tá legal- murmurou Lotte e se concentrou em usar os seus poderes que deviam estar enferrujados, ela logo pensou no carro e no lugar em que estava sentada e assim fez.
Logo a estranha luz a cobriu e em seguida estava dentro do carro.
Ela sentiu sua cabeça doer com ato e olhar surpreso de Cinco sobre ela.
– Viu, nem é tão difícil como eu pensei- a menina disse sorrindo para o Hargreeves.
Ele apenas revirou os olhos.
Logo Allison e Diego entraram no carro preto também.
O latino colocou a chave no lugar certo e logo ligou o automóvel, o motor rugiu e logo começou o carro começou a ir em direção ao endereço que Diego tinha visto nós arquivos.
Lotte apenas fechou os olhos por alguns instantes desejando que tudo aquilo acabasse o mais rápido possível, aliás impedir o fim do mundo era algo complicado.

(...)

O carro parou a frente de uma casa padrão da cidade.
Charllotte adimiraria mais o local se não fosse pela curiosidade sobre o que iria acontecer batendo em seu peito violentamente.
A garota se apresou para sair do automóvel preto e os outros seguiram o seu exemplo.
– Tomem cuidado tá?- a mulher disse saindo e fechando a porta do carro- a gente não sabe o que Peabody pode fazer- ela disse e foi ultrapassada por Diego que andava mais rápido em direção a entrada da casa.
– Ele não me paraceu muito perigoso na primeira vez que eu o vi.- o latino disse e enquanto andava.- parece ser meio franzino- ele concluiu.
– A é, igualzinho a Maria dos piscicopatas e assassinos em série- Allison disse com deboche- tipo o nosso irmãozinho- ela apontou para Five que revirou os olhos.
– Obrigado- ele disse cínico e Lotte deu um pequeno riso, Cinco parecia mesmo um piscicopata, mais um piscicopata fofo e bonito, isso ela tinha que admitir.
– Tem razão- o número dois pronunciou.- Que que esse cara quer com a Vanya?- o mesmo perguntou nesse exato momento a atriz saiu dali e deu a volta por trás e a Gillis a acompanhou com o olhar se perguntando  o que ela faria.
– Eu não sei- o menino disse e começou a subir os degraus da entrada casa e Lotte repetiu o ato estando a pouco centímetros de distância de Cinco- porque a gente não pergunta para ele, depois que a gente matar ele- o menino disse irritado.
– Vai com calma aí, pirralho- a menina disse e Cinco olhou para ela bravo antes de voltar a atenção ao irmão.
– Ou ou, calma aí- ele disse se virando para os adolescentes- eu vou derrubar a...- os dois olharam ao redor a procura da irmã que tinha sumido- seria legal se as pessoas seguissem o meu...- ele foi cortado pela imagem de Cinco se teletransportando.- acho que somos só eu e você- ele disse sorrindo para a menina que olhou para ele com deboche.
– Se eu quisesse entrar aí, eu já teria entrado. Só estou aqui te esperando para poder aumentar o seu ego e você pensar e se iludir que você que está liberando essa missão z quando na verdade não está - ela disse olhando para o mesmo e cruzou os seus braços olhando para o adulto.
Diego apenas murmurou "se afasta" antes de partir para frente para derrubar a porta.
O vidro se espatifou no chão assim como Diego.
Charllotte apenas chegou até a maçaneta da porta abrindo a mesma, que não estava trancada, desse jeito ela entrou e observou Diego no chão tentando se levantar, nesse momento Cinco e a Hargreeves chegaram no lugar olhando para a cena deplorável do irmão, que resmungava de dor.
– Sútil- a mulher disse querendo dar uma risada.
– Sabia que a porta estava aberta, né?- o menino disse.
– Eu prefiro, fazer do meu jeito- o homem disse enquanto de levantava atordoado.- vai por mim- ele terminou de dizer tirando um caco de vidro da sua roupa preta.
Os três apenas o olhavam com um sorriso divertido vendo a cena do homem.- gritem se precisarem se estiverem com problemas- Diego pronunciou antes de começar a andar até a sala de jantar do lugar mancando.
Allison balançou a cabeça em negação.
– Isso que é liderança- Cinco disse com deboche olhando para o irmão.
– É o que temos- a irmã disse antes de os dois seguirem em direções opostas.
Charllotte diferente das outras vezes seguiu com Allison.
As duas subiram as escadas do segundo andar e olhavam para tudo curiosas e com certo receio com esse tal de Harold Jenkins, se ele estivesse ali na casa seria um problema.
As duas seguia com passos leves, até Charllotte notar o alçapão que tinha em cima da cabeça delas.
– Allison- a menina murmurou atraindo o olhar da mais velha- olha para cima- ela disse e a atriz fez o gesto vendo a cordinha para puxar, e assim ela fez, tentando abrir o lugar.
Assim que conseguiu Lotte se pós a gritar.
– Gente vocês tem que ver isso- ela disse e logo pode se escutar os passos apressados dos dois irmãos Hargreeves no andar de baixo.
Assim que eles chegaram os quatro entraram dentro do sótão da casa, encontrando diversas coisa da Umbrella Academy no lugar.
A Gillis olhava para aquilo assustada, os rostos de todos eles estavam queimados ou riscados.
– Nossos estão todos queimados- ela disse como se lesse os pensamentos da garota que a dava olhando tudo atentamente.
Foi aí que Cinco sentiu o machucado em sua barriga doer como nunca.
É claro que estava doendo antes mais agora doer parecia algo insuportável.
Ele parou de andar um pouco atrás e olhou para a ferida, que tinha uma boa quantidade de sangue escorrendo pela mesma.
– Isso não me surpreende- Diego disse, ninguém havia notado Cinco que sentia a sua cabeça rodar e ele quase perder as forças.- esse cara tem problemas sérios. O que é isso?- ele perguntou vendo algo estranho em um cartaz.
– Nunca teve nada haver com a Vanya- Allison então percebeu- era com a gente- ela disse olhando para Diego assustada.
Cinco então começou a resmungar sentindo a tontura bater e então de repente ele caiu para trás e começou a perder a consciência, todos olharam para ele e Charllotte sentiu medo, muito medo.
– Cinco- ela disse e se abaixou ao lado dele tocando suavemente em seu rosto.
– Aí- ele murmurou de dor.
Os irmãos se aproximaram também para poder ver o que estava acontecendo.
– Meu Deus o que houve?- Charllotte perguntou sentindo seu coração errar uma batida.
– É sangue- Allison murmurou enquanto via a roupa de Five que estava manchada com a coloração vermelho vivo.
Lotte pegou a cabeça do Hargreeves mais novo, e passou a mão pelo resto dele.
– por que não me contou?- a menina disse preocupada enquanto passava a mão pelo resto dele, tentando o manter acordado. E assim que viu a ferida em sua barriga fechou os olhos com força, desejando não ter visto, àquilo doía nela de alguma forma.
– Temos que continuar- ele disse com dificuldade- estamos tão perto- e depois ele parou de falar e fechou os olhos.
– Cinco!- a Gillis disse com medo- Cinco fala comigo!- ela disse alto dando pequenas batidas no roto dele.
– Precisamos levar ele daqui, para um médico ou qualquer coisa- a garota disse sentindo medo de perder o garoto, as lágrimas queriam sair, mais ela tentou as segurar ao máximo, não queria chorar, não agora.
– Tudo bem, precisamos levá-lo até a Grace, mais todos vão ter que ajudar a carregar ele.- Diego disse e Charllotte apenas assentiu enquanto algumas lágrimas desciam por seus rosto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...