1. Spirit Fanfics >
  2. My Distraction >
  3. Capítulo 29

História My Distraction - Capítulo 31


Escrita por: e bea031205


Notas do Autor


E se agente disser que já estamos com mais 2 caps prontos?👉👈☺️
Pq a gente tá mesmo, kkk.
Querem que a gente postem eles ainda hoje?

Capítulo 31 - Capítulo 29


Gênio...

1.

espírito que, segundo os antigos, regia o destino de um indivíduo, de um lugar etc., ou que se supunha dominar um elemento da natureza, ou inspirar as artes, as paixões, os vícios etc.

2.

aptidão natural para algo; dom.


Fácil...

1.

que se executa ou obtém sem dificuldade.

"técnica f."

2.que se compreende sem esforço; claro, compreensível.

"um estilo f."

3.PEJORATIVO•PEJORATIVAMENTE

sem profundidade; simples, banal.

"música f."

4.sem artificialismo; espontâneo.

"diálogo f."

5.que tem temperamento dócil; brando, suave.

"criatura f."

6.sem preocupação; tranquilo.

"uma vida f."

7.advérbio

naturalmente.

"discursa f. e empolga os eleitores"

8.advérbio

facilmente à toa.

O caminho inteiro até novamente a mansão dos Hargreeves foi com o ar pesado e com o medo de perder Allison.

Ela estava deitada sobre o colo de Klaus, Diego e Luther no banco de trás.

Enquanto isso Lotte tentava parar de chorar e Cinco dirigia o mais rápido que podia cima àquele carro.

Todos sabiam que se levassem a número três a um hospital diversas pessoas estranhariam por isso, em um momento rápido todos decidiram levá-la até Grace que saberia muito bem o que fazer e faria de tudo para salvar a atriz que agora sofria no banco de trás.

- Mantém a mão presionada bem firme no ferimento Luther- a menina disse com a voz trêmula- estamos quase chegando e mesmo assim ela não pode perder mais sangue- ela disse e vou pelo retrovisor o lorio assentir- só não aperte de mais- ela disse dessa vez com medo de que o grandão pudesse machucar mais ainda Allison, mas ela sabia que ele faria de tudo para não machucar a mulher.

Cinco virou em uma curva com extrema velocidade e logo puderam ver a rua da casa dos Hargreeves aparecerem a eles e dessa forma todos já sentiam seu corpo relaxar por um momento.

Allison ainda podia ser salva.

- Ela não tá respirando- o loiro gritou.

Nesse exato momento Five parou o carro com tudo a frente da casa e todos se apressaram para poder levar Allison até Grace.

- Anda vamos logo- Klaus gritou e Luther pegava a mulher nos braços, e assim desse jeito Five correu para continuar pressionando a ferida.

- Ela não tá mais respirando- Luther repetiu com raiva.

Diego já se adiantava e corria para poder chamar Pogo e Grace.

- Temos que levá-la para cima ou ela vai morrer- Klaus continuou dizendo e Charllotte apenas seguia os irmãos Hargreeves com medo do que poderia acontecer e também se sentia mal por não poder ajudar em nada.

Diego já estava voltando com Grace que ao ver o estado de Allison correu para cima para poder preparar todos os seus equipamentos.

- Levem ela até a sala de cirurgia- Pogo disse ao loiro que assentiu e correu escada acima, junto a Five que continuava a presionar a ferida para diminuir a perda de sangue.

Já os outros apenas subiram mais para trás, deixando os dois irem junto a mulher primeiro.

Lotte até perguntaria o por quê de existir uma sala de cirurgia na mansão, mas ela decidiu que perguntaria isso depois, não era um momento muito adequado para esse tipo de pergunta.

A Gillis estava logo atrás de Diego, o seguido, porque ela não tinha ideia para onde estavam indo por isso apenas o seguia.

Até que ele entrou em uma sala e Charllotte fez o mesmo.

Lá ela pode ver Allison deitada em uma maca e ao lado dela Cinco e Grace.

Todos estavam próximos para poder ver o que iria acontecer.

Até que a robô pegou uma agulha fechada e logo tratou de falar sobre a situação da mulher.

- ela sofreu uma laceração na laringe- a robô disse calma- quem pode doar sangue?

De imediato todos gritaram " eu dou".

- Não eu faço isso- Luther disse e logo que ia começar a retirar o casaco Pogo o impediu.

- Infelizmente usso não será possível meu jovem- ele direcionou o seu olhar ao loiro- o seu sangue é mais compatível com meu- o chimpanzé disse e isso fez o grandalhão ficar desolado.

- Tá, tá tá bom- o de colete verde ao lado de Charllotte disse- não se preocupe eu faço isso gigante- Klaus correu até Grace e bateu em seu braço- pode vir eu amo agulhas.

- Sr. Klaus- Pogo disse calmo e o mesmo chamado virou para poder olha-lo- o seu sangue é...como é que eu posso dizer? Muito poluído- o de terno disse.

- Tá saí- Diego disse e se aproximou da mãe robô para poder ter o seu sangue retirado.

- Isso vai- o grandão pronunciou animado e ao mesmo tempo com pressa para que tudo aquilo acabasse logo.

- Eu faço isso- ele disse mais assim que Grace pegou na agulha, o latino caiu com tudo no chão desmaiado.

- Pega ele- Pogo disse.

Luther logo correu para levantar Diego ainda desacordado e o levantou o suficiente para a mãe robô poder retirar um pouco do sangue do de collant e assim ela fez.

Klaus logo saiu da sala deixando todos ali, e Lotte o seguiu com o olhar se perguntando se devia segui-lo, mas assim que decidiu conversar com Klaus, Cinco a puxou pelo braço e teletransportou os dois, para um dos banheiros da casa.

- É melhor deixá-lo sozinho- o Hargreeves mais novo disse simples antes de andar até a pia do banheiro e começar a lavar o sangue de suas mãos.

- E se ele se drogar novamente?- ela perguntou aflita.

- Tenho certeza que Ben não vai deixá-lo fazer isso- o menino disse simples enquanto esfregava as mãos diversas vezes na tentativa de tirar o sangue.- e outra, não temos tempo. Temos que irá atrás do Harold Jenkins, faltam menos de um dia para o fim do mundo, e caso a gente não queira ser mortos como todos na terra e melhor começarmos a procurá-lo logo.- o ex-agente pronunciou enquanto secava as mãos em uma toalha no banheiro.

- E, mais somos só eu, você e Klaus - ela disse acompanhando o mesmo para fora do banheiro onde eles estavam.

- E Diego- ele completou vendo o homem se aproximar deles.

- Temos que ir logo- o de collant preto disse e todos começaram a descer as escadas- esse tal de Harold Jenkins tá por aí e ainda mais com a nossa outra irmã, por isso precisamos ser rápidos.- eles desciam as escadas com pressa, precisavam ser rápidos- onde tá o Klaus?- o latino perguntou quando chegaram finalmente no andar de baixo.

- Serve aquele ali?- a de olhos verdes apontou para o homem sentada no sofá da sala.

- Serve- os três andaram então até onde o de blusa colorida.


(...)


- Aquele desgraçado ainda tá com a nossa irmã- Diego chegou dizendo e Klaus apenas fingia que escutava- a gente tem que achar ele- o latino disse bravo.

- A Vanya, não importa- o menino disse.

- Claro que importa- Charllotte disse brava.

- É, é a sua irmã- ele apontou o dedo para Five- foi cruel até para você Cinco.

- Não tô dizendo que não me importo com ela- o menino disse enfiando as mãos no bolso do shorts da academia- mais se o apocalipse acontecer hoje ela morre junto com 7 bilhões de pessoas- ele deu uma pausa olhando olho no olho do irmão- Harold Jenkins é a nossa prioridade- o ex-agente disse sério.

- Concordo, vamos- Diego disse por fim e se virou para poder andar.

- Me deixem de fora- Klaus disse enquanto olhava para o chão e os irmãos pararam de andar de imediato- tá, assim não é ofensa nem nada, é que eu tô achando que é muito pressão para a minha cabeça, eu acabei de ficar sóbrio e...- o moreno mais velho não deixou ele continuar e foi logo o cortando.

- Você vem com a gente- ele disse bravo.

- Não, não não, eu acho que todo mundo concorda os meus poderes... São basicamente inúteis eu só ia servir para atrasar- o homem continuou tentando argumentar.

- Klaus levanta- Cinco disse bravo.

- Você não pode me obrigar- o de colete verde disse em tom de brincadeira e isso fez Diego lançar uma faca nele, que quase atingiu as suas partes íntimas.

A Gillis abriu um sorriso dando risada da cara que Klaus fez.

- Se nem que fazer um exercício de vez em quando e ser bom né?- ele disse se levantando com cuidado para poder acompanhar os irmãos- é é bom.

E então depois dessa cena, os agora quatro saíram em direção a porta, para juntos poderem ir atrás de Harold Jenkins.

- Onde vocês acham que ele pode estar?- Lotte perguntou enquanto entrava no banco de trás junto com Klaus.

- Talvez ele tenha voltado a casa dele, é o único lugar plausível- Cinco disse enquanto entrava no banco do motorista e Diego no banco ao seu lado.

Assim todos dentro do carro, Five começou rápido a arrancar o carro em direção a cada de Leonard Peabody, ou Harold Jenkins, o que achavam que seria o causador do fim do mundo.


(...)


Era de manhã quando eles estacionaram a frente da casa do sujeito.

Durante todo o trajeto até ali, eles tinham ficado em um total silêncio, todos presos dentro de seus próprios pensamentos.

Mais agora estavam aflitos por finalmente poderem encontrar o homem que causaria destruição do mundo e o responsável pela morte de 7 bilhões de pessoas.

Assim que chegaram na porta, Diego não tardou em abrir, e assim o cheiro de algo podre invadiu o nariz de todos ali, fazendo Charllotte fazer uma careta engraçada quando torceu o nariz.

Todos eles então entraram na casa e se dirigiram até a onde o cheiro estava vindo e encontraram Harold Jenkins morto no chão, com diversas facas fincadas em seu corpo.

Todos se aproximaram para poder ver o corpo e Klaus abriu a boca para fazer suas típicas piadas sem graça.

- Bem, não era o que eu esperava- ele disse enquanto flexionava o joelho para poder ficar mais perto do corpo morto do homem no chão.

- É um eufemismo e tanto- Cinco disse enquanto olhava o corpo com as mãos dentro do shorts azul.

Lotte se aproximou mais do corpo e agachou ao lado, desse jeito ficando mais próxima para poder analisa-lo.

- E nenhum sinal da Vanya- o de colete verde disse olhando ao seu redor.

- Vamos sair daqui antes que a polícia chegue- o latino disse e começou a sair junto com Klaus que o seguia.

- Só um minuto- a garota falou e se virou para o moreno de olhos verdes.

- Cinco- ela o chamou- o olho.

Logo entendendo o que ela queria dizer, o menino enfiou a mão no bolso do casaco tirando de lá o olho de vidro.

O garoto se agachou ao lado da menina e tirou o tampão branco do rosto de Harold Jenkins e com isso enfiou o olho de vidro no buraco ocular.

- O que você tá fazendo Cinco?- Diego perguntou com nojo enquanto o número quatro se aproximava para poder ver de perto o que o menino fazia.

- Gente...

- Gente, mesmo tamanho de olho, mesma cor de pupila- o menino disse e se virou para poder falar com os irmãos e a menina- gente é isso, o olho que eu carrego comigo a décadas ele... Acabou de achar o seu dono- todos encararam o rosto encharcado de sangue do corpo- você é um gênio Honey- o menino disse sorrindo para a garota e deu um selinho nela antes de se virar para retirar o olho de dentro do globo ocular de Harold Jenkins.

- Ele te beijou- Klaus disse olhando para a menina que ainda estava parada sem compreender o que tinha acabado de acontecer ali.

Diego também estava olhando Cinco com espanto pelo que ele tinha acabado de fazer, mas mesmo assim voltou ao normal antes de falar.

- Então mataram o cara que tínhamos que matar para impedir o fim do mundo- o latino disse se apoiando em seus joelhos.

- Ae- Klaus comemorou- vamos embora- ele disse e se levantou e começou a andar, mais Diego o impediu de continuar.

- Não...- Five começou a pensar- não não, não espera! Não pode ser tão fácil assim- o garoto de cabelos castanhos e olhos verdes se levantou- olha esse é o bilhete que eu e a Charllotte pegamos da comissão- o Hargreeves mais novo pegou o papel de seu bolso e começou a abrir, e Lotte se levantou batendo em sua saia para poder tirar a sujeira que podia ter ali- o que di, para proteger o Harold Jenkins, que é o Leonard Peabody- ele apontou para o corpo- mas quem matou ele? Quem fez isso?- o menino disse olhando para o irmão.

- Eu tenho uma ideia louca, louca- o de colete disse o que fez Cinco suspirar- mas por que a gente não acha a Vanya e pergunta o que aconteceu- enquanto ele dizia isso Cinco se teletransportou, deixando a Gillis ali, junto com Klaus e Diego.

- Se a Vanya escapou desse imbecil, ela pode estar voltando para a academia- Diego disse sem perceber que Cinco já não estava mais ali.

- Então temos que ir para lá- a menina disse olhando para o latino que concordou com a cabeça- ela pode estar assustada e com medo.

Assim que eles se viraram para poderem irem embora atrás de Vanya, os três perceberam que o garoto já não estava mais ali.

- É só eu ou vocês também não estão vendo mais o Cinco?- Klaus perguntou enquanto Lotte fazia uma cara irritada.

- Eu vou matar esse pirralho quando encontrá-lo de novo- ela gritou nervosa e brava.

- A mais que merda Cinco- o latino exclamou.

Os três então sairam da casa com raiva, Five tinha que urgentemente parar de sumir dessa maneira.

Charllotte ainda ficava mais brava, porque toda a vez que ele e ela se beijavam o menino sempre desaparecia e isso já estava a deixando extremanmente irritada e agora ela prometia a si mesma que quando visse Cinco de novo lhe daria um belo de um soco na cara, com tanta força que o deixaria com o nariz quebrada.

A menina fechou a porta do carro com força e fez uma cara irritada e emburrada.

- Eu ainda não consigo acreditar que você pega aquele velho- Klaus se dirigiu a menina e Diego ligava o carro.- Five deve ser ótimo de cama para você gostar dele- o homem disse enquanto virava seu rosto para frente.

- Klaus- Diego e Charllotte o repreenderam enquanto o de colete verde e blusa colorida ria da cara que Lotte fez.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...