História My Dream (Imagine; Park Jimin) - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Bangtan Sonyeondan, Blackpink, Jimin, Park Jimin, Professor, Romance
Visualizações 55
Palavras 1.511
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 18 - Let Go.


Fanfic / Fanfiction My Dream (Imagine; Park Jimin) - Capítulo 18 - Let Go.

"Antes de dixer adeus, deixe ir. Estou preso no labirinto do meu coração."

Let Go, BTS.

POV'S JIMIN

- Jimin, quem é ele? - Kate cochichou ao meu lado. 

- Não se preocupe. - Respondi-a e respirei fundo. - Me diz como chegou aqui. Agora. 

- E se eu dissesse que consegui acesso á todas as suas mensagens? - Meu "pai" falou sarcástico e eu apenas estabeleci estarrecido. Minha vontade é de socá-lo como sempre quis todas as vezes em que ele me fazia a sofrer, fazia minha mãe sofrer... Mas não farei isso na frente de Kate. Eu tenho empatia. - Eu tive acesso à suas mensagens e descobri que você mora com Kate Jeon, sua professora. Certo?

- PORQUÊ?! COMO!? - Perdi a minha estabilidade e paciência.

- Se acalma, eu ainda não acabei. - Ele riu e veio até nós. - Você é a Kate Jeon, né? - Ele se inclinou para se aproximar de Kate e eu em um impulso entrei em sua frente. 

- Se afasta dela. - Disse, sério o encarando em seus olhos. Ele pode levar tudo de mim mas não vai machucar Kate, não mesmo, jamais.

- Que lindo, defendendo a namorada. Você está mesmo apaixonado, não é? - Ele usou o sarcasmo em 99% de suas frases. -  Eu tenho uma má notícia pro casal. - Ele sorriu. - Pode nos dar licença, Katezinha? - Ele olhou pra Kate e pude ver a tensão e indecisão em seus olhos quando ela me olhou sem saber o que fazer. Como ajuda, respirei fundo e acenei para a Jeon, a indicando que ela poderia ir. Assim ela o fez.

- Começa a falar, pai. - Dei enfâse em sua nomenclatura. 

- Você vai pra casa comigo.

- Não vou, não.

- Você vai. Aquela menina mimada e rica ainda te quer mesmo depois da sua fuga e dos seu drama. - Ele revirou os olhos. - E então você vai casar com ela e me dar aquela porra daquela grana. - Ele aumentou o tom e minha respiração acelerou.

- Ficou maluco, eu não vou casar com uma desconhecida. 

- Oh, não.. Ela não é uma desconhecida, ela é sobrinha da sua madrasta, ela faz parte da família. - Ele ironizou.

- Ela não é minha madrasta, você não é meu pai, minha família está no céu. - Retruquei. 

- Parece uma criança. - Ele riu sarcástico. - Jimin, você não entende? Só quero nosso bem, quero que tenhamos uma vida estável, você sabe como a lerdeza da sua mãe nos impedia de ganhar dinheiro de forma rápida e.. 

- NÃO! Primeiro de tudo: Não fale assim da MINHA mãe ou eu vou te encher de porrada, seu filho de uma puta! - Respirei fundo. - Segundo: Não, você não quer meu bem, você quer o SEU bem. Se você quisesse meu bem, eu estaria morando com você, eu tenho noção do que acontece. - Meu peito subia e descia por conta dainha respiração acelerada. - Você é um mentiroso, desgraçado, egoísta e egocêntrico. Nunca se preocupou comigo ou com minha mãe.. Estava sempre nos tratando com descaso. E depois que ela se foi, você não me deu um consolo, não se preocupou com as minhas lágrimas, nem com a morte dela. Você destruiu a minha vida. - Respirei fundo, segurando o choro que insistia em descer. - No momento, estou reconstruindo meus sentimentos e minhas mágoas junto com Kate, ela está me trazendo de volta ao mundo esperançoso e bom em que eu vivia quando minha mãe estava aqui. E você não é meu pai, nunca foi, nunca será. 

 - Tem razão, prefiro somente admitir que não estou pensando em nosso bem, estou pensando só na grana. - Ele deu de ombros. - Então você não vai, né? 

"É isso? É só isso que ele diz? Depois de toda a minha fala?"

- Não, não vou. Agora sai daqui e esquece que você já me considerou um filho e vice versa. - Bufei e virei os calcanhares.

- Essa Kate... Você parece gostar muito dela. - Ele disse e eu parei imediatamente. - Você a protegeria a todo custo, não é? Você se recusa a voltar pra sua vida normal por conta da sua revolta ou por conta dela, Jimin? - Ele falava tudo lentamente, então fechei meus punhos e me virei. 

- Do que você tá falando? Porquê mudou o assunto assim? 

- Nada... Mas sabe, acho que você não iria gostar de ver essa garota perder o emprego dela. Certamente a diretoria o faria se descobrisse que ela abrigou um aluno sem a permissão familiar dele e o deixou ficar lá. - Sohu olhou no fundo dos meus olhos e senti meu estômago revirar. 

- Você não faria isso. - Angústia e medo. Era o que eu sentia. Esse cara é perigoso, não sei do que ele é capaz. 

- Posso fazer agora se quiser testemunhar. - O mais velho sorriu de lado e levantou seu celular.

- N-Não, Park Sohu... - Gaguejei. 

Eu estava nervoso. Não queria voltar pra minha casa, não queria me casar com uma menina qualquer, mas também não queria fazer isso com Kate. Esse emprego é muito importante pra ela.

- 1..2... Pensa bem, Jimin. - Ele ameaçou digitar. 

- Tá! Eu vou com você! - Disse de uma vez. - Eu vou... - Não queria deixar Kate, mas eu não poderia fazer isso com ela. 

- Ótimo. - Abaixou o celular. - Vem. - Se virou. 

- Espera. - Murmurei. - Deixe eu pelo menos me despedir dela... 

- Hum.. Mas como posso ter certeza que não vai fazer algo contra mim? 

- Eu não vou. - Disse de forma firme e ele assentiu. 

Corri pra dentro da casa, ignorando todos os olhares pra mim e encontrei Yoongi conversando com uma garota.

- Gente, vocês viram a Kate? - Perguntei, ofegante por conta da corrida. 

- Eu vi ela indo para o terraço. - Yoongi apontou. - Porquê? O que houve? - Ele me olhou preocupado.

- Eu vou voltar pra minha casa.. - Olhei pra baixo.

- Como assim? Assim, do nada? - Ele franziu o cenho.

- Tenho que ir, Yoongi. - Dei um leve toque em seu ombro e corri até o terraço. 

Subindo as escadas, senti meu coração bater, sentia algo estranho. Abri a porta e pude ver Kate observando a rua, sozinha no terraço. 

- Kate! - Corri até ela.

- Jimin, está tudo bem? Aquele era seu pai? O que aconteceu? - Ela se aproximou de mim, euforicamente. 

- Está tudo bem.. - Sorri fraco.

- Que bom, eu estava assustada. - Ela sorriu aberto. - Porquê correu?

 - Eu vim avisar que... - Respirei fundo. - Eu vou embora. Meu pai vai me levar de volta. - Ela arregalou os olho e ficou me encarando sem falar nada. - E talvez, bom, com certeza eu não vou mais na faculdade. - Senti meu coração bater cada vez mais rápido e um calafrio percorrer por mim. 

- Por quê? Eu não entendi. - Ela indagou, inexpressiva.

- Sinto muito, Kate. - Bufei e olhei pra baixo. - Preciso voltar. Me desculpa mesmo.. - Cocei a nuca e senti vontade de chorar, mas controlei-me. 

- Tudo bem, Jimin. - Ela sorriu mas ainda era evidente sua feição surpresa. - É sua família, não é?

"Não, Kate, não é..."

- Sim, claro. - Forcei um sorriso. - Tenho que ir. 

- Okay. - Ela assentiu. - Vai dar tudo certo, Jimin. - Ela sorriu largo. - Realize seus sonhos, eu estarei torcendo por você  mesmo que indiretamente. - Ela piscou pra mim e passou em minha frente. 

Algo em mim, me impediu de deixá-la passar e segurou seu braço. Eu a puxei e a beijei, apertando seu corpo contra mim, de forma nunca feita antes. Eu a apertava muito, de forma intensa. Ela apenas retribuiu o beijo, confusa. Era apenas um selinho demorado para ela, mas pra mim era muito mais... Eu a apertei para que pudesse sentir seu corpo uma última vez, para que pudesse tocar nela uma última vez. Eu precisava dela, eu sabia disso.

Talvez ela vá me achar um maluco por isso, mas eu precisava muito.

Me afastei do beijo e encostei nossas testas, assim como fiz em nosso primeiro beijo. Olhei em seus olhos uma última vez, apenas os admirando para que eu não os esquecesse nunca. 

- Adeus, Kate. - Murmurei e beijei sua testa, logo afastando-me e saindo do terraço. 

Desci, sentindo meus olhos úmidos e ignorando todos os olhares das pessoas, ignorando tudo e todos, até mesmo meus amigos me chamando.

Saí da mansão de Jennie e passei pelo meu pai, entrando em seu carro sem dizer uma palavra. 

É isso. Não há nada que eu possa fazer. É como se o antigo Jimin tivesse voltado pra mim. O Jimin que não se importa com a própria vida. O Jimin que não tem esperanças para nada. O Jimin sem cor. 

Eu voltei a ser aquele Jimin. 









Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...