História My dreams of girl - Clizzy - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood
Visualizações 33
Palavras 1.611
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, LGBT, Literatura Feminina, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Saga, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


BOA LEITURA!!!!!!!

Capítulo 5 - Pra onde vamos agora?


P.O.V. Clary 

Não sei porquê estou tão ansiosa e nervosa, eu vou apenas sair com minha professora de literatura e nada mais. Além do mais eu sou hétero, e mesmo se não fosse pra ela eu sou apenas uma criança, ela nunca me veria com outros olhos.

- Filha - meu pai entra no quarto - sua amiga chegou.

- Manda ela entrar. Obrigado pai!

Chamei Lilith para me ajudar com o que vestir, sei que não temos nenhum vínculo ainda, mas ela é muito linda e sabe como se vestir, provavelmente saberá como me ajudar.

- E aí garota - ela fala entrando no quarto - já sabe o que vai vestir? 

- Não tenho nada aqui! - deixo os ombros caírem e sento na cama frustrada. 

- Para com isso - ela começa vasculhar meu guarda roupa - certeza de que você tem algo aqui. 

- Boa sorte... - me jogo na cama.

- Achei - vejo um vestido preto, liso, bem justo e curto em sua mão - perfeito!

- Vou ter que usar isso? - aponto para a peça. 

- Quer usar jeans, moletom e all stars? - põe a mão livre na cintura - Esse vestido é perfeito para a noite de hoje. 

- Tá bom - reviro os olhos e pego o vestido - dá pra virar de costas? 

- Você já está de roupão, que diferença irá fazer? - Lilith cruza os braços.

- Por favor, Lili. 

- Tudo bem - ela se vira de costas - mas anda logo!

- Ok - retiro meu roupão e visto o vestido, tentando abaixá-lo ao máximo até o meu joelho, o que foi impossível - pronto. 

Lilith se vira novamente e fica boquiaberta ao me olhar naquela roupa. 

- Linda! - sorri largo - Hora da maquiagem, senta aí. 

- Lili é só um jantar com a professora - me sento na cama novamente - não precisa disso tudo.

- Ela te chamou pra sair - Lilith começa passar a base em meu rosto - hoje ela não é sua professora, tá na hora de você começar dar uma chance para se relacionar com as pessoas - sinto-a passando o pincel espalhando toda a base.

- Mas ela é minha professora e eu sou ape...

- Shh - ela agora começa passar o pó por toda extensão do meu rosto - deixa rolar Clary, não fica se privando só porque ela é mais velha - agora ela pega o blush e passa em uma bochecha - ou porque é sua professora, as coisas tem que acontecer naturalmente e se você não tivesse nem um pouco interessada não tinha aceitado o convite, certo? - agora ela passava o blush na outra bochecha. 

- Talvez - falo enquanto vejo-a pegar o rímel - mas é que eu não sei ao certo o que sinto quando estou perto dela, eu tenho vontade de beijá-la mas eu não sou assim, não gosto de mulher...nunca cogitei algo desse tipo.

- Clary... - Lilith passava o rímel em meus olhos - já falei e vou falar de novo: não se prive, ela é uma mulher madura e sabe o que quer, você também é uma garota totalmente consciente, essa noite vai acontecer o que for pra acontecer e vai ficar tudo bem...ok?

- Ok! - concordo e abro os olhos após Lilith ter terminado de passar o rímel. 

- Batom?! - ela estende um batom extremamente vermelho e eu nego com a cabeça - Vai ser esse sim, pra ficar bem com a roupa e a maquiagem! 

- Tudo bem - reviro os olhos e dou liberdade para que ela passasse o batom em mim. Feito isso vou até o espelho e fico admirada, o cabelo já estava pronto, meio ondulado então não precisava de mais nada - eu nunca me arrumei assim.

- Promete pra mim - Lilith aparece atrás de mim segurando em meus ombros - que vai se divertir essa noite, que vai dar uma chance pra Isabelle te conhecer e que vai agir como uma jovem normal?

Suspiro, mas abro um sorriso e concordo com a cabeça. 

- Eu prometo! 

- Ótimo - Lilith guarda suas coisas dentro da bolsa e pega a mesma indo até a porta - coloca um salto, de preferência preto...vou te esperar lá embaixo. 

- Está bem!

Pego o primeiro salto preto que estava ali, não sei porquê mas eu senti uma vontade enorme de usá-lo. Apareço no corredor e encontro meu pai dando risada enquanto conversava com a Lili.

- Estou pronta! 

- Uau - meu pai se levantou e me olhou admirado - filha você tá linda, eu nunca te vi tão arrumada desse jeito desde que...

- Ela tá linda né - Lilith interrompe colocando seu braço por meus ombros - mas agora precisa ir se não vai se atrasar. 

- Sua mãe usou esses sapatos no nosso primeiro encontro, então posso saber quem é o sortudo? - meu pai pergunta. 

- Na verdade, papai - sorri fraco sem jeito - é uma garota. 

- Oh - ele sorri largo - desculpe eu não sabia que...

- Não pai - interrompo - na verdade eu continuo bv, só estou conhecendo ela.

- Ah claro...vai lá, antes que se atrase - ele me abraça - se divirta minha filha, quero que essa noite seja especial pra você e tudo bem se não voltar cedo, essa noite é sua!

- Obrigado, pai! - deixo um beijo em sua bochecha. 

- Ownt que lindos - Lilith faz um biquinho - nem parece que a Clary deixou a garota esperando. 

- Meu Deus - corri para a porta - tchau pai, se cuida!

- Você também, filha!

P.O.V. Izzy 

A Clary está demorando muito, será que ela desistiu? Ou está com medo? Será que o pai a deixou sair? A garrafa de vinho está quase seca, tudo isso pela preocupação dela não vir. 

Essa roupa também não é nem um pouco confortável; estou usando um vestido vermelho colado no corpo, da altura dos joelhos e com um decote nos seios e pra finalizar, um salto preto bem alto.

Já ia encher minha taça novamente quando a vi entrando, ela está simplesmente linda. Nesse momento não existia sanidade nenhuma, não ligava para se ela é uma adolescente. Suas curvas destacadas pelo vestido justo e curto, e suas coxas amostra enquanto caminha.

- Desculpe a demora, profe... - pigarreou - Isabelle! Eu acabei perdendo a noção do tempo. 

- O que importa é que você veio - sorri enquanto a mesma se sentava na cadeira a minha frente - como está seu pai?

- Ele está muito feliz! - Clary sorri largo - Acho que porque eu nunca tive um encontro. 

- Encontro? - pergunto enquanto encho sua taça e a mesma me olha assustada, provavelmente achou que eu não queria denominar isso como um encontro. 

- Com licença - o garçom chegou educado - já sabem o que vão querer?

- Eu quero uma lagosta recheada com purê de batata! - Clary fala olhando o garçom anotando. 

- E a senhorita? 

- Quero o mesmo que ela! - respondo passando o dedo pelo meu queixo, costume.

- E para beber...?

- Outra garrafa desse vinho, por favor! - pedi e logo o garçom pediu licença e saiu.

- Não posso beber vinho - Clary sussurra - eu não tenho idade ainda.

- É só hoje - faço um biquinho - ninguém nem desconfia que você é de menor!

- Tudo bem - se arruma na cadeira - como foi seu dia?

- Agitado - respondo - teve almoço em família e um amigo da minha mãe foi pra lá, meu pai e uns amigos dele...enfim. E o seu?

- Não fiz nada o dia todo, meu pai saiu com uns amigos e eu fiquei em casa escolhendo rou... - ela novamente me olhou assustada e cortou a fala, mas já sabia o que ela ia dizer - fazendo umas coisas! 

- Entendi - sorri e logo o garçom chegou com os pedido e nos serviu de vinho - obrigado! - agradeço e o mesmo se retira - Você está linda. - falo enquanto dou a primeira garfada, Clary nada disse, sabia que estava com vergonha.

Comemos em silêncio, às vezes riamos uma pra outra mas continuávamos em silêncio. Após comermos, percebi que Clary estava com o olhar meio caído, ela bebeu mais do que o necessário e bebeu mais do que eu mesma.

Chamei o garçom, paguei a conta e a chamei para levá-la para casa. Óbvio que eu tinha outros planos, mas não iria fazer nada com ela assim. Comprei uma garrafa de água para ela ir bebendo no caminho, não queria que seu pai desse bronca, isso estragaria a noite que por sinal foi bem legal.

Entramos no carro e antes de dar partida coloquei seu cinto para então colocar o meu.

- Bebe toda a água, ok? - dou partida no carro. 

- Pra onde vamos agora? - perguntou enquanto abria a garrafa.

- Vou te levar pra sua casa! - respondo sem tirar os olhos da estrada.

- Não vamos fazer mais nada? - Clary dá a primeira golada na água - Ainda são dez horas.

- O que quer fazer? - paro no sinal vermelho e a olho.

- O que acha de ir jogar algum jogo?

- Onde? - volto a dar movimento ao carro.

- Tem um lugar ali naquela rua - assinto - você me mostrou o lugar onde costuma ir, agora vai ver o lugar onde eu e meu pai costumamos ir. Espero que goste de ação! 

- Aceito como um desafio! 


Notas Finais


Eu tenho que fazer a Lilith boazinha, ela é a coisa mais linda desse mundo e eu amo demais esse xuxu 😢❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...