História My Ex Almost Girlfriend - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Cabello, Camila, Camren, Jauregui, Lauren, Lesbicas
Visualizações 1.938
Palavras 1.099
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey, como estão?

Capítulo 29 - Sophia e eu vamos ficar aqui.


POV LAUREN

Camila demorou seis anos, cinquenta meses, novecentos e oitenta dias para voltar. Tá, é mentira. Não foi tudo isso, só seis anos, cinquenta meses, novecentos e setenta dias. Eu estava olhando pelo meu quarto esperando alguns sinais das minhas meninas chegando em casa, a janela estava aberta e eu a encarava a todo momento esperando um carro parar em frente a minha casa. E nesse momento eu achei que minha rua estava fechada nas duas pontas, cheguei a sair de casa pra olhar, só pra ter certeza. Por que nem carro mais passava por ali. Saco. Odeio ter que esperar tanto assim. Ainda mais nessa situação de agonia, eu queria minha Camz e minha Sophia em casa, comigo. Estava quase abrindo um buraco no chão, andando de um lado para o outro, quando um carro parou em frente a minha casa, fiquei na janela olhando. Camila deu um beijo no rosto do rapaz e da mulher, pegou Sophia em seu bebê conforto e veio em direção a porta, abaixei ficando só com os olhos olhando pra fora. A latina entrou em casa e ouvi-a conversando com minha mãe, fui pra porta e a abri, tentando ouvir a conversa.

-E aí, como foi, querida? - minha mãe perguntou interessada.

-Ah, foi bem legal. Fomos para um parque, eles adoram a Sophia. - quem não adora minha pequena? Dei uma risada debochada.

-Você está saindo com algum dos dois? - minha mãe perguntou, minha boca abriu, surpresa, não acreditando que ela realmente fez aquela pergunta, eu beijaria a minha mãe por sanar minha curiosidade.

-Ah, você sabe, Dona Clara... - a latina disse e o barulho do liquidificador invadiu a casa. Barulho dos infernos, que merda, desliguem isso. Por que minha mãe inventa de usar utensílios de cozinha na hora errada. Foram mais alguns segundos e a conversa voltou, agora só com risadas. Eu não ouvi nada, repitam o que disseram, andem.  Meu cérebro gritava em agonia, mas aquele assunto tinha mesmo se encerrado.

-Lauren estava morrendo de ciúme. - minha mãe disse e eu fiquei muito sem graça. - Ela disse que era ciúme da Sophia. - as duas deram uma risadinha.

-Vou lá vê-la. - falou e eu fechei a porta rapidamente me jogando na minha cama, abraçando o travesseiro e fechei os olhos. A porta foi aberta, alguns segundos depois, senti a cama afundar do meu lado. Ganhei um carinho no cabelo. - Eu sei que não está dormindo, eu te vi na janela. - falou e eu arregalei os olhos e não a encarei, fiquei na mesma posição. - Sophia veio te ver. - falou e eu me virei para o seu lado, olhando a pequena em seu colo. - Oi, Lolo. - balançou a mão da menina em minha direção.

-Fiquei com saudade, lindinha. - falei e brinquei com ela, sem encarar a latina. Segurei sua mão e dei um beijinho. - Estava descansando aqui, estou meio mole da gripe. - falei tentando uma desculpa. - Fui na janela por que ouvir um barulho estranho. - tentei me defender.

-Urrum, claro. Barulho, de carro, talvez? - perguntou e eu estava com as bochechas coradas.

-Como foi seu passeio? - perguntei tentando tirar algo a mais dela.

-Bem divertido, comi algodão doce. - empurrou de leve meu corpo. Se tinha comida já era um passeio divertido pra Camila.

-E o que fizeram? - perguntei curiosa. Queria mesmo saber é se ela foi beijada, mas eu não seria tão curiosa assim.

-Fomos ao parque, nada demais. - contou, devia contar mais. Eu queria saber mais.

-Que bom que se divertiu. - falei deitando próximo a seu colo e Sophia começou a mexer no meu cabelo.

-E você, o que fez na nossa ausência? - senti sua falta.

-Nada de mais. Tomei um remédio e fiquei vendo filme. - falei, tentei ver filme, mas não conseguia prestar atenção em nenhum.

-Se sente melhor? - perguntou e senti sua mão ao lado da pequena mãozinha.

-Agora que vocês chegaram estou bem melhor. - falei tentando convencê-la de não sair mais com aqueles dois que podem ser pretendentes da latina. Ei, será que ela levou Sophia por querer que a pessoa que ela gosta conhecesse sua filha? Ai porra, ela já apresentou sua filha seu pretendente. Esse é o passo anterior ao pedido de namoro sério e logo depois vir nos apresentar. Encarei a latina, totalmente assustada. Será que ela está namorando?

-Tudo bem, Lolo? - perguntou me encarando. E se ela estivesse? Eu não poderia fazer nada. Droga, eu não poderia fazer nada, merda.

-Sim. Fica um pouco aqui? - mesmo que estivesse com alguém eu tentaria aproveitar um pouco de sua companhia, principalmente agora que ela estava comprometida, provavelmente sairia sempre com seu namorado ou namorada. E ainda podia querer levar minha pequena em quase todos de seus encontros.

-Claro. - Camz esticou as pernas sobre a cama e deixou Sophia ao meu lado, eu já estava bem melhor. Fiquei olhando a mulher ao meu lado e ela me pegou lhe observando algumas vezes. - No que você está pensando? - perguntou.

-Confesso que não tenho certeza. - falei e ela deu uma risadinha. A mulher se ajeitou na minha frente, se deitou ficando de lado, exatamente como eu estava. Sophia estava entre nós, enquanto nos encarávamos. Em silêncio, a pequena ao nosso lado estava caindo no sono. - Estou com sono também. - falei baixinho. Sua mão encontrou a minha, ela levantou um pouco vindo para o meu lado, ficando entre mim e Sophia, de costas para mim. A mão puxou a minha fazendo com que eu a abraçasse, e assim o fiz. Dormiria de conchinha com ela, depois de muitos anos. Sonhei com isso algumas vezes, encostei meu rosto no seu pescoço, afastando os cabelos da mulher com o corpo colado no meu. Sophia já estava dormindo, e meus olhos já estavam pesando. Odeio remédio de gripe.

-Dorme, Lolo. Sophia e eu vamos ficar aqui. - falou enquanto acariciava meu braço. A muito tempo eu não me sentia assim, leve, tranquila. Era estranho a sensação que Camila trazia a minha vida, desde que a conheci ela acabava sendo minha paz. Mesmo sendo louca, maluca na maioria das vezes, ela continuava sendo minha paz. Respirei fundo me inebriando com seu perfume, entrelacei nossos dedos e ficamos quietas, em silêncio, curtindo uma a outra. Eu tinha a sensação que tínhamos muito a dizer uma pra outra, mas era confortável não dizer nada estando com ela. Sorri já de olhos fechados deixando aos poucos o sono me levar.


Notas Finais


Que tal mais um hoje? Vocês decidem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...