História My Fate My Choice - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Lacey (Belle), Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin)
Tags Bellequeen, Drama, Once Upon A Time, Romance, Rumbelle, Swanqueen (so No Fim)
Visualizações 18
Palavras 2.659
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


A única coisa que se leva quando se sai da caixa.

Capítulo 7 - Esperança


Ela despertou sendo cegada pela luz branca e perpétua da manhã que atravessava a janela do quarto, ela moveu instintivamente sua cabeça acomodada sob o peito de seu marido, e a expressão pacífica dele foi a primeira coisa que ela viu. __ Eu te amo. Ela sussurrou, e ele sorriu, abrindo os olhos calmamente, e olhando para ela. __ Eu te amo. Bom dia. Ele disse, e se moveu para depositar um rápido e suave beijo sobre os lábios dela, e ela sorriu. __ Bom dia. Ela respondeu, então moveu a mão instintivamente para sua barriga, movimento que ele seguiu com o olhar, antes de colocar uma de suas mãos sobre a dela. __ Você acha que ele está bem? Ele perguntou, e ela considerou por um momento. __ Sim, mas vamos checar com o Dr Whale. E eu não acho que devemos determinar que seja um “ele”. Por causa de todas as coisas que se associam com isso, eu quero que nossa criança seja livre, que saiba que pode ser o que quiser, o príncipe, a princesa. Ela disse, e ele acenou sorrindo largamente. __ Ou a rainha má. Ele adicionou. E ela riu. __ Sim, mas os estudos virão antes de qualquer plano de dominação de reinos. Ela concluiu, enquanto se ajeitava melhor nos braços dele, e eles permaneceram em silêncio por um tempo, apenas escutando a respiração um do outro. __ Eu devia ter lhe dado a poção da memória imediatamente. Eu sinto muito. Ele disse quebrando a quietude do cômodo. Ela suspirou. __ Eu teria feito o mesmo. Ela disse, e ele a encarou surpreso. __ Você teria esquecido seu passado doloroso. Ela continuou. __ Mas não seria real, meu amor. A voz dele era suave. __ Eu sei, mas você não sofreria mais, e eu definitivamente teria considerado a possibilidade, mesmo que seja um pensamento egoísta. Ela se virou, se apoiando em um de seus braços. __ Acho que meus motivos eram mais egoístas. Ele disse. __ Você queria ser aceito. Ela disse direta, e ele acenou. __ Você é bem burro as vezes. Ela o deu um leve tapa. __ Bel! Ele reclamou. __ É verdade, eu aceito você. Todas as partes, e não há nada que você não possa me dizer, e você deveria saber disso. E eu não sou perfeita, e vou me zangar muitas vezes, e vamos brigar, mas isso é o esperado de uma relação de verdade, que hajam conversas e desentendimentos. Ela deixou que a sinceridade preenchesse completamente sua voz, e segurou a mão dele. E eles sorriram um para o outro, antes do silêncio cair sobre eles novamente. __ Eu gosto de mulheres, bem, homens e mulheres. Bela disse, sendo a primeira a quebrar o sossego dessa vez. __ Eu sei. Ele disse apenas. __ Você nunca disse nada. Ela respondeu, e ele riu. __ O que eu deveria dizer? Isso é algo que diz respeito a você, e não me incomoda em absoluto. Eu me identifico de fato. Ele começou, e ela o encarou curiosa. __ Bem, digamos que eu tenha mais de um motivo para ter ajudado um certo príncipe encantador. Ele respondeu, e ela podia jurar que ele havia corado um pouco. __ Charming? Ela perguntou, levantando uma sobrancelha, e ele acenou. __ Desculpe não ter um tipo como você. Ele disse divertido. __ Eu tenho um tipo? Ela perguntou animada com o rumo da conversa, e sentando ao lado dele. __ Ruby, Regina, Cruella. Você tem uma coisa por pessoas com um lado sombrio, pessoas que são consideradas monstros. Ele disse, e sentou também. Ela fez uma cara de ultraje, que ele achou graciosa. __ Eu não tenho uma coisa pela Cruella, ela e a namorada me fizeram prisioneira. Ela disse, e bufou. __ E eu e Regina também, não é realmente um ponto válido. Ele rebateu, e ela considerou por um momento. __ Talvez eu precise conversar com Archie. Ela respondeu, e se virou para olhar o relógio sob a mesa de cabeceira, a caixa de Pandora estava ao lado dele, a encarando ela ficou um tempo em silêncio, e Rumpel soube pela expressão dela que ela estava tramando algo, mas esperou.

__ Eu estive pensando sobre a Regina. Quando a conheci na Floresta Encantada, eu não tinha ideia de que ela era uma das pessoas que eu admirava quando criança, e ela me motivou a te dar o beijo de amor. Mas ela não me forçou a isso, ela deixou que a decisão fosse minha, e depois ela me manteve trancada por anos, mesmo tendo dito a você que eu estava morta, e eu sei que ela não tinha problemas em matar quem quer que fosse que estivesse em seu caminho, mas ela me manteve, pode parecer estranho mas eu acho que no fundo ela queria que você tivesse isso, amor verdadeiro. Ele se manteve calado durante todo o discurso dela, considerando cada palavra. Ela tinha uma expressão de expectativa, e novamente ele sabia que havia algo por trás daquilo. __ Eu acho que você está certa. A verdade é que Regina nunca quis ser uma vilã, ela sempre foi muito boa, boa demais para ser verdade. Mas eu a destruí, eu a transformei no monstro, na fera. As vezes eu penso sobre o passado, e ela é uma das coisas que eu mais lamento, e gostaria de ter feito diferente. Ele disse, e ela sorriu, como se tivesse conseguido o que queria. __ Talvez não seja tarde, talvez algo ainda possa ser feito. Ela disse, e ele levantou uma sobrancelha pra ela. __ Certo, e como eu faria isso? Ele perguntou e ela balançou a cabeça. __ Nós. Como nós faremos isso. Ela respondeu, e sorriu.

****

Regina estava tendo um dia cheio, Bela poderia dizer pela linhas na testa dela, enquanto olhava para os papéis em sua mesa através dos óculos, que a deixavam extremamente fofa. Ela havia os mandado entrar, mas nem mesmo havia olhado para eles. __ Só um momento. Ela disse, e suspirou, tirando os óculos, ela esfregou a área entre os olhos e finalmente olhou para eles, uma expressão de surpresa e confusão tomando o seu rosto, enquanto ela se sentava de forma ainda mais ereta na cadeira. __ Temos algo marcado, Gold? Ela perguntou, seu tom arrastado, ela pareceu subitamente muito cansada. Bela trocou um olhar com seu marido, e ambos sorriram um pro outro de forma conspiratória, fato que não passou despercebido pela morena, seus olhos formaram uma linha fina, desconfiança era uma de suas marcas. __ Vocês não vieram aqui para me atacar, certo? Ela perguntou, seu tom pareceu ainda mais cansado, quase derrotado, e ela olhou para o relógio, como se checando se teria tempo para isso. E Bela riu. __ Não, apenas desejamos falar com você. Ela disse, e pode ver a morena relaxar levemente, mas sua postura ainda se manteve, e a ruiva se perguntou se havia realmente algum momento em que a prefeita se permitia isso. __ Certo. Sentem, por favor. Ela disse, e eles caminharam e sentaram nas cadeiras confortáveis a frente da mesa dela. A morena manteve seu olhar neles, e esperou que eles se pronunciassem, e como nada veio, ela bufou. __ Eu não tenho o dia todo. Disse. __ Oh, estamos esperando alguém. Rumpel respondeu, e a morena os olhou curiosa, então moveu a mão fazendo uma caneca grande café aparecer. __ Vocês querem algo? Ela ofereceu, mas eles negaram. Ela levou o café elegantemente a boca e bebeu. Então uma batida soou na porta, mas sem esperar por resposta ela se abriu, e uma loira de bochechas rosadas deslizou sua cabeça. __ Oi. Emma disse, ela pareceu momentaneamente confusa, olhando de Regina para eles. O olhar da morena se iluminou, e ela o desviou, voltando a tomar seu café. __ Entre, Emma. Bela disse. E a salvadora sem jeito deslizou para dentro do escritório, fechando a porta atrás de si, e caminhou, parando entre as cadeiras, ficando de frente para a Regina. Mas a morena mantinha seu olhar nos papéis sobre a mesa.

__ Regina. Rumple começou, e ela abaixou a caneca, focando nele, seu olhar de desconfiança voltando. __ Muitos anos atras eu fiz algo terrível a você, eu abusei e a machuquei em níveis imperdoáveis. Ele parou, tomando uma longa respiração, havia lágrimas nos olhos dele. E lágrimas brilharam nos olhos da prefeita também, e Bela moveu sua mão, para tocar a dele sobre braço da cadeira, reafirmando que estavam nisso juntos. E pela visão periférica ela pode ver que Emma estava prestes a correr até a prefeita, ou saltar sobre seu marido, e Bela se conteve para não rir. __ Ainda assim… ainda assim eu peço desculpas, mesmo sabendo que não é o bastante. Ele concluiu. E lágrimas traçaram o rosto perfeito da prefeita, enquanto ela levava uma mão tremente aos lábios. Seu corpo todo tremia, e eles esperaram que ela se recompusesse, e não ficaram nada surpresos, quando a loira entre eles, se inclinou e estendeu um lenço para a morena, que o aceitou. __ Há muitos anos atrás você me motivou a ir até o Rumple, e dar a ele o beijo de amor. Bela começou. E Regina acenou. __ Eu sinto muito. Ela disse, suas mãos ainda tremiam. A jovem sorriu suave. __ Como você sabia? Ela perguntou, e a morena corou brevemente, então secou os olhos, e tomou mais um gole de café. __ Bem eu assisti vocês pelos espelhos. Vi os olhares, a forma como ele te tratava, a forma como agiam um com o outro, e mudavam um ao outro, era bem ridículo na verdade que nenhum de vocês se desse conta. Ela disse tudo de forma bem casual, como um fato. E Bela e Rumpel trocaram um olhar, e então coraram, e Regina girou os olhos. __ Como disse, ridículo. Vocês são ridículos. Disse, mas havia suavidade e diversão em sua voz. E a aura da salvadora entre eles pareceu suavizar, como se tivesse percebido que não havia nada a temer na situação. __ E por mais que eu aprecie dizer isso, e aprecie as inesperadas desculpas, não entendo porque Emma tem que estar aqui nesse momento. Ela disse, e pela primeira vez desde que eles haviam chegado ali, ela se recostou na cadeira, e realmente relaxou. E Bela riu, e Rumpel sorriu a isso.

__ Porque vocês são ridículas também. E da mesma forma que você me motivou a ir até meu amor verdadeiro no passado, eu quero fazer o mesmo por você. Ah, por favor, Regina, esses olhares, fazer magia juntas. Amor diga a elas. Ela fez uma pausa para que ele pudesse falar. __ Se unirmos nossas magias Regina, não chegaria nem perto da magia de vocês duas, e é claro que você sabe disso, eu a ensinei bem. O que vocês fazem juntas está além de todas as magias comuns, porque vocês fazem a maior magia de todas. Ele discursou casualmente, lembrando o tom que Regina havia usado com eles, como se fosse apenas um fato. __ Viu? E isso sem falar nos sacrifícios que uma faz pela outra. Emma se sacrificou as trevas por você. Então como obviamente nenhuma das duas parece se dar conta, ou se recusam a fazer algo a respeito, achamos que um empurrãozinho se fazia necessário. Ela concluiu, e moveu seu olhar entre ambas as mulheres, choque, rostos vermelhos, e seus corpos tencionaram. __ Isso é ridículo. Emma começou, sendo a primeira a falar, e todos olharam surpresos para ela. __ Regina me odeia. Ela determinou. __ Bem não odeia odeia, ódio não seria a palavra, que palavra seria? Não sei, não consigo pensar em… __ O que Emma está tentando dizer é que isso não tem cabimento, não há possibilidade de que eu  e ela sejamos o amor verdadeiro uma da outra. Regina interrompeu, vendo que a loira estava com dificuldades para se fazer entender, e a salvadora sorriu agradecida para ela, e elas se olharam sorrindo uma para a outra por um momento. E Bela e Rumpel giraram os olhos ao mesmo tempo.

__ Sabíamos que vocês podiam reagir assim. Esperávamos por isso, você deve lembrar que Rumpel surtou quando eu o beijei, e ele me mandou embora da vida dele. Por isso trouxemos algo para ajudar. Ela disse, e se virou para seu marido. Sorrindo e sem deixar os olhos de Regina, ele moveu a mão, fazendo a caixa de pandora aparecer magicamente. O olhar de Regina tornou a formar uma linha, e ela levantou uma sobrancelha para ele. __ A Caixa de Pandora? Então vocês realmente vieram me atacar. Ela disse, mas seu tom era estranhamente leve. __ Você ficaria surpresa em como uma temporada nela pode ser benéfica para uma relação. Considere isso motivação. Ele disse. __ Você quer dizer ameaça. Emma se pronunciou, e em um piscar de olhos ela estava ao lado de Regina, sua postura defensiva, e Regina deslizou uma mão no braço dela como se para asegura-la que tudo estava bem, toda a movimentação havia sido instintiva, elas eram mais do que ridículas.  __ Você não concordaria com isso. Regina disse, movendo seu olhar para Bela. __ Bem, certamente nos deixaria quites com todos aqueles anos de confinamento. A jovem respondeu, sorrindo largamente. E Rumpel moveu a mão como se fosse abrir a caixa, mas Regina o impediu. __ Espere! Isso é loucura. Emma está com o Hook. Ela disse, e Bela fez uma expressão como se estivesse refletindo sobre o fato. __ Bem, eu nunca incentivaria ninguém a dar em cima de alguém comprometido, que tipo de mensagem eu passaria? Ela disse, e seu sorriso se esticou ainda mais. A expressão de Regina era quase cômica. __ Eu posso deixá-lo. Emma disse de repente. E todos olharam novamente surpresos para ela. __ O que? Regina perguntou, ela seguia com a mão no braço da loira, e quando esta se moveu para olhar para a morena, seus rostos ficaram a centímetros um do outro. __ Se houver a mínima chance, eu deixo tudo. A loira respondeu timidamente, e elas se encararam por um longo período, até que Regina suspirou longamente. __Que seja! Disse com ar de derrota, mas ela sorriu profundamente. __ Resolva isso. Ela disse, contudo a loira não se moveu, apenas seguia a encarando, sorrindo bobamente. __ Vá, antes que eu me lembre que não dou a mínima para o pirata e te beije agora mesmo. Vá! Ela disse firme, e então a loira partiu desajeitadamente. E Bela e Rumpel encararam a morena. __ Satisfeitos? Ela perguntou. __ Viu, não foi tão difícil. Rumpel respondeu. __ Eu disse! Bela pontuou animada. E a morena tornou a olhar para o relógio em seu pulso. __ Algo mais em que eu possa ajudá-los? Sua expressão era aborrecida, mas sua voz era gentil. __ Quarta feira. Jantar lá em casa. Bela disse, e levantou sendo seguida pelo marido. __ Só pode ser brincadeira. A morena revirou os olhos. __ Eu gostaria que nos tornassemos amigas. A jovem disse, ficando corada. E Regina ficou surpresa pela milésima vez naquela manhã, e então ela sorriu. __ Eu gostaria disso. Respondeu. Os dois ridículos a frente dela sorriram em retorno e sem demora deixaram a sala. Do lado de fora, eles suspiraram ao mesmo tempo. __ Conseguimos! Bela disse. __ Sim. Mas você já esperava isso. Rumpel respondeu.  E ela fez uma careta. __ Bem era isso, ou colocá-las na caixa. Disse. __ Você faria mesmo isso? Ele perguntou, e ela acenou. __ Se fosse necessário. Respondeu, casualmente, e ele riu. E então ele sorriu profundamente, seus olhos não tinha mais a dor que ele havia carregado por tanto tempo. A coisa que Bela mais amava na vida era ver a felicidade nos olhos das pessoas que ela amava. Enquanto ela deslizava a mão dele, seu coração se aquecia ao ver a felicidade profunda nos olhos de seu marido.


Notas Finais


Eu meio que fiquei curiosa para ver como teria sido Emma e Regina dentro da caixa, hehehehe. Espero que todos tenham apreciado a viagem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...