História My Father ♡Yaoi, Incesto e Shotacon♡ - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~CakeSimblr

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Fluffy, Incesto, Lemon, Lgbt, Mpreg, Yaoi, Yuri
Visualizações 493
Palavras 1.125
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Cross-dresser, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Aaaaiin, eu tô triste ;-; sabem pq?
Pq essa fanfic já está chegando ao fim ;-;

Mas bem, vamos aproveitar os últimos capítulos. E eu não me aguentei, tive que postar hoje, mas vou ver se quinta ou sexta posto também ^•^

🐻Boa Leitura🐻

Capítulo 12 - Cortes


Fanfic / Fanfiction My Father ♡Yaoi, Incesto e Shotacon♡ - Capítulo 12 - Cortes

Já havia se passado um mês desde que Emilly, Mizore, Jack, David e Yato tinham descoberto o plano de Yuki. Eles tentavam de todo jeito tentar tocar no assunto com o ruivo ou com o Izumi, mas os mesmos sempre mudavam de assunto.

Começaram a perceber também que Izumi tinha pequenos cortes nos pulsos e alguns chupões de Yuki. Jin não parava em casa, sempre com muitos trabalhos e papéis para cuidar, o mesmo nem tinha tempo para o seu próprio filho e nem conseguia buscar o pequeno na escola 


Segunda, 20:30 pm.

Pov's Izumi On


- P-por que? N-não era p-para isso acontecer... - Olho a foto da mamãe que estava do meu lado. Pego ela e abraço, logo deixando as lágrimas tomarem conta de mim. - M-mamãe, v-você faz tanta falta... O-o que eu faço? E-estou perdido... - Olho meus pulsos com cortes, alguns quase fundos. - E-eu queria parar com isso... M-mas não dá...

Largo a foto da mamãe de volta ao lugar, pego uma lamina que estava do meu lado e a encaro. Coloco elas sobre meus pulsos e faço cortes fundos enquanto chorava.

- O-olha o que v-você fez Yuki-kun! G-gosta de v-ver meu sofrimento, não é? - Digo chorando baixinho continuando a cortar. - S-seu... S-seu... P-pedaço de merda! T-te odeio com todas as minhas forças...

Me deitei na cama largando a lamina, sentindo a ardência e dor dos cortes, mas uma dor boa, uma dor de alívio. Olhei para o teto com os olhos marejados, pude ver o sangue pingando... Gota por gota.

Sem mais e nem menos acabei adormecendo assim mesmo. 


Terça,

Intervalo, 10:30 am.

Pov's Autora On


- Izumi, quer cookies? - Emilly ofereceu para o menor, balançando o pacote na frente de seus olhos.

- N-não Emmy, o-obrigado... - O mesmo disse com a voz um pouco trêmula e com um sorriso falso no seu rosto. Logo viu Yuki se aproximar e se encolheu. Emmy olhou para o ruivo mortalmente.

- Olá, pessoal. - Sorriu falsamente comprimentando seus amigos. - Oii meu fofo. - Abraçou Izumi por trás e beijou suas bochechas. Existe pessoa mais falsa que o Yuki...?

- O-oii, Yuki-kun... - Disse desconfortável pelo fato de Yuki estar lhe abraçando.

- Yuki, Izumi não quer comer... Se é mesmo o namorado dele, precisa cuidar dele. - Mizore falou enquanto pegava um pouco de cookies do pacotinho e comia.

- Oh! Por que não quer comer, meu querido? - Perguntou parecendo preocupado. Pegou um pouco de cookies e levou até a boca do menor, que permanecia com a mesma fechada, fazendo pirraça para não comer. 

Yuki suspirou fundo já sem paciência e chegou perto dos ouvidos do menor.

- Ou você come isso agora, ou se arrependerá... - Disse de uma forma fria e sombria. Na mesma hora, o loiro pegou um pedaço do cookie e comeu. - Bom garoto! - Acariciou os cabelos de Izumi.

- Esse filha da puta atua muito bem... - Emilly pensou enquanto olhava os dois "pombinhos". 


[...]

Portão da escola,

12:00 pm.


- Ah, não... - O menor olhou seu boletim e viu que suas notas caíram... Até demais. - Papai não vai gostar disso...

- Izumi Yoshida! - A coordenadora da escola lhe chamou, antes que o mesmo saísse pelo portão. Na mesma hora o garoto se virou, com as pernas trêmulas e suando frio. - A diretora pediu para lhe chamar. É sobre suas notas...

- O-ok, já estou indo. - O menor assentiu com muito medo. Primeiro o Yuki, agora suas notas caíram? O que vêm depois?

Andou calmamente até a sala da diretora. Seu coração batia disparadamente. Quando chegou perto da porta, deu uma leve batida e logo escutou um entre da diretora e assim ele fez.

- Q-queria conversar comigo? - Entrou na sala meio cabisbaixo, fechando a porta.

- Sim. Sente-se aqui, por favor. - A mesma apontou para a cadeira à sua frente e o mesmo obedeceu. - Bom... Izumi Yoshida, suas notas não estão nada boas. No começo do ano suas notas eram uma das melhores, agora no final elas caíram muito. O que houve?

- E-eu não sei, senhora... E-eu acho que... Fiquei com dificuldades nas matérias...

- Isso não é bom... Trate de se empenhar muito neste quarto bimestre, se suas notas continuarem assim teremos que chamar o seu pai. - Se levantou e andou até a porta abrindo a mesma. - Bem, pode sair. Tenho outros assuntos para resolver...

O loiro assentiu e saiu da sala da mesma. Sem demorar muito, lágrimas começaram a sair de seu olhos, foi andando pelos corredores chorando e aproveitando que não tinha ninguém, pegou sua lamina e fez um corte profundo no pulso de seu outro braço.

- Ora, ora... Não sabia que meu brinquedinho ainda estava aqui. - Yuki se aproximou do mesmo, que foi se distanciando para trás com muito medo. - Por que foge de mim? - Sorriu malicioso e deixou Izumi encurralado e encostado na parede. 

- Y-Yuki-kun, m-me deixa em paz... P-pelo menos um pouco...

- Não! Você é a minha Putinha, meu brinquedinho. Ou você me obedece, ou eu mostro aquela sua fotinha com seu papai para todo mundo. - Disse chantageando o menor e pegando seu celular. Izumi abaixou sua cabeça deixando as lágrimas rolarem.

- N-não vou ser mais s-seu brinquedinho, Yuki... - Disse frio e com as pernas tremendo.

- Como é? Repete? Eu ouvi bem? Hahaha! Izumi, Izumi... Você não tem nenhuma escolha, seu garoto ingê...

- C-cala a sua b-boca! - O ruivo o olhou super indignado. - J-já chega disso... E-estou cansado de s-ser sempre aquele g-garotinho indefeso e ingênuo. 

- Izumi... Retire o que você disse!

- N-não! N-não encoste mais em mim, s-seu nojento. - Subiu as mangas de suas blusas e mostrou para Yuki seus cortes. Cada um mais profundo que o outro. - O-olha o que você fez c-comigo! Olha, Yuki! I-isso tudo é por sua culpa, s-seu baka. - Se aproximou mais de Yuki e lhe deu um forte tapa em seu rosto, fazendo o local ficar vermelho.

- I-Izumi... - O ruivo se assustou um pouco pelo tapa que havia recebido. Ele não esperava isso, muito menos de Izumi. Também se assustou pela quantidade de cortes profundos no pulso do menor. Olhou o rosto do menor e viu que estava muito pálido. - ....

- B-baka... Baka! Baka! Baka! - Empurrou Yuki e saiu correndo enquanto chorava.

Finalmente Izumi criou coragem para dizer tudo aquilo à Yuki. 

O ruivo percebeu o quanto ele fez Izumi sofrer durante meses. Ele não sabia o que fazia, ele se sentiu destruído ao ver o menor com todos aqueles cortes e com o seu olhar sem expressão. Talvez ele tenha se tocado agora...

- Às vezes amamos tanto uma pessoa, que sem querer acabamos sendo possessivos demais e machucando ela... - Yuki sussurrou para si mesmo, refletindo tudo que fez de mal ao seu amado.

-Continua...


Notas Finais


Mano, que capítulo... Vou nem dizer nada °^°

Aguardem o próximo, pq ele vai ser TOP POHA :v
E me desculpem pelos erros, é que num revisei por preguiça :,v

Kissuss meus Brownies e Marshmallows ❤❤❤😄


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...