1. Spirit Fanfics >
  2. My favorite girl - Kim Taehyng >
  3. 002- Devolva isso, pelo amor de Deus.

História My favorite girl - Kim Taehyng - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - 002- Devolva isso, pelo amor de Deus.


Fanfic / Fanfiction My favorite girl - Kim Taehyng - Capítulo 2 - 002- Devolva isso, pelo amor de Deus.


Point Of View Sienna Mae Gomez


Encaro meu melhor amigo, que estava com uma cara péssima, fazendo drama, por quê levou um par de chifres — A maior prova de amizade é aguentar o amigo com dor de corno — Taehyng se jogo no sofá fazendo drama, e solto um suspiro frustrada.




— Tae, se você não quer ir para o colégio, o problema é todo seu, por quê eu tenho prova de química hoje se você não sabe. — Falo me irritando e subindo para o meu quarto, coloco meu uniforme, que eu fico mais parecendo uma atriz pornô, do quê uma estudante.






Checo a minha bolsa pela terceira vez, carregador, celular, fone e livros para eu ler quando não quero falar com ninguém, no caso sempre.





Jiminssi | Cheguei.



You | Estou descendo.







Desço as escadas e vejo Taehyng agora jogado no sofá, com uma tigela de cereal, assistindo anime.






— Vou falar para a diretoria que você está gripado. — Digo pegando a minha chave da casa, e saindo.





— Bom dia, princesa. — Jimin diz quando eu entro no carro.




— Bom dia, Mochi. — Digo dando um beijo na bochecha dele.




— Por quê o Taehyng, está fugindo do colégio? — Jimin pergunta e eu olha para ele sem entender.




— Ele não te contou? — Pergunto e ele faz o não com a cabeça.




— Não. — Ele diz ligando o rádio do carro, Jimin também é emancipado, do nosso grupo de amigos ele, Jackson, Taehyng e eu, somos os únicos que podem dirigir já que aqui na Coréia do Sul, você só pode dirigir com vinte e um anos.





— Yuma traiu ele com Woojin. — Falo desanimada e Jimin rir alto.





— Com o Woojin? Quanta decadência. — Jimin diz e eu dou risada também.




— Não é nem de se rir, ele está péssimo, ontem chorou, hoje está engordando no sofá, apenas. — Digo e Jimin concorda.




— Hoje o Suga vai fazer uma festa, em comemoração por a gente ter ganho a temporada de jogo de basquete, mas, somente para os mais íntimos, sabe? BamBam, Jackson, Christopher, Hyunjin, Felix, Kai, Jennie, Lisa, Heyoon, Rose, Jisoo, Jungkook, Hoseok, Jin, Namjoon e o Tae, né, se ele querer ir, mas, Yuma e o grupinho de lagartixas dela, vão está lá. — Ele diz eu faço uma careta.




— Por quê vocês não chamam o Jay, cara? — Pergunto e Jimin quase bate o carro.




— Não vou nem te responder o por quê, Sienna, nem vou te responder. — Ele diz e eu dou risada.





— Mania feia do caralho, ficar impedindo os esquemas dos outros. — Digo e ele me mostra o dedo do meio.





Quebra de tempo.






Encontro Heyoon, Hyunjin, Felix e Christopher, sentados fofocando da vida alheia, me sento ao lado deles.





— Bom dia. — Cumprimento pegando o suco de Christopher.


— Bom dia.

— Bom di-dia. — Felix gagueja e eu dou risada e pego meu livro dentro da bolsa para ler, A Rainha Vermelha.




— Lendo esse livro de novo, você não enjoar não? — Christopher pergunta e eu nego com a cabeça.






— Esse livro é perfeito, e eu nunca irei enjoar dele, apesar de já ter lido ele em várias línguas diferentes. — Digo e Hyunjin rir.





— Cara, você já leu esse livro em quantas línguas? — Ele pergunta curioso, já que ele diz que meu hobby quando não estou fazendo nada é aprender idiomas diferentes.




— Inglês, Madarim, Coreano, Português, Espanhol, Alemão, Francês e Finlandês. — Falo pegando meu celular, para ligar os fones de ouvido.




— Bom dia. — Jackson diz chegando todo animado, e me dando um beijo na bochecha.





— Bom dia Jackie. — Digo sem tirar os olhos do livro — Por quê o motivo da alegria toda — Olho o horário no meu celular — Qual o motivo da animação em plena sete e meia da manhã?





— 聚會 — Ele responde em chinês e eu apenas concordo, festa.




Quebra de tempo.




Chego dentro de casa, e vejo que Tae não está na sala — Um avanço — subo para o meu quarto, toma banho e deito na cama de roupa íntima para assistir um filme qualquer, quando a porta do meu quarto é aperta por Taehyng, que estava com os cabelos molhados, sem blusa e com uma calça de moletom preta. Encaro ele que nem fala nada, só me empurra dando lugar para ele deitar na cama, pegando o controle de cima da minha barriga e para trocar de filme.






— Que ousadia é essa? — Digo indo pegar o controle.




— Shiu, vou colocar Naruto. — Ele diz e eu resmungo.





— Ousado. — Digo e ele rir.




— Minha eomeoni, vai vim jantar aqui. — Ele simplesmente soltou no ar e olhei incrédula para ele.





— E é assim? Você não fala nada? — Digo e ele concorda com a cabeça, levanto da cama com raiva, indo pegar um vestido para me vestir — Pode ir colocar uma blusa, a gente vai no mercado, por quê diferente de nos dois, a eomeoni não vive de almoços e jantares comprados, tipo pizza, por quê a gente não come algo descente a semanas. — Falo fazendo ele rir.





— Vamos ao mercado. — Ele diz levantando da cama, e rindo, quando vê assim, é por quê vai querer levar metade do mercado.






Duas horas depois.





Termino de fazer o jantar e vejo Tae colocando as tortinhas no freezer, para esfriar, término de arrumar a mala, com os talheres de prata, colocando três tipos de taça diferente na mesa, uma para beber vinho, uma para beber suco, e a outra para água. Olha e vejo que tudo está pronto, perfeitamente ajeitado, o perfume de lavanda se mantinha pela casa, escondendo o cheiro de álcool, a casa estava todo arrumada, as luzes já estavam acesas, não todas, mas, algumas para da o toque rústico que a nossa casa tinha, a casa era a base de marrom e branco, foi as nossas mãe que a escolheram, me sento na escada, cansada, e Tae se senta ao meu lado.





— A gente tem menos de uma hora pra se arrumar. — Ele diz arregalando os olhos vendo que já são quase sete e meia, subimos a escada correndo, casa um indo para o seu quarto, ele grita do quando dele perguntando que roupa ele deve usar, eu nem sei que roupa eu vou usar quem dirás a dele?






Termino de arrumar meu cabelo, rápido, eu não posso fazer nada demais no rosto, o appa do Taehyng não gosta, então, passo só rímel e batom, coloco um vestido de cetim, marrom claro, passo meu perfume, coloco o salto alto, transparente, procuro o conjunto de brinco, pulseira e colar da pandora que a noona(mãe do Tae) havia me dado.





Taehyng entra no meu quarto, com a gravata na mão para eu poder amarra-la, caminho até ele e olha a roupa que ele estava usando, estava ok.





— Está bonito sem a gravata, não precisa colocá-la. — Digo pegando a gravata e colocando em cima da minha penteadeira.






— Você também está impecável, coloque o anel que eu lhe dei também. — Ele diz e eu concordo ajeitando a camisa dele, e deixando o colar com uma pedra de esmeralda amostra.




— Essa cor combinou com você. — Digo enquanto arrumo os botões do seu terno de pano mole.





— Lembre-se, agora eu sou seu Oppa. — Ele diz e dou um tapão nele.





— Vai se fuder, Taehyng. — Digo fazendo ele rir, e me viro para procurar a merda do anel, e minha respiração chegar errar quando Tae fica atrás de mim, muito, muito perto.





— Estava subindo. — Ele diz colocando as mãos na barra do meu vestido e dando um leve puxão para baixo.






— Vai ver se falta alguma coisa. — Digo tentando voltar ao normal e ele saí com o sorriso sacana no rosto.





Desço a escada, indo até o som e o ligando colocando uma música clássica, os pais de Tae gostavam, e eu e Tae tínhamos que agrada-los se quisermos continuar emancipados. Tae caminha até mim, com duas taças na mãos, com vinho dentro, sentandos no sofá, suspirando, todo mês eles vinham aqui, e sempre era isso por quê eles simplesmente resolviam vim em cima da hora, era sempre assim, é teve uma vez que eles simplesmente resolveram vim sem avisar, foi o momento mais constrangedor da minha vida.



— Lembra do dia do banho? — Digo virando para Tae que rir.


Flashback On 





Eu e Tae estávamos tomando banho juntos na banheira, do meu banheiro, o que resultava em conversa totalmente desnecessárias, como, qual o tamanho do pau dos jogadores do time de basquete? Sim, eu e Taehyng conversamos sobre isso, as vezes eu até ficava curiosa para saber qual era a sensação de ter um pau, entre as minhas pernas, e lá estávamos nos, dentro da banheira, cheia de espuma, tomando soju, quando a gente ouve a campainha tocar, olho para o meu melhor amigo com um olhar de preguiça, e o mesmo da de ombros.




— Você que vai. — Ele diz e eu dou risada, pegando a toalha e me levantando da banheira, para ir atender a porta.




— Preguiçoso. — Digo e depois de belas escorregadas, conseguir chegar a porta, o porcelanato da casa não ajudava muito os respingos de água que tinha na minha sandália, abro a porta de casa, dando de cada com os pais de Tae, sentir até meu cu trancar.





— Eomeoni, Appa. — Digo surpresa, e sinto uma pessoa pequena abraçar minha cintura — Olá Dae. — Digo vendo a irmã mais nova de Taehyng.





— Boa noite, Sienna. — Appa diz e aceno com a cabeça dando espaço para eles entrarem.




— Onde está Taehyng? — Eomeoni diz e fico vermelha, e logo ouço Taehyng reclamando de lá de cima.




— Aegiya, quem é? A hora dessa, aishh. — Taehyng diz aparecendo no topo da escada, com os cabelos molhados e apenas a toalha branca enrolada na cintura, e faz a mesma expressão que eu quando vê seus pais ali — Eomeoni, Appa. — Olhe para cima aonde estava meu melhor amigo, e ele estava tão vermelho quanto eu, e o melhor é a cara que os pais dele fazem, não sei se é pelo fato de tomamos banho juntos ou se é por quê eu atendi a porta de toalha.




— Oppa. — Dae grita soltando minha cintura e faz menção de ir atrás de Tae mais é segurada por seu Appa.




— Olá, Gongjunim. — Ele diz para a pequena e eu encaro os mais velhos a minha frente, como é que se anda pelo amor de Deus?





— Então, acho melhor eu ir vestir uma roupa. — Digo e Eomeoni acena com a cabeça — Fiquem a vontade. — Digo subindo a escada.



— Acho que precisamos ter uma conversa. — Appa diz e eu gelo.


Flashback Off






Dou risada, ainda bebendo o vinho, e Taehyng também.



— Meu Deus, aquele diz deve ser colocado em pedestal, de tão ruim que foi, nos ficamos brancos pelo menos uns cinco dias, depois daquela noite. — Ele diz eu sorrio alto.




— Pior dia das nossas vidas. — Eu digo, e nos ouvimos um carro estacionar na frente da nossa casa, e Eu levanto pegando a taça da mão de Tae e indo colocar na pia, enquanto ele esperar a companhia tocar para ir abrir a porta.






— Boa noite, eomeoni, appa. — Ouço Tae dizer e volto para sala vendo ele se abaixar para ficar na altura de Dae — Olá, Gongjunim. — Ele diz abraçando a pequena de quatro anos e meio.





— Boa noite. — Digo caminhando até eles, ajeitando a postura.






— Noona. — A pequena me abraça e dou risada.





— Dae. — Digo acariciando o rosto da cópia femina do Tae.





— O quê temos para o jantar? — O pai do meu melhor amigo pergunta e nos caminhamos até a cozinha.





Quebra de tempo.





Sentamos no sofá, já que Dae queria assistir alguma coisa, Dae se senta entre eu e Taehyng, que liga a televisão, e já tinha um filme colocado, "The Project Sexy", estranho o nome, mas, resolvo não falar nada, o filme começou com uma nerd, até aí ok, uma nerd que tinha um tesão encubado no professor, eles estavam na sala, o sinal tocou e todos saíram deixando apenas a garota na sala, e do nada a menina começou a tirar a roupa. Minha primeira reação foi tampar os olhos de Dae.






— Taehyng, tire isso agora. — Digo desesperada e vejo Taehyng me olhar desesperado também.





— Estou tentando. — Ele diz tremendo com o controle na mão, só que invés de desligar, estava almentando o filme.




— Eu disse para desligar e não almentar, Taehyng, aish. — Praticamente grito.


— Por quê a tia da televisão está gritando, Noona? Ela está se machucando. — Dae pergunta me desesperando.


— Eu estou tentando desligar, Sinny. — Ele reclama desesperado também, e agora o filho da puta estava dando zoom, me entresso, ponho uma almofada no rosto de Dae, e tomo o controle da mão de Taehyng, e tirando do filme, e colocando em um desenho de criança.






— Aonde você achou esse filme, Oppa? — Pergunto vermelha, e Taehyng estava no mesmo estado.





— Casa do Namjoon. — Ele diz eu lembro que estou com a almofada no rosto de Dae, e tiro.





— Devolva isso, pelo amor de Deus. — Digo jogando minha cabeça para trás, enquanto Appa e Eomeoni encaram a situação com uma cara engraçada, com toda certeza, até eu que não curto muito as festas estilo Min Yoongi, vou para lá, Taehyng e eu só passamos vergonha.




















Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...