1. Spirit Fanfics >
  2. My Favorite Singer >
  3. Visita

História My Favorite Singer - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Eu sei que já está de noite, maaas, ainda é segunda.
Desculpem mesmo por não trazer esse capítulo antes.
Tem duas músicas nele que eu amo, os links estão nas notas finais!
Boa leitura 😋

Capítulo 4 - Visita


Fanfic / Fanfiction My Favorite Singer - Capítulo 4 - Visita

POV. PAUL

Largo o celular em cima do balcão e me levanto ao ouvir campainha, vou até ela é a abro. 

- Bom dia! - Ele diz assim que me vê. 

- Bom dia, entra. - Dou espaço para ele passar e ele entra, eu fecho a porta em seguida. - Não tá com corona, né?

- Não. - Ele responde sorrindo. - Fica tranquilo.

- Então estamos quites. Senta aí. - Aponto o sofá e ele senta no mesmo, comigo ao seu lado. - Obrigado de novo, por me encobrir ontem.

- Não, sem problema, mas porquê você vive sozinho?

Contei toda a história pra ele (capítulo 1) e ele parecia prestar muita atenção. 

- Entendi. Que sorte!

- Nem tanta assim.

- Por quê?

- Bom, eu tenho que cozinhar, lavar minha própria roupa, arrumar a casa inteira... antes era minha mãe que fazia isso. E eu sinto falta de alguém pra conversar, sabe?

- Bom, agora você tem um vizinho pra conversar. - Ele sorri ao final da frase, sem perceber, sorrio também. 

Ouço o barulho do forno e me levanto.

- Ah, tá pronto. - Começo a caminhar em direção a ele, John se levanta e me segue.

- O que está pronto?

- O bolo que eu fiz. - O tirei do forno e coloquei em cima do balcão, ele se sentiu no banco e eu peguei garfos e pratos. 

- E ainda reclamou que tem que cozinhar!

- Ah, eu adoro cozinhar, mas... no meu tempo, sabe? Não gosto de pressão.

- Entendi. E eu vou poder provar esse bolo?

- Deve! Quero ver o que acha. - Falo entregando um pedaço do bolo pra ele, fico olhando ele provar, ele me olha com uma cara neutra e eu não resisto.

- Fala alguma coisa, nem que esteja ruim. Tá me deixando nervoso.

- Você tá de parabéns, vou te contar uma coisa... você cozinha melhor que minha mãe. - Fico sem graça, porém agradeço. 

Corto um pedaço pra mim e sou obrigado a me elogiar, geralmente não gosto do que eu cozinho, mas dessa vez eu caprichei.

- Com quem aprendeu a cozinhar?

- Minha mãe, eu adorava ajudar ela na cozinha quando era mais novo, meu irmão ficava me provocando dizendo que era coisa de mulher, mas eu não ligava. Ela me ensinou algumas receitas e sou apaixonado por isso até hoje.

- E o que mais você gosta?

- Bom, eu também amo música. Sou apaixonado igualmente pelos dois. As vezes eu gosto de cantar quando estou sozinho. Uma vez minha mãe me ouviu cantar e disse que eu poderia virar um cantor, mas eu não boto fé nisso, ela é mãe, né!

- Já que eu não sou sua mãe, canta alguma coisa que eu vou opinar.

- T-tem certeza? - Fiquei nervoso com a proposta dele.

- Claro! Vamos, não está com vergonha né?

- Não! Claro que não! - Menti. - Eu vou pegar o violão, já volto.

Vou até meu quarto e pego o violão. Volto para a sala e vejo John sentado no sofá, vou até ele é sento ao seu lado, me arrumando.

- O violão não está ao contrário?

- Eu sou canhoto.

- Ah! É verdade, tinha me esquecido.

- Como você sabia se nunca conversamos?

- Bom, você escrevia na aula com a esquerda também, né?

- Então quer dizer que me observava nas aulas?

- Que? Não, não! É que as veze me dava preguiça e eu começava a observar a sala, então percebi que você era canhoto.

- Entendi. Então, ela se chama Golden Slumbers.

POV. JOHN

Eu o observava tocar e cantar e não conseguia tirar meus olhos dele, agora que podia vê-lo de perto, vi que seus olhos eram um verde misturado com castanho. Uma hora ele fechou os olhos e eu sorri. Sorri por gostar do que estava vendo.

Parecia tão fácil enquanto ele tocava, mas eu sabia que não era. Eu também aprendi a tocar, mas só consegui porque não desisti.

Quando foi acabando a música que percebi que não a conhecia.

Ele parou de tocar e abriu os olhos, deu um sorriso envergonha que de primeira não entendi, então eu percebi que estava sorrindo ainda e dei um envergonhado também. 

- Sua mãe tem razão. Você não só canta como toca muito bem.

- Obrigado. 

- Não conheço essa música. 

- Ah, a música é minha. 

- Sua? Agora me impressionou de verdade. Você compôs sozinho?

- Sim. - Ele me explicou o que o levou a escrever a música e então eu entendi.

- Queria saber tocar assim.

- E você? Toca alguma coisa?

- Ah, na verdade não sou nenhum profissional, mas eu consigo tirar algo.

- Então me mostra. - Ele me entrega o violão e mesmo hesitante eu aceito.


There are places I'll remember
All my life, though some have changed
Some forever, not for better
Some have gone, and some remain
All these places had their moments
With lovers and friends, I still can recall
Some are dead, and some are living
In my life, I've loved them all

But of all these friends and lovers
There is no one compares with you
And these memories lose their meaning
When I think of love as something new

Though I know I'll never lose affection
For people and things that went before
I know I'll often stop and think about them
In my life, I'll love you more

Though I know I'll never lose affection
For people and things that went before
I know I'll often stop and think about them
In my life I'll love you more

In my life I'll love you more


Quando termino vejo um Paul boquiaberto, me surpreendi pois não achava a música tão boa assim, na verdade nunca gostei das minhas próprias composições. 

- Uau! Essa música é linda, mas não a conheço também. 

- Então, Paulie, eu componho.

- Sério? Parabéns! Se não for muito intrometido, pra quem era essa música?

- Fiz pro meu tio depois que em faleceu. Eu vivia na casa dele e da minha tia, nunca parava em casa, eu gostava de lá porque parecia que ele era o único que me entendia, sabe? - Nessa hora eu já chorava, mas também sorria em meio as lágrimas com as lembranças. - A gente adorava aprontar e implicar com a tia Mimi, ficávamos até tarde conversando enquanto ela ficava no andar de baixo ouvindo aquelas músicas clássicas dela. Foram os melhores anos da minha vida. - O violão já estava no chão encostado na mesa de centro da sala, coloquei minhas mãos sobre os olhos e os cotovelos apoiados nos joelhos. - Eu sinto tanta falta dele!

Fico surpreso com o toque de Paul, ele tenta me abraçar e eu decidi ajudá-lo, o abracei de volta e chorei em seu ombro enquanto ele passava a mão em minhas costas tentando me acalmar, e que por incrível que pareça, funcionou. Parece que ele tem esse dom. 


Notas Finais


Link de Golden Slumbers acústico pra quem ficou curioso:
https://youtu.be/2su9p5H-Pb0

Link de Golden Slumbers original:
https://youtu.be/AcQjM7gV6mI

Link de In My Life:
https://youtu.be/YBcdt6DsLQA

Espero vê-los aqui no próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...