História Meu Primeiro Namorado - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Jikook, Menção Jihope, Menção Namjin, Menção Nammin, Menção Taegi, Menção Taeyoonseok, Menção Vhope, Menção Vkook Bromance, Menção Vmin, Menção Yoonkook, Yoonseok
Visualizações 850
Palavras 3.755
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ta, eu atualizei mesmo assim... Mas talvez eu demore para voltar, por conta que preciso baixar as coisas tudo novamente!

Capítulo 18 - Oitava Tentativa.


Fanfic / Fanfiction Meu Primeiro Namorado - Capítulo 18 - Oitava Tentativa.

 

— Taehyung? — Jeongguk dizia batendo na porta, esperando que alguém a atendesse, já que a mesma estava trancada e, logo que fora aberta, o platinado pulou nos braços de seu melhor amigo, enquanto chorava ainda mais, sentindo seu corpo ser totalmente rodeado pelo mais novo. — O que aconteceu? — Perguntou preocupado, sendo puxado para dentro daquela casa, vendo seu melhor amigo desabar em seus braços.

— É tudo culpa deles…

— De quem, Taehyung?

— Do Hoseok e… Do Yoongi… — Respondeu chorando ainda mais.

— O que eles fizeram? — Perguntou confuso, não entendendo nada daquela atitude estranha do mais velho.

— Me usaram… Como se eu fosse apenas um objeto, onde eles podiam tocar, brincar e, simplesmente largar. — Disse secando suas lágrimas, contando sobre a ligação de Min.

— Eu vou matar Min Yoongi. — Ditou irritado.

— Não… Ele não fez nada de errado. — Disse cabisbaixo, sabendo que a culpa na verdade era sua, já que, fora ele que se deixou levar pelos charmes do esverdeado.

— Não fez? Ele brincou com você, Taehyung! Eu não posso permitir uma coisa dessas! — Exclamou irritado.

— Não fale isso para ele e, muito menos para Hoseok… Por favor, apenas… Fique aqui comigo. — Disse encostando sua cabeça no ombro do mais novo.

— Você acha que eu seria capaz de te deixar?

— Não. — O platinado respondeu, recebendo um abraço apertado do ruivo, era o único momento onde Jeongguk poderia demonstrar seu verdadeiro lado, onde era doce, carinhoso e, bastante companheiro. Com Taehyung, era muito mais fácil ser quem ele era, do que com qualquer outra pessoa e, isso na verdade era bom.

— Se afaste um pouco de Hoseok e, por favor, não fale mais com o Min. — Ditou sério.

— Acha que vai ser melhor assim? — Perguntou confuso. — Apenas jogar a sujeira para baixo do tapete e, ignorar?

— Tenho certeza, sei que também é um grande amigo do Hobi, mas, não é bom ficar tão próximo dele depois de tudo isso…

— Talvez… Por que se apaixonar dói tanto, Jeongguk? — Perguntou olhando nos olhos do avermelhado.

— Acho que isso só acontece quando nos apaixonamos pela pessoa errada. — Respondeu olhando para o teto.

— Eu queria ter me apaixonado por você… Talvez, eu não sofreria tanto. — Disse tristonho.

— Talvez, sim, como aguentaria ser apaixonado por uma pessoa que sequer sabia o que era beijar até um tempo atrás? — Perguntou em busca de distrair seu melhor amigo.

— Tenho bastante paciência e, adoraria ensinar você. — Sorriu debochando da cara do ruivo.

— Você fica melhor assim, sorrindo. — Respondeu fraco. — Mesmo que seja debochando da minha cara. — Deu um aperto no nariz de seu hyung.

— Obrigado… Por me aguentar chorando por algo tão fútil…

— Isso não é fútil para você e, nem tudo que pode ser fútil para mim, pode ser para você. Temos pensamentos diferentes, cabeças diferentes e, por favor, não pense que esse problema é pequeno, pois não é.

— Quem é você e, o que fez com meu melhor amigo, que fazia questão em me lembrar que chorar por macho era algo ridículo?

— Idiota. — Resmungou olhando para o lado, retirando o braço de trás do platinado. — Depois dessa, eu vou até dormir.

— Não! Fica aqui. — Respondeu puxando o braço do ruivo para si.

— Estou entediado…

— Vamos ver algum filme… Sei lá. — Até que, o platinado tivera uma brilhante ideia. — Jeongguk, que tal pintar seu cabelo?

                                           {♦♥♦}

 

Assim que o loiro finalmente tomou coragem para adentrar no quarto do esverdeado, o chamou.

 

— Yoonnie… Acorda! — Disse mexendo no garoto que parecia estar fazendo cosplay de bela adormecida, já que, o mesmo não acordava com nada. — Min Yoongi! — Exclamou um pouco mais alto, tendo como efeito um resmungo e, novamente falha em acordar o mais velho. Até que, finalmente cansado de tudo aquilo, resolve derrubar o esverdeado daquela cama, fazendo com que o mesmo acordasse um pouco assustado.

— Que porra é essa?

— Finalmente acordou, Aurora.

— Eu não quero ver nem que horas são, para não me estressar ainda mais. — Disse sentando em sua cama completamente emburrado.

— Também te amo, precisamos conversar.

— Desembucha. — Min respondeu um pouco curioso, enquanto tentava se manter acordado durante aquela madrugada.

— É sobre…

— Jeongguk? — Perguntou rapidamente, vendo seu melhor amigo assentir com a cabeça. — Você… Você gosta dele, não é?

— O que?!

— Eu deveria ter percebido isso… Jimin, não ouse. — Ditou irritado, pois não queria ver seu melhor amigo daquela forma novamente, não era porque tinhas ciúmes ou que não aceita, era apenas precaução. Afinal, o medo de ver o loiro parar no hospital de novo, por conta de um grande idiota era maior.

— Não tenho certeza disso. — Respondeu pensativo, enquanto ligava os fatos das sensações estranhas que o maior causava em si.

— Então me prove que não sente nada. — Disse ríspido, notando a expressão chateada que o de cabelos claros fizera. — Por favor, Chim! Aquele garoto é igualzinho à ele.

— Não, não é.

— Então vai fazer o que? Huh? Se deixar levar de novo?  Perguntou rindo fraco, sabendo onde aquela discussão iria levar.

— Não! Eu nunca disse isso, Yoongi, apenas estou confuso, não quer dizer que o amo ou algo do tipo.

— Então prove que não sente nada por ele.

— Como?

— Termine essa aposta de uma vez e, esqueça-o. Você tem ele na palma de sua mão, não tens? — Jimin assentiu cuidadoso, enquanto pensava em uma forma de provar para si mesmo que não sentia nada pelo mais novo, mas, será que realmente não sentia? Era tudo tão confuso, mas, talvez Min estivesse certo, terminando aquela aposta de uma vez, poderia provar de uma vez por todas suas verdadeiras intenções. Mas ao mesmo tempo, era difícil não deixar-se pensar naquele garoto de cabelos flamejantes, que fazia seu coração arder toda vez que mostrava seu lindo sorriso de coelho.

— Yoongi… Isso é errado, ele não está em condições para isso.

— Desde quando você se importa com isso, Jimin? Não fizemos uma promessa? Onde não nos apaixonariamos!

— E você cumpriu muito bem ela, não é? Tanto que está namorando. — Riu fraco. — Não fode.

— Não foi porque eu realmente quis, simplesmente aconteceu.

— Talvez tenha acontecido entre mim e Jeongguk também!

— Eu não aceito isso, de jeito nenhum! Creio eu que, se seu pai souber o que aconteceu ontem naquele bar, nem ele aceita isso.

— Por que não? — Perguntou chateado. — Por que não pode deixar eu me apaixonar? Huh? Por que não pode me apoiar?! — Exclamou tristonho, enquanto sentia suas lágrimas descerem em seu rosto.

 

— Porque eu vi aquele olhar de novo, Jimin. Naquele dia, eu mudei completamente minha minha visão do Jeongguk, ainda mais, depois que eu vi ele te agarrando e machucando daquela maneira.

— Ele estava bêbado…

— Então toda vez que ele beber, terá o direito de bater em você? — Perguntou incrédulo.

— Não…

— Então não fode, aquele garoto pode ser o que for, mas, sei que ele é igualzinho aquele cara.  

— Todo mundo erra uma vez, Yoongi! Ele perdeu o pai, sua mãe está internada e, teve um padrasto abusivo. Você acha que ele ficaria normal? E a propósito, você fez coisas piores, Min e, mesmo assim, eu te perdoei!  — Exclamou alto, deixando o mais velho atordoado. — Eu te perdoei quando você me tocou daquela forma tão suja quando estava drogado e, mesmo assim, você consegue ser hipócrita a ponto de destratar um garoto que passou por dificuldades e traumas, tendo como consequência, uma explosão de sentimentos dentro de si.

— Jimin, isso não muda o fato dele ter tentado te agredir.

— Eu machuquei ele primeiro! Eu apertei o braço dele com força, para pegar aquela coisa suja da mão dele e, eu empurrei ele na parede.

— Isso não significa que ele tem o direito de bater em você.  Quantas vezes eu terei que repetir? — Disse revirando os olhos. — Eu te conheço, você sabe que não está apaixonado por ele.

— Eu não sei, Yoongi, eu simplesmente não sei de mais nada! — Ditou irritado. — Esse é o problema. Toda vez que eu vejo aquele sorriso, eu me derreto e, sinto meu coração latejando. Quando o vejo triste, eu quero protegê-lo de todo aquele mal e, aqueles olhos ,aquela boca fino que, cada vez mais fica atrativa e até mesmo aquele jeitinho dele de fazer certas brincadeiras comigo, ou, sempre me fazer rir quando eu deveria estar bravo com ele, é uma forma que me atrai e, sem ao menos perceber, eu acabei caindo nos charmes daquele idiota. — Disse fazendo um bico em seu rosto.

— Desista dessa aposta e, se afaste dele o mais rápido possível.

— Não, eu não vou desistir dessa merda agora, afinal, você me fez passar por tanta coisa e, agora fala simplesmente para eu desistir? Depois de tudo? Agora eu vou até o final.

— Você vai se arrepender.

— Não, eu quero provar para você que não é amor e, que se for, eu estarei disposto a fazer de tudo para conquistá-lo da maneira correta.

 

                                           {♦♥♦}

 

— Vamos até aquela loja de conveniências aqui perto, Jeongguk. — Disse mudando de assunto.

— Uhum. — Respondeu levantando-se daquele sofá.

— Que cor pretende pintar?

— Não sei. — Deu de ombros. — E você?

— Não faço a mínima ideia e, acho que preto ficaria ótimo em você.

— Preto? — O mais novo disse pensativo. — Talvez fique bom.

— Tudo fica bom em você. — Respondeu dando de ombros, adentrando aquela loja completamente vazia, apenas com a caixa parada, mexendo em seu celular.  — Talvez eu pinte de violeta.

— É uma cor bonita. — Disse sorrindo fraco, para seu melhor amigo.

 

Assim que pegaram as tintas e, algumas coisas a mais, foram até o caixa, extremamente colados, onde dava a entender que, eram na verdade, namorados.

 

— Vocês fazem um casal muito bonito. — A moça que trabalhava no caixa disse envergonhada, fazendo com que os dois garotos se entreolhassem e, acabassem rindo.

— Desculpe, mas, somos apenas amigos. — Ambos disseram ao mesmo tempo.

Quando chegaram na casa de Taehyung, o mais velho ditou que Jeongguk fosse o primeiro, utilizando aqueles produtos de cor escura nos cabelos macios do ruivo.

 

— Eu não sei se vou aguentar ficar com o preto por muito tempo…

— Por que?

— Você sabe o quanto gosto dos meus cabelos vermelhos.

— Fique com ele até desbotar e, depois eu pintarei novamente de vermelho. — Disse suspirando fundo, enquanto misturava a tintura.— Preparado?

— Uhum. — Disse um pouco ansioso, sentindo aquela pasta gelada passar levemente por toda extensão de seu cabelo. Enquanto Kim deixava o produto agir na cabeça de seu dongsaeng, acabou por pintar o seu.

— Está borrando tudo, ein Taehyung. — Disse risonho.

— Pintar o próprio cabelo exige paciência, algo que eu realmente não tenho. — Disse respondendo o mais novo de uma forma  debochada. — Depois é só limpar.

— Hyung, acha que eu vou ficar bem com essa cor? — Perguntou um pouco inseguro.

— Eu tenho certeza, Kook. — Disse olhando para seu melhor amigo que não parava de se olhar no espelho.

— Terminei. — Disse sorrindo, enquanto enrolava sua cabeça no papel filme. — Vamos retirar essa belezura de sua cabeça?

— Pelo amor de Deus! Eu não aguento mais essa ardência. — Disse fazendo uma cara engraçada.

— Sabe que eu ainda vou hidratar seu cabelo, né? — Disse olhando para o mais novo que o olhou incrédulo. — Quer deixar seu cabelo extremamente ressecado?

— Não…

— Ah, então está bom. — Disse dando de ombros.

 

                                           {♦♥♦}

 

Após Park ter aquela pequena discussão com seu melhor amigo, acabou por preferir dormir naquele outro quarto, sendo surpreendido por Min se jogando ao seu lado.

 

— O que você quer aqui? — O mais novo perguntou irritado.

— Desculpe… — Disse acanhado, enquanto se cobria com aquele edredom branco.

— Você só pode estar brincando. — Respondeu incrédulo.

— Eu só quero seu bem, Jimin. — Disse por si só, virando-se para o outro lado, ignorando qualquer outra frase do mais novo.

 

Assim que se pôs a amanhecer, o loiro se encontrava completamente bagunçado, ainda mais, com Min que roncava ao seu lado.

 

— Yoongi… — Disse empurrando o mais velho com o braço. — Acorda… Temos aula hoje.

— Huh? — Perguntou sonolento. — Eu não vou hoje. — Disse virando-se para o outro lado, cobrindo-se ainda mais.

— Você está brincando, né? — Disse um pouco irritado, enquanto deitava-se naquela cama novamente. — Quer saber? Não vou também. — Deu de ombros, em busca de voltar a dormir.

 

                                           {♦♥♦}

 

Enquanto isso, Jeongguk se aprontava na frente do espelho, era estranho o fato de ter seus cabelos negros agora, principalmente, quando passou exatamente três anos com eles avermelhados.

 

— Você ficou mais bonito do que eu pensava. — O arroxeado comentou observando o mais novo vestir aquela farda de uma maneira sensual.

— Obrigado. — Disse sorrindo de lado. — Creio eu que, Hoseok irá pirar quando ver você diferente. Se… Eu não estivesse nesse rolo com o Jimin, pode ter certeza que, com certeza, eu faria de tudo para estar com você. — Disse sorrindo brincalhão.

— Eu sei. — Deu de ombros de uma maneira convencida, que deixou seu dongsaeng animado ao ver a confiança que o mais velho tinha agora.

 

Assim que chegaram naquele colégio, era notável o fato de quanto haviam chamado a atenção de todos, apenas uma mudança de tintura poderia causar muitos arrepios em outras pessoas, principalmente nas que eram apaixonadas por Jeon Jeongguk. Aquela coloração escura o deixava ainda mais adulto, causando um certo mistério sobre si, enquanto o avermelhado o deixava num aspecto mais adolescente.

 

— Uow, é você, Jeongguk? — Namjoom apareceu atrás dos mais novos, observando a mudança nos dois. — Quem é esse gatinho ai do seu lado? — Disse brincalhão.

— Fiz um ótimo trabalho, não fiz? — Sorriu fraco olhando para Namjoom que apenas concordou, virando para trás ao ouvir a voz alegre de Jung, que logo se surpreendeu ao notar as mudanças nos dois mais novos.

— Vocês estão maravilhosos. — Disse sorrindo alegremente, enquanto evitava olhar para Taehyung.

— Namjoom, talvez eu me atrase para o treino hoje, depois da aula eu irei até o hospital. — Disse sério, antes de ir para sua classe ao ouvir o sinal tocar.

— Se importa de eu ir junto, capitão?

— Claro que não! — Respondeu sorrindo de lado. — Pode chamar seu namorado se quiser.

— Mereço, mas, pode deixar. — Disse risonho, enquanto puxava Hoseok consigo para sua sala. — Até mais. — Ambos disseram vendo os mais novos subirem para o segundo andar.

 

                                           {♦♥♦}

 

O dia passou rápido demais e, lá estava o moreno, junto com seu melhor amigo, acompanhado com Kim Namjoom e SeokJin, que insistiram em os levarem até o hospital.

 

— Por que o Hoseok não veio conosco? — SeokJin perguntou enquanto virava a direita com o carro.

— Disse que iria fazer não sei o que. — Taehyung respondeu desinteressado, evitando qualquer assunto envolvendo aquele garoto que o deixou sozinho na noite passada.

 

Logo que chegaram no hospital, Jeongguk sequer esperou seus amigos, apenas fora correndo até o quarto de sua mãe, um pouco tanto afobado, dando de cara com seu tio, que se surpreendeu ao encontrar o garoto de cabelos negros.

 

— Jeongguk?

— Sim? — Perguntou confuso ao notar os olhos arregalados de seu tio.

— Você está igualzinho ao seu pai! — Disse surpreso ao notar as semelhanças de seu sobrinho com seu irmão mais velho.

— Ainda não me acostumei com os cabelos pretos… Eu ainda sinto falta do vermelho. — Disse um pouco envergonhado.

— Você ficou um pouco mais adulto com essa cor, enquanto o vermelho te deixava um pouco mais… Adolescente. — Disse pensativo.

— Está me chamando de velho? — Disse fechando seus olhos, observando cada reação do mais velho, que se pôs a rir.

— Vá visitar sua mãe, vai. Preciso ir agora, desculpe. — Disse se afastando, enquanto caminhava até o quarto de outro paciente.

Logo que adentrou o quarto de sua mãe, notou que a mesma continuava dormindo, mas, que sua cor havia voltado ao normal, era como se estivesse prestes a acordar. Não estava tão magra como antes e, parecia que aqueles roxos estavam sumindo com o tempo.

 

— Tudo bem, mamãe? — Perguntou calmamente, ignorando a presença de todos naquela sala, estava apenas em seu mundinho. Tanto que, mal percebeu a presença de Park Jimin adentrando aquele quarto, acompanhado com duas pessoas que Taehyung não queria por perto.

 

Assim que Jeongguk se virou para encarar o loiro a sua frente, que estava surpreso ao notar o visual diferenciado do maior, se assustou ao lembrar de Naru por um momento, olhando-o confuso.

 

— Como ela está? — Namjoom perguntou quebrando aquele silêncio constrangedor.

— Está melhorando, mas, continua sem sinal de acordar… — Respondeu observando que Hoseok segurava firmemente a mão do esverdeado, atraindo olhares de seu melhor amigo.

 

— Olá… — Jung dissera receoso, enquanto evitava contato visual com o de cabelos violetas. Jeongguk ao perceber tal ato, não poupou esforços em trocar de lugar, sentando-se ainda mais perto de Taehyung, enquanto segurava sua mão firmemente, dizendo bem baixinho para o mesmo que ficaria tudo bem.

 

— Vocês estão juntos agora? — O esverdeado perguntou enquanto observava aquela aproximação e, toques descarados no Kim.

— E se estivermos? Algum problema? — O moreno respondeu ríspido, atraindo até mesmo a atenção de Park Jimin, que continuava sem palavras.

— Nenhum. — Respondeu debochado, enquanto suspirava fundo. — Felicidades ao novo casal.

— Obrigado. — Fora a única coisa que Jeongguk se pôs a responder, antes mesmo de perguntar para o violeta se queria alguma coisa e, o mais velho responder que queria uma garrafa de água. — Já volto. — Disse se retirando do cômodo, andando até aquela grande cantina.

 

O loiro apenas continuava a observar tudo calado e, logo se tocou que deveria ir atrás do mais novo, precisava tirar certas satisfações com o mesmo, tudo bem que, não tinham nada sério, porém, não custava nada ter dito que estava com o Kim.

 

— É verdade? — O loiro perguntou assustando o mais novo, que não esperava sua presença.

— O que?

— Você e Taehyung…

— Talvez, isso importa? — Perguntou ríspido.

— Se não importasse, eu não estaria perguntando sobre. — Respondeu no mesmo tom.

— Acho que isso não é da sua conta. — Disse terminando de pagar aquela garrafinha de água.

— Você me decepcionou, Príncipe.

— Não é o primeiro a qual decepciono. — Deu de ombros enquanto andava de volta para o quarto de sua mãe.

— Espere… Espere! É sério mesmo? — O loiro perguntava com um certo receio, não acreditava que o mais novo estava tendo algo de verdade com o Kim, tudo bem que eram amigos, mas, isso não podia acontecer, podia?

— Não. Mas se fosse, não seria da sua conta.

— Por que está fazendo isso? Ele te pediu?
— Não, ele não pediu. Estou fazendo isso porque eu quero.

— Por que?

— Porque ele é meu melhor amigo! Acha mesmo que estou super de boa em estar no mesmo ambiente que Yoongi? Ainda mais, depois de saber o que aquele babaca fez com o Tae! Ele tem sorte de eu não ter quebrado a cara dele de verdade, ainda.

— E nunca irá quebrar.

— Dúvide de mim para ver, você não me conhece, Park Jimin.

— Talvez não, mas, estou disposto a conhecer. — Disse se uma maneira provocativa. — Apareça na minha casa mais tarde…

— Por que eu deveria?

— Para nos conhecermos ainda mais. — Disse com um sorriso sacana. — Acho que me deves alguma coisa, não acha? — Refiriu-se aquela aposta.

— Talvez, eu tenho algumas coisas para fazer.

— Isso tudo é para fugir de mim.

— Talvez. — Respondeu rápido, enquanto evitava total contato visual com o menor que cada vez mais, se divertia com a situação.

— Pode responder com um não.

— E se eu não quiser dizer não, mas, saber que o correto é apenas dizer não e ignorar qualquer outro pedido? — Disse envergonhado.

— Não tens que fugir de mim, nunca terá certeza de suas perguntas se não correr atrás das respostas. — Disse sorrindo fraco, enquanto adentrava aquele quarto, onde encontrava Jung e Min juntos, conversando calmamente, Namjoom e Jin perdidos em seus mundinhos e, Taehyung extremamente focado responder aquelas mensagens de texto.

 

— Com quem está falando, Tae? — Jeongguk perguntou curioso, enquanto entregava a garrafa para o mais velho.

— Lembra daquele garoto do terceiro B? — Perguntou enquanto olhava para o celular.

— Huh? — Disse pegando a água de seu melhor amigo, bebericando um pouco da mesma.

— Está me chamando para uma festa hoje. — Disse pensativo, não sabendo se realmente deveria ir, afinal, isto poderia ser sua salvação, não teria que depender do mais novo o consolando para sempre, precisava sair um pouco de casa, curtir a vida e, esquecer aqueles idiotas que acabou por se apaixonar.

— Você pretende ir?

— Não sei. — Disse dando de ombros.

— Se eu fosse você, iria. — Jimin disse sorrindo de lado.

— Você vai também?

— Não, digamos que, a maioria das garotas que eu me envolvi estarão lá e, querem ficar comigo de novo. — Disse coçando a nuca. — Prefiro evitar briga e, também, não estou muito afim de sair. Foi engraçado ver a cara daquele garoto quando recusei. — Riu fraco.

—  Disse que qualquer coisa eu passaria por lá mais tarde. — Deu de ombros guardando o celular em seu bolso.

 

Logo que o horário de visitas finalmente terminou, Taehyung fora caminhando para casa ao lado do moreno, que estava pensativo na proposta de Jimin.

 

— Quer ir nessa festa comigo?

— Hum… Não sei, Tae. Sabe que eu não gosto de lugares muito cheio. — Respondeu meio cabisbaixo.

— Se importa de eu ir? — Perguntou acanhado, não queria deixar seu melhor amigo sozinho naquela humilde casa, mas, precisava esquecer um pouco dessa realidade e, nada melhor do que uma bosta festa e, talvez até mesmo um menage. — Preciso me divertir.

— Claro que não, Taehyung! Eu apoio essa decisão, apenas, tente não exagerar. Não estarei lá para cuidar de você.

— Vou tentar. — Riu fraco. — Obrigado por hoje no hospital.

— Era a única forma de eu me segurar para não quebrar a cara daqueles dois ali mesmo. Como pode uma pessoa ser tão cínica como Min Yoongi? — Resmungou irritado.

— Acontece… — Disse cabisbaixo destrancando a porta de sua casa.

 

Assim que adentraram naquele local, o arroxeado apenas subiu as escadas, indo pegar suas roupas mais sensuais e, andando direto para o banheiro, onde tomaria um banho delicioso.

Após se aprontar todo, fora até o quarto de Jeongguk, que estava completamente entediado naquele quarto, olhando para o teto, pensando no que faria agora.

 

— Como estou? — Perguntou chamando a atenção do mais novo.

— Se não fossemos melhores amigos, eu com certeza faria questã ode te levar para cama. — Respondeu olhando para cada traço do maior, vendo o mesmo sorrir fraco.

— Ainda tem chances, uma rapidinha não atrapalharia meus planos. — Após dizer uma perversidade dessas, Jeongguk logo corou, olhando para o outro lado.

— Vai para sua festa, vai. — Respondeu rindo fraco.

— Até mais. — Disse sorridente. — Cuide bem da casa e, se for sair, tranque a porta.

— Se divirta, TaeTae! — Disse sorrindo de lado, enquanto se levantava e caminhava até a sala, jogando-se de qualquer jeito naquele sofá extremamente fofo.

 

Enquanto trocava aqueles canais extremamente chatos, Jeongguk sentiu seu celular vibrar em cima daquela manta que havia levado para cobrir-se na sala de estar.

Logo que desbloqueou seu celular, atendeu aquela ligação, onde Park Jimin fazia questão de atormentá-lo.

 

— Você vai vir, ou não?


Notas Finais


Até a próxima, beijocas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...