História My First Love - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Beatrix, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Tags Diabolik, Diabolik Lovers, Lovers, Shu, Shu Sakamaki, Shuu, Shuu Sakamaki
Visualizações 77
Palavras 1.358
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii ✓

Mais um capítulo pra vocês, esse foi bem grandinho porque estou tentando contar tudo em detalhes :-;

Espero que gostem, boa leitura ♪ ✓

Capítulo 2 - The Arrival


Fanfic / Fanfiction My First Love - Capítulo 2 - The Arrival

— Oi.

Ouvi uma voz meio que agradável, abri os olhos e vi que estava em um quarto que até então, eu desconhecia.

— Hm... Kyaaa!

Dei de cara com um garoto, não havia visto ele, por isso o susto.

— Você Só grita.

— O-o que!? O que eu estou fazendo...

Comecei a me lembrar dos fatos ocorridos.

— ... Aqui...?

Me lembrei também do rosto dele, os olhos já me faziam lembrar quem era, afinal, o que realmente aconteceu??

— Fique longe!

Disse descendo da cama e indo para um canto do quarto.

Olhei para baixo e notei que estava com roupas diferentes das que eu estava antes.

— D-de onde veio essas roupas!?

— São minhas.

Era uma camiseta branca, por causa do meu tamanho, que eram exatos 1,53 cm, parecia um vestido, ter essa altura para alguém de 16 anos... que humilhante.

— MAS COMO ESTOU VESTIDA NELAS!!?

Eu realmente esperava o pior.

— Foi a Yui.

— Quem é Yui?

Ele se levantou e saiu do quarto.

— Ei! Espere...! Grr!!

Eu já não estou entendendo nada...

Como vim parar aqui? Por que estou aqui? E quando me trouxeram, porque eu não me lembro de nada, depois de...

Essa lembrança realmente não era nada agradável.

— Tsh!

Fui em direção a porta, a abri e olhei para os dois lados, aquela casa era enorme, Aliás, não era bem uma casa... E sim uma mansão.

Meu vestimenta era realmente vergonhoso, eu adoraria sair daqui, o mais rápido possível!

Se eu pelo menos soubesse para que lado ir, facilitaria tudo...

Comecei a andar, estava atenta se aquele homem aparecesse de novo. Não encontrei nada além de portas e mais portas, eu não sabia por onde ir.

Uma música agradável com a melodia de um piano, ecoou pelos corredores.

Eu segui a melodia até entrar em un comodo, calmo.

Quem estava tocando o piano era...

— Ora, ora, o que temos aqui!

Um cara com cabelos na altura dos ombros, seus olhos era um verde esmeralda, uma cor bem chamativa.

— O-olá...

Ele deu um pequeno sorriso e voltou a tocar, esse sorrisinho não foi nada agradável.

Eu não poderia confiar na primeira pessoa que me aparecesse, então voltei a andar...

Desci alguns lances de escada até chegar em uma parte que passei a escutar vozes.

Não sei ao certo o que estavam conversando, mas me agachei e tentei me esconder atrás do corrimão.

— Espionar é feio, não acha?

Disse uma voz um pouco irritante em meu ouvido.

— ky...!!

Eu nem comecei a gritar e ele tapou minha boca rapidamente.

— Shh, também quero escutar.

Ele retirou a mão da minha boca e se agachou ao meu lado.

Realmente, não me senti bem espionando as pessoas que estavam neste cômodo.

Comecei a subir as escadas de vagar e agachada ainda.

— Bitch-chan!

— Não me chame assim! Eu tenho nome!

— A propósito, qual seria?

Parei um pouco para pensar.

— Mais tarde posso pensar em te contar.

— Oh?

Voltei a subir as escadas, sendo assim, voltei pro quarto que estava antes.

— Uf...

— Então está de volta...

— Hm... Ah?

Me deparei com um homem alto que usava óculos.

— O-o que?

— Foi Shuu que te escondeu esse tempo todo, não foi?

— Do que está falando?

Assim que terminei a frase, o homem começou a andar em minha direção, por impulso eu abri a porta, que foi fechada antes mesmo que eu pudesse sair.

— Reiji... Pare.

E novamente o homem louro, que situação embaraçosa!

— Foi você, não foi!?

— Não, essa garota não é ela. Vá embora!

A pessoa cujo nome era Reiji saiu do quarto rapidamente, eu me pergunto... Quem seria "ela" ...?

Por mais que eu tivesse medo daquele homem, ele expulsou Reiji daqui...

Talvez eu devesse agradecê-lo...

— O-obrigada...

— O que?

— Estou agradecendo.

— Por quê?

— Por ter tirado ele daqui...

— Hm.

Ele é bem... Fechado...

— Olha, tem... Qualquer roupa... Não sendo uma camiseta de manga cumprida, porque está calor...

Pareci um pouco audaciosa com esse pedido... Mas não dava para ficar com essa camiseta realmente.

— Tsh!

Ele saiu do quarto denovo...

— Meu Deus o que vocês tem, hein?!

Perguntei para mim mesmo, como se fosse surgir uma resposta.

Depois de alguns minutos, eu já estava em completo tédio. Estava com fome, e muita sede já.

— Tome.

— O-obrigada...

Ele voltou com roupas, dessa vez eram femininas.

Era uma saia preta e uma blusa branca simples...

— O banheiro fica ali.

Ele apontou para uma porta.

— O-ok...

Eu fui em direção do banheiro, para impedir que qualquer coisa acontecesse, eu tranquei a porta, eu parecia estar tranquila... Mas não estava, ainda tinha um pouco de medo, mas não queria demonstrar...

Tomei um banho rápido e vesti as roupas que ele havia me dado...

Realmente, como alguém consegue vestir aquilo?? Além de ser uma saia, que é uma peça de roupa na qual eu odeio, está curto demais!

Saí do banheiro, e não havia ninguém no quarto...

Eu não queria ficar aqui mais, então eu saí do quarto e fui na mesma direção de antes. Dessa vez não havia ninguém tocando o piano... Que bom.

Desci alguns lances de escadas até chegar em um cômodo com uma lareira, um sofá azul e duas poltronas da mesma cor, havia um grande tapete verde e uma mesinha de centro. Havia também outro sofá do lado da lareira, com um tom meio marrom.

Pensei "ele está dormindo, não seria bom incomodá-lo".

Pensei também "mas adoraria saber pelo menos seu nome".

Me sentei no sofá azul, até algumas pessoas aparecerem na sala do nada.

— Então é você que está causando todo esse cheiro, Beatrix.

Disse um garoto de cabelos platinados e olhos vermelhos.

— C-como assim? Olhe, eu não me chamo Beatrix, não faço idéia de quem seja essa pessoa, você já é o segundo a me confundir com ela...

— Oh, Teddy vamos brincar com ela também?

— O que está dizendo!?

Aquelas pessoas eram estranhas, ninguém nessa casa é normal? Meu Deus.

— Oi.

Outra vez... Ele sempre aparece quando pareço estar em apuros?

— Veio nos ajudar, Shuu?

Disse um garoto de cabelos um pouco avermelhados e olhos verdes.

Então ele se chama Shuu, certo?

— Não.

Ele é bem frio, realmente...

— Ayato. Aqui é lugar de receber convidados, não de se fazer uma refeição.

Disse Reiji, totalmente frio também. De repente alguém pegou no meu ombro e se aproximou da minha orelha.

— Vai me falar o seu nome agora?

— O que? De onde você veio!?

— Você não sabe de nada mesmo.

Reiji se manifestou novamente.

Realmente não sei de nada, seria bom se alguém me explicasse algo.

— Primeiro de tudo, quem são vocês? E por que estou aqui?

— Me permita fazer as apresentações. Este é Shuu, o primeiro filho, eu sou Reiji, o segundo...

Quando ele falou isso não deixei de notar que ele parece ser o mais velho, e não o Shuu.

— ... Ayato, o terceiro filho, o quarto filho, Kanato, Laito, o quinto, e o último filho, Subaru.

— Tsh, que perda de tempo.

"Ele é meio... Cabeça quente..." Pensei.

Ótimo, sei quem são todos... Mas eu preciso ir embora!

— Olha... É um prazer conhecer vocês, mas eu já vou indo!

Ia me levando quando Laito-kun me segurou pelos ombros. 

— Espere, eu estou realmente com fome, sabia?

Ele foi se aproximando do meu pescoço, que ainda estava um pouco dolorido.

— Ah, coma algo que não seja eu, por favor!

Afastei seu rosto de meu ombro.

— Oh, essa é diferente. Yui-san!?

Depois de alguns segundos, uma garota de cabelos louros e olhos vermelhos meio violetas apareceu.

— S-sim Laito-kun?

Ele a puxou e afastou seu cabelo a mordendo de repente.

— Chega! Eu não preciso ver isso!

Me levantei do sofá e saí andando o mais rápido que pude, indo em direção ao quarto que aparentemente era de Shuu-san.

       (Porta se fechando com força)

— Afinal, qual o problema dessas pessoas? O que são essas pessoas? Por que eu estou aqui? Grr.

Shuu-san apareceu no quarto.

— Nós... Não temos nenhum tipo de problema, somos vampiros, e você... Você está aqui porque me lembra alguém.
— Eu... Seria essa mulher chamada Beatrix?
— Talvez.
— Eu... Quero ir embora.
— Está com medo?
— O que? N-não!

"MENTIRA" pensei, eu estava mentindo, acho que estava bem destacado e escrito na minha testa, que eu estava com medo.

— Ninguém vai machucar você.

Por algum motivo, aquela frase me tranquilizou, mesmo sabendo que era mentira.

— Somente... Eu...

Ele se aproximou me jogando na cama e ficando sobre mim.

— Pare! Não...

Ele ragou minha blusa e me mordeu...

— Eu...

Algumas lágrimas insistiram em rolar pelo meu rosto...


Notas Finais


Obrigada por ler ✓
Comentários e críticas principalmente são bem vindos para que eu possa melhorar a história.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...