História My First Love - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescente, Clichê, Fanfic, Livros, Original, Romance
Visualizações 9
Palavras 2.511
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá, sweets!
Trouxe o último capítulo para vocês e espero que gostem.

Boa leitura :)

Capítulo 25 - Capítulo 24


Samantha

Minha cabeça estava rodando com tanta informação. O que Jaden estava fazendo aqui?

- Sentiu minha falta, querida? - Indagou acariciando meu rosto.

- Você… - Disse incrédula.

- Está surpresa, princesa? - Gargalhou. - Por quê o espanto?

- Seu canalha! Como pôde fazer isso? - Me debati, tentando soltar-me das correntes.

- Na na não, linda! Vai se machucar. São feitas de aço, tipo o Superman. - Gargalhou outra vez. Parecia um maníaco. Levantou-se e caminhou na direção do meu pai.

- Jackson. George. Collins. – Disse pausadamente. - Quanto tempo, não? – Fez um sinal para um de seus capangas, que se aproximou e puxou meu pai pela gola da camisa, levantando-o. Fez mais um sinal, para o outro capanga, que se aproximou do meu pai e lhe deu um chute na barriga, fazendo com que ele entrasse em uma crise de tosse.

- Pai! - Gritei.

- Estou bem, querida. - Cuspiu um pouco de sangue no chão.

- Ai que relação linda de pai e filha! - Debochou Jaden. - Uma pena que ele não estará vivo para ver o lindo netinho que você - Apontou para mim. - está carregando. - O quê? Minha cabeça estava rodando.

- Filha, você está grávida? - Meu pai indagou surpreso. Não consegui responder.

Minha menstruação estava atrasada, mas como ela sempre foi irregular, pensei que estava tudo bem.

- Sim, ela está! De 2 meses, inclusive. - Jaden respondeu por mim.

- Você está mentindo! - Gritei, mas algo dentro de mim dizia que ele estava falando a verdade.

- Estou? Será mesmo? - Fez um sinal para um de seus capangas, que se aproximou de mim com uma pasta, colocou-a em meu colo e tirou de dentro um exame de sangue, que indicava gravidez positiva.

- Como você conseguiu isso? - Indaguei sem entender nada.

- Não me entenda mal, mas eu queria ter a certeza de que você não tentaria nos passar a perna dizendo ser alérgica a algo, então fiz os exames em você, mas imagine minha surpresa quando a enfermeira me deu a notícia de que você estava grávida de dois meses! - Disse como se estivesse maravilhado. Suspirou. - Claro, não sou um monstro, por isso a deixei descansando em um colchão e só lhe trouxe para cá quando já estava dando a hora de você acordar, princesa. - Não pude controlar as lágrimas. Queria socar Jaden, então lembrei do que meu pai pediu, e sutilmente, peguei o celular e apertei duas vezes o botão verde do telefone. Não sei se consegui ligar ou se atenderam, mas eu tentei.

- Seu desgraçado! – Meu pai esbravejou. – Cretino!

- Ah, obrigado! Que gentileza a sua. – Jaden se fez de comovido e estalou os dedos para seus capangas, que desamarraram meu pai e arrastaram-o até o portão do galpão. Meu pai relutou e acabou caindo de joelhos no chão.

- Já que insiste tanto, farei as honras aqui mesmo. – Jaden revirou os olhos, pondo a mão na cintura e puxando sua arma.

- NÃO! - Gritei esperneando-me e tentando me soltar das correntes.

Jaden e seus capangas miraram contra ele, que estava ajoelhado no chão, com as mãos na cabeça, choramingando.

- Suas últimas palavras, por favor? - Jaden riu.

- Só não mata minha filha. As dívidas são comigo, não com ela. - Implorou olhando diretamente para mim. Sibilou um "Eu te amo" e abaixou a cabeça.

- Aí é que está, Collins: você não se importou com sua filha quando se envolveu com isso, então eu também não me importarei. - Disse antes de atirar contra ele, fazendo com que eu gritasse. Foram 10 tiros, sendo dois no peito, dois na cabeça e os outros seis, distribuídos pelo corpo.

Não conseguia mais chorar ou gritar, apenas encarei o corpo estirado no chão, repleto de sangue. Jaden se virou e caminhou em minha direção.

- Olá, futura mamãe. - Se abaixou, ficando na minha altura. - Venha, deixa eu te soltar. - Recuei. Não por medo ou porque eu não queria que ele me soltasse, mas sim porque o celular que me pai me deu estava atrás de mim, escondido. Como eu estava fraca, não pude relutar muito, então quando Jaden pôs as mãos nas correntes, achou o celular, pegou e o arremessou longe.

- O que é isso aqui? - Gritou irritado. - Olha só, rapazes. Ser bonzinho com essa vagabunda não será uma boa ideia! - Disse e só consegui sentir meu rosto queimando, devido ao tapa que Jaden me deu. Não mostrei que senti dor, não chorei ou sequer gritei, apenas o encarei. Ainda não satisfeito, Jaden ergueu a mão para me deferir outro tapa, mas antes que pudesse me atingir, ouvi o gatilho de uma arma e uma voz grossa que disse:

- Encosta um dedo nela pra você ver se eu não vou estourar essa tua cabeça cheia de merda. - Era Daniel e ele estava acompanhado de Jake. Olhei para ele, sentindo a culpa eminente. Jaden se virou para o portão do galpão, onde estava Daniel e Jake e começou a gargalhar como um maníaco.

- Que isso? Batman e Robin vieram salvar o dia? - Gargalhou mais ainda, fazendo com que Daniel desse um tiro para o alto.

- Eu não tô brincando, Jaden. - Daniel estava sério, os olhos estavam escuros e dava para sentir o ódio exalando dele.

- Grande Daniel… - Disse Jaden enquanto se movia em círculos, em volta de Dan e Jake, fazendo com que eles o seguissem, rodando em torno de si mesmos. Jaden fez um sinal e seus capangas saíram dali, fechando o portão atrás de si. - Sabe, eu sempre acreditei que um dia você fosse se rebelar contra o Evans, mas não imaginei que fosse por causa de um rabo de saia. - Deu uma leve risada. - Ah, por falar nela… - Olhou para mim. Seu olhar me causou calafrios pelo corpo inteiro. - Parabéns, você será o novo papai do ano! - Apertei os olhos, sentindo as lágrimas escorrerem pelas minhas bochechas.

- O que? - Daniel indagou quase sem voz. Abri os olhos e encontrei sua imensidão negra, que me encarava buscando respostas. Sibilei desculpas para ele, me sentindo totalmente culpada.

- Uma pena que não viverá para conhecer o filho, né? - Jaden gargalhou.

- Seu filho da… - Daniel ia partir para cima de Jaden, que recuou de seu soco, divertindo-se. Daniel mirou a arma na direção de Jaden e de repente, uma voz se fez presente ali:

- Eu não faria isso se fosse você. - Era um homem da mesma altura que Jake, com os cabelos branco-acinzentados. Ele estava usando um terno de listras brancas e segurava uma pistola na cabeça de Daniel. Na mesma hora, Jaden mirou em Jake, que mirou no homem de terno. Eu estava totalmente nervosa e à mercê deles.

- Jake, você tem certeza que vai se virar contra mim? Não se esqueça de Skyler e Jully, você sabe muito bem que com uma simples ligação que eu der, elas já eram. - Ameaçou o homem de terno, fazendo com que Jake fechasse os olhos e suspirasse.

- Desculpa, Jones. - Disse Jake movendo a arma na direção de Daniel.

- Não! - Gritei levantando-me e tentando, em vão, me soltar das correntes. O homem de terno abaixou a arma e se dirigiu até mim.

- Srta. Collins! Finalmente nos encontramos. - Disse o homem de terno e então o reconheci. Era Evans Scott.

- É um prazer, finalmente vê-la pessoalmente. - Disse deslizando seus dedos em meu rosto, me dando ânsia. - Com certeza nós aproveitaremos bastante, juntos. - Virei o rosto, fugindo de seu toque.

- Não encosta nela! - Esbravejou Daniel.

- O que você vai fazer, Daniel? Parece que sua situação não está das melhores. - Disse dando um sorriso sarcástico. Em questão de minutos, ouvimos a polícia, que estava tentando arrombar os portões do galpão, gerando um grande estrondo, fazendo com que Evans Scott se posicionasse atrás de mim, agarrando-me pelo pescoço e alternando a mira da arma entre Jake, Daniel e eu.

Daniel e Jake se entreolharam, e então Daniel se manteve firme mirando em Jaden e Jake alternou sua mira, que saiu de Daniel e foi para o sr. Scott. Jake começou a se aproximar, lentamente, fazendo com que Evans ficasse nervoso.

- Mais um passo e eu atiro nela. - Ameaçou Evans, pondo a arma em minha cabeça. Choraminguei sentindo a adrenalina percorrer pelo meu corpo. Jake parou, sem tirar os olhos de nós. Evans Scott me soltou das correntes e começou a se afastar deles, me arrastando, ainda com a arma em minha cabeça.

Após muito esforço, a polícia finalmente arrombou o portão, adentrando o galpão e mirando em todos nós.

- Mãos pra cima! - Ordenou um dos policiais.

- Jake, se você quiser, a hora é agora. - Disse Daniel calmamente.

- Eu disse mãos pra cima! - Gritou o mesmo policial. Jake ergueu as mãos para cima, ainda com a pistola nas mãos, virou-se lentamente, ficando de frente para os policiais, e disse:

- Sabe, minha vida estava uma merda. Piorou quando me envolvi com o Scott, mas quando eu finalmente encontrei uma razão para tentar ser melhor, olha onde eu chego. - Desabafou.

- Tudo bem. Coloca a arma no chão devagar e ponha as mãos bem no alto para que eu as enxergue. - Ordenou o policial.

- Aí, Daniel! Não fala pra Skyler como eu morri não, ok? - Disse Jake e então atirou várias vezes contra Jaden, que estava de costas. Os policiais reagiram atirarando contra Jake, que caiu no chão.

- Jake, não! - Gritei, mas já era tarde. Meu melhor amigo estava no chão com 3 tiros no peito.

Jaden caiu no chão, gargalhando, e Daniel ergueu as mãos em sinal de rendição, fazendo com que um policial se aproximasse dele, algemando suas mãos. Evans Scott me soltou, mirando sua arma nos policiais, afastando-se em direção à uma pequena porta de ferro que estava atrás dele.

- Parado aí! - Gritou uma policial. - Mais um passo e eu atiro. - Evans Scott estava claramente perturbado com a situação, então foi quando eu ouvi 2 tiros, um seguido do outro. Um deles foi Scott, que se matou com um tiro na cabeça; mas o outro, bem, não sei de onde veio exatamente, mas senti uma ardência vindo da minha barriga. Olhei para baixo e minha camisa, que era branca, estava se encharcando de sangue aos poucos. Eu já estava fraca, então não aguentei a dor e caí no chão, com a mão onde a bala atingiu. Tudo começou a ficar preto, acho até que comecei a delirar, pois ouvi Jake e Daniel gritarem em uníssono:

- NÃO!

Daniel

Meu coração parou naquela hora ao ver Sam caindo no chão. Olhei em volta procurando de onde possa ter vindo o tiro e me deparei com um Jaden, todo ensanguentado, mirando em Sam, tentando disparar novamente. Me soltei do policial, mesmo com as mãos algemadas e comecei a chutá-lo.

- Seu desgraçado! Vagabundo! - Os gritos se misturaram com as lágrimas que não pude conter. Quando eu ia correr em direção à Sam, dois policiais me seguraram e outros dois correram em direção à Jake, que estava tão desesperado quanto eu, pronto para ir em direção de Sam.

*Flashback*

- Não exagera!? - Esbravejei. - Eu vou atrás do Evans e vou estourar os miolos dele. - Apontei o dedo na cara de Jake que se aproximou de mim e disse na mesma convicção que eu:

- Só dizer quando.

- Hoje à noite nós invadiremos àquele galpão. Vá com colete, pois se algo der errado ou a polícia aparecer, lhe darei um sinal e você precisará atirar em algo ou alguém. - Expliquei o plano para ele.

- Ficou maluco? - Jake surtou.

- Relaxa, você vai estar com o colete. O peito será o primeiro lugar que eles procurarão acertar, já que é aí que têm os órgãos vitais. - Disse tocando em seu peito. - É só se fingir de morto e quando a situação amenizar, você foge.

- E quanto à você? - Perguntou arqueando uma das sobrancelhas, enquanto cruzava os braços.

- Provavelmente serei preso, mas tentarei negociar com eles para tentar reduzir a pena, caso eu entregue o Evans. - Expliquei confiante

- Não sei não, cara… - Disse Jake incerto.

- É o único plano que nos resta. - Disse pensativo.

Eu estava devastado, sendo carregado às forças, para dentro da viatura, vendo paramédicos carregando a mulher da minha vida numa maca, em direção à ambulância.

***

Jake

Graças ao meu padrasto, que é capitão da polícia, em menos de 24 horas eu consegui ser solto. Como eu não estava totalmente envolvido no crime das drogas, e apenas me encontraram com uma arma, alegaram ser legítima defesa e consegui a liberdade.

Agora eu estava sentado no sofá de um dos quartos do hospital, ao lado da cama em que se encontrava o corpo de Sam. O quarto estaria em um silêncio absoluto se não fosse pelos "bip" que o monitor cardíaco fazia. Skyler e Rachel estavam em pé, envolta da cama de Sam, com os rostos vermelhos de tanto chorar. Olhei para um ponto fixo na parede pois eu não queria chorar, não na frente delas. Eu precisava mostrar ser forte.

A enfermeira adentrou o quarto, chamando nossa atenção, fazendo com que eu levantasse num sobressalto. Ela nos olhou e disse:

- Vocês devem ser os responsáveis da paciente, certo? - Nós assentimos. - Sinto em lhes dizer, mas devido ao tiro, Samantha perdeu o bebê. Ela não corre risco, mas precisará ficar internada até acordar. - Disse a enfermeira, colocou uma prancheta em sua cama e se retirou.

Horas depois…

Após eu insistir bastante, Rach e Sky foram para casa descansar. Eu me neguei e resolvi ficar ali, para caso ela acordasse; eu estava quase cochilando, então precisava de forças para aguentar mais um pouco. Me levantei e resolvi sair para tomar um café. Quando abri a porta do quarto, me deparei com uma Samantha acordada olhando fixamente para a parede.

- Você acordou! - Disse surpreso, me aproximando de sua cama.

- Sim. - Disse simplesmente. O silêncio se instalou, me deixando nervoso, então disse:

- Vou chamar a enfermeira!

- Espera! - Sam segurou meu braço. - Não conta ao Daniel que eu acordei, por favor.

- Sam o… - Pensei bem antes de falar. - Bem, o Daniel está na cadeia porque ele teve uma leve participação no tráfico de drogas e devido ao tiro que você levou, bem… Você não está mais grávida. - Despejei tudo e acho que foi uma péssima ideia, já que Sam ficou uns 5 minutos parada olhando para o nada, pensando no ontem.

- Tudo bem. Assim é melhor. - Disse fechando os olhos. - Vá chamar a enfermeira pois eu preciso fazer minha mala.

- Para onde você vai? - Indaguei sem entender nada.

- Para bem longe. - Disse simplesmente.

[...]


Notas Finais


CHEGAMOS AO FIM DA FIC MEUS AMORESSSSSSS!

Essa foi a história e espero que vocês tenham gostado bastante e se divertido muito. Bom, estou com uns planos para essa fic, então ainda não marcarei como finalizada. Fiquem atentossss hahahaah
Obrigada à todos! ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...