História My First Love story - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 47
Palavras 2.016
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Primeira fic original, desculpe qualquer erro.

Capítulo 1 - Remember?


Fanfic / Fanfiction My First Love story - Capítulo 1 - Remember?

-Já está pronta? - Sophi entrou no meu quarto sem bater na porta, típico dela.

-Estou quase. -Respondi soltando o cabelo e dando os últimos toques na maquiagem.

-O azul? - Ela perguntou se referindo ao salto que eu iria usar, concordei com a cabeça e logo ela saiu com eles na mão. Em seguida fui junto, apaguei as luzes e tranquei a porta. Meus sapatos estavam no tapete que tinha a frase "Bem-vindo" em frente a porta, os calcei e entrei junto com ela para o elevador. Descemos para o estacionamento, dessa vez fui de carona. Eu estava um pouco ansiosa e nervosa. Em cinco e cinco minutos olhava pro celular disfarçadamente.

Paramos no sinal vermelho e senti a mão de Sophi tomar o meu celular, tentei protestar, mas ela fez um sinal de silêncio e guardou o celular na sua bolsa.

-Ele não vai te ligar, e se ligar não vou deixar você atender. - Comecei a choramingar todo o percurso e falar um monte de desculpas para ter o meu celular de volta. Paramos em frente o local marcado e ela ordenou.

-Você vai entrar naquele bar com um sorriso no rosto, conversar com seus amigos, vai beber e se Deus quiser não vai ser eu que vou te levar pra casa hoje. - Ela deu um sorriso fino no canto do lábio. - Agora vaza do carro.

Desci e a vi entrar primeiro. Na verdade ela está certa.

-Larga de ser besta Lys. - Falei comigo mesma.

Me olhei no vidro do carro confirmando minha roupa e maquiagem e entrei no bar.

Estava lotado de estudantes da minha faculdade.

-Não só alguns amigos? - Falei encontrando Sophi

-Sim, e os amigos desses amigos e os amigos dos mesmo. -Ela riu. - Aproveita que tem muito homem é vai beijar na boca. - Ela me empurrou pro bar.

-Florzinha! - Olhei pro lado e vi Louis com o seu jeito todo escandaloso correndo atrás de mim, ele era alto, de ombros largos e uma voz grave. Era todo comportado, mas era do da um copo de cerveja para mesmo que.... - A minha menina superpoderosas chegou! - Ele me apertou me deixando com falta de ar.

-É bom te ver também. -Ri.

-Que sapatos maravilhosos! Pokémon evoluiu muito desde que te conheci, a faculdade te fez bem né amiga? - Louis é daqueles que não leva desaforo para casa, e sempre vai falar o que pensa. Apesar que as criticas dele as vezes são pesadas você nunca o verá falar mal de alguém pelas costas e sempre defende os amigos.

- Lógico né meu bem, fazendo faculdade de moda tenho que saber pelo menos me vestir bem.

-Mas as vezes tem alguns looks que... Amiga vamos combinar, são horríveis.

- Já bebeu quantas ein? O álcool tá afetando o seu senso crítico. - Ele deu uma risada alta.

-Não vou falar nada porque isso pode ser verdade, já não sei quantos copos eu bebi. Vem, que vou te apresentar a uns amigos da parte de música da faculdade. - Ele segurou a minha mão e começou a me puxar.

-Eu acho melhor não, todos que você me apresentou da faculdade de música são meio estranhos, e eu nunca entendo quando eles começam a falar de instrumentos. - Resmunguei.

- Miga o problema é que você quer conversar em vez de pedir pra eles lhe ensinar a tocar a flauta deles.

-Louis! - O repreendi em meio os risos.

- E vai falar que não é o verdadeiro motivo de ficarmos ouvindo eles falarem de acordes ? - Simplesmente ri, não consegui responder nada. - Viu, quem cala consente. Oi meninos essa é minha amiga Fleur de Lys, estado civil solteira.

Sorri e ele me deixou sozinha lá, dizendo que iria buscar mais bebidas. Fiquei no meio da rodinha conversando algum assunto sem algum minimo interesse.

Até que fui pro bar, não gosto muito de cerveja então providenciei um vinho tinto suave. Estava sentada enquanto senti um olhar sobre mim, ele me encarava sem muita expressão, as vezes desviava o olhar, mas voltava a fixa-lo em mim. Era como se tivesse me estudando ou planejado algo. Entre um gole e outro nos olhavamos, entrei no seu joguinho por um tempo. Até que finalmente ele sorriu, jogando a cabeça um pouco para o lado. Seu cabelo era escuro e bagunçado por conta dos cachos grossos, seu sorriso era largo e reluzente. Seus olhos tão escuros quanto seu cabelo mexiam comigo. Engoli seco ao ver aquele sorriso e pela primeira vez naquela brincadeira de trocas de olhares fiquei vermelha, desviei os meus olhos do seu e voltei para o meu vinho.

-Gostou dele foi?

-Que susto Louis! - Coloquei a mão sobre o peito, realmente ele tinha me assustado.

-Gostou ou não? -Dei de ombros.

-Ele é bonito. - Sorri.

-Me alguns minutos que eu descubro quem é.

-Você não sabe?

-Linda, brotou gente aqui hoje, eu chamei só alguns só que agora tem gente até de outras universidades. -Ri

-Então vai lá Sherlock.

-Ok, já voltou Watson.

Tomei mais algumas taças de vinho enquanto observava de longe Louis.

-Se aquela bixa me ver aqui ele arranca os meus cabelos.

-Natalie! - A abracei forte. Natalie era miga amiga de infância, ela fazia agronomia em outra universidade, era muito difícil de nos ver, já que tínhamos horários totalmente diferente, mas nunca deixamos de ser amigas. - Foi só daquela vez. -Ri.

- Melhor não arriscar. - Louis brinca não gostar de Natalie, apesar que os dois realmente soltam farpas um para o outro as vezes, mas só quando Natalie não está devidamente "arrumada" de acordo com Louis, mas realmente ela é mesmo muito desligada pra moda.

-Sem falar que eu estou invadindo as festas de universidades alheias.- Rimos.

-Você foi convidada boba.

-Sei, está devendo quanto pra ele ein? - Ele disse bebendo o meu vinho e depois pediu uma vodka.

- Florzinha! Vem cá! - Louis apareceu. - Ah, você está aqui. - Ele no analisou Natalie de cima abaixo.

-Se reclamar no meu ouvido de novo eu juro que vou invadir sua casa e cortar todas as suas roupas com uma tesoura.

Tentei segurar o riso enquanto Louis se fez de ofendido. Os dois começaram a discutir ali mesmo e eu já não conseguia conter o riso.

-O seu amigo é uma figura. - Ouvi uma voz atrás de mim e me arrepiei, me virei e vi o cara que me encarava a alguns minutos atrás.

-Cada dia com ele é uma comédia. - Tentei me manter calma e com um sorriso no rosto.

-Ele me falou de você, não é nem um pouco discreto. - Ele sorriu, aquele sorriso de novo...

-Me perdoe por qualquer coisa que ele falou de mim, as vezes ele fala cada coisa.

-Não sei se fico mais surpreso sobre o fato que ele disse que você se inscreveu para ir para Marte para o projeto de colonização e estudos sobre esse planeta ou se fico surpreso por ele ter apertado a minha bunda e pedido o meu número. - Ele fingia estar realmente pensando enquanto eu não me aguentei e comecei a rir.

-Ele faz isso com todo mundo, não se preocupe, e ele já está bebado também.

-Bom saber. Apesar que gostei ele tem pegada! - Ele se fez de supreso e eu ri mais ainda, coloquei a mão sobre o rosto tentando recuperar o fôlego. Ele sorriu junto, pude sentir o seu olhar sobre mim, com o tempo fui me controlando e ficando um pouco corada.

-Você continua linda. Na verdade ainda mais. - Ele murmurrou, disfarçando enquanto bebia um pouco.

- A gente se conhece? - Perguntei com um sorriso e arqueando a sobrancelha.

-Seu olhar de desconfiada ainda é o mesmo. - Ele riu baixo para si mesmo. E eu ainda tentava relambrar de onde.

-Qual é mesmo o seu nome? - Perguntei.

- Se você não descobrir até o final eu volto pra te contar. - Ele piscou um olho, com a borda do copo na boca ele saiu sem me dizer mais nada, me deixando confusa.

-Hmm... Quem é o gato? - Olhei pro lado e vi Mia, mais uma de minhas amigas, assim como Sophi estávamos na mesma universidade, só que Mia fazia psicologia.

-Eu não sei o nome dele... - Ela ficou ali comigo o encarando por alguns minutos.

-Ele me lembra alguém.

-Parece que ele me conhece, mas não disse da onde.

- É familiar, mas não me lembro de onde.

Bebi, dancei, não vou negar beijei algumas bocas, mas não passou disso, na verdade não sou muito de ficar só por ficar, mas as vezes não faz mal.

Não sei em que horas foi isso, mas quando me dei conta estava uma turminha sentada em uma mesa conversando e brincando.

-Eu não aguento mais esse povo apaixonado, se for pra namorar vaza da minha frente! Eu acho que sou alérgico a felicidade alhei. - Louis disse totalmente bêbado abraçado a uma garrafa fazendo as pessoas dá mesa rirem.

- A gente reclama só porque está solteiro, mas aquando arruma alguém só falta aparecer passarinhos pra cantar com a gente. - Alguém que eu não conheço comentou, mas mesmo assim ri.

- Mas quando acaba é uma desgraça. -Dei minha opinião.

-Miga você só fala isso agora porque foi corna. De novo. - Louis falou pausadamente.

- E quem já não foi? - As pessoas riram.

- Se eu soubesse que era assim nunca teria namorado. - Mais um desconhecido comentou.

- Mas ninguém nega que o primeiro amor foi mágico. - Sophi falou.

- Se eu ver meu primeiro amor eu jogo uma pedra nela e faço uma oferenda aos deuses. - Louis falou.

- Lógico sua primeira namorada foi uma mulher e você é gay.

-Detalhe.

-Mas toda história de primeira amor é sempre marcante, o meu primeiro amor nem se quer sabia que eu existia, e olha que eu me tornei nerd só pra ficar mais perto dele. - Uma garota falou virando o copo.

- O meu primeiro amor foi pra Suíça uma semana depois deu me declarar. - Um rapaz falou dessa vez.

-Caralho ein.- Natalie falou fazendo a mesa rir.

-E você meu bem? - Louis Perguntou para mim enquanto os risos de acabava.

-Eu? Ah...

-Conheci o meu primeiro amor no segundo ano no clube de literatura. - Olhei para o dono da voz que roubou a minha vez de falar ele me olhava calmo com o sorriso no canto do lábio se sentando de frente pra mim na roda.

Sorri pra ele.

-Que coincidência. O meu primeiro amor também conheci no clube da escola. -Falei.

- Ela era péssima com gramática, mas ótima com criatividade. - As pessoas na mesa riram, ele continuou a olhar para mim, dessa vez sério.

-O meu sabia tocar piano. -Comentei. Ele sorriu.

- Tocar piano é como tocar nuvens e ouvir a melodia da chuva. - Ele piscou e se levantou, a conversa continuava. Pisquei várias vezes e também me levantei e fui atrás dele, que já estava pegando o seu casaco e saindo.

-Ei. - Chamei, ao abrir a porta do estabelecimento.

-Sim? - Se virou para me olhar.

-Professora Abigail, sala 27, do segundo ano do ensino médio. - Ele sorriu e de novo jogou a cabeça levemente pro lado.

- Leite e biscoitos todas quintas. - Engoli seco, senti o meu coração parar por alguns segundos e depois bater mais forte, machucando o meu peito. - Você se lembra de mim?

Concordei com a cabeça, minhas mãos sem motivo aparente estavam suadas naquela noite fria.

- Que bom, até mais minha Fleur de Lys. - Disse me dando as costas, com o coração disparado e ofegante como se tivesse corrido uma maratona entrei, respirei fundo.

-Achei que você tinha ido com ele. Que foi não rolou nem um beijinho? - Sophi perguntou.

-Nossa você está pálida. Que foi? - Mia disse arqueando a sobrancelha.

- Até parece que viu uma fantasma. - Natalie comentou.

-Linda não se preocupe, eu já sei o nome, a sala e a faculdade que ele faz. O Nome dele é...

- Henrri Armistead - Murmurrei.

-Nossa já sabia? Banquei o Sherlock atoa. - Louis lamentou.

-Gente...- Chamei a atenção de todas. - Eu acho que reencontrei o meu primeiro amor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...