1. Spirit Fanfics >
  2. My gangsters (Furry/Interativa) >
  3. Boate

História My gangsters (Furry/Interativa) - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oie~



Genteeeeee, não entendam o Nathan como cara mau, isso só depende da escolha que vocês fizerem hehe~~~


aproveitem o cap!
boa leitura~

Capítulo 4 - Boate


2018.03.08, Thursday, 02h37min


— Você é estranho... — disse meio receoso.

Ele riu.

— Estranho é uma palavra podre para me definir... Mas, sim, digamos que eu seja, tarado, psicopata super emocional, lindo, gostoso, maravilhoso, cafetão, gostoso, lindo, sádico, gostoso, amor da sua vida, seu noivo, e... Eu já disse gostoso?

— E super convencido!

— Exatamente.

Revirei os olhos.

Ele veio até perto mim.

— Só digo uma coisa... Não leve tudo que eu faço a sério.

— E como posso saber que você não vai estar falando sério?

— É simples... Acho que um dia você verá.

Me estremeci.

— Troque de roupa, vamos sair. — ele disse apontando umas roupas dobradas, próximas a mim.

— Sair? Pra onde?

— Tenho que cuidar da minha boate, e você está sob minha supervisão.

Olhei ele.

— Não seria mais simples me deixar dormindo?

— Quer que eu te dope? — ele riu.

— Deixa pra lá... Eu só vou porque eu tenho um pouco de medo de você.

— O quê? — ele disse.

Num rápido movimento ele pulou em cima de mim, me fazendo deitar novamente na cama.

Encarei ele com medo.

Ele segurou meus pulsos.

— Você não precisa ter medo de mim... Não vou te fazer mal. — ele disse e deu um sorrisinho sexy, ele se aproximou do meu ouvido — A menos que você peça.~ — sussurrou no mesmo e lambeu meu pescoço.

Eu corei.

— Sabe o que da vontade de fazer com você deitado nessa cama?~

Corei ainda mais.

— N-Não...

— Comer... — ele se levantou rapidamente — Um bolo de chocolate.

Logo encarei ele.

— Ué.

— O que pensou que fosse? Como você é safado!

— Eu?! 

Ele riu.

— Vai, levante dai, eu estou atrasado. — ele saiu do quarto — Ah, eu estarei do lado da porta, e se você tentar fugir pela janela, vai cair de uma altura de quatro metros e meio, isso te deixaria no mínimo morto, então não seja burro a este ponto. — ele dizia tão natural.

Suspirei e ele logo saiu fechando a porta, fui me trocar.


[...]


Havíamos chegado na boate, estava lotada de homens, e tinham algumas mulheres.

O Nathan me disse que era uma boate de diversos gêneros de pessoas, por esse lado eu meio que achei interessante.

— Deixe eu te dizer uma coisa... — ele disse após chegarmos na sua sala — Você vai ter que trabalhar se quiser sustento, tipo, comprar algumas coisas, ou sua própria comida... Enfim, você tem que se virar assim como todo mundo daquela casa.

— Mas que diferença faz, vou morrer daqui a 15 dias.

— Na verdade 14, e deixe eu te falar, se você quiser morrer "feliz", aproveite e aceite minha proposta!

Suspirei.

— E o que seria?

— Trabalhar pra mim, juro que você recebe bem!

— Oi?! — encarei ele — M-Mas eu não sei dançar...

— Eu ensino... Pelo menos só o básico do que se deve fazer...

— Não sei... Eu teria direito de pensar?...

— Então aceitaria? — ele riu.

— Não sei...

Logo a porta de sua sala foi aberta e nós olhamos na direção dela, James estava entrando.

— Diga meu bom?~

— Vai cagar... — disse e logo ele me olhou — Você trouxe a mercadoria para o trabalho? Seu irresponsável! E se ele fugir?! Você é idiota? — James foi até Nathan e o agarrou pela camisa — Você quer que ele suma na multidão e depois fuja?!

— Relaxa, eu avisei os seguranças, ele está sendo vigiado de longe, se ele fugir, é morte na certa ou talvez um tranquilizante.

— Seu maluco! — James o soltou — Sou mais responsável que você.

— E é por isso que você vai tomar conta dele meu querido!~ — ele disse sorrindo.

— Tenho cara de babá agora?! — James o olhou furioso.

— Claro, cara de babá... Ca. Entendeu o trocadilho, hein?~ "Babaca".

— Claro que eu entendi seu idiota! Não precisa explicar tuas piada merda! — James me pegou pelo pulso — E eu vou supervisiona-lo, mas não porque você mandou! Faço isso porque sou mais responsável!

— Certo, certo. — Nathan dizia sorrindo.

Logo James saiu me puxando e apertando meu pulso com força.

— Ai! Poderia me soltar? Eu sei andar sozinho! — olhei ele.

— Você sabe é fugir! Seu bunda mole!

Ele soltou meu pulso.

— Nem pense em fugir, ou senão eu corto suas pernas!

— Credo... Eu tenho medo de morrer, será que vocês não poderiam parar de me ameaçar por um segundo?

— Que seja... Vamos.

Nós voltamos para o centro da boate, a pista era gigante, luzes azuis e roxas iluminavam o local, de tempo em tempo tinham strippers de diferentes gêneros.

Me sentei numa mesa com James, ele estava de frente pra mim, a mesa era de vidro e redonda, tinha quatro cadeiras de cada lado.

O olhar de James me incomoda.

Não falamos nada, estava bem desagradável.

— Não vai pedir nada? — ele disse.

— Não tenho dinheiro...

— Pede que eu pago.

Olhei ele.

Fizemos pedidos para uma garçonete, ela usava roupas bem ousadas com decotes quase mostrando tudo.

Ok.

James pediu bebidas.


[...] 


James estava bêbado dançando com duas garçonetes.

Logo ele voltou a se sentar comigo, ele sorria.

Ele apoiou a mão no rosto e me encarou.

Desviei o olhar.

Voltei a olhá-lo e logo ele começou a chorar.

O que eu faço agora?


Notas Finais


Espero que gostem!~

Vocês farão duas escolhas agora!

Sobre a proposta de Nathan, S/n deve:

"Aceitar"
"Recusar"

Sobre o James, o que S/n deve fazer:

"Consola-lo"
"Ficar quieto"
"Fugir"



até a próxima~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...