História My gijinka mansion- Magmarashi mansion - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Braixen, Chikorita, Delphox, Gengar, Gijinka, Hentai, Pokémon, Quilava
Visualizações 8
Palavras 4.270
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Se tiver erros ou o final não tiver muito bom, foi mal, fiquei com sono.

Capítulo 4 - Novo dono


Fanfic / Fanfiction My gijinka mansion- Magmarashi mansion - Capítulo 4 - Novo dono

O dia clareava e os raios de sol entravam por uma persiana e batiam no rosto do jovem Quilava que estava prestes a ter um grande dia, ele estava de pijama em sua cama, totalmente bagunçada.

 

-Ugh, por que meus dias sempre começam assim? Dan.

 

-Bom, meu velho quarto querido, nós tivemos bons momentos mas, esse é um adeus, Eu já trabalho para eles a um tempo, mas hoje é finalmente o grande dia da reinauguração do parque utópico do senhor Robert. Dan

 

Dan se levantou e fez sua higiene matinal, então ele foi até a cozinha preparar seu café, ele estava fazendo ovos mexidos quando sentiu um par de mãos pequenas, de uma Braixen tocando seu tórax.

 

-Bom dia irmãozão, tem pra mim também? Hanna.

 

-Claro fofinha, já tá quase tudo pronto. Dan sorrindo.

 

Dan então desligou o fogo e deu um beijo calmo porém romântico em Hanna, mesmo com a diferença de altura não havia problema, Hanna cruzava os braços atrás do pescoço de Dan, e ele segurava e massageava a bunda dela. A relação deles havia evoluído bastante durante esses dois anos, além de muitos beijos eles também trocavam carícias, apesar deles não terem nem chegado a fazer sexo, o que deixava Hanna muito frustrada.

 

-Bom, acho melhor comermos antes que fique frio. Dan.

 

-Se bem que esse momento está tudo muito quente. Hanna sorrindo de canto.

 

-Sério, o dia vai ser puxado para mim, vamos comer logo porque eu tenho que sair. Dan.

 

-Pelo menos faz mais um pouquinho. Hanna manhosa.

 

Dan então virou Hanna de costas e começou a chupar seu pescoço, ele quase tirava gemidos dela, mas ela se continha para ele não estranhar, rapidamente Dan foi chupando mais intensamente, até que ele apoiou Hanna numa bancada e pôs sua mão direita por dentro da camisa dela e começou a massagear o seio direito, com isso ela não podia mais se conter e soltou alguns gemidos baixos, ela percebeu que Dan não se importou com isso e então continuou a soltar mais gemidos baixinhos, com tudo aquilo ela já estava muito excitada e estava prestes a colocar sua mão dentro da sua calcinha quando eles ouvem um barulho nas escadas, rapidamente Dan se afastou e soltou a Jovem e quando Hanna percebeu Dan já estava servindo os ovos mexidos, Hanna então se recompôs e se sentou à mesa muito frustrada e cabisbaixa.

 

-Ola senhor Dan e senhora Hanna, por que não pediram para o Johnny fazer o café? Olivia.

 

-Eu tô empolgado e gosto de cozinhar então *da de ombros, né? Dan.

 

-Ah, e senhorita Hanna, a senhorita me parece muito cabisbaixa. Olivia.

 

-Hehe, nada não. Hanna com um sorriso sem graça.

 

-Que droga eu tava tão perto, só Arceus para saber quando vou ter uma chance dessas de novo. Hanna pensando.

 

-O café está pronto. Dan colocando os pratos na mesa.

 

Dan e Hanna começaram a tomar café enquanto Olivia cuidava do jardim.

 

-Irmão, vamos fazer isso de novo? Hanna.

 

-Sabe, eu vou me mudar hoje, quando você me visitar talvez possamos fazer. Dan.

 

-Sério? Hanna muito empolgada.

 

-Com certeza. Dan sorrindo.

 

Hanna deu um sorriso enorme e deu um beijo na bochecha de Dan, então eles comeram o café sem mais interrupções. Quando terminaram Dan pôs os pratos na pia e foi mudar de roupa, porém Hanna gostava de mudar de roupa na frente do Dan, então ela o puxou para o quarto dela e o pôs na sua cama.

 

-Por que você sempre faz isso? Dan.

 

-Para você aproveitar o corpo da sua maninha. Hanna sorrindo

 

Hanna vestia apenas uma bata rosa e um shorts rosa, que era bem justo, então Hanna tirou seu shorts de dormir sem dobrar os joelhos revelando sua calcinha vermelha de renda, então ela tirou a parte de cima bem lentamente e ficou só de roupa íntima, e foi para perto de Dan e sentou em seu colo de frente para ele.

 

-Agora, mais beijinhos. Hanna.

 

Dan e Hanna se beijaram e continuaram com suas carícias, Hanna dava chupões no pescoço de Dan e o Quilava novamente massageava sua bunda.

 

-Cuidado, vai acabar tirando minha calcinha. Hanna num tom pervertido.

 

-Hum… Que tal tirar mais que isso? Dan.

 

-O que? Hanna confusa.

 

Hanna levantou seu corpo.

 

-Ué por que não? Dan.

 

-Incrível, que ideia magnífica, vou fazer isso. Hanna animada.

 

Hanna se levantou e ficou de costas para Dan.

 

-Se realmente quiser desembrulhe seu presente. Hanna.

 

Dan se levantou e apertou seu corpo contra o de Hanna e pôs suas mão no fecho do sutiã, que ficava na frente, ele removeu o sutiã de Hanna e jogou na cama.

 

-Nossa, eles são maiores do que parece. Dan.

 

-Obrigado, será que eles vão ser tão grandes quanto os da mamãe? Hanna.

 

-Se eles crescerem tanto vai precisar de uma nova coluna. Dan sorrindo.

 

-Para seu bobo. Hanna sorrindo.

 

-Falta uma peça, melhor tirar também. Dan.

 

Dan se afastou na distância dos seus braços e Segurou a calcinha de Hanna, então ele se abaixou e tirou a calcinha dela.

 

-Bem bonita mesmo. Dan.

 

-Quer ver melhor? Hanna pervertida.

 

A garota então puxou um dos lados da sua bunda revelando sua bucetinha, que era rosada num tom bem claro.

 

-Que bela visão. Dan.

 

-Quer uma festa de despedida? Hanna num tom pervertido.

 

-Vamos fazer isso quando você me visitar. Dan.

 

-O que? Não, pelo menos me deixa fazer uma coisinha? Hanna.

 

-Ta, o que você quer? Dan

 

-Apenas sente na cama e eu faço o resto. Hanna.

 

 Dan fez o que Hanna disse, e então ela foi até ele abaixou sua calça revelando seu membro levemente ereto.

 

-Olha só, ele não está como pensei mas, posso resolver isso. Hanna pervertida.

 

A garota pôs o membro em sua boca e começou a chupa-lo e lambê-lo levemente, ela também dava lambidas por todo o membro.

 

-Sua amiga está te ensinando coisas muito pervertidas. Dan.

 

-Como sabe que foi ela? Hanna.

 

-Eu te conheço, e conheço ela, sei que não prenderia algo assim sozinha.. Dan.

 

-Seu espertinho. Hanna.

 

-Bom, desculpa apressar mas, se você sentar no meu rosto isso acaba mais rápido. Dan.

 

-Sempre apressado, mas eu quero isso então sim. Hanna.

 

A garota se sentou no rosto de seu irmão e ambos começaram a dar prazer um ao outro, Dan lambia cada canto da Bucetinha de sua irmã, tirando vários gemidos da garota, Hanna também tirava alguns gemidos de Dan, ambos estavam amando este 69 incestuoso.

 

-Você… Ahhh… É ótimo nisso. Hanna entre gemidos.

 

-Tive bastante prática. Dan.

 

Então ambos continuaram assim, Hanna continuava do mesmo jeito, já Dan estava pondo sua língua ainda mais fundo em sua irmã.

 

-Ahhhh Dan eu… Hana cheia de prazer.

 

Com isso os Hanna acabou gozando na boca do seu irmão, Dan lambeu os lábios para se limpar e Hanna se ajoelhou novamente.

 

-Ué tá aí de novo? Dan.

 

-Ainda falta você. Hanna num tom pervertido.

 

A jovem Baixem após o membro de Dan na boca e começou a passar com a língua por toda a cabeça até Ele gozar em sua boca, e ela engolir tudo.

 

-Hum, delicioso. Hanna sorrindo.

 

-Ótima despedida, agora eu tenho que ir. Dan se levantando da cama.

 

-Grrr, você sempre sai sem mais nem menos. Hanna irritada.

 

-Desculpa, é que eu não gosto de me atrasar, e além do mais, se me pegarem aqui eu to ferrado. Dan saindo do quarto.

 

Dan fechou a porta e foi direto pro chuveiro, deixando Hanna sozinha em sua cama.

 

-Essa foi uma prévia incrível para o show principal, vou me planejar toda para visitar a casa nova do meu irmãozinho querido. Hanna pensando.

 

Dan já estava no banho, ele estava lavando seu cabelo tranquilamente e nem percebeu a porta abrindo, só foi se dar conta de alguma coisa quando sentiu a água esfriar.

 

-Como a água ficou mais fria? Dan confuso.

 

Nesse momento ele sentiu o toque de pequenas mãos femininas em seu ombro.

 

-É que eu achei que você precisasse de ajuda, principalmente para lavar o seu, bom acho que não podemos chamar de amiguinho. Olivia num tom pervertido.

 

-Eu não vou ter sossego hoje. Dan pensando.

 

-Olivia, sabe que nunca precisei de ajuda no banho. Dan.

 

-Bom, eu já tô aqui, então que mal tem? Olivia.

 

-Okay, mas é melhor fazermos logo, eu tenho que sair. Dan.

 

-Certo mas você vai ter que lavar meu corpo inteiro também *piscadinha. Olivia sorrindo.

 

-Claro. Dan sorrindo.

 

Primeiro foi Dan, Olivia começou ensaboando seu tórax e foi descendo para seu abdômen.

 

-Agora lava minhas costas por favor. Dan apontando para as costas.

 

-Claro. Olivia pervertida.

 

Olivia ensaboou seus seios e começou a esfregá-los contra as costas de Dan que sentia seus mamilos endurecidos, ela então desceu a mão até seu membro e começou a lavar como se fosse uma punheta, quando ele ficou endurecido ele parou.

 

-Minha vez. Olivia.

 

-Com certeza. Dan sorrindo.

 

Dan começou pelos seios de Olivia, que eram pouco menores que os de sua mãe, eles haviam crescido bastante desde quando ela começou a trabalhar para os Fritz, Dan Foi descendo até sua barriga e depois foi para suas coxas.

 

-Bom trabalho, agora por trás, digo, nas costas. Olivia num tom pervertido.

 

-Se é assim mesmo que deseja. Dan.

 

Dan começou a lavar as costas de Olivia, porém com seu corpo bem próximo ao dela, quando ele terminou Olivia se apoiou na parede.

 

-Falta um lugarzinho senhor. olivia abrindo sua buceta com dois dedinhos.

 

Dan segurou a cintura de Olivia, suavemente e com firmeza, e colocou seu membro na entrada da Buceta de sua empregada, e começou a penetrá-la, era a primeira vez que faziam juntos, apesar de Olivia já ter feito algumas coisas pervertidas junto com Dan (talvez por já ter sido exposta várias vezes aos seus produtos).

 

-O senhor realmente tem habilidade nisso não? Olivia.

 

-É eu aprendi com o tempo. Dan sorrindo.

 

-É com certeza isso é super efetivo. Olivia.

 

Eles continuaram nisso por um tempo até Dan tirar seu membro da vagina de Olívia, o que a deixou frustrada.

 

-Ei, você tem que terminar. Olivia reclamando.

 

-Claro, mas você não havia dito, “por trás”? Dan sussurrando num tom malicioso.

 

-Não esperava isso… Apenas comece devagar por favor. Olivia corada.

 

-Eu nunca ousaria te machucar. Dan dando um selinho na bochecha de Olivia

 

Dan posicionou seu membro na entrada anus de Olivia e começou a penetrá la bem lentamente, não era a primeira vez que Dan fazia esse tipo de coisa então sabia o que estava fazendo.

 

-Pode acelerar agora. Olivia.

 

-Sério? Dan confuso.

 

-Sim pode ir. Olivia.

 

Dan acelerou suas estocadas levemente, e Olivia não demonstrava ter problema algum com isso, ele foi aumentando aos poucos e já estava começando a tirar vários gemidos da bela Froslass, ambos estavam gostando muito desse momento.

 

-É muito interessante, você é muito boa nisso. Dan.

 

-Eu tenho um emprego muito estressante, como você acha que eu relaxo? Olivia.

 

Assim que Dan ouviu essa frase ele deu um grande sorriso malicioso.

 

-”Você”? Onde está aquele respeito de sempre? Dan.

 

-Talvez eu esteja ficando íntima demais, ou eu sou uma garota pervertida que precisa de muita dureza. Olívia com um sorriso pervertido.

 

-Então eu vou fazer isso. Dan sorrindo.

 

Dan começou a dar estocadas muito mais fortes, rápidas e profundas, Olívia começou a gemer muito com isso, Dan sentia o seu pênis sendo muito apertado por Olivia, a garota estava quase prensada contra a parede enquanto Dan a fodia, seus peitos maciços balançavam como loucos a cada estocada que Dan dava.

 

 ele acabou diminuindo um pouco para pegar mais fôlego.

 

-Com certeza o senhor é o melhor chefe do mundo… Ahhhh, quando se mudar não vai querer que eu vá também? Ohhh. Olivia com a voz cheia de prazer.

 

-Não vai dar, mamãe e Hanna vão precisar de você. Dan.

 

Nesse momento Olivia se lembrou de seus momentos estranhos com Beatice.

 

-Sabe, eu já beijei a sua mãe. Olivia.

 

-Sério? Quando? Dan.

 

-Várias vezes, antes mesmo do seu pai morrer, e eu também já toquei nos peitões dela. Olivia provocativa.

 

-Está se gabando ou o que? Olhando pelo lado bom, se conseguir ficar com ela não será mais doméstica. Dan.

 

-Eu não sou esse tipo de garota, mas se fosse, eu iria preferir sua amiga Carmem. Olivia.

 

-Okay, acho que você vai precisar de um pouco mais de severidade. Dan sorrindo maliciosamente.

 

-E-espera eu ainda na... ohhh… Ahhh. Olivia gemendo.

 

Dan começou a estocar muito ferozmente, Olivia acabou ficando com os olhos revirados e pôs a língua pra fora, ela gozou rapidamente quando Dan começou, mesmo assim ele não parou.

 

-Ainda falta um pouco para eu acabar, aguenta só mais um pouquinho. Dan.

 

-Ahhhh… Ohhhh… AHHHH. Olivia gemendo com sua língua de fora.

 

Dan deu mais algumas estocadas forte e acabou gozando bastante dentro do cuzinho de Olivia.

 

-Nossa, isso foi ótimo, muito obrigado. Dan sorrindo.

 

Olivia ainda estava meio zonza e ofegante, mas depois de se limparem ela já tinha se recuperado.

 

-Ufa, nossa, isso foi muito intenso. Olivia se enrolando numa toalha.

 

-É, mas eu tenho que ir. Dan.

 

-Hei, o senhor sempre faz isso, sai sem se despedir. Olivia com o rosto inflado.

 

-Hehe, eu sempre faço isso né? Dan com um sorriso bobo.

 

Dan foi até olivia e deu um belo e apaixonado beijo.

 

-Até mais, bela dama do gelo. Dan sorrindo.

 

-Te vejo logo belo mestre. Olivia corada.

 

Dan saiu do banheiro e foi direto para seu quarto se vestir, ele pôs uma camisa social branca, calça social preta, sapato social preto, gravata cinza, e um relógio prata, após se vestir ele desceu as escadas saiu de casa e viu uma grande limusine preta estava parada a frente de sua casa.

 

-O que que é isso? Dan surpreso.

 

Ela desceu as escadas de sua casa e foi até um Houndoom(imagem) que estava sentado no porta malas.

 

-Eae mini patrão como vai o senhor? Houndoom se levantando.

 

-Tudo ótimo mas, quem é você? E por que tem uma limusine? Dan.

 

-Claro, acho que não te avisaram, meu nome é Ash, e eu sou o novato dos seguranças, e eles tem uma regra do novato ser o motorista, se bem que eu adoro esse carro, e eu vou te levar para a conferência. Ash.

 

-(*pensando, caraca ele fala muito) Bom, okay, melhor que ir de scooter. Dan.

 

-Beleza, é só o senhor entrar e se aconchegar, eu dirijo. Ash.

 

-Claro cara. Dan com a mão pra cima.

 

-*hi-five. Yeah, já gostei do senhor. Ash sorrindo.

 

Dan entrou na limusine e ela era incrivelmente bonita por dentro, ele se sentou no banco e viu uma televisão maior que a da sua casa, aquela limusine mais parecia uma sala de estar, Ash ligou o motor e começou a dirigir até a mansão do senhor robert, que ficava numa propriedade gigantesca quase fora da cidade, estava demorando um pouco e não estava passando nada de bom na tv Dan decidiu conversar com Ash.

 

-Ei Ash. Dan

 

-O que foi chefe? Ash.

 

-Sabe, Quais são seus pokémons? Dan.

 

-Eu tenho um graveler, um machop e um primeape, e o senhor? Ash.

 

-Sabe, eu tenho tantos que não lembro todos. Dan.

 

-Bom, o senhor deve ser bom com eles seu pai era famoso por isso. Ash.

 

-É, mas eu vou ultrapassar ele com certeza. Dan.

 

-Boa sorte chefinho, siga seus sonhos. Ash.

 

-Você com certeza tem os seus, quais são? Dan.

 

-Eu não sei, eu quero abrir minha próprio estúdio de customização de carro. Ash.

 

-Hehe, bem que você disse que gosta de carros. Dan.

 

-Chefe, qual é a dessa conferência aí? Ash.

 

-É que vamos fazer um super anuncio para a reabertura da mansão Martin. Dan.

 

-Peraí, o senhor vai ser o próximo dono com essa idade? Ash surpreso.

 

-É que meio que o senhor Robert gostou de alguns dos meus trabalhos, daí ele me contratou e me deu uma grande promoção. Dan.

 

-O senhor deve ser um gênio, mas eu espero mesmo que tenha um lugar na mansão pra mim. Ash.

 

-Claro, no prédio dos funcionário, ou pode virar um morador. Dan.

 

-Isso parece que vai ser incrível. Ash empolgado.

 

Logo eles chegaram por trás da propriedade, Dan saiu da limusine e se despediu de Ash, que saiu para estacioná-la, Dan observava o quão grande era esse lugar com um grande sorriso no rosto, incrivelmente assustado com o fato de ter que cuidar de uma corporação multibilionária, ele pôs suas mãos pouco trêmulas em seus bolsos e caminhou com um sorriso no rosto até o palanque onde ocorreria a conferência, ele seguiu a esquerda e foi até uma grande tenda atrás dele.

 

-Olá, o senhor chegou, ainda bem, achei que íamos começar sozinhos, estava ficando preocupado. Robert.

 

-Hehe, claro, sem problemas. Dan com um sorriso forçado.

 

-Então você é o moleque que vai ser meu novo chefe. Luxray

 

-Ah Dan, não te apresentei, esse é Gideon, ele é da nossa divisão para assuntos da liga pokémon. Robert.

 

-Oi como vai. Dan.

 

-Desde que eu criei a liga pokémon, e revivi todos os antigos pokémons, eu contrato alguém para cuidar de assuntos de organização regras e para legalizar e banir alguns comportamentos. Robert.

 

-Eu sou basicamente um mestre pokémon se ter que batalhar. Gideon sorrindo.

 

-É que legal, quando a conferência começa? Dan.

 

-Falta só o senhor Pines chegar. Robert.

 

-Ele é o pesquisador que seu pai salvou, e ele tem dados promissores sobre os lendários de Kanto graças a isso. Gideon.

 

-Okay, então eu vou me sentar e esperar. Dan.

 

Dan se sentou numa das duas poltronas do local e tentou relaxar,me sem que ele percebesse Gideon se sentou na poltrona que ficava ao lado separada por uma mesa de vidro circular.

 

-Cara, eu te conheço, e é a primeira vez que já te vi nervoso, e bota nervoso nisso. Gideon.

 

-Q-que nada, eu to bem. Dan ansioso pelo susto.

 

-Eu sei que o peso de 58 bilhões em circulação é colossal, mas se o velhote pode por que você não? Gideon.

 

-Ci-ci-cinquenta e oito bilhões!? Dan espantado.

 

-Haha, você ta ferrado se continuar assim. Gideon rindo.

 

Gideon pegou a garrafa de água da mesa e despejou em um copo e pôs perto de Dan.

 

-Quando parar de tremer beba, vai te ajudar. Gideon saindo da tenda.

 

Dan tentou se acalmar e pra isso começou a meditar, ele estava consciente que problemas como coisas pequenas poderiam fazer com que houvesse um fechamento final para a propriedade, uma conferência com toda a imprensa da cidade poderia fazer esse lugar nem abrir, mas ele pensou bem no motivo desse lugar existir, e a importância dele, ele respirou bem fundo e tomou coragem de se arriscar. 

 

-Então jovem Dan, tem algum plano especial para este lugar? Robert

 

-Bom, eu quero descobrir tudo sobre os pokémons lendários, e vou  expandir a propriedade e abrir um safari. Dan.

 

-Ótima ideia, eu acho que o senhor será um ótimo dono. Robert sorrindo.

 

-Que tal uma promessa? Dan.

 

-Como assim? Robert confuso.

 

-Eu vou te fazer uma promessa, eu vou realizar seu sonho antes do senhor morrer. Dan levantando seu copo de água.

 

-Grande promessa, eu planejo ver os resultados, que Arceus nos ajude. Robert levantando outro copo.

 

-Um brinde a isso. Dan.

 

Ambos beberam de seus copos e nesse momento entrou na tenda um grande abomasnow acompanhado por Gideon.

 

-Bem vindo senhor Pines. Dan.

 

-Ola senhor Dan, as vans da imprensa já estão na frente daqui, acho melhor irmos. Pines.

 

-Com certeza devemos esperar tudo estar montado não!? Robert.

 

-É melhor irem logo, eles já estão se matando lá. Gideon.

 

-Okay, eu to pronto. Dan se levantando.

 

-Sigam me os bons. Gideon.

 

Eles saíram da tenda e foram até o palanque, Robert foi até o microfone e os outros se sentaram atrás dele, fotos eram tiradas a cada momento e as câmeras já estavam transmitindo tudo ao vivo, as imagens daquela conferência eram transmitidas para o mundo inteiro, os repórteres estavam muito agitados e cheios de perguntas.

 

-Olá senhores, venho aqui anunciar que eu não sou mais o dono de 80% da minha corporação, e que oficialmente a mansão irá abrir para habitação de ginkamons e pokémons juntos, alguma pergunta? Robert.

 

Todos pulavam e levantavam a mão até que Robert apontou para um.

 

-Senhor Robert, como vocês planejam manter a habitação múltipla funcional? Repórter.

 

-Com uma área inteira para um park pokémon, eles serão cuidados pelos melhores profissionais do ramo, porém com os quartos espaçosos os treinadores podem cuidar dos pokémons que quiserem lá dentro. Robert.

 

Mais perguntas foram feitas a cada um lá e eles iam trocando sempre que uma pergunta ia para outro.

 

-Bom, temos muitos sistemas de segurança para resolver isso, mas se um pokémon for gravemente ferido por um treinador, tanto por uma batalha pokémon ou por uma luta dele mesmo, e lutas mano a mano contra pokémons com baixa natalidade no local o treinador será preso imediatamente. Gideon.

 

As perguntas continuavam mas era como se Dan não estivesse ali nenhuma pergunta foi feita a ele até que algo muito inesperado aconteceu.

 

-Então, senhor George Pines, como o incidente da caverna de gelo repercutiu? O sacrifício do senhor Fritz foi mesmo bem aproveitado? Repórter.

 

-Sim, com certeza, dados novos sobre Articuno foram adquiridos, logo será possível ter informações concretas para determinar suas atividades, futuramente estudaremos mais pokémon lendários também. George.

 

-Mas e quanto ao fato de sua vida ter sido salva em troca da do senhor Fritz? Repórter.

 

-Eu realmente não sei o que dizer sobre isso, ele me salvou por sua própria vontade, não é um assunto que nós comentamos. George um pouco nervoso.

 

Ver o que o repórter estava fazendo deixava Dan completamente furioso, ele não tinha problema em falar sobre a morte de seu pai mas usar aquilo só pela audiência fez ele ferver.

 

-Mas como estavam numa caverna de gelo o senhor não deveria ter no mínimo ajudado? Repórter.

 

Robert não sabia o que dizer, então Dan foi andando com um grande sorriso feito de puro ódio em seu rosto e disse.

 

-Isso não vem ao caso, mesmo meu pai tendo morrido, tudo está completamente bem, ele sabia dos riscos de ir nessa viagem, foi apenas um fatalidade, tudo que aconteceu se deve a um terremoto, impossível prever. Dan.

 

Ao ver a presença do garoto ali os repórteres voltaram toda sua atenção para ele, as perguntas passaram a ser apenas direcionadas a ele, até aquele repórter voltar a perguntar.

 

-Então senhor Dan, e o incidente de 4 anos atrás? Como vocês pretendem resolver isso? Repórter.

 

-Eu vou matar esse desgraçado de merda. Dan pensando.

 

-Sobre aquilo, tudo que aconteceu foi só uma pequena falha no sistema, mas acabou tudo sendo resolvido. Dan.

 

-Os criminosos não foram mortos? Repórter.

 

-Eles morreram por culpa deles mesmos, eles não souberam utilizar corretamente a minha máquina, sem falar que era apenas um protótipo, não havia como eles pudessem usar. Dan.

 

-Mas e se mesmo assim os projetos originais tiverem sido roubados? Repórter.

 

-Mas que puta cara chato. Dan pensando.

 

-Não foram, apenas o protótipo e a as plantas dele, que foram destruídas na explosão, e o que sobrou eu incinerei. Dan.

 

A comitiva continuou e depois de mais algum tempo todos os repórteres se foram e Dan, Gideon, George e Robert, foram até o quarto principal da mansão primária, Dan já entrou tirando sua gravata e se deitando no sofá

 

-Ufa, que saco. Gideon.

 

-Isso com certeza foi uma droga. Dan.

 

-Obrigado senhor Dan, o senhor me salvou hoje. George.

 

-De nada, não podia deixar as coisas assim. Dan.

 

-Senhor Dan, Olha só. Roberto olhando por uma janela panorâmica.

 

Dan foi até a janela e viu um grande caminhão de mudanças, e de dentro caminhão saíram vários Machokes e Vigoroths, e por fim saiu um Machamp gigantesco, ele tinha o tamanho de um golurk, que é um velho amigo de Dan, todos tiraram as caixas de dentro do caminhão e as levaram para dentro da propriedade.

 

-Legal, minhas coisas. Dan empolgado.

 

-E tivemos o cuidado especial que o senhor pediu com as caixas que já estavam prontas. Robert.

 

-Perfeito, eu vou arrumar tudo assim que terminarem. Dan sorrindo.

 

-Vejo que é melhor irmos para deixar o senhor sozinho com o seu novo apartamento. Robert.

 

-Que incrível, essa casa é minha. Dan pensando.

 

-Até moleque. Gideon.

 

-Nos vemos depois. George.

 

Robert e os outros saíram, deixando Dan sozinho em sua nova casa, Quando quase todas as caixas chegaram Dan começou a arrumar suas coisas.

 

-Eae garoto como vai? Tá tudo certo agora, já deixei as últimas caixas, espero que aproveite a casona maninho. Machamp.

 

-Valeu Hutch, mas cara, você não quer virar segurança daqui? Dan.

 

-O que? Sério? Hutch animado.

 

-Com certeza, cara olha o seu tamanho. Dan.

 

-Isso seria ótimo, assim posso abrir finalmente a minha academia. Hutch.

 

-Vou ver quando posso te contratar. Dan.

 

-Valeu carinha eu mal posso esperar, a gente se vê por aí. Hutch.

 

Timeskip ( uma semana).

 

Mais um dia começava, não havia chegado nenhum inquilino ainda, mais as coisas já estavam divertidas, no campo de treinamento os seguranças estavam praticando.

 

-Yeaaah, vão lutem com tudo. Primeape.

 

-Ae cara, não sei como pretende me vencer assim. Ash.

 

-Maninho até que você luta bem mas não é o bastante. Hutch.

 

Ash foi pra cima com tudo usando fire fang porém foi automaticamente derrotado por um close combat.

 

-E a vitória vai para Hutch. Manectric

 

-Woohoo. Todos.

 

-Achei que você trabalhassem para manter a segurança. Dan irônico.

 

-C-chefe nós vamos voltar ao trabalho. Ash.

 

-De forma alguma, antes vão ter que me derrotar. Dan sorrindo.

 

-yahaaaaaa. Todos.

 

-Grande chefe. Hutch


Notas Finais


-Zzzzzzz. Peacemask.

-Yay, eu tive um capitulo novo, e Peace esta dormindo. Dan-Hino.

-NÃO, ele não pode dormir, ele tem que escrever nosso encontro. Hanna.

-Não vai rolar, ele desmaiou. Dan-Hino.

-Que tal fazermos isso sem ele escrever. Hanna.

-Zzzzzzz. Dan-Hino.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...