História My Girlfriend Is A Serial Killer - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, My Friend Dahmer, Serial Killer
Visualizações 21
Palavras 1.009
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Prólogo


"Psicopatas não são legalmente insanos. Eles sabem a diferença entre o certo e o errado. São pessoas racionais, muitas vezes altamente inteligentes. Alguns conseguem ser bastante charmosos. Na verdade, o que assusta neles é o fato deles parecerem tão normais" 

A psicanálise se baseia na crença de que é possível explicar os distúrbios comportamentais de um adulto identificando as causas de suas experiências na infância. Porém, é impossível fazer o inverso, ou seja, analisar as experiências de uma criança e prever exatamente como ela se comporta-rá quando adulta.

Aos meus dez anos de idade, próximo a minha casa, não sei, talvez dois quarteirões de onde eu morava, eu andava pelas ruas com minha bicicleta, foi quando encontrei um cachorro morto perto a praça de onde eu brincar durante os sábados e os domingos, já que eram os únicos dias que eu podia sair de casa. Eu olhei o cachorro caído ali em minha frente e fiquei me perguntando como ele seria por dentro. Então eu voltei o mais rápido possível pra casa, peguei uma faca e então voltei novamente para o local onde eu havia encontrado o cachorro. E olhe só, ele ainda estava lá. (Ah, e sobre minhas ironias...se acostume com elas) Onde eu estava mesmo? Ah sim, claro, enfim....eu achei que seria divertido, então abri a barriga do cachorro e aquilo foi...nojento, porém divertido. No outro dia enterrei o gato do meu vizinho vivo no quintal de sua casa. Foi divertido também.

Foi a partir daí que eu comecei a colecionar animais mortos no porão de minha casa, isso quando pequena claro, hoje não faço mais isso. Eu gostava de pregar sapos vivos em árvores e fazer cirurgias improvisadas em cachorros e gatos. Ah, teve uma vez que eu enforquei um gato para ver até quanto tempo ele levaria para morrer.

Me escondi atrás da árvore que ficava em frente a minha casa, sentindo o vento frio batendo contra meu corpo. Foi então, que aquele corpo passou em frente a minha casa. Ela cantarolava uma música qualquer que tocava em seus fones de ouvidos rosa que combinavam com sua roupa de corrida nesta manhã. Desci meu olhar para meu relógio de pulso contando os segundos. Quando deu o momento certo, assim como todas as manhãs, eu então me posicionei e comecei a correr em passos rápidos até chegar perto da garota que eu admirava todas as manhãs. 

Camila corria em seus passos lentos e tranquilos de sempre. Seus cabelos amarrados em um rabo de cavalo perfeito, sua pele um pouco rosada, seu suor escorria um pouco por sua testa, seus cabelos molhados, uma regata preta com detalhes rosas assim como seu legg que deixava sua bunda maior do que já é. Ela tinha uma garrafinha em sua mão direita, enquanto que a esquerda segurava seu iPhone que tocava alguma música que a deixava relaxada. Acelerei meus passos e então já estava ao seu lado, assim que Camila notou minha presença. virou sua cabeça para o lado me encarando e então sorriu

- Demorou esta manhã - Camila comentou com sua voz doce de sempre

- Oh, sim, eu acordei alguns minutos mais tarde hoje - Mentira. Eu estou em pé desde as duas da manhã te observando pela janela do meu quarto

- É tão louco o fato de você correr no mesmo horário que eu, quer dizer - Limpou um pouco do suor que escorreu por seu rosto - Nos vemos todos os dias

- Sem tirar o fato de que você mora na casa ao lado da minha - Comentei como se não fosse grande coisa 

- Oh, sim - Ela riu baixinho - Ei, eu vou dar uma festa esta noite para comemorar nosso primeiro dia de aula, o que acha de dar uma passada lá?

- Hum, não sei, você mora muito longe - Ela gargalhou. O som mais lindo que eu já ouvi em toda minha vida - Mas quem sabe eu apareça por lá 

- Obrigada, Srta. Jauregui - Piscou. Porra, não pisca assim pra mim que eu tenho vontade de...- Lauren - Me chamou, e pelo que parece, aquela não foi a primeira vez 

- Desculpa, eu meio que me desliguei - Ri baixinho

- É, você faz muito isso - Sorri de canto - Então, o que fazia ontem a noite? 

- O que? Como assim? - Perguntei mesmo já sabendo do que ela se referia 

- Ontem, a meia noite, você estava na sua garagem e parecia estar ligando uma furadeira ou algo do tipo  -  Nós paramos um pouco para respirar

- Ah, sim, é que eu...ah...- Ela suspirou e então se aproximou tocando meu ombro

- Você anda tendo problemas para dormir desde que seu pai faleceu, não é? - Oh claro, porque eu matei ele e agora o quero de voltar. Oh porra, é cada uma...

Sim - Fingi um choro, choro esse que Camila caiu muito bem. Ela me puxou e então me abraçou acariciando minhas costas - Não esta sendo fácil ficar sem ele, entende? Eu nunca vou me acostumar a morar sozinha e....

- Ei, você tem a mim, ok? - Fingi um soluço idiota de choro que fez Camila se derreter cada vez mais em meus braços. Eu estou amando isso - Nos conhecemos desde os 7 anos, certo? Pode contar comigo pra qualquer coisa 

- Ob..obrigada - Porra, eu sou uma ótima atriz. Ei, Globo, ta perdendo

Camila se mudou de Cuba para a casa ao lado da minha aos 7 anos de idade. Ela se mudou com seus pai, e sua irmã que hoje tem 10 anos de idade. Ou seja, mais um ser pequeno e estranho que vive por ai pelo mundo, ou melhor, na casa ao lado da minha. 

- Venha para minha festa se divertir um pouco e distrair a mente, ok? - Ela se afastou aos poucos do abraço e então me encarou no fundo dos olhos

Festa da Camila, na casa dela, com toda certeza Austin Mahone estaria lá. Bem, minha noite promete....



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...