História My girlfriend is a VAMPIRE - Capítulo 19


Postado
Categorias Amor Doce, Max Irons
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Lysandre, Melody, Nathaniel, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Tags Jake Abel, Joanamush, Loiro, Max Irons, Mgiav, Nathaniel, Ruiva, Sarah, Schoenberg, Schorken, Vampira, Vickyarlond
Visualizações 74
Palavras 2.017
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Então amores
Varias de vocês ficaram bem confusas por o Nath ter visto o pai da Sarah {O Max} sim kkk há coisas por trás? Talvez sim talvez não kkk só lendo a fanfic para saber se tem ou não algo por trás de tudo.
Hoje chegamos aos 300 comentários e estamos apenas no capítulo dezoito. Apenas com 18 capítulos já temos uma quantidade grande de comentários e isso não era possível sem vocês amores. Jay e eu estamos muito mas muito felizes por isso ter acontecido.
Obrigada por tudo e continuem porque nós adoramos 💙💙

Capítulo 19 - Capítulo Dezoito


Fanfic / Fanfiction My girlfriend is a VAMPIRE - Capítulo 19 - Capítulo Dezoito

Durante o caminho todo, vamos em silêncio e ela sempre com o olhar perdido e pensativo, até que chegamos.. Entramos na casa e subimos para o quarto dela.. fico acariciariando o cabelo dela por um tempo, até que ouço um barulho do andar de baixo...

Sam - Sarah.. - chama...

Sarah - O que tio.?

Sam - O que faz em casa agora.?

Sarah - Eu... eu vi papai, tio.. eu vi ele... - disse com os olhos já cheios de lágrimas indo até ele, o abraçando...

Sam - O que.? Mas como.?

Sarah - Eu não sei tio, mas eu vi.. eu juro que eu vi ele, era ele..

Nathaniel - Eu vou indo, depois nós falamos..

Sarah - Sim, tudo bem.. até amanhã então...

Nathaniel - Sim, até amanhã.. tchau... - digo pegando minha mochila e sai-o da casa deles, ainda pensativo com tudo o que está acontecendo.. aínda não consigo entender por que eu também consegui ver o pai dela.. Por que eu.?



Eu não entendo porque motivo o idiota do Castiel viu meu pai, será que é por ter ligação com as pessoas que mataram meu pai, apesar do tio dele ter matado meu pai e minha mãe não faz sentido ele ver meu pai também, não foi ele que matou meu pai por isso não faz sentido algum ele ter visto meu pai também, nem vampiro ele é, minha cabeça não para de rodar com este acontecimento, preciso de entender bem o que pode ter sido isso, Nathaniel me levou a casa e no caminho estávamos em silencio, ele estava estranho comigo não falava, não me olhava estava perdido em qualquer lugar, parecia que estava pensando em algo que distraia ele, por um segundo tenho medo que ele não acredite em mim, que ache que estou louca por achar que vi meu pai mas eu realmente vi meu pai, não estou louca, pude olhar em seus olhinhos azuis esverdiados e ver seu cabelo castanho que estava sentindo falta desde do dia em que ele se foi…eu nunca chorei na minha vida, desde que me transformei em vampira eu nunca chorei (eu acho pelo menos) mas minha vontade de chorar é grande por culpa de meu pai não ter me respondido naquele momento, eu queria ouvir sua voz grossa que só ele tem, o seu sotaque carregado, queria sentir seu toque em meu rosto, eu queria que ele fosse real…eu queria que meu pai estivesse aqui, queria que ele aparece-se aqui de novo eu preciso de ver ele de novo mas não numa fotografia e sim na realidade, mesmo que esteja louca e vendo coisas eu preciso ver ele de novo, sinto tanto a sua falta…me sinto perdida e fraca agora. Nathaniel me leva a casa e depois saí mas ele continua muito estranho, é tão estranho ele estar assim agora, não quero que ele se afaste pelo o que aconteceu, não vou permitir que isso acontece mesmo.

Sam- Ele também apareceu para você?

Sarah- Como assim para mim?

Sam- Seu pai já tinha aparecido para mim à algum tempo.

Sarah- E porque nunca me disse nada?

Sam- Pensei estar vendo coisas, naquele dia que isso aconteceu eu não tinha dormido muito bem e pensei que estava alucinando mas…

Sarah- Mas? Mas o que?

Sam- Eu não estava alucinando porque ele falou comigo. Ele tentou falar comigo. Ele queria me dizer algo que só ele sabe o que é. Ele sabe de algo que eu não sei.

Sarah- Como? Você é descendente do Drácula. Devia saber de todos os segredos.

Sam- Eu sei. Mas não sei o que ele estava tentando dizer. Seu pai morreu sem me contar tudo o que sabia.

Sarah- Como assim? Meu pai não era o Drácula e não ia ser.

Sam- Seu pai sabia todos os segredos dos dráculas, porque acha que ele escrevia? Logo livros de vampiros, de coisas do sobrenatural.

Sarah- Ele me disse que era para fazer os humanos terem uma noção exata do que realmente um vampiro ou uma criatura do sobrenatural é mesmo.

Sam- E ele colocou num livro um segredo importante, ele disse que podia fazer alguém que já está morto desde que não seja à muito tempo podia fazer com que essa pessoa volta-se a viver.

Sarah- E você acha que é isso que meu está tentando nos dizer? Que isso é possível?

Sam- Sim, acho que sim. Mas essa técnica é muito perigosa, Sarah.

Sarah- Porque diz isso, tio?

Sam- Essa técnica que dar vida a uma pessoa que está morta não funciona muito bem com vampiros e seu pai já tem mais de seiscentos anos e há um grande risco se funcionar tem o risco dele viver por pouquíssimo tempo.

Sarah- O que? Porque? Papai é um vampiro antigo não pode morrer com uma técnica que pode fazer ele voltar.

Sam- Ele pode voltar a ficar humano e ter a idade que tem em vampiro.

Sarah- Ou seja seiscentos e trinta e dois anos.- Digo triste.

Sam- Exatamente.

Sarah- Não pode acontecer isso. Não quero que ele morra por velhice.

Sam- Ele vive por uma semana mas estará muito muito mal e não poderá nem abrir os olhos por estar fraco.

Sarah- Mas e se isso que você está dizendo não acontecer?

Sam- Ele volta vampiro e só é morto se acontecer os mesmo que aconteceu à cento e quinze anos atrás,

Sarah- Tio, nós podemos tentar?

Sam- Voce tem de pensar muito muito bem, Sarah. Isso é muito perigoso. Você pense muito bem e depois me diz se quer fazer ou não isso. Tem de pensar bem e lembre-se de fazer isso por seu pai e não por qualquer outra coisa. Eu sei que sente a falta dele mas não podemos fazer ele sofrer e depois perder ele para sempre.- Disse e eu assenti.

Saí de casa novamente e fico andando pela rua, sei que Castiel não me chatiar agora porque ele está muito confuso quanto eu, tenho de ver Nathaniel, só ele me pode ajudar agora, isto é tudo muito complicado para mim, é meu pai ele pode virar humano, sobreviver uma semana e depois morrer como um humano completamente normal morre, de velhice ou outra coisa qualquer e depois nunca mais vou poder ver ele como aconteceu hoje, nem eu nem meu tio. Eu não quero fazer ele sofrer mas eu quero tanto mas tanto que ele volte, só de pensar que sou eu que tenho de decidir se quero ou não fazer aquela técnica me deixa inquieta, eu preciso de ter meu pai perto mas não sofrendo e por uma semana, eu preciso pensar em tudo isso primeiro. Vou na casa de Nathaniel e vejo pela janela aberta que ele está conversando com um homem de cabelo preto e esse homem também está vestido de preto, ele é branco e parece ser alto, estranho. Paro de “vigiar” (na verdade não estou vigiando eles, apenas estava olhando esse homem estranho que está na casa de meu namorado) eles se levantam e eu meu escondo, vejo a porta sendo aberta e os dois saíem, sem Nathaniel fechar a porta de casa.

Nathaniel- Tchau papai.- Disse rindo ainda. É o pai de Nathaniel, eles se dão bem, eu sempre pensei que eles não se falavam mas afinal pelo o que estou vendo eles se falam sim e muito.

O pai dele se afasta e Nathaniel entra dentro de casa mas como sendo uma vampira e rápida vou para a frente da porta.

Sarah- Nathaniel.- Chamo e ele me olha.

Nathaniel- Olá querida. O que faz aqui?

Sarah- Eu preciso de você.- Digo triste e entramos dentro de casa.

Nathaniel- No que você precisa vindo de mim, amor?

Sarah- Eu tenho uma decisão difícil para tomar. E não sei como faze-la.

Nathaniel- Que decisão?

Sarah- Meu tio me disse para escolher. Mas uma dessas coisas das quais tenho de escolher uma é má mas eu preciso muito.

Nathaniel- Hum…que coisas são essas?

Sarah- Eu não posso dizer…é algo de família.

Nathaniel- Bem, amor, eu acho que você devia seguir seu coração. Ouvir o que ele está dizendo. Se uma das coisas que você tem de escolher é má e perigosa mas você precisa muito só seu coração pode te ajudar.- Disse se aproximando de mim.- Ou isto poderá ajudar também.

Eu ja estava sentada já ele estava em pé a minha frente, coloquei minhas mãos debaixo da camisola dele e senti sua pele macia e arrepiada ele segurou meu queixo e eu me arrepiei com o seu toque, tirei a camisola dele e me levantei continuei beijando ele e deslizei minha mão pelo seu peito sua barriga que o fez arrepiar logo que cheguei naquela barriga forte e linda, ele tirou minha camisola e eu fiquei apenas de sutiã e os meus calções, ele se sentou me trazendo para o seu colo, podia sentir um velume na sua cabeça ele queria e eu também tanto que ja sabiamos como iria acabar, ele começou a beijar meus seios ainda cobertos pelo meu sutiã ele beijava a parte que mostrava um pouco, coloquei minha cabeça entre seu pescoço e seu ombro e tentei não gemer mas não consegui gemi baixo e rouco no seu ouvido e ele sorriu com isso, para me controlar beijei seu pescoço e ouvi ele suspirar, coloquei minhas mãos a beira das suas calças e começei a tirar las ele me ajudou a retirar o seu cinto já que eu não conseguia tirar o cinto, ele tirou meus calções e deslizou as mãos pelas minhas pernas.

Ele subiu os beijos para meu pescoço ele estava com as suas mãos nas minhas costas ele tirou meu sutiã e acariciou aquela zona, ainda estavamos ainda naquela posição ele beijou meus seios e deu leves chupões neles e eu gemia alto e forte no seu ouvido para ele saber que estava gostando muito, ele tirou minha calcinha e apertou um pouco minha bunda me fazendo gemer muito alto eu estava nua agora e decidi tirar a cueca dele que quando toquei ao lado ele suspirou ele já estava muito excitado e eu também, tirei por fim e coloquei a camisinha nele queria lhe dar prazer, ele inverteu as posições e eu fiquei debaixo dele, ele se levantou um pouco e apoiou as mãos sob a cama ele me penetrou por fim e eu gemi mais alto do que das outras vezes ele estava também entre minha pernas que estavam em volta da cintura dele o empurrando para ele fazer mais forte, cheguei ao meu orgasmo cedo não sabia se era possível ele não tinha feito muita força mas eu cheguei, entrelacei mais minhas pernas em volta da sua cintura e o empurrei mais ele começou a entrar e a sair de dentro de mim e aquilo estava me deixando louca cada movimento que ele fizesse enquanto estava dentro de mim eu gemia alto e forte, ele me beijou e em seguida foi para meus seios que agora estavam cobertos de beijos dele, ele começou a dar estocadas muito leves, ele fazia de propósito só para me ouvir pedindo por mais forte.

Sarah- Ahh..... mais....ahhhh...

Nathaniel- O que ahh...

Sarah- Muito... ah... forte...ahh...

Ele assim o fez começou a dar estocadas muito fortes que eu senti uma lágrima mas não de dor e sim de prazer pois eu estava me controlando para não gemer beijei ele mas assim que encostei meus lábios aos dele, ele retirou.

Nathaniel- Quero ouvir voce gemer.

Sarah- Dá mais forte...Ahhh...

No momento que eu ia falar algo ele me surpreende com uma estocada muito forte e ainda ficando naquela posição depois saiu um pouco e me deu mais uma muito forte, eu já não estava aguentando mais gemi bastante alto e vi ele sorrir tinha acabado de ter o segundo orgasmo ele fazia com que eu tivesse muitos orgasmos e uma noite só, senti ele a me dar a mais forte de todas e gemeu alto comigo, ele se deitou ao meu lado mas ainda estava dentro de mim, enquanto me virava para ele senti ele fazendo uns movimentos estranhos.

Ele saiu de dentro de mim e se deitou atrás de mim e senti seus braços me envolvendo neles, sorri e Nathaniel puxa o cobertor nos cobrindo, sorri olhando ele mesmo com a cabeça virada para ele, o mesmo me olha e depois olha seus braços.

Nathaniel- Acho meus braços muito finos.


Notas Finais


Foi longo! Muito longo, o capítulo mais longo da fanfic até agora porque acho que terão mais que passaram de 2mil palavras kk
Esse capítulo foi especial, teve hentai, descobertas, Francis e muitas mais coisas que ainda vos espera por aí é só continuar a acompanhar a fanfic amores.
Amores por favor sigam este perfil
https://www.spiritfanfiction.com/perfil/vicky_arlond
Comentem para nós sabermos o que acharam
Esperemos que gostem! 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...