História My Guardian Angel - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Backstreet Boys
Personagens Kevin Richardson, Personagens Originais
Visualizações 74
Palavras 1.328
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Literatura Feminina, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Finalmente vamos descobrir o que aconteceu depois daquela noite 8D
Eu espero que gostem.

Capítulo 11 - Repentance


Capítulo 11 – Repentance

Kevin On

-Isso foi... Muito bom. -Disse depois de recuperar o fôlego.

Alana apenas assentiu, não dizendo nada.

Voltei a beijar sua pele exposta, bem devagar.

-Eu acabei sujando você. -Comentei olhando suas pernas e barriga. - Me desculpe.

-Está... Tudo bem...

Me sentei no sofá-cama, passando a mão pelo cabelo, ainda meio atordoado.

-Lana... Se importa? -Apontei para o banheiro.

-Não... Tudo bem... -Ela respondeu.

Peguei minhas roupas espalhadas e entrei no banheiro para tomar um bom banho.

Alana On

O que eu tinha feito?!

Ficar com o Kevin e beija-lo uma vez ou outra era uma coisa, mas transar com ele era outra! Eu tinha me deitado com um homem casado! Isso era errado, muito errado!

Por mais que eu tivesse me entregado de bom grado e de ter gostado, eu me sentia culpada e isso me assombrava. Ainda sentia os toques dele, ainda sentia sua boca sobre minha pele e a sensação de tê-lo em mim... E eu tinha adorado... Me sentia suja e a pior pessoa do mundo...

Kevin saiu do banheiro, vestido, pouco tempo depois e foi a minha vez de tomar banho... Deixei a água quente lavar o meu corpo, na esperança de que me livrasse daquelas lembranças indecentes...

Sai do banheiro usando só uma toalha, Kevin me olhava como se me quisesse de novo, mas eu não me importei... Peguei um pijama limpo no armário e o vesti.

-Lana...-Ele se aproximou.

-Não!-O interrompi. – Não fala nada!

-Eu só queria dizer...

-Não fala nada! O que nós dois fizemos aqui hoje foi errado! Muito errado!

-Eu sei, mas...

-“Mas?”- Berrei. - Não tem “mas”, Kevin! Nos deixamos levar pelo momento e não devíamos termos feito isso!

-Você não sentiu nada enquanto estávamos nisso?!

-Sentir?!-Eu ri. - Kevin transamos uma vez! Não somos almas gêmeas! Isso aqui não é um livro de romance no qual os amantes desafortunados vão ficar juntos no final, Kevin! Isso é vida real!

-Alana...

-Nada do que você dizer vai adiantar! - O interrompi. - Eu não gostei de ter feito isso.

-Não parecia que não estava gostando quando estava gemendo o meu nome!

-Eu não estava...

-“Ahhh... Kevin...”- Me imitou. - Isso não te lembra de nada?! -Ele debochou.

-Kevin eu não sinto nada por você!

-... Nada?

-Romanticamente falando, não!

-Eu achei que você gostava de mim e queria ficar comigo...

-Eu gosto de você! Muito! Mas não a esse ponto! Nós dois estávamos fragilizados e nos deixamos levar por nossos desejos e nossa carência.

-Pra uma garota que lê romances, você é bem fria.

-O que você sabe sobre mim pra falar desse jeito?!

-Eu sei que você é uma garota gentil, que adora livros, ama as pessoas que estão ao seu redor, mas que agora parece outra pessoa!

-Eu sempre fui assim, Kevin! Mas você estava tão concentrado em me seduzir que nem percebeu isso!

-Você aceitou ir pra cama comigo!

-E ME ARREPENDO!

Gritei a última frase e ele arregalou os olhos.

-E nem adianta vir com suas palavras gentis, eu não espero que você se divorcie da sua esposa por mim e que nós tenhamos um final feliz. Eu não estou sendo fria, Kevin, estou sendo realista. -Deixei as lágrimas rolarem.

Kevin ficou me olhando, em silêncio, enquanto eu chorava.

-Quer saber? Nem sei por que estou discutindo isso com você, você está bêbado, vai esquecer isso amanhã... Só... Sai da minha casa... Por favor...

Abri a porta para Kevin e ele saiu, indo para o corredor, me encarando.

-Só peço para que não conte isso para ninguém.- Pedi.- Por favor...

-Não se preocupe com isso... Me desculpe... E obrigado...

Kevin foi embora, eu tranquei a porta e me sentei no chão, voltando a chorar...

Acordei com o barulho do despertador do meu celular as oito da manhã, peguei o celular para desligar o alarme e vi que tinha uma mensagem... Dele...

“Eu não esqueci...”

Ah Kevin...

Eu não poderia ficar com ele... Não podia me apegar a ele mais do que já estava e sofrer mais... Eu já tinha um remendo no meu coração e não precisava de outro...

Tomei um café da manhã simples e outro banho, precisei ir até a farmácia comprar uma coisa...

Odette veio trazer meu irmão para casa antes do almoço e isso alegrou meu dia, precisava passar um tempo com meu irmãozinho e minha melhor amiga. Odette foi pra cozinha beber um copo d’água enquanto eu falava com meu irmão.

-Você se divertiu na casa da Dette?-Sorri para Eric.

-Sim, muito. - Ele sorriu. - Os pais dela cozinham muito bem. Eu vou tomar banho agora.

 Eric entrou no banheiro.

Mal olhei para Odette e ela já estava com uma cartela de remédio na minha frente.

 -Começa a falar. - Odette praticamente ordenou.

Era uma cartela de pílula do dia seguinte que eu tinha comprado na farmácia mais cedo e faltava um comprimido...

-Eu dormi com o Kevin na noite passada. - Admiti de uma vez, não tinha segredos com ela.

-Não tá com cara de quem gostou...- Odette comentou.

 -Eu gostei... Mas a culpa ainda me assola...

-Mas como foi isso? Ele sabia que era seu aniversário e se deu de presente para você?

-Não, eu nem contei do meu aniversário até ele chegar aqui... Ele tinha brigado com a esposa, chegou aqui bêbado, nós conversamos e... Acabou acontecendo... Me arrependo...

-Se arrepende do que Lana?-Ela ergueu as sobrancelhas.- Você sente atração por ele, é normal que isso aconteça.

-Normal?!Ele é casado e veio aqui atrás de consolo! Eu não sou uma groupie ou algo assim, mas acabei me deixando levar!

-Duvido que o Kevin pense que você é uma groupie, do jeito que você fala parece que ele tomou a iniciativa.

-Que seja! A questão é que eu estou muito arrependida!

Odette almoçou comigo e meu irmão antes de ir embora... Mais tarde eu liguei para o banco para cancelar a conta que Kevin fez para mim, mas não consegui, como eu não era a dona original da conta o banco não deixou e me avisaram que o Kevin tinha me proibido de tentar cancelar a conta algumas horas antes... Ele ainda queria me ajudar mesmo tendo falado aquelas coisas horríveis e gritado com ele...

Kevin On

Estava deitado na cama do meu quarto, completamente perdido em meus pensamentos quando Nick entrou.

-Agora você vai dizer o que aconteceu ontem?-Ele perguntou.

-Tá tão na cara que aconteceu alguma coisa?

-Todos nós já reparamos, fizemos uma votação pra ver quem viria falar com você.- Nick riu.

-Tá... Não vai adiantar e ficar de boca fechada por muito tempo mesmo... Ontem depois da briga com a Kristin eu... Fui à casa da Alana depois de sair do bar.

-Vocês transaram né?

-É tão óbvio?

-Kevin, você fica todo apiranhado quando está perto dela.- Nick revirou os olhos.-  Pra mim estava na cara que isso ia acontecer.

 -Entendi...

-Gosta dela?

-Como?-Indaguei.

-Gosta da Lana?

-Acho que sim...

-Não tem essa de “acho”. Você e ela não são como eu e a Odette, nós só nos divertimos e aproveitamos a companhia um do outro, mas você e a Alana não parecem ser assim.

-E o que você sugere?

-Que pense no que sente pela Lana e que se abra com ela.

-... Talvez você tenha razão...

Alana On

Meu irmão e eu estávamos sentados no sofá vendo um desenho na televisão depois de termos “jantado” uma pizza.

Meu celular recebeu uma mensagem... Mesmo sem abrir eu já sabia quem era... Ele me ligava o tempo todo, mas eu não atendia.

“Você está zangada e não quer falar comigo?! Legal! Estou na frente da sua casa, se você não vier aqui fora para conversarmos eu vou arrombar a porta.”

Ah não! Não era possível!

Me levantei do sofá e fui até a janela, abrindo a cortina... Kevin estava parado na calçada, encostado no seu carro e olhado diretamente para mim!

O que eu faço agora?!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...