História My Hated Brother. (Imagine Yoongi) - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, Suga
Tags A Dona Da Porra Toda, Adora Tortura, Bts, Comedia, Escola, Festas, Imagine, Incesto, Irmãos, Min Yoongi, Sexo, Sonho, Tragedia, Você&yoongi, Você+hope
Visualizações 222
Palavras 2.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Lemon, Lírica, Orange, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente um aviso.
Minhas semana de provas realmente chegou. Mesmo que eu saiba um pouco da matéria, ainda preciso estudar. Por isso QUARTA NAO VOU POSTAR.
Desculpa.
#BoaLeitura!

Capítulo 13 - Ilegal.


Fanfic / Fanfiction My Hated Brother. (Imagine Yoongi) - Capítulo 13 - Ilegal.

— Depois a gente resolve isso.

Por um minuto achei que ele iria fazer alguma coisa errada, mas não, ele apenas beijou o topo da minha cabeça e voltou a se sentar para terminar de comer.

— Estou encrencada, então.

Corri pra sala encontrando a mulher que à cinco meses eu não via. Minha mãe, como sempre bem vestida, sempre com o cabelo enorme e acima de tudo sempre sorrindo quando vê os filhos.

— Minha querida. — ela me abraçou quasse me sufocando com os peitos na minha cara. — Que saudade.

— Eu tambem estava, omma! 

Sentir o cheiro de rosas do campo dela me fazem lembrar da infância onde  ela dava mais atenção ao yoongi e a min e não ao trabalho.

— Sente-se aqui. — me arrastou ate o sofá e se sentou de frente pra min. Sorrindo tirou o sobretudo vermelho que usava. — Conte-me, seu irmão continua o mesmo?

— Um pouco. —abaixei minha cabeça envergonhada. Minha mae gosta que os filhos foquem nos estudos e que não escondam segredos. Agora imagina, eu, que dei pro meu irmão. — Ele mudou também.

— Duvido muito. — pegou um embrulho que estava atrás dela e me deu. — Vá experimentar. Acho que dessa vez acertei.

.

.

.

Entrei no quarto e em seguida comecei a ouvir os gritos do yoongi com minha mãe. Sempre assim. Ele não se dá bem com nenhum dos nossos pais, e se eu pergunto o porquê ele fala que eles nunca estao presentes para nada.

— Vamos ver. — me sentei na beirada da cama e abri a caixinha tirando dela um relógio delicado. — Wau, dessa vez ela acertou.

Coloquei no pulso e sacudi um pouco vendo o brilho se forma.

— Nao enche. — yoongi gritou passando pelo corredor. — Que merda, fala logo com ela isso. Ela vai entender como todas as vezes. — em seguida a porta se fechou com força.

Corri para destrancar a porta e dei de cara com a mamãe à metros de bater na porta do meu quarto. Ela sorriu e entrou.

— Seu quarto não mudou nada. — ela rodou por cima do tapete que tinha no chão e sorriu ao ver minhas pelúcias sobre a cama. — Pelo visto, você também não.

— Omma~. — me sentei na cama e puxei a mão dela para fazer o mesmo e assim ela fez. — O que aconteceu? 

— Aish, como sempre uma mocinha esperta. — me abraçou novamente e fez um carinho pelas minhas costas. — Eu preciso de levar vocês para ver sua avó. Nesse fim de semana, porém o seu irmão se recusa. — desfez o abraço e me encarou.

— Eu falo com ele. — sorri tentando demonstrar alegria. — Ele vai me ouvir.

Minha avó é um caso perdido da família. Querendo viver a vida de adolescente depois de anos junto com o mesmo homem, que morreu e deixou tudo para ela. Agora ela quer viver o amor de novo, e vai se casar com um homem de vinte e cinco anos. Errado? Muito. 

— Espero que sim. — ela deu uma piscadela pra min e se levantou. — Preciso descansar, a viajem do Estados Unidos para cá foi longa.

.

.

.

— Você vai com a gente na nossa avó e pronto. — entrei no quarto dele sem bater ignorando o aviso da porta e dei de cara com ele apenas de box. — Meu deus.

— Gostou do que viu? — sorriu vindo ate min. Dei três passos para trás e só ouvi a porta fechar com o meu corpo prensado nela e ele muito, muito perto. — Onde vai assim?

— Onde mais eu iria? — vai eu tentar me fazer de boba com ele. Nao dá. Encarei aqueles lábios tao perto dos meus e juntei o resto de força que tinha para falar. — Sair com o Jiminie.

— Esta dando apelido para eles agora. — ele segurou meu queixo e selou nossos lábios. — O que eu faço para você não ir com ele?

— Nao faz nada. — empurrei ele e respirei fundo. Esse idiota não perde a oportunidade de me beijar. — Eu não vou deixar ele esperando.

— Mas esta me deixando duro com o esse short. — se sentou na beirada da cama e me observou. — Jimin vai pensar a mesma coisa. Vai trocar. 

— Não.

Bati o pé e cruzei os braços. Minha roupa não tem nada de mais, apenas uma blusa branca, um short preto presente da mamãe e um tênis. Ou seja, jimin não vai nem olhar pra min quando tiver alguém mais atraente perto dele.

— E pelo amor de deus, coloca uma roupa. — falei e vi ele se deitar atravessado na cama e bufar. — E para de gritar com a nossa Omma. 

— Nao enche, pirralha. — se levantou e pegou no meu braço me levando para fora. — Me chama quando quiser fuder.— fechou a porta na minha cara. 

— Min Yoongi, eu anúncio minha greve. Eu não sou essas nonnas, não ! — chuntei o rodapé da porta e me virei certificando-me que minha mae não ouvia. — Idiota, ignorante, metido, pevertido, safado...

Passei no quarto de casal da casa e vi minha mae dormindo tranquila enquanto usava o purificador de ar na cômoda ao lado da cama para dormi melhor. Desci as escadas, peguei uma bolsa qualquer e sai.

.

.

.

— Venha por aqui. — a empregada da caso dos Park é muito bonita mesmo, entendo o lado do Jimin. — Ele disse que você viria e que era para esperar no quarto dele.

— Obrigado.

Me curvei e subi aqueles degraus observando alguns outros detalhes da casa, um me chamou a atenção. Uma foto do jimin com sua família pendurada na parede das escadas.

— Como ela é linda. — continuei subindo vendo as outras fotos. No final a ultima foto era apenas o pai do Jimin e ele. — Meu deus, será...Nao.

Bati algumas vezes na porta do quarto e como ele não respondeu eu entrei e ouvi o barulho de chuveiro. 

Isso s/n entra no quarto do garoto que queria tirar sua virgindade, entra e finge que não está. E fica pra ver oque acontece com você quando chegar em casa.

— Jimin! — exclamei antes de que realmente tudo isso aconteça. — A empregada me mandou subir.

— Que bom que chegou. — ele colocou a cabeça para fora do banheiro e fez um coraçãozinho. — Faz um favor pra min, pega minha toalha no guarda-roupa.

— Pego. — andei até o móvel planejado que ficava ao lado do banheiro e fui apontando para as portas ate que ele concordasse com a cabeça indicando que era na terceira porta. — Por que que você tem tanta roupa?

— 'Pra ter mais opções na hora de escolher. — fechou a porta. — Você não gosta disso?

— Eu prefiro ver filmes e é raro sair. — me abaixei para pegar a toalha e me levantei com ela na mão.— Nao sou uma modelo então qualquer roupa fica bom. À toalha. 

— Discordo. — ele abriu a porta de novo e pegou a mesma sorrindo e depois fechou. — Você é muito bonita, tem umas curvas lindas e um cabelo muito cheiroso. Gostosa 'pra caralho.

Corei só de ouvir essas palavras e fui para a varanda observa o fundo da casa e evitar que meu coração para de bater.

— Nao tem graça. — me debrucei na sacada vendo o longo jardim e uma bela piscina melhor do que a da frente. 

— Nao é pra ter. — a voz dele rente ao meu ouvido me fez senti o desespero. Sua mao em minha cintura me firmava para não cair e eu fiquei com um 'puta medo de me virar e ver ele molhado e só de toalha. — Você é muito gostosa mesmo.

Concordei e tampei os olhos com a mao para me virar para ele. O corpo dele estão tao próximo que consigo sentir o membro dele enconstar na minha barriga.

— Vai colocar uma roupa, criatura. — o empurrei com uma das maos e ouvi ele rir. Como não sou mais santa tirei a mão e observei as costas nua dele enquanto se vestia. — Jimin a gente vai só tomar café no Starbucks?

— Quer ir em outro lugar? — se manteve concentrado em se vestir e passar perfume enquanto eu me sentei na cama fofa dele. — Tem um fliperama ao lado. Eu costumo levar....

— Oque? —arregalei os olhos e levantei a sombracelha enquanto ele me encarava. 

— Eu ia dizer uma merda agora. — sorriu e se aproximou de min colocando uma mão em cada lado do colchão envolta do meu corpo. — Eu costumo levar as garotas que pego lá. — me deu um selinho tao rápido e ficou me encarando. — ...Pronto, feito. Vamos.

.

.

.

Jimin é uma boa companhia ele me faz rir ate do vento. Queria eu ter me deitado com ele e não com meu irmão... O que eu estou pensando? 

— Já escolheram? — a atendente perguntou com a atenção voltada para o ele.— Recomendo as novidades.

— Eu vou querer um "chocolate clássico". — apontou para o cardápio e sorriu para min. — E você, s/n?

— Espresso cookie.

— OK. — ela terminou de anotar  tudo e saiu. 

Ele arrastou a cadeira para mais perto de min, passou o braço envolta do meu corpo e apoiou na cadeira. 

— Yoongi-hyung me deu três regras. — falou tao baixo equanto eu mexia no celular para tirar-mos uma foto. — Nao te cobiçar, não te fazer chorar e não te tocar.

— Meu irmão...— peguei a mão dele e entrelacei os nossos dedos. — Ele tem as nonnas dele.

— Sabe delas? — perguntou sorrindo pelo meu ato repentino e doido. — São todas bem bonitas, e parecem ama-lo.

— Aqui o pedido de vocês. — a atendente sorriu entregando os pedidos. — Aproveitem.

— Conhece elas? — soltei nossas maos e comecei a beber do meu pedido. — Sabe o nome?

— Nao conheço todas. — ele bebeu um pouco e deixou forma um bigodinho em seu lábio. — Só conheço uma e nem o nome eu sei.

— Deve ser a oficial, então. — passei o dedo no lugar sujo pelo chocolate e chupei afinal era chocolate. Espera, senhor isso foi um beijo indireto? Olha no que o yoongi me transformou. — Desculpa é que ... aish.

— Eu pensei em fazer isso em você. Que sorte que foi mais rápida. — sorriu quebrando o clima horrível que eu formei. 

— Jimin, eu queria te perguntar. — bebi bastante do expresso para criar coragem para fazer essa pergunta. — Sua mãe ela ...morreu?

— Minha mãe? — me olhou por um tempo e depois bebeu um pouco do clássico. — Ela não morreu para min e sim para meu pai. Ela o traiu e fugiu com um cara mais rico que ele.

— Eu não devia ter...

— Você não fez por mal. — sorriu terminando de beber tudo. — Eu gosto de falar sobre isso, e sobre qualquer assunto. — tocou a ponto do meu nariz rindo.

.

.

.

[ Coréia, 19:30 P.M ] 

Depois daquelas perguntas que deixaram o clima horrível, jimin como sempre fez tudo parescer como uma festa. No fliperama infelizmente para ele eu ganhei tudo, e agora como punição por ter perdido uma aposta para min vou ter que escolher uma menina para ele ficar.

— Como conseguiu acerta vinte vezes no alvo? — riu de tudo enquanto me ajudava a carregar os prêmios que ganhei e segurava meu braço entre o dele. — É impossível.

— Eu consegui. — falei confiante segurando um urso novo em uma mão e carregando um bone na cabeça todo errado tampando um pouco minha visão. — Então não é impossível.

— Sei. — ele riu novamente e soltou meu braço. — Minha atiradora está entregue.

— Obrigado. — sorri e tirei o bone para me despedir melhor. — Jimin, esta ficando tarde eu...

Os lábios dele me impediram de continuar a frase. Ele me abraçou e aprofundou mais o beijo mordendo meu lábio e depois voltou com mais intensidade disputando espaço com minha lingua. 

Totalmente diferente do meu irmão ele não desceu a mão e simplesmente segurou meu rosto fazendo carinho sem parar com tudo aquilo.

— A menina pode ser você. — deu um ultimo beijinho fofo e me abraçou mais apertado. — A menina da aposta que eu tenho que ficar... Pode ser você.

Eu não estou raciocinando direito. Se eu tentar falar vai sair tudo embolado e se eu ficar parada eu aqui eu vou deixar ele ir embora. 

—P-Pode. — completei o abraço colocando a mao envolta do pescoço dele e sorrindo. 

— Ótimo. — ele me soltou no chão e eu queria ter ficado mais, porem nunca vou falar. — Vamos nos encontrar na balada. Voce vai, né? — ele foi se distanciando aos poucos da entrada do prédio.

— Parece que sim. — gritei e acenei para ele só depois percebi que fiquei com a blusa de frio dele para min. — Ah, jimin...

 Ele ja estava longe e eu não queria devolver essa blusa. Só te garanto uma coisa, eu vou nessa balada.

Entrei no elevador cheia de sacolas e suspirei pela centésima vez em tao pouco tempo.

— Oque eu estou fazendo? — apertei o andar do apartamento e me encostei no cantinho olhando para o teto. — Logo com o amigo do meu irmão.

Definitivamente. Jimin é diferente do meu irmão em todos os requisitos e agora eu estou em dúvida sobre isso. Porque eu fui pra cama com meu irmão e ainda por cima repeti a dose? Eu podia ter muito bem ignorado a existência deles e continuar com minha rotina mas, não. Eu tinha que fazer tudo isso. Em tao pouco tempo... 

.

.

.

— Estou em casa. — falei mas provavelmente ninguém vai responder. Minha mãe deve ter saido e o yoongi no quarto. — “Que bom que voltou, querida” — imitei a voz de minha mãe.

Subi pro meu quarto e arrumei tudo no seu devido lugar a blusa do jimin vai ficar comigo sim e eu preciso de aceitar as coisas sim. 

— Preciso de um banho. — passei a mao pela minha nuca e me levantei procurando por alguma peça de roupa.

Entrei no chuveiro no quente e deixei a água me molhar por completo incluído meu cabelo. Fechei os olhos ao contato do shampoo com eles.

— Irmanzinha... — a voz do yoongi me fez ter um aperto no coração. — Vamos resolver agora.

— Yoongi? 

Ouvi a chave da porta fazer o barulhinho de fecho e depois de algum tempo senti as mãos dele tocarem meu corpo.

— Eu posso te ajudar com isso. — ficou atrás de min e passou o sabonete desde as minhas pernas ate o meu ombro. — Vou confiar em você dessa vez. E não perguntar sobre o jimin.

— Yoonginie... Hoje não. Por favor. — falei mordendo os lábios com o contato do seu membro com meu bumbum.

— Sabe que gosto desse seu jeito difícil de ser. — me virou com brutalidade para ele e me ergueu no seu colo me colocando contra a parede. — Mas hoje não.



Notas Finais


Continua....
Como vocês pediram. Vai ter barraco e triangulo amoroso, mas não sei com qual membro alem do suga vai ser. Então.! #Tae #Jimin #Jin #Nanjoon, qual?
FCM.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...