1. Spirit Fanfics >
  2. My Heart Beats For You - Imagine Jimin >
  3. Cap 25

História My Heart Beats For You - Imagine Jimin - Capítulo 25


Escrita por:


Notas do Autor


Da saga "SALVANDO A QUARENTENA DE VOCÊS 💙✌🏽😗"

Voltei com um capítulo inoooorme 🙃
Altas revelações!

Boa leitura amadooos😗

Capítulo 25 - Cap 25


Fanfic / Fanfiction My Heart Beats For You - Imagine Jimin - Capítulo 25 - Cap 25

JIMIN POV ON

Hoje, eu e Yoongi íamos fazer o pedido de namoro oficial para as meninas. Tínhamos preparado tudo na minha casa. Um tapete vermelho até o meio da sala, onde estaríamos esperando por elas, com um buquê de flores. Meu coração desparado de anciedade. A hora ia passando, e nada de S/n aparecer. Yoongi ligou para Lee, que confirmou estar em casa, porém sem a S/n. Isso me deixou preocupado. Peguei meu celular, ligando para ela. Sua voz estava falha, como se ela tivesse chorado por muito tempo. Meu peito se apertou.

Escutamos a porta do hall se abrindo. Corri, vendo ela ainda de uniforme entrando com a cabeça baixa. Seus olhos me olharam dos pés a cabeça, seu olhar estava triste, e seu rosto molhado. Ela havia chorado!

— Amor? Por que está chorando? Fizeram algo com você?

Tentei abraçá-la, mas a mesma se esquivou do abraço, se afastando de mim.

S/N POV On

Não consegui me segurar, e voltei a chorar. As suas saídas eram para fazer essa surpresa, mas…ele mentiu, não me contou que Lisa estava grávida, e que…o bebê era dele…

— S/n. O que aconteceu?

Mordi meus lábios, e olhei nos seus olhos.

— Isso seria…um pedido de namoro?

Ele confirmou, e sorriu. Aquilo me fez quebrar mais por dentro. Ele estava tão lindo, vestido formalmente. Como pôde estragar tudo?

— E por que iria me pedir em namoro?

Ele franziu o cenho, e pegou algo em seu terno. A caixinha aveludada vermelha foi aberta, e uma linda aliança dourada bem fina brilhou.

— Por que eu te amo, e quero poder falar para todos que você é o amor da minha vida!

Ele se aproximou, e novamente me afastei. Joguei o buquê no chão, e ele arregalou os olhos.

— Não posso namorar você!

— Mas…amor…o que está acontecendo?

Não posso namorar você, sabendo que existe uma mulher carregando um filho seu, que você não teve sequer coragem de me contar!

Peguei os papéis da bolsa, e joguei nele.

— Quando ia me contar, Jimin?

— Como descobriu? Quem te contou?

Neguei várias vezes, soluçando.

— Acabou. Nós…não podemos nos relacionar mais. Eu seria muito egoísta! Você vai ter um filho, precisa dá toda a atenção para esse bebê e…se casar com a Lisa!

Jimin passou a mão no cabelo, assanhando seus fios loiros. Ele negou com a cabeça.

— Eu não irei me casar com ela. Eu só tenho dezoito anos, sou novo demais! Eu amo você! E se um dia eu for casar, será com você!

— Fala isso como se o bebê que ela carrega não tivesse nenhum valor! Não quero ser vista com maus olhos por esse filho…

Seus olhos marejavam, e logo ele começou a chorar.

— Não. Por favor…eu…assumo o bebê, mas eu quero você! Só você! Eu te amo…

Virei de costas. Olhei para Yoongi, que me olhava com pena. Vi Lee ao seu lado, chorando.

— Eu te amo…mas você tem um filho agora, e eu não quero atrapalhar o futuro dela!

Entrei na sala, correndo até às escadas. Subi para o quarto. Não posso ficar aqui nem por mais um minuto, talvez eu volte atrás, e isso não é certo! Peguei minhas malas, tirando todas as roupas do closet, e jogando na mala. Peguei todos os meus produtos, e escova de dente. Me sentei na cama, olhando para todo o cômodo. A porta se abriu, e Lee entrou com Yoongi.

— Não chora! Por favor! Não chora!

Abracei Lee, que me apertou no abraço. Ela beijou minha bochecha e se sentou ao meu lado, junto de Yoongi.

— Está na hora de você saber toda a verdade…

Franzi o cenho. Yoongi md entregou uma caixa. Abri a mesma, pegando uma foto. Uma mulher segurava um bebê no colo, atrás tinha: “Eu e minha filha, S/n Parrish”. Olhei para Yoongi. Virei a foto, meus olhos se encheram.

— M-minha mãe? Mas…ela morreu quando eu nasci!

Yoongi suspirou.

— Sua mãe nunca esteve morta, S/n. Sua mãe está viva, e ela foi obrigada a te deixar.

Olhei para Lee, e ela segurava minha mão, apertando.

— Você sabe onde ela está?

— Ela está em Daegu, e é casado com o pai de Jimin.

Pisquei os olhos várias vezes, entendendo nada.

— A história é longa. Bom, sua mãe se apaixonou pelo pai de Jimin, na faculdade…

FLASHBACK ON

— Que tal se fossemos para o parque, mais tarde?

Jin Hyeok perguntou animado, para sua namorada, Nara. Nara e Jin namoravam escondido. Nara pertencia a família americana/coreana Perrish, uma família muito rica e conhecida pelos diversos hotéis pelo mundo. Podia se dizer que eles eram um dos hotéis mais procurado pelos estrangeiros e famosos.

Nara era a única herdeira, e seus pais planejavam casar ela com o filho de um empresário coreano, que cuidava das principalmente administrações dos hotéis dos Parrish's, chamado Christian Chan, casando os dois, eles fariam as contas das duas empresas triplicarem, e dariam um ótimo futuro para todos da família.

Mas como sempre acontece, Nara era apaixonada pelo filho do carpinteiro da esquina, que vendia bancos para sustentar sua família.

Os dois se amavam imensamente, e nada podia separar os dois. Até que foi anunciado para toda a Coreia e mundo, o Casamento de Christian Chan e Nara Perrish.

Nara e Jin não queriam, mas tiveram que por fim em seu namoro. Os dois sofreram, por ter que se separar, eles eram jovens, mas por Jin não ser dono de propriedades, nada podia juntar os dois.

Nara casou com Christian, e aquele foi o pior dia da vida de Nara. Como sendo esposa, ela tinha o dever de cumprir seus deveres com Christian, Nara já havia se entregado a Jin, aquilo deixou ele possesso, e assim,os encontros escondidos acabaram.

— Você não sai dessa casa! Está ouvindo?

Nara abaixava a cabeça aí seu marido. Após sim tempo casada, a descobriu que Christian estava envolvido com drogas, chegava todo dia bêbado, dormia em outro quarto.

Até o dia em que Christian apostou toda a empresa de financias de seu pai, deixando a família Chan falidos. Como nada bastasse, Nara descobriu estar grávida de Christian. Aquilo a deixou feliz, o sorriso puro e sincero que não pintava seus lábios a tempos, reapareceu.

Sua barriga foi crescendo, e logo ela descobriu que seria uma menina. Seu nome já havia sido escolhido, Nara esperava anciosamente para a chegada de sua menininha, e claro, com um ano de casados completos, ela poderia pedir o divórcio ao Christian.

A família de Christian estava falida, e se ele se separasse de Nara, iria acabar com todo o patrocínio. Christian esperou sua filha nascer, e crescer um pouco. S/n, a pequena bebê seria a herdeira de tudo que a família Perrish construiu, assim que completasse seus devidos dezoito anos, ela tomaria posse de tudo.

Christian ameaçou matar S/n, se Nara pedisse o divórcio. Nara era trancada em casa com sua filha, até que ela conseguiu contato com Jin, e o mesmo fez de tudo para tirar ela dos braços de Christian. Quando S/n completou três anos, ela conseguiu fugir para os Estados Unidos, onde Jin estava morando com seu filho, se mudou após sua esposa morrer no parto.

Após meses, Christian acabou encontrando Nara, com sua filha. S/n havia se tornado amiga de Jimin, o filho de Jin Hyeok.

— Então veio se esconder com seu amante?

Christian segurava S/n no colo, que chorava por ser inocente e não saber o que realmente acontecia ali.

— Não toque na minha filha. Por favor, faça tudo comigo, mas não toque nela…

Nara chorava, implorando para Christian.

— Pois bem. Eu irei criar S/n, mas você nunca mais vai poder vê-la! Ela não teve e nunca terá uma mãe que morreu assim que deu a luz a ela. Estamos entendidos?

Nara estava caída ao chão, chorando sem parar. Sem escolhas, ela acabou aceitando.

— Espero que eu tenha cido claro. Se eu souber que procurou ela, eu a mato na hora!

Nara confirmou, e se despediu de S/n com um beijinho na testa.

— Mama…

S/n falou, e Nara virou de costas, abraçando Jim e chorando. Nara havia colocado uma foto onde tinha Jimin e S/n agarradinhos, talvez quando ela tivesse maior, ela podesse lembrar, e ir atrás de sua mãe.

Mas as coisas não acontecem como a gente quer…

FLASHBACK OFF

Yoongi parou de falar, e me fez cair em lágrimas. Peguei um travesseiro, abafando os soluços.

— O meu pai…é um monstro! Um monstro!

Lee me abraçou, chorando junto a mim. Ela limpou meu rosto, e me confortou.

— Seu pai trabalha com tráfico de drogas, foi a única maneira que ele achou de conseguir dinheiro fácil, até que você completasse a idade de tomar posse das empresas de sua mãe. Jimin veio para lhe proteger deles, de todos os caras que procuram você. Jimin não esqueceu de você nem por um dia sequer depois que você foi embora. Ele tinha cinco anos, e você nunca saiu da memória dele.

Acabei me lembrando de tudo que falei para ele alguns minutos atrás. Suspirei, limpando meu rosto.

— Quer... conversar com o Jimin?

Mordi os lábios, e neguei.

— Eu…preciso pensar. O que ele fez foi algo muito errado, e ele precisa fazer o papel de homem, não quero atrapalhar nada.

Suspirei. Passei a mão pelos meus cabelos.

— Yoongi? Você…pode me levar até minha mãe? Eu quero conhecer ela.

Yoongi abaixou a cabeça, pensando.

— Irei ligar para o pai de Jimin,e te confirmo. Agora, vamos deixar ela tomar um banho e pensar. Vamos,amor.

Saiu de mãos dadas com Lee, que me mandou um beijo. Assim que eles saíram do quarto, fui para o banheiro.

[…]

— Amiga?

Abri a porta, e Lee me olhou sorrindo fraco.

— Você vai para Daegu, com Yoongi.

Suspirei. Peguei a mala, e sai do quarto. Yoongi pegou minha mala, e levou para o carro.

— Obrigada por tudo, Yura. Você é muito especial para mim!

A mais velha me olhava triste. Ela me abraçou apertado, chegou perto do meu ouvido e sussurou:

— Vocês ainda vão ser felizes!

Sorri amarelo para ela.

Não sei se isso vai ser possível…

Olhei para Jimin, que estava no canto da sala, escorado na parede, com o nariz vermelho e olhos inchados. Ele chorava baixinho voltando. Fui até ele, e o abracei,no apertei em mim, e ele segurou forte minha cintura. O puxei para um lugar reservado.

Segurei sua nuca, e o beijei. Jimin não perdeu tempo, e invadiu minha boca com sua língua, nossos lábios se moviam lentamente, um sentindo o gosto do outro. Aquele seria nosso último beijo. Paramos, assim queno fôlego foi recuperado, voltamos a juntar os lábios. Chupei seu lábio, e ele puxou com o dente.

— Isso…é um adeus?

Ele perguntou. Fechei os olhos, e confirmei com a cabeça. Ele juntou nossas testas, e me apertou nele.

— Por favor, não faz isso com a gente. Eu te amo…

— Eu também te amo, mas…não dá! Você vai ter um bebê, e ele precisa de você como pai! Você vai seguir sua vida com a Lisa, e eu vou seguir a minha!

Me separei dele, Jimin me puxou, me beijando de novo. Finalizei, lhe dando um selinho.

— Obrigado por tudo, Jimin. Adeus.

Sai em passos rápidos. Sai da casa, entrando no carro. Lee me deu um abraço, e pegou um táxi. Olhei para Yoongi, e ele pediu para mim por o cinto. Olhei para frente da casa, e vi Jimin né olhando, com seus lábios vermelhos, passei meus dedos pelos meus lábios, lembrando do nosso beijo.

Yoongi deu partida, me fazendo suspirar e escorar a cabeça na vídeo do carro. Peguei meu celular, coloquei os fones, e o modo aleatório começou, com a música que me lembra Jimin…

Não tente ser Indie

Não tente ser legal

Apenas tentando estar neste

Me diga, você também?

Você consegue sentir o vento?

Você pode sentir isso através

Todas as janelas

Dentro dessa sala?

Porque eu quero tocar em você, baby

E eu quero sentir você também

Eu quero ver o sol nascer

Em seus pecados, só eu e você

Acenda, correndo

Vamos fazer amor hoje a noite

Preparem-se, apaixone-se

Experimente!

Fechei meus olhos, sentindo as lágrimas descerem pelo meu rosto.

[…]

— S/n, acorda. Chegamos.

Abri meus olhos devagar, me acostumando com a luz forte do sol que vinha da janela. Olhei para o Yoongi, e ele continuava dirigindo. Ele madrugou dirigindo.

— Porque não paramos em algum lugar para você descansar? Deve estar exausto.

— Estou com sono. Mas não queria perder tempo, e Jimin disse que não parasse em nenhum lugar, se não ele seria capaz de vir atrás de você e te levar devolta.

Soltei o ar pela boca. Yoongi entrou em uma casa inorme. Se eu achava a do Jimin grande, quem diria essa. Ele parou o carro. Abri a porta, e sai do carro. Fechei a porta, e me olhei pelo vidro do carro. Yoongi me guiou até a entrada da casa, ele abriu e entrou comigo. Fiquei boquiaberta com o tamanho apenas do hall de entrada. Entramos na sala, e uma enorme escada destacava tudo. Sorrio, olhando para cada detalhe.

— Yoongi, você chegou!

Uma mulher de cabelos castanhos desceu as escadas. Ela trajava um vestido simples da cor de pêssego. Sua pele era claramente bem cuidada, seus olhos eram verdes, e ela tinha poucos traços coreanos, ela descia as escadas sorrindo, até seu olhar bater com o meu.

Essa…é a mulher da foto.

É…a minha mãe.

Ela me olhos dos pés a cabeça por tempo, seus olhos se encheram, e a correu até mim, me ab abraçando. Retribuí na hora, e ela começou a chorar me apertando. Ela segurou meu rosto, me olhando toda.

— Você é tão linda, minha filha. Você tem poucos traços de seu pai. E os seus olhos…a cor deles não mudaram. Você…é idêntica a mim.

Sorrio para ela, que sorrir também, e volta a me abraçar.

— Me perdoa...por ter lhe deixado com aquele homem horrível. Me perdoe. Eu te amo, te amo muito. Me desculpe por tudo…

A olhei, sorrindo.

— Você não teve culpa de nada, mãe. Eu também te amo, e te perdoo.

Ela voltou a chorar.

— Querida, onde-

Um homem parou de falar, ao me ver. Ele me olhou por um tempo, e depois para minha mãe.

— Jimin não mentiu quando disse que você é muito linda, é a cópia de sua mãe. Traços ocidentais.

Abaixei a cabeça, envergonhada. Nos sentamos, e ela me contou com mais detalhes a história toda que Yoongi me contou.

— Então…você terminou com meu filho? Por quê?

Engoli em seco.

— A lisa…a está grávida de Jimin. Ele sabia, e fez testes para saber era o pai, tudo escondido de mim. A gente tinha brigado quando ela apareceu, e ele me prometeu que tudo que levasse a Lisa, ele iria me cobrar. E…ele mentiu sobre algo tão sério.

Abaixei o olhar. Minha mãe segurou minha mão.

— Vocês devem ser lindos juntos. Mas eu lê entendo, você não quer que ele largue o filho para amar a você. Querida, Jimin é um menino sensível, deve estar sofrendo. Mas ele deu motivos para isso acontecer.

Jin Hyeok aparentou uma expressão triste, com certeza lembrando do filho, que ficou em Seul.

— Você entende a S/n, certo querido? Não quero você passando a mão na cabeça de seu filho, ele tem idade suficiente para saber que estava e está errado. Um filho é algo sério.

Jin apenas confirmou, e recebi um selar na bochecha de minha mãe. Subimos, e ela me apresentou meu quarto. Nos sentamos na cama, e ela segurou minhas mãos.

— Filha, posso lhe perguntar algo…meio íntimo?

Aquiesci.

— Você e o Jimin…é…. vocês….

Ela fazia movimento com as mãos. Rio de leve.

— Se a gente transava?

Ela ficou envergonhada, e assentiu.

— Sim, a gente dormia juntos.

— Ele foi seu primeiro?

Neguei, e ela riu.

— Quem foi? Ah! O tal Jeongguk?

Riu de lado, passando a mão no rosto.

— Como você sabe dele?

— O Jimin. Ele vivia falando que ele tinha roubado você dele, e que um dia ele ia roubar você dele. Escutei tanto, que guardei o nome.

Comecei a rir, Jimin realmente é assim. Porque foi complicar as coisas? Nós descemos quando ouvimos um carro chegando. Assim que cheguei no último degrau, senti uma tontura, e mãos quentes me seguraram para não cair.

— S/n! Você está bem?

Abri um pouco os olhos, e vi Jimin. Tentei voltar, mas tudo ficou escuro.

-CONTINUA…


Notas Finais


Gostaram do capítulo longo??
Espero que sim❣️
O casalzão se separou!
Calma genteeeee
Ainda vai rolar tanta coisa, vcs nem imaginam (quem leu pela primeira vez, sabe) 😂😗

Meu perfil: @Park_Annah3
BATEMOS 800 SEGUIDOREEEEES🔥🤙🏽
Beijinhoooos😍😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...