História My heart's beating faster - Capítulo 6


Postado
Categorias Os Barbixas
Personagens Anderson Bizzocchi, Daniel Nascimento, Elidio Sanna, Personagens Originais
Visualizações 32
Palavras 1.803
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - 6- Eu tenho medo


P.O.V Dani

O dia estava amanhecendo e alguns raios de sol entravam pela janela.

Me levanto e fecho as cortinas para que não pegasse no Andy que ainda dormia.

Volto a me sentar e a mexer no celular. Eu estava conversando com o Elídio por mensagem.

~Vc tem certeza que não quer que eu vá aí?!~ Lico

~Nao precisa, tá tudo bem~ Eu

~Vc tá bem mesmo?~ Lico

~Estou sim.~Eu

~Tá, então vem aqui na recepção pra ver se me deixam entrar e vem logo.~ Lico

Como eu não adivinhei isso?! Reviro os olhos e olho para o Andy antes de levantar e sair do quarto.

Vou praticamente correndo para a recepção porque queria voltar rápido. Vejo ele conversando com a recepcionista que com certeza não o deixou entrar.

-Lico?!-falo e ele vem até mim e me abraça.

-Tudo bem?-ele pergunta e parece checar o meu corpo para ver se tô inteiro.

-Tá sim. Vc quer ver o Andy?-pergunto e ele assente.-Ele pode subir?-pergunto para a moça

-Ele tá com vc?-ela pergunta

-Sim, está sim.-respondo e ela assente.

-Fácil assim?! Eu fiquei meia hora aqui.-Lico fala.

-Fica quieto!-falo, o puxando pelo braço.

Começamos a andar a passos rápidos.

-Por que tá apressando assim?

-Eu deixei ele sozinho, ele pode acordar e querer algo.-falo e ele me para no meio do caminho.-O que foi?

-Vc se apaixonou?-ele pergunta, me olhando nos olhos.

-Eu não sei, Lico. É cedo pra deduzir algo. Vamos logo!-falo e volto a puxar ele pelo braço.

-Vamos ter uma conversa depois.-ele fala e eu confirmo com a cabeça apenas pra ele calar.

Chegamos no quarto e o Andy estava acordado.

-Bom dia.-falo e ele me olha, sorrindo

-Bom dia, raio de luz.-ele fala e eu sorrio.

-Bom dia, Andy -Lico fala, entrando comigo no quarto.

Fecho a porta e seguimos para perto da cama.

-Bom dia, Elídio.-Andy fala

-O Dani me disse que a tentativa de homicídio falhou de novo.-Lico fala, se sentando em uma poltrona perto da cama.

Dou um tapa na nuca dele e o Andy ri.

-Espero que continue falhando.-Andy fala, rindo.

Reviro os olhos e me sento ao lado do Lico.

-Vc amanheceu melhor?-pergunto

-Eu estou bem.-ele responde.

-Quer tirar a máscara?-pergunto, me referindo à máscara de oxigênio que ele tá usando.

-Daqui a pouco eu tiro.-ele responde

A porta abre e a Bella entra sorridente.

-Bom dia, meninos.-ela fala e olha para o Andy.-Como o senhor está?

-Eu tô bem, Bella. Quando eu vou pra casa?-Andy pergunta

-Assim que o médico vir aqui e te der alta.-Bella responde

-Ele vai demorar?-pergunto

-Acho que não. Ele acabou de chegar.-ela responde.

***×***

O Andy foi liberado e agora estamos na casa dele, me recusei a ir pra casa. O Elídio foi resolver algumas coisas, com a promessa de ir pra minha casa de tarde.

-Vai banhar, eu faço o almoço.-falo e ele me olha

-Banha comigo.-ele fala, baixinho mas eu ouço e coro na hora.-Desculpa, eu tô sob efeito dos remédios ainda.-ele fala e chacoalha a cabeça.-Eu vou banhar. Vc sabe onde é a cozinha.

Ele sai da sala e sobe para o quarto, imagino.

Eu ainda estou da cor de um tomate mas confesso que iria se o conhecesse a mais tempo. Mordo o lábio inferior e minhas pernas automaticamente me guiam para a cozinha antes que eu fizesse besteira.

Procuro coisas para começar a cozinhar.

Eu cantarolava uma música qualquer enquanto cortava alguns legumes e me distrai totalmente do que acontecia ao redor.

O sorriso do Andy é encantador, não é?!

O jeito que ele fala é tão... excitante?!

-Ah não, Dani! Para de pensar nessas coisas.-brigo comigo mesmo e volto a cantarolar a música.

Não vi o tempo passar, quando dei por mim o Andy já entrava na cozinha.

-O que vc tá fazendo?-ele pergunta vindo para perto de mim.

-Macarronada.-respondo

-Eu amo macarronada.

-Vc é italiano, não é?-pergunto, o olhando.

Percebo o quanto ele está perto e agora reparei que ele está sem camisa, automaticamente olho para o seu abdômen.

Ele acompanha meu olhar e arregala os olhos, saindo rápido dali.

-Serio que ele se constrangeu?! Se ficasse aqui, eu tinha agarrado ele.-falo mas falo alto o suficiente pra ele ouvir e voltar

-Disse algo?-ele pergunta

Eu travo, simplesmente paraliso. Meu rosto já está todo vermelho e ele tá com cara de paisagem, acho que realmente não entendeu o que eu tinha falado.

-An... Vai lá e volta logo.-falo e volto para o fogão.

Ouço passos mas não era se afastando e sim aproximando.

Sinto seu corpo contra o meu, por trás e PUTA QUE PARIU, que pegada.

Perdi o fôlego.

-Eu ouvi o que vc disse mas não vou te obrigar a nada.-ele sussurra no meu ouvido e me solta.

Ele volta a andar e eu me viro pra ele.

-Andy?!-chamo e ele me olha

-Oi?!

-Quem disse que iria me obrigar?-falo e ele arqueia a sobrancelha, com um sorriso de lado.

Eu faltei cair pra trás com esse sorrisinho MEU DEUS ME SEGURA, ou melhor, segura não.

ME JOGA NA CAMA E ME CHAMA DE LENÇOL!

Saio dos pensamentos e volto a focar meu olhar nele.

-O macarrão vai queimar.-ele fala e sorri.-Eu já volto.

Ele sai e eu fico com cara de tacho. Ele negou fogo pra mim? É sério?!

Acabo rindo da situação e volto a cuidar da comida.

Ele volta rápido e se senta na cadeira da mesa.

-Vc tinha perguntado se eu era italiano. Sou descendente.

Entramos em assuntos paralelos e esquecemos a cena de ainda pouco.

***×***

Estamos no quarto dele. NAO É NADA DISSO QUE VC ESTÁ PENSANDO!

Ele tem um violão e está cantando faz um tempo. CANTANDO E ENCANTANDO. Meu deus que voz linda.

Eu estou encantado de verdade com a voz dele, tanto que ele parou de cantar e agora que eu percebi.

-Vc tá bem?-ele pergunta

-To sim. Meu deus vc canta muito bem.

-Obrigado.

-Disponha.-falo e olho a hora no meu celular.-Eu preciso ir, o Elídio vai lá em casa agora a tarde.

-Tudo bem. Eu te levo na porta.-ele fala e levanta da cama.

Me levanto também e seguimos para a porta da frente.

Ele abre a porta e eu me viro para ele. Ele sorri pra mim e me beija suavemente na boca.

Olhem para o chão e vejam se me acham porque eu derreti.

Ele nos separa e sorri, ainda muito próximo de mim.

-Te vejo mais tarde.-ele fala

-Já é mais tarde?-pergunto e ele ri de leve.

Ele me dá mais um beijo e a gente se despede.

Vou pra casa, pisando em nuvens praticamente. Vejo o carro do Elídio na frente e deduzo que ele está lá dentro.

Entro em casa e vejo ele no sofá assistindo e comendo pipoca.

-Mas que folgado.-falo, assustando ele e ele derruba parte da pipoca no chão.-Vc vai limpar.

-Vai tomar no cu, Daniel. Precisava me assustar?-ele reclama e eu dou risada, indo para perto dele e sentando do lado do mesmo.

-O que faz aqui essa hora?-pergunto, pegando pipoca da vasilha dele.

-Eu terminei o que tinha pra fazer. Aliás, temos ensaio de noite.-ele fala e eu faço biquinho.-Por que esse bico?

-Eu ia ver o Andy.-falo

-Leva ele junto, ué.-ele fala, dando de ombros.

-Nao sei se ele vai querer ir.-falo

-Até parece né, Dani?! Aliás precisamos conversar sobre vc e ele.

-Ah, a gente só se pegou. Estamos nos conhecendo agora.-falo, dando de ombros

-Dani, eu te conheço. Mente pra sua mãe, não pra mim.

-Tá. Eu tô me apaixonando por ele.

-E ele sente o mesmo?

-Nao sei, Lico.

-Vc lembra o que aconteceu aquela vez, não lembra?

-Eu lembro mas não quero deixar aquilo atrapalhar minha vida inteira. Dessa vez é diferente.

-O que te garante isso?

-O jeito dele. O jeito que ele se importa comigo e o jeitinho que me olha.

-Jeitinho?! Ah meu Deus! Vou perder meu melhor amigo.-ele fala e eu sorrio

-Vai nada. Vai ganhar um novo melhor amigo.-falo e abraço ele, beijando sua bochecha.

Ele sorri e beija minha testa.

-Se vc me abandonar, eu te mato.-ele fala e eu dou risada.

Conversamos e assistismos alguns filmes até dar a hora de irmos.

Mandei mensagem para o Andy...

~Entao, aconteceu um imprevisto. Preciso ir para o teatro agora a noite. Vc quer ir comigo?~

Enquanto ele nao respondia eu ia me arrumando. O Lico já estava na sala me esperando.

Ele respondeu...

~Claro. Vou me arrumar rápido aqui e vou aí ~ Andy

Coloco o celular no bolso da calça e pego minha mochila, saindo do quarto.

-O Andy vai com a gente.-falo alto, descendo para a sala.

-Nao me impressiona em nada.-Lico fala, me olhando.

Sorrio e jogo minha mochila nele.

-Segura pra mim. Eu vou comer alguma coisa.-falo e vou para a cozinha.

-Eu tava aqui pensando...-ele fala, vindo para a cozinha

-No que?-pergunto, me virando para ele.

-Nos nomes dos dez filhos de vcs.-ele fala, se sentando na cadeira.

-Ah, cala a boca!-falo e vou para a geladeira.

-Até parece que vc nunca pensou nisso.-ele fala e eu me viro pra ele.

-Claro que não!-falo e ele arqueia a sobrancelha.-Alice é um nome lindo só isso.

-Vai lá se ilude de novo que dessa vez eu te jogo do penhasco se vc aparecer chorando.

-Joga nada. Vc me ama.

-Amo e amo muito, pra te ver sofrendo de novo. Se ele te machucar, Dani, eu juro que mato ele.

-Vc não mata nem mosca.-falo, brincando mas ele estava bem sério.-Tudo bem. Eu vou tomar cuidado.

-Acho bom.

Eu finalmente pego bolo pra comer e me sento à mesa com ele.

***×***

P.O.V Andy

Estamos no teatro onde o Dani ensaia, ele agora está no palco ajeitando o elenco junto com o Elídio. O Lico atua muito bem e ele ficou no lugar da outra mulher que faz par romântico com o Dani.

Eles não se beijaram e isso me deu um alívio enorme. Eu tava com medo deles precisarem se beijar, não que eu tenha problema com isso é que eu tenho problema com dividir ele, principalmente aquela boquinha que meu deus!

-Andy, pode me ajudar?-Dani me tira dos pensamentos.

-Claro!-falo

-Sobe aqui, fica no lugar do Elídio por favor. Ele tá com medo de vc bater nele.-Dani fala e eu fico confuso.-Cena de beijo.

Se eu fiquei constrangido por ele falar isso no meio de todo mundo?! Fiquei, fiquei muito mas MUITO mesmo mas achei fofo ele não ter medo de falar assim de mim.

Eu subo no palco, morrendo de vergonha porque o elenco me olhava com uma cara maliciosa e o Lico com cara de riso, ele tava quase explodindo querendo rir.

-Por que vc tá todo vermelho?-Dani pergunta, baixinho quando eu me aproximo dele.

-Vc falou muito alto.-falo e ele faz uma careta.

-Qual o problema?

-Nao sei. Tão me olhando como se eu fosse te comer aqui mesmo.-falo e agora ele cora.

-Intervalo, pessoal.-ele fala alto e se abraça em mim.

-Ué, a gente mal começou.-Elidio reclama.

-5 minutos.-Dani fala novamente.

Eles saem dali e o Dani continua agarrado na minha cintura e agora percebi minha camisa começar a molhar.

-Hey, olha pra mim!-peço e levanto o queixo dele para que me olhasse.-Por que tá chorando?

-Eu tenho medo.

-Medo de que?

-De vc me abandonar.

Isso me pegou muito desprevenido tipo muito mesmo. Como porras eu ia saber que ele sentia algo forte assim por mim?!

E parece que eu sinto também porque quando ele disse isso, meu coração quase parou.

-Eu não vou te abandonar.-falo e ele sorri de leve.

Beijo ele de forma suave enquanto meu corpo esquentava por dentro, uma chama me dominava e esse sentimento é muito novo pra mim.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...