1. Spirit Fanfics >
  2. My Hero >
  3. Capítulo 11

História My Hero - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


ATENÇÃO!
NÃO SAÍAM DE CASA! FIQUEM EM CASA! LEIAM FICS, LIVROS, VEJAM SÉRIES, MAS NÃO SAÍAM DE CASA!
E LAVEM BEM AS MÃOS E USEM ÁLCOOL EM GEL, NA RUA PRINCIALMENTE CASO NÃO CONSIGA LAVAR A MÃO NA HORA E NECESSITE QUE VOCÊ PRECISE SAIR DE CASA MESMO! O RECOMENDADO MESMO É FICAR EM CASA!

É sério gente, tá foda. Quarentena tá aí e eu não sei vocês, mas eu estou de boas! Eu sou antissocial, então todo o meu estilo de vida que fora criticado há anos, agora está sendo essencial para sobrevivermos!
Os humilhados serão exaltados!

Enfim,
Lavem as mãos direito e,
Boa Leitura! ^-^

Capítulo 11 - Capítulo 11


Fanfic / Fanfiction My Hero - Capítulo 11 - Capítulo 11

– Shouchan... – Izuku suplicou.

– Shiu... – Shouto sussurrou no ouvido alheio, sorrindo ladinho – Não podemos fazer barulho.

– E-Eu vou ficar cansado... Amanhã... – respirou fundo tentando se controlar, mas estava bem difícil com a mão do bicolor subindo e descendo por seu membro – Shouchan, eu juro que não tenho mais forças!

– Por que eu ainda penso o contrário? – sorriu mais sádico e segurou firmemente na cintura alheia com ambas as mãos – Vamos lá, você consegue! Não pode parar no meio do caminho!

Izuku gemeu arrastado e manhoso, mas deu um jeito de firmar e forçar as pernas trêmulas para poder subir e descer no membro do Todoroki de modo rápido, o mesmo o ajudando nos movimentos. Ambos continham seus sons para que não saíssem do quarto e acordasse alguém, mesmo sendo difícil por causa do prazer.

Mesmo quase não sentindo suas pernas, Izuku continuou seu serviço até ambos gozarem. Se apoiou sobre o peito do bicolor para recuperar seu ar, sentia-se todo pesado e cansado de mais para pensar em outra coisa além de aproveitar a sensação gostosa do orgasmo.

– Agora sim podemos dormir, neném. – Shouto sorriu mais e abraçou o corpo quase desfalecido do namorado.

– Você vai me dar um banho. Agora. – Izuku pediu baixo.

– Não pode ser amanhã?

– Não, agora.

– Então não reclame se eu me aproveitar um pouquinho só, tá, neném.

 

...

 

– Posso ir para a sala com vocês até o Festival começar de fato? – Mikan olhou de um para o outro, enquanto andavam de mãos dadas até a escola.

– Sei não, depois como é que você vai encontrar a Inko-sama e ir para as arquibancadas? – Shouto perguntou.

– Passe VIP, amore! – Inko sorriu mostrando dois crachás que tirou da bolça – Eu vou falar com o Toshinori-kun, quando estiver para começar os jogos eu apareço e a levo de volta.

– Se você diz... – Shouto bufou – Tá, pode ir com nós por um tempo, mas não é pra aprontar nenhuma, viu? Todo mundo vai estar se concentrando para entrar na arena.

– Pode deixar! Eu juro me comportar! – sorriu inocente.

– Mikan, você tá com cara de quem vai aprontar! – Izuku disse.

– Não vou não! – Mikan protestou – Eu só quero conhecer os seus amigos.

– Hum... – os dois disseram desconfiados e Mikan bufou.

 

...

 

Depois da USJ, ficou praticamente impossível de Todoroki esconder sua paternidade de sua classe. Teve que explicar o porquê dos vilões estarem atrás de si e o seu passado triste e traumático. E de algum modo, isso fora bom para si.

Retirou dele um peso nas costas. Seus colegas começaram a serem mais empáticos por si e entenderam o porquê dele ter sido tão afastado no início. Desde então, Shouto sente-se mais livre na Yuuei e mais bem aceito. Por isso, não ficou tão incomodado quando apareceu na sala com sua filha no encalço, a cena do casal com a criança andando pela Yuuei foi fofa de mais para alguém não se derreter.

– Todoroki-kun, essa é a sua filha?! – Uraraka perguntou.

– Ela é muito fofa! – Hagakure disse.

– Vem brincar com nós! – Ashido chamou.

As meninas se juntaram e levaram a menina para um canto da sala de preparo dentro da arena do primeiro ano. Shouto até quis contestar, mas Midoriya o parou e o puxou para perto dos meninos, deixando que Mikan se divertisse com as meninas.

– Ela fica tempo de mais só com nós, precisa de umas amizades femininas sem ser minha mãe. – Midoriya sorriu.

– Sim, mas é que... – olhou para a filha no meio das seis meninas de sua sala, não crendo no poder social que ela tem.

– Espero que quando eu for pai, não fique tão preocupado assim! – Kaminari disse.

– Não é nem preocupação de fato, é que eu conheço a filha que criei muito bem. Ela é bem imprevisível. – Shouto suspirou.

– Imagino. – Kirishima riu.

Mesmo ficando de olho em sua filha, aproveitou aquele momento do jeito que deu, até Inko buscá-la para levar a arquibancada. Mikan ia toda animada de mãos dadas à avó, contando que fizera amizade com as meninas da classe 1-A e que iriam sair juntas qualquer dia desses.

– Momo-neechan e Kyouka-neechan são muito legais! Elas disseram que iam me ensinar a tocar piano! – sorriu toda alegre.

– Que legal, Mikacchi! – Inko sorriu para a menina, andando pelo labirinto de túneis da arena.

– Adotou uma criança, Inko-kun? – as duas pararam e olharam para a figura grande e flamejante que vinha a direção delas, sorrindo.

– Há, não. Essa é a filha do namorado do meu filho, minha neta. – sorriu.

– Neta? Você já é avó? Essa é boa!

– Pois é, a vida é imprevisível. Enji-kun, essa é Todoroki Mikan. Mikan, esse é o meu amigo antigo, Endeavor ou Todoroki Enji.

– Todoroki? Eu tenho o mesmo sobrenome do herói número 2! – sorriu toda animada.

– Todoroki é um sobrenome bem comum, mesmo. – o ruivo sorriu – Inko-kun, precisamos sair novamente e colocar os papos em dia! Da última vez que nos encontramos, você era apenas uma mãe, agora é até avó!

– Com certeza! – Inko sorriu – Bem, vou indo. Eu e Mikacchi vamos ver o pai dela e meu filho lutarem. E você, o que faz aqui?

– Procurando novos talentos. Já passou da hora de eu abrir estágios na minha agência.

– Escolhe o meu pai! – Mikan se intrometeu no meio da conversa – Ele é legal e tem poder de fogo igual você!

– É mesmo? – Endeavor abaixou na altura dela – Ele tem poder de fogo?

– Sim! E de gelo também. Ele é um meio-a-meio de branco e vermelho no cabelo. O senhor vai ver, ele é muito bom! E meu outro papai Deku também é muito legal! – os olhos dela brilhavam e Enji sentiu-se bem ao lado da menina.

– Vamos ver como ele vai se sair. – bagunçou os fios laranja e levantou – Até logo!

 

...

 

– Então, né, Deku. – Todoroki riu estralando seus dedos na frente do corpo – Lamento dizer, mas irei ganhar.

– Baseado em quê? – Midoriya perguntou debochado olhando o namorado, também se alongando.

– Eu posso simplesmente congelar todo mundo e passar livremente. – Todoroki sorriu – Boa sorte. Vou te aguardar do outro lado com a medalha de primeiro lugar.

– Vai sonhando, Todoroki. – Midoriya sorriu – Me aguarde.

– Ai, ai, que perigoso, ele, gente! – Todoroki riu.

A prova deu o seu início, uma corrida ao redor da arena sendo transmitida por drones. Todoroki logo de cara fizera o que pretendia, congelou todos no início e passou em disparada. A esperança dele é de que ninguém conseguisse sair do seu gelo tão cedo, porém seus colegas tinham outros planos.

– Você acha mesmo que um gelinho de nada iria me parar, Sub Zero?! – Midoriya gritou passando por todo o gelo pulando que nem coelho e quebrando o gelo, ajudando algumas pessoas.

– Porra, Scorpion! Fica frio aí! – Todoroki gritou rindo, correndo rapidamente.

– Puta que pariu! Eu vou te matar, Sub Zero seu filho da puta! – Midoriya riu. Para o mundo, são dois adolescentes falando nada com nada, ali entre os jovens eles são um casal se zoando enquanto competiam.

– CASAL DE MERDA! EU VOU MATAR VOCÊS! – ouviram explosões e um Bakugou furioso gritando atrás deles.

– Vixi, despertamos a besta! – Todoroki riu. Manteve-se firme na corrida até o fim, dando o seu melhor, conseguindo até congelar pela segunda vez o maior robô da Yuuei.

 

...

 

– Eu sabia que eles iam se sair bem! Olha como eles são incríveis! – Mikan disse toda animada.

– Sim, mas dá pra ficar mais para dentro daqui e menos na beirada? – Aizawa pediu, segurando os ombros da criança para ela não se pendurar na mureta da arquibancada.

Inko sorriu vendo os três heróis Eraser Head, Midnight e Present Mic tentarem cuidar da filha de Shouto. Enquanto isso, ela, All Might e Endeavor conversavam enquanto ao lado deles uma tela mostrava a corrida e eles viam o casal competindo.

– Meu filho é tão forte! – Toshinori dizia todo orgulhoso.

– Ai, meu genro é tão forte! Meu filho soube escolher muito bem! – Inko sorriu derretida enquanto via ambos se ajudando a atravessar a parte de pilastras da prova.

– Hã, Inko-kun, você não deveria estar meio preocupada com a sua neta ali? – Enji olhou a criança sendo contida pelos três pro-heros, quase pulando para fora.

– Ah, que nada! É muito mais fácil e capaz da Mikacchi jogar os três lá para baixo do que ela cair. – Inko riu – Ai, essa daí é bem especial mesmo.

– Deixe-me ver se entendi; Você abrigou o namorado do seu filho, e praticamente o adotou e agora cuida da menina como se ela fosse sua neta de verdade mesmo? – Enji perguntou.

– Exatamente! – a Midoriya sorriu – E ela é minha neta sim! Melhor companhia e eu espero que ela cresça bem devagar pra eu ter muitos anos com companhia!

– Shouto-kun é um bom menino, só que tomou algumas decisões erradas no passado. E também viera de um lugar terrível. É quase um milagre que ele queira ser um herói e ainda queira criar a filha.

– Compreendo. – Enji disse.

– E como vai os seus filhos? – Inko perguntou.

– Bem. Fuyumi está cuidando da mãe. Natsuo deve voltar daqui a pouco da Mongólia para me ajudar com o estágio na agência.

– Alguma notícia de Touya? – Toshinori perguntou.

– Nenhuma, nem do meu caçula. – suspirou tristemente – Rei apesar de ter me perdoado, não confia em mim inteiramente para me dizer para aonde Touya fora e muito menos com quem deixou o caçula.

– Calma, uma hora ela vai falar. Se não for pra você, talvez para Fuyumi ou Natsuo. – Inko tentou o consolar.

– Já estamos desistindo disso. – Endeavor bufou tristemente – Eu trocaria qualquer coisa, só para voltar no passado e consertar meus erros e hoje em dia estar com os meus quatro filhos em casa. Eu nem conheci o mais novo, e duvido que Touya queira voltar para casa. Acho que tá na hora de desistir e seguir em frente.

– Uma hora eles vão aparecer. – Toshinori disse.

– Eu duvido muito. – o olhar triste dele é de partir o coração. Mas surgiu um sorriso quando viu a criança praticamente pular encima da mureta e se equilibrar nela – Essa Mikan é ótima!

– Depois eu vejo a corrida, Mikacchi sendo cuidada pelos três é bem mais interessante! – Inko riu.

– Ela vai matar os três! – Toshinori riu.

– Vai nada, no máximo um sustinho! – Enji riu – Inko-kun, se precisar de uma ajuda com ela, me chama. Faz anos que não fico perto de crianças.

– Vamos combinar um passeio. A Rei-chan iria adorar! – Inko disse.

De fato, a Mikan com os pro-heros é mais interessante que a corrida do Festival da Yuuei.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...