1. Spirit Fanfics >
  2. My Hero Academia - Queen is Invincible >
  3. Kira Izuku só quer viver uma vida muito tranquila. - Parte 1

História My Hero Academia - Queen is Invincible - Capítulo 2


Escrita por: ShiroganeGuil

Notas do Autor


Sinopse:

“Izuku segue sua rotina normal do dia a dia após acordar e ir a escola, Izuku realmente não quer muita coisa, ele só quer viver do jeito mais tranquilo e de paz possível.”

E olá! Finalmente esse capítulo chegou, eu espero que gostem 👍

E lembrando, mais uma vez, críticas, correções, sugestões e blá blá blá, 6 já sabem né? Eu não preciso repetir isso mais do que o necessário, então só...

BORA PRO CAPÍTULO

tenha uma boa leitura, caro leitor que está do outro lado da tela.

Capítulo 2 - Kira Izuku só quer viver uma vida muito tranquila. - Parte 1


Fanfic / Fanfiction My Hero Academia - Queen is Invincible - Capítulo 2 - Kira Izuku só quer viver uma vida muito tranquila. - Parte 1


Leiam as notas, pfv.


Ponto de vista - Narrador



Bip


Bip


Bip


barulho do despertador foi subitamente interrompido quando uma mão que sai de baixo de uma coberta pousou sobre o botão para desligar, e poucos segundos depois, um cabelo verde se levantou da cama e se espreguiçou, esse era Kira Izuku, acordando mais uma vez, sem fadiga ou cansaço, ele estava vestindo um pijama de padrão xadrez verde e roxo, e com as linhas do padrão douradas. Izuku se senta e calça suas pantufas pretas que estavam no lado de sua cama, e depois de verificar o relógio, ele viu que eram 6:45 da manhã, as aulas só começariam em 1 hora e 45 minutos então ele ainda tinha bastante tempo. Após se levantar, Izuku foi direto para o banheiro, fez suas necessário básicas, e após isso, foi ao seu armário, e colocou o uniforme dele em cima de sua cama e depois foi para a cozinha. Chegando no cômodo ele encontrou  um bilhete na geladeira, quando ele pegou o bilhete e leu, ele viu que era uma mensagem de sua mãe, dizendo que ela só tinha que ir para uma cidade longe de onde eles moram para atuar como advogada de defesa no tribunal, ela avisou que iria ligar 3 vezes oor dia e no bilhete também dizia que ela tinha deixado o cartão dela e também ¥55066,75 em dinheiro vivo para caso ele precisasse de algo.


Quando Izuku terminou de ler, ele guardou o bilhete em uma caixinha, abriu a geladeira, tirou algumas coisas dela, e foi em direção do fogão, ele pegou e abriu um caderninho de receitas, e começou a preparar seu café da manhã. Cerca de 20 minutos depois e estava tudo pronto, um sanduíche misto torrado, junto de uma xícara de café puro, quando tudo ficou pronto, ele levou sua refeição para a sala, pós tudo encima de seu Kotatsu, ligou a TV, colocou no canal das notícias, e começou a se alimentar de seu café da manhã. Em uma das notícias, era falado que tinha uma dupla de vilões líquidos na área norte da cidade, ele não se importou muito, mas memorizou essa informação. Após ter comido tudo, ele se levantou, colocou seu prato e xícara na pia, lavou, e foi em direção do banheiro, ele ligou o chuveiro, e começou a tomar banho.


7:15

Quando Izuku terminou seu banho, ele escovou seus dentes, passou fio dental e etc, e após tudo isso, ele foi em direção ao seu quarto, e pegou o uniforme que ele deixou em cima de sua cama, o vestindo, seu uniforme que consistia em obviamente um gakuran japonês, cuja parte de cima estava aberta como uma jaqueta, ele usava também uma camisa por baixo que tinha como a cor de base, a cor branca, ele colocou em seu pescoço um colar, que tinha um pingente em forma de uma ponta de flecha, e por fim, uma gravata preta e cinza escuro, com tom xadrez, e que possuia caveiras que tinham extensões em forma de orelhas de gato na cabeça; (Vai estar nas notas finais a gravata caso eu não tenha explicado muito bem) esse último item do uniforme, era o com mais valor emocional para Izuku, pois era um presente de aniversário que ele ganhou de seu pai quando tinha 10-11 anos, ele sempre a usa quando sai de casa, e tende a deixar ela exposta para mostrar que ele não tem medo, nem ódio e nem vergonha de ser filho de Yoshikage Kira, diferente dos outros que o julgam.


Após ter se arrumado, Izuku vai ao seu quarto e pega seu celular que estava encima do criado-mudo do lado de sua cama, ele vê que ainda tem bastante tempo faltando para a escola, então Izuku vai até a sala, se senta em seu sofá, chama um táxi, e começa e explorar a internet, vendo vídeos e tals, enquanto ele explorava, ele acabou passando por algumas notícias dos heróis que o treinaram, no caso Jotaro Kujo, Josuke Higashikata e Okuyasu Nijimura, ele por um tempo ficou se lembrando dos momentos que passaram juntos, e deu um sorriso com essas lembranças, eram uma zona de conforto dele, o jeito com como eles foram legais com ele, a forma que eles o treinavam, a interação dos três, isso são coisas que Izuku definitivamente guarda com o coração. Após alguns minutos a mais de nostalgia, Izuku verifica o relógio do celular, e vê que são 7:30 da manhã, ele então se levanta, e começa a fazer o lanche que ele iria levar para se alimentar durante o almoço, e para isso ele faz uma comida básica, nada muito elaborarado, mas o suficiente para alguém do porte dele. Após tudo estar pronto, ele coloca em um bento, o embrulha em um pano xadrez, de cor vermelha e com as linhas brancas, e o guarda em sua bolsa.


8:00

Izuku depois trancar toda a casa, sai do terreno, e vê o táxi que ele pediu do outro lado da rua, então após ele vai até o veículo, que após Izuku entrar e confirmar seu distino, começa a andar na direção desejada. (N/A: e só para constar, a casa do Izuku é uma casa praticamente igual a casa do Kira, é só vocês pesquisarem “Kira Yoshikage House” no Google que vocês veram como ela é) Durante a viagem Izuku estava que quase 60% do tempo apenas olhando pela janela, de vez enquando ele olhava para o celular para saber que horas eram e o resto do tempo, ele gostava conversando com o taxista, que era amigo pessoal da mãe de Izuku, e uma pessoa de confiança para ele, eles conversaram sobre vários assuntos na viagem, sobre jogos, individualidades, acontecimentos e etc. Mas em determinado momento o carro parou enfrente a uma loja de souvenires, Izuku quando viu a loja saiu do carro, pagou o motorista, e começou sua caminhada até a escola. Ele sempre pede para parar enfrente a essa loja para que ele tenha uma caminhada até a escola, já que Izuku não gosta de perder uma caminhada se tiver a chance, e verificando mais uma vez o relógio quando Izuku parou enfrente a escola, Izuku viu que estava exatamente na hora que ele previu para chegar.


8:25

Após passar pelos portões, ele começou a andar pela escola, e quando deu 8:29, ele chegou em sua sala, e lá ele começou a receber olhares os quais ele estava acustumado, olhares de raiva, desprezo, medo, principalmente por uma parte das garotas, já que era de praticamente conhecimento geral que o pai de Izuku, Kira Yoshikage, tinha um fetiche em mãos e que ele só matava mulheres, mas ele simplesmente ignorou todos esses olhares e manteve sua cara indiferente que mandava a mensagem “não me incomodem” para a sala, enfim, Izuku foi até sua mesa, se sentou, e quando ele terminou de se arrumar na cadeira, o sino das 8:30 tocou, e a aula começou, o professor entrou, e tudo ocorreu normalmente.


Eventualmente, enquanto o tempo ia passando, e as aulas iam acontecendo, Izuku fazia tudo com perfeição, sua letra e mente eram impressionantes, com notas perfeitas em todas as matérias, um prodígio natural, por mais que os professores não gostassem muito deles, e por mais que eles também endeusassem muito outro dos alunos, Katsuki Bakugou, o rival e Ex-amigo de Izuku, eles precisavam admitir, Izuku tinha mais talento e mais potencial que Katsuki, Izuku também tinha um temperamento muito mais fácil de lidar do que Katsuki, sendo um aluno exemplar desde que chegou, isso tudo acabava contribuindo para ele ser o melhor aluno da escola em anos, o que não é pouca coisa se eles fossem ver.


Quando a hora do almoço chegou, todos os alunos saíram de forma desenfreada da sala, parecia até que passavam fome, Izuku quando terminou de guardar suas coisas, pegou seu bento e saiu da sala, fazendo seu caminho regular até o terraço da escola, claro, no caminho recebendo alguns empurrões e xingamentos, além de algumas garotas que simplesmente saiam cochichando sobre “Izuku talvez estar fazendo vítimas e ninguém saber”, isso tudo contribuia em ninguém se aproximando dele, e se ele for sincero, ele gostava assim, pois significava que ele poderia ficar calmo e tranquilo, mas também existiam aqueles que não faziam nada de ruim com Izuku, alguns garotos, os mais isolados da sala também, tentavam chamar o Izuku para almoçar com eles, ou alguns grupos de garotas que tentavam se aproximar dele, algumas até coravam falando com ele, Izuku até recebeu uma carta de amor a poucas semanas, mas a carta não dizia muita coisa, só que a pessoa o amava desde que ela se lembra e tal, mas nenhuma informação a mais, nenhum lugar de encontro, nada, Izuku só guardou a carta, em um lugar seguro e onde ela não seria perdida, querendo ou não ele gostou de ter recebido uma dessas cartas, significava que pelo menos alguém não odiava ele e até o amava.


Izuku depois de subir alguns lotes de escadas, enfim chegou ao terraço, um lugar de paz e tranquiladade, ele foi até uma das paredes, se sentou encostando na parede, abriu seu bento, pegou seus hashis, e depois de agradecer pela sua refeição, ele começou a comer, e volta e meia ele olhava para os lados pensando ter mais alguém ali, mas no final, eram só pombos que estavam ali, teve um momento que apareceu um pombinho ali, pombo esse que era de Izuku, e que se chama Roger, quando o pombo chegou, Izuku pegou um pedaço de seu lanche, e deu à ave, que após comer, saiu voando dali. Quando o horário do almoço acabou, ele rapidamente guardou o bento e o resto de coisas que ele trouxe, como um cadeirinho, onde ele escrevia sobre o Killer Queen e outros Stands, ele não era muito fã de individualidades desde o dia que começaram a zoar ele por não possuir uma.


Izuku enfim chegou na sala, e quando ele ia se sentar em sua cadeira, ele viu que alguém escreveu as palavras “assasino”, “Você não pode ser um herói”, “morra como o seu pai deveria ter feito” entre outras mensagens saudáveis, Izuku sabia exatamente quem tinha feito isso, mas ele como sempre apenas tirou um pano da mochila, colocou um pouco de álcool na mão, e limpou sua mesa, quando ele olhou para o resto da sala, viu muitos deles com olhares de raiva por novamente não obterem nenhuma reação de Izuku, ele sorriu internamente com isso, e então se sentou, e a aula continuou.


Última aula

Era a última aula, e Izuku estava em sua mesa escrevendo em seu caderno, anotando algumas coisas como uma habilidade nova que ele estava treinando ultimamente, mas antes que Izuku concluísse seu pensamento, i professor bateu alguns papéis na messa e limpou a garganta chamando a atenção da classe.


-Bom, alunos, hoje vocês vão decidir o que querem da vida, por mais que já seja óbvio, todos aqui querem ser heróis não é?! [Professor Figurante] quando ele disse isso automaticamente todos os alunos, exceto dois, Izuku e seu ex-amigo Bakugou Katsuki, começaram a ativar suas individualidades como loucos.


-SIM!!! [Alunos figurantes] a sala estava barulhenta demais, e Izuku estava começando a desmontrar com sua cara que estava ficando bem incomodado com isso, alguns alunos notaram e simplesmente se calaram. Mas teve também os corajosos.


-Professor, todos aqui querem ser heróis, mas tem aqui que tem o poder perfeito para ser um vilão, ele até é filho de um, não é mesmo, Deku? [Aluno figurante escroto] Isso acabou arrancando risadas de outros alunos, que ficaram concordando, e completando com “esse idiota nunca será um herói”, “será que ele realmente vai tentar, só para os professores reprovarem ele?” e tals, Izuku estava começando a liberar uma aura, que se assemelhava a vários fios negros, isso calou boa parte da sala, e deixou o aluno figurante escroto, colado na cadeira. O professor percebendo o clima resolveu intervir.

-B-Bem, eu vi que o Bakugou e o Kira querem ir para a U.A, n-não é mesmo? [Professor Figurante] ele falou isso tremendo, quando ele olhou para Izuku e percebeu que ele voltou com a sua clássica cara indiferente, querendo ou não era muito melhor do que sua cara de raiva, isso ajudou o professor a ficar mais calmo, mas alguns alunos começaram a cochichar sobre a U.A, e como ela era um desafio para se entrar e tals, mas uma boa parte da sala tomou um susto quando Katsuki bateu o pé na mesa, enquanto possuía um sorriso arrogante no rosto.


-Ha! Professor, me poupe, eu sou o único dessa sala que pode se tornar um herói, e guarde minhas palavras, eu vou me tornar o número um e superar All Might em menos de 1 ano! [Bakugou] alguns alunos fizeram cara feia para Bakugou, chamando ele de arrogante, coisa que era inegável, já que ele foi criado sendo endeusado por todos a sua volta.


-Ok Bakugou, já entendemos que você tem enorme potencial, mas agora se sente, a aula ainda não acabou. [Professor Figurante] quando ele disse isso, Bakugou se sentou na cadeira e deu um olhar arrogante para Izuku, que nem se importou com isso.


Final do dia de aula

Quando o dia escolar finalmente estava chegando ao fim, Izuku estava feliz de que finalmente iria poder voltar para casa e obter sua tão amada tranquilidade, esse dia na aula foi mais estressante do que o normal para ele. Enfim o sinal tocou, e vários alunos começaram a se levantar e guardar suas coisas na velocidade da luz, e já saíram correndo da sala, deixando o professor da sala bem irritado por seus alunos não ouvir ele. Izuku estava guardando tudo que era dele calmamente, ele enfim guardou o último caderno, mas quando ele iria começar a andar até a saída, um grupo de lacaios de Katsuki, junto do próprio estavam ee aproximando dele, todos tinham sorrisos arrogantes e esnobes no rosto.


-Ei, Deku, por que você quer ir para a U.A, você sabe muito bem que um beco cairia como uma luva para você, afinal, você é só uma mera cópia minha que tenta se fazer de melhor. [Katsuki] Bakugou disse isso, mas Izuku ainda estava a frente de sua mochila olhando para baixo e terminando de arrumar tudo.


-Ei! Eu tô falando com você Deku, não aprendeu que aqueles que estão para baixo na hierarquia de poder devem respeitar quem está acima?! [Katsuki] Mais uma vez sem resposta.


-Ah, já entendi, você se acha superior a mim, e acha que por isso pode me ignorar, ou talvez, você só esteja criando planos para me matar, afinal, filho de peixe, peixinho é. [Katsuki] Nessa última parte, Izuku simplesmente parou de se mecher, e os capangas de Bakugou simplesmente estremeceram, até eles sabiam que Bakugou estava começando a quebrar a paciência de Izuku. Esse que simplesmente se virou para Katsuki e manteve contato visual com ele, e no sey olhar indiferente, podia se ver bastante raiva reprimida. Até Katsuki mentalmente estremeceu com isso, por mais que ele não tenha demonstrado.


-He, bom, finalmente você se virou, realmente se você provocar um animal do jeito certo ele faz o que você quiser. Olha aqui Deku, o mundo já tá cheio de vilões, seu pai está super incluído nessa categoria, e você já é um vilão pronto, e a U.A nem perderia tempo com você, pois até eles sabem a sua verdadeira natureza, que você esconde da sociedade, sobre uma máscara de pessoa boa, assim como o seu pai fez. Então, para você evitar a humilhação que vai ser o diretor dizendo que a escola não aceita vilões, não entre na U.A, entendeu? [Katsuki] Ele disse essa última parte colocando sua mão esquerda no ombro de Izuku, e até começou a sair fumaça, mas Izuku, bem, seus olhos estavam sombreados por causa de seu cabelo, mas quando ele levanta cabeça, aquela aura de linhas negras, se comprimiu em uma aura roxa em volta dele, e ao seu lado, apareceu surgindo da aura, um em esqueleto, cujo crânio tinha orelhas de gato, e que possuía olhos vermelhos, e boca levemente aberta, seus braços estavam cruzados em um X. Bakugou e seus capangas ficaram assustados com aquilo, os capangas no caso, caíram no chão e saíram correndo Dali, mas Bakugou só estava tremendo, e ele tinha seus braços caídos para baixo, e em seu olhar o medo era visível.


(Tema do Kira começa a tocar)

-Bakugou, eu aturo todas as ofensas direcionadas para mim, todos os xingamentos e ações, tudo, mas eu juro, se você soltar mais uma palavra se quer, sobre meu pai, eu vou te mostrar os motivos para eu ter as explosões mais fatais dessa escola. [Izuku] ele disse isso, com a mão esquerda dele apoiada no ombro de Bakugou, ele então, tira sua mão de Bakugou, que relaxa visivelmente com isso, pega sua mochila e começa a sair da sala. Mas quando ele estava saindo de lá, ele se virou para Bakugou e o olhou nos olhos.


-Por mais que isso fosse certamente atrapalhar a minha rotina, e fora que não teria nenhum tipo de sentido eu gastar meu tempo com um valentão arrogante como você, eu não vou te explodir, não fatalmente, isso iria acabar com minha paz... Afinal, eu só quero viver uma vida calma e o mais tranquila possível. 


Izuku então sai da sala, deixando para trás Bakugou paralisado de medo, vendo que ele realmente não era o mais poderoso.











Continua







Notas Finais


E foi esse o capítulo 2!
Esse capítulo foi bem mais detalhado por um motivo ok, o motivo é, explicar detalhadamente, a rotina de Izuku, e como ele só quer viver uma vida de paz e tranquilidade.


Aqui está o Link da gravata que o Izuku usa:
https://www.joom.com/pt-br/products/5d07852c1436d401018bb9c6

E acho que foi isso, obrigado por ler até aqui, até a próxima e vlw flw!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...