1. Spirit Fanfics >
  2. My Hero Academia - We Are Venom! >
  3. We Are Venom!

História My Hero Academia - We Are Venom! - Capítulo 2


Escrita por: e Yui_10


Notas do Autor


Boa leitura :3

Capítulo 2 - We Are Venom!


My Hero Academia – We Are Venom.

 

We Are Venom!

 

{…}

Abri meus olhos lentamente, acostumando-me a claridade. Minha cabeça latejava como se estivessem alfinetando meu cérebro com mil agulhas ao mesmo tempo. Sentia-me pesado e um pouco dolorido, mas fora isso, meus arranhões e machucados haviam sido completamente curados...?

Respirei fundo, fechando meus olhos com força, buscando as lembranças sobre o dia anterior. Lembro-me de ajudar o Midoriya, impedindo que ele levasse uma explosão daquele loiro megalomaníaco. Também me lembro de estar refletindo sobre tudo dentro do lixão a noite, perto da hora de dormir.

– Kami, me diz que aqueles esquisitões eram só um pesadelo! Nem quero imaginar aquela gosma esquisita ainda estar em mim!

Sacudi minha cabeça, com meus olhos arregalados. Abracei meus joelhos, olhando ao meu redor. Finalmente reparei que estava em uma floresta, parecia a Aokigahara, e isso me fez engolir em seco. Aokigahara é uma floresta de 38km2 situada ao noroeste do Monte Fuji, e é conhecida como Mar de Arvores e... Floresta do Suicídio. E cara, eu estava MUITO longe da minha “casa”. No caso o lixão que eu vivo.

Sinceramente garoto? Você tem que arranjar um lugar melhor.

Uma voz falou do nada. A mesma voz assustadora da noite anterior, que falou comigo logo que aquela gosma entrou em mim.

– Ou aquela gosma ainda tá em mim, ou eu que tô ficando louco! E eu prefiro a segunda opção!

Você faz muito drama. E eu não sou uma gosma, seu idiota!

Falou a voz novamente, e uma cabeça se formou a partir daquela substancia negra, que estava saindo do meu ombro esquerdo. Logo, a próxima coisa que eu estava fazendo naquele momento, era simplesmente gritar igual uma menininha.

Cala a boca ou eu devoro seu fígado!

Disse aquela cabeça flutuante formada pela gosma que saia do meu ombro. Dentes afiados e grandes olhos brancos que pareciam ver até minha alma, e que definitivamente, era uma aparência a qual eu teria muitos pesadelos.

– Quem... Que raios é você?! Algum tipo de parasita?!

Exclamei em pânico, e fiquei ainda mais com o rosnado que aquela coisa deu.

PARASITA?!

Fui praticamente arremessado para trás, grudando sem sequer conseguir me mover. Fiquei com tanto medo que só senti urina escorrendo pelas calças, e aquela coisa me olhou como se tentasse dizer “Isso é sério?”.

– Não me julgue, você é mó monstrão!

Falei, soltando um suspiro enquanto aquela coisa me deixava me mexer.

 – Mas de toda forma, desculpe te chamar de parasita. Acho que você não gostou disso, né?

Dei um riso nervoso, e um pouco medroso e a criatura deu uma risada um tanto quanto macabra.

Até que você não é um bundão. De qualquer modo, nós somos Venom, e você, garoto, é meu!

Ele disse de forma tão convicta e autoritária que eu quis urinar por uma segunda vez. Respirei fundo, tentando não gritar apavorado.

– Quê?!

Não adiantou muito, já que eu gritei desesperado. Estranhamente me senti mais calmo, até me sentar na grama e massagear as têmporas. Aquele ser... Venom... Olhava-me fixamente com os grandes olhos brancos.

Vou tentar explicar de um modo que seu cérebro de minhoca entenda guri. Eu não sou uma individualidade, sou um ser completamente consciente e individual, que necessita de um hospedeiro para sobreviver aos ambientes do planeta. Você é o hospedeiro perfeito. Sua imperfeição, de não ter uma individualidade, é na realidade, uma perfeição, pois assim eu posso evoluir nós dois da melhor forma possível sem interferências internas.

Explicou, e respirei fundo conseguindo manter a calma e logo me acostumando, mesmo que lentamente, aos seus olhos brancos.

– Evoluir nós dois...? Não faria mais sentido evoluir só a você mesmo?

De certo modo, sim. Contudo é necessário que você evolua junto comigo, para que eu possa usar minha capacidade total. Além de que eu tô na sua cabeça. Eu vejo tudo o que pensa, vejo toda sua memória, tudo. Você quer ser um herói? Bom, você pode se tornar um. Ou algo próximo a isso. Veja bem, eu me alimento de proteínas que só existem no cérebro humano. Mas recentemente descobri que estas mesmas proteínas se encontram também na mistura de chocolate e batatinhas, então me contenho a comer somente isso. Mas se necessário, vou devorar uma pessoa. É uma questão de cadeia alimentar.

Disse-me. Consegui ficar de pé, e esfreguei meu rosto com uma das mãos. Tentei organizar meus pensamentos, diante aquela revelação assustadora sobre Venom alimentar-se de cérebros humanos.

– Se você for comer seres humanos... Pode, ao menos, comer um que seja ruim? Um vilão, por exemplo? É melhor do que devorar alguém inocente. Eu já desisti de ter uma vida normal momentos atrás.

Disse com um suspiro, tentando manter minha mente aberta a qualquer possibilidade de me tornar um herói, ou como Venom mesmo disse poucos momentos atrás, algo próximo disso. A criatura pareceu pensar, a julgar por seus olhos brancos semicerrados e soltou uma espécie de suspiro assustador.

Bem, isso eu posso fazer. Vou te auxiliar no que eu puder. Desde que tenhamos limites um com o outro. Primeiramente, não me chame de parasita ou eu como não só seu fígado, como seu cérebro! Segundo, evite o máximo que puder cenários de incêndio ou shows de musica. Terceiro, nunca, jamais, me deixe esperando para comer! E por último, jamais revele sobre minha origem. Minta. Diga que foi o despertar tardio de uma individualidade que sofreu mutação, ou algo do tipo. Estes são seus limites comigo. Pode me dizer quais limites quer que eu tenha com você.

Falou, e ponderei possibilidades por alguns momentos.  Caminhei em círculos por alguns instantes e suspirei.

– Primeiramente, você nunca vai aparecer nessa forma diante de alguém, para não causar pânico. Você consegue aparecer em uma forma, sei lá, chibi?

Questionei, vendo-o se transformar numa bolinha encima da minha mão, com olhinhos brancos grandes e mais kawaiis do que assustadores. Tive de me controlar para não rir, já que era cômico o quão rápido Venom saiu de assustador para fofo.

– Segundo, você vai me ajudar a passar no teste da U.A para conseguir entrar no Curso de Heróis. Terceiro! Você não vai ameaçar comer ninguém em publico, espera até encurralarmos a presa em questão em um lugar isolado. Por ultimo, se vamos passar o tempo inteiro, grudados a partir de hoje, você vai ter que me obedecer em algumas ocasiões. Por exemplo, se alguém desconfiar que você não seja parte de mim? Terá que me obedecer em ocasiões assim, só para ninguém suspeitar. De acordo?

Questionei, vendo o Venom na versão chibi suspirar e assentir.

De acordo, Nikoru. Agora seria bom você tomar um banho naquele riacho ali, suas roupas estão fedendo a urina. E não se preocupe, posso me transformar em roupa para te cobrir.

– Isso é estranho de se dizer, mas tudo bem. Vamos lá, depois disso vamos voltar pra casa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...