História My hero academia. - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens All For One, Chiyo Shuzenji (Recovery Girl), Dabi, Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Enji Todoroki (Endeavor), Eri, Fumikage Tokoyami, Fuyumi Todoroki, Gran Torino, Hanta Sero, Hawks, Hitoshi Shinsou, Hizashi Yamada (Present Mic), Ibara Shiozaki, Inasa Yoarashi, Inko Midoriya, Itsuka Kendo, Izuku Midoriya (Deku), Kai Chisaki (Overhaul), Katsuki Bakugou, Kinoko Komori, Kurogiri, Kyoka Jiro, Mashirao Ojiro, Mei Hatsume, Mina Ashido, Minoru Mineta, Mirio Togata (Lemillion), Momo Yaoyorozu, Muscular, Naomasa Tsukauchi, Neito Monoma, Nejire Hado, Nemuri Kayama, Ochako Uraraka (Uravity), Pony Tsunotori, Ryuko Tatsuma (Ryukyu), Sen Kaibara, Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Sir Nighteye, Stain, Tamaki Amajiki (Sun Eater), Tenya Iida, Tetsutetsu, Thirteen, Toga Himiko, Tomura Shigaraki, Toru Hagakure, Toshinori Yagi (All Might), Tsuyu Asui, Yo Shindo, Yosetsu Awase, Yu Takeyama (Mount Lady), Yuga Aoyama, Yuuga Aoyama
Tags Boku No Hero, Fem! Midoriya, Katsudeku, Lady Vitality, Midoriya!fem, Tododeku
Visualizações 132
Palavras 3.459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Ecchi, Esporte, Fantasia, FemmeSlash, Ficção Adolescente, Fluffy, Harem, Hentai, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nossa gente! 106 favoritos, 100 comentários, assim fico feliz, vocês me alegram sempre!!! Por isso... quero propor uma coisa especial! Se querem saber oque é, leiam até o fim nas notas finais!

Eu estou escrevendo um arco próprio a partir desse, porque cheguei no capítulo do mangá que se passa em junho, em junho temos dia dos namorados! E exames finais então antes de tudo isso... bora relaxar com cenas engraçadas e muito fofas?

É isso por aqui! Tenham uma boa leitura!

Capítulo 15 - As coisas que mudaram...


Antes que eu pudesse perceber eu estava assistindo aulas de novo, aizawa-sensei falava sobre estratégias de captura. Os estágios de todos tinham acabado, eu tinha aprendido tanta coisa... escrevia aquilo que o professor dizia, minhas folhas cheias de anotações das quais a maioria eu sabia. Durante esse tempo, eu tinha desenvolvido uma nova capacidade, minhas mãos agora serviam pra curar e podia também usar o One for all em meu corpo. 

Mas... apesar de ter ganhado um amigo, eu estava perdendo outro. E ali estava eu, olhando pras costas dele, algo que era sempre comum entre nós; desde pequenos ele era o herói e eu a ajudante, mas não era oque eu queria, agora estávamos os dois como alunos e futuros heróis. Era estranho, mesmo assim aquela proximidade era... algo que eu queria ultrapassar, eu não conseguia entender oque se passava na cabeça dele. Ele brigava e chingava e mesmo eu estando cansada de lidar com isso, mas... 

Antes que eu pudesse perceber todos os alunos já tinham ido para a aula com o All Might, eu observava ele arrumando os materiais para a próxima aula. Eu peguei a maleta de meu uniforme mas senti alguém abraçando minha cintura, acabei percebendo que estava no colo de kacchan. Que vergonha! Porque ele estava me abraçando daquele jeito? Era desconfortável mas... me deixava feliz.

-você está usando o laço....

-t-t-t-to sim. 

-Eu... me desculpe. 

Senti seu rosto contra minhas costas, eu queria me virar e dar um sorriso para ele, mas estava travada, era a primeira vez que kacchan pedia desculpas. E seu tom de voz era triste, suas mãos estavam me abraçando forte, e eu respirava devagar.

-Eu machuquei minhas mãos pra fazer essa merda então é melhor você usar. 

Sua mão em minha cintura tinha alguns bandaids, então ele era o dono do laço, que curioso. Sua respiração próxima ao meu pescoço me causou um arrepio, senti seus lábios em minha nuca.

-kacchan não faz isso... vamos chegar atrasados... 

-a culpa é sua! Você me deixa assim, e agora eu... 

Ele afrouxou o abraço e eu pude me levantar. 

Katsuki Bakugou...

Quando foi que tudo mudou? Agora ela estava ali de pé me encarando, não éramos mais crianças. Era tudo tão mais fácil antigamente, falar sentimentos eram coisas bobas, apesar disso aquilo que estava no meu peito me incomodava. Antigamente éramos só nos dois, agora ela era popular não só com garotas mas também... com os garotos. Todos olharam pra aquela menina com pensamentos tão malditos, tão errados... e eu não era diferente.  

Aquele jeito tímido me atraia, aqueles cabelos bagunçados que eu costumava puxar estavam cheirosos e macios... suas curvas preenchiam meu sono e as vezes eu não dormia pensando nela, eram os hormônios? Eu dizia isso quando puxei suas coxas para meu colo, ela tinha o rosto tão vermelho que parecia um tomate, seus olhos encaravam os meus enquanto sua cintura estava colada na minha. Oque eu estava fazendo? Porque tinha que ser tão difícil? Ela sentou e eu tentava não pensar em merda, mas aquela garota trazia o meu pior. 

-kacchan... 

Seu corpo encaixava no meu, deveria ser assim, ela deveria ser minha! Mas... ela não era, midoriya Izuka não era de ninguém a não ser dona de si mesma, eu aprendi aquilo naquele beco. Aquelas palavras feriram profundamente minhas barreiras, em que momento...? 

-Eu estava com ciúmes, porque tinha que ser aquele meio a meio? Podia ser qualquer outro... bom eu me incomodaria do mesmo jeito... 

Aqueles olhos verdes me encararam, ela engoliu em seco e se arrumou em meu colo, aquilo era perigoso, sentir meu coração bater rápido era... excitante, droga... soltei sua cintura mas a garota continuou parada no lugar, me encarando. 

-não vai sair porra?

Seus lábios ficaram tão próximos aos meus, ela deu um leve sorriso e eu tive vontade de dar um soco naquela bochecha, como ela podia fazer isso e simplesmente levantar e sair da sala?! Chutei minha carteira a derrubando, maldita! Óbvio que depois eu ergui e arrumei tudo mas. Concentrei as palmas em minhas bochechas, eu estava corado, merda! 

Kaboom! A explosão atingiu meu rosto e eu pude acordar daquele maldito transe, eu logo estava indo na direção da aula. 

Aquele velho, All Might estava falando sobre sua entrada normal com kirishima, ele apesar de conversar sobre como estava feliz por todos voltarem, ele ficava me encarando com raiva. Velhote maldito, olhei ao redor... Todos aqueles extras, apesar disso a cara redonda conversava sobre os novos detalhes daquele uniforme. 

Midoriya ficava linda, com qualquer roupa que colocava, puta que pariu!!! Para de pensar nessa guria! E logo eu senti uma mão em meu ombro, dei uma cotovelada que atingiu o peito endurecido de kirishima. 

-Oi bakubro! Porque tá nervoso tão cedo!? 

-Cala a boca cabelo de merda. 

-Nossa... esse foi o insulto de bom dia, e quem você acha que vai ganhar a corrida? Mina e Sero são bons candidatos... 

Ah certo, aquele treino seria uma corrida de obstaculos, que legal... olhei ao redor, mina e sero conversavam... e deku estava alongando suas pernas....pernas...

-bakubro? Tá bem? Você tá meio.... 

Balancei o rosto, olhei com um dos meus piores olhares pra aquele ruivo maldito, não posso ter nem um minuto de paz. E logo os alunos estavam sendo transmitidos pelo telão, óbvio que... sero estava na liderança... até...

Izuka, ela passou pulando por sero, como seus movimentos eram tão rápidos? Antigamente ela nem conseguia pular de uma pedra a outra sem cair, e eu sempre ajudava... mas agora ela se segurava no metal e ia pulando pelas partes da fábrica. Aquela garota da gravidade olhava com admiração... o maldito meio a meio também... mas deku com seu sorriso determinado, estava imitando meus movimentos, eu podia me ver naquela cena... pulando de um lado a outro... 

Oque ela fazia comigo? Caralho nem a maior das minhas explosões fazia meu coração bater tão rápido, eu odeio ela.... certo?

Midoriya Izuka...

Depois de demonstrar minhas novas habilidades eu estava feliz, tinha dado o meu melhor mas ainda precisava melhorar, queria ser a melhor... uraraka dizia algo sobre como eu estava incrível pulando como uma coelhinha; pelo meu uniforme eles me chamavam de coelho, apesar disso eu me sentia bem, All Might parecia orgulhoso e passou por mim colocando a mão em meu ombro enquanto eu observava os outros se afastarem... 

-venha me ver depois das aulas, irei te contar tudo... 

Então eu segui as garotas para os vestiários, afinal as aulas já estavam acabando e precisávamos guardar nossos uniformes, eu estava com dificuldades em colocar minha gravata quando observei jirou com seu fone plugado na parede. 

-os peitoes da yaoyorozu! O corpo flutuante da uraraka! A cintura da Ashido!!! A calcinha flutuante da hagakure! Aquelas pernas e peitos da midoriya!!! 

-mineta... 

-Eh? 

Logo ela enfiou um de seus fones no buraco e todas ouviram alguém gritar tão alto, foi assustador, momo estava dobrando seu uniforme. Óbvio que uma explosão aconteceu do outro lado da sala, apesar disso o buraco tinha sido fechado por gelo... oque era bem curioso. 

Então depois da uraraka me ajudar com minha gravata finalmente pude... ir até all Might. Ele estava sentado naquele sofá com uma aura seria, eu sentei a sua frente... 

-desculpe por não cuidar de você jovem midoriya... você passou por apuros e eu não estava lá pra ajudar...

-não peça desculpas all Might... você me chamou pra me falar do One for all? 

-lembra sobre oque te falei sobre... quando fui te entregar o One for all? 

-COMA ISTO!

Ele deu risada com minha imitação, afinal era algo que eu andava praticando... mas enfim, aquilo era pra quebrar o clima pesado, depois de cuspir um pouco de sangue ele finalmente disse. 

-Eu disse sobre dna certo? Digamos assim... alguém não pode roubar, mas ele pode ser forçado para alguém... como se você fosse ter um filho, você poderia escolher se ele nasceria com o One for all... digo isso porque você teve o sangue lambido pelo assassino de heróis.  Então não se preucupe... 

-ufa que susto all Might! Não faça isso... 

-esta na hora... de você aprender... 

Então... Aquela história foi contada, All for One, duas individualidades... alguém a combater, eu era a nona sucessora, alguém que foi forçado a receber uma individualidade... por ser fraco... apesar disso... Aquela era a origem do One for all, uma individualidade que passa combinada com uma que acumula poder... 

-apesar de nos meus tempos de glória eu ter vencido... Ele sobreviveu e está por trás da liga dos vilões, o One for all... nasceu para derrotar esse mal... é uma tarefa bastante cruel...

-vou dar meu melhor! Se é um pedido seu eu irei fazer, com você do meu lado eu tenho certeza que vou conseguir! Se tentar irei conseguir! 

Katsuki Bakugou...

Naquela tarde estávamos voltando juntos... ela ouvia música e eu o silêncio, era irritante! Puxei seu fone, ela me olhou incomodada porém manteve aquele rosto sereno. 

-Você se lembra? 

-de que kacchan? 

-CARALHO VOCÊ ESQUECEU! 

-esqueci do que?!? 

-da caixa...

Eu me lembrei daquilo outro dia, era algo... infantil, inútil e irritante, mas aquela merda estava enterrada a onze fodidos anos... segurei o pulso daquela menina lerda, apesar dela reclamar eu ignorava completamente. A soltei quando finalmente estávamos longe da entrada daquela escola; aquela lembrança voltou a ser nítida... 

Naquele dia a professora queria nos ensinar algo novo, eu não ligava muito pra ela, mas era educado porque não queria apanhar quando chegasse em casa, apesar disso todos naquela classe me adoravam. Eu era... especial! Todos queriam ficar perto de mim durante aquela época, e naquele dia não era diferente, todo mundo queria sentar do meu lado. Era um saco, porque ignoravam a garota mais doce daquela sala, midoriya...

"Izu-chan!!! Você vai sentar do meu lado!" 

Naquela época eu era mais aberto, aquela menina fazia meu coração bater mais rápido... eles reclamaram... mas foda-se eles. A professora explicou algo sobre cápsulas do tempo, que todos iriam escrever cartas pra lerem no futuro. 

"Izu-chan vou te colocar na capsula!!!" 

"Oque? Não kacchan, eu vou morrer se você me enterrar!" 

Seu rosto era assustado, ela era chorona, e duvido que hoje em dia ela não seja. Apesar disso... 

"Mas a tia disse pra colocar coisas que amamos na caixa." 

"Mas eu não quero! Eu queria colocar um monte de coisa na caixa, mas a tia só deixa por uma carta." 

"Então que tal fazermos uma só nossa?!" 

"Nossa kacchan você é muito esperto, vamos sim! Aí podemos colocar tudo oque quisermos!!!" 

"Então amanhã você me trás tudo, ah você tem que estar bem bonita já que a nossa caixa do tempo é especial!" 

Eu estava encarando aquela garota tímida no meu quarto, ela estava sentada sobre a cama encarando aquele mapa mal desenhado, aquilo me irritava. Seus murmúrios fazendo teorias sobre como podíamos descobrir aquele lugar, e ela continuava com aquele maldito hábito. Puxei o seu cabelo pra tirar ela daquele transe, ela pediu um amontoado de desculpas e eu ainda queria dar um soco nela pra calar sua boca. 

-Cala a boca porra! 

-mas eu estava tentando lembrar! Não fique bravo kacchan... 

-Eu tô calmo caralho, só quero descobrir que merda eu pus dentro daquela caixa. Fora que ela pode ficar enterrada pra sempre se não pegarmos ela. 

Ela cruzou as pernas e eu... caralho mano! Coloquei as mãos sobre minhas bochechas, a explosão veio logo depois. Ela assustou e meus pensamentos voltaram pra caixa, que merda... 

-kacchan!!! Porque?! Esta machucado?! 

-Não, vai se foder! 

Eu tirei aquele papel da mão dela, aquela árvore ficava perto do parquinho... ter ela ali preucupada comigo era engraçado, se ela soubesse... mas ela é burra demais pra perceber. Depois de mais alguns murmúrios e chingos finalmente estávamos naquele parque, era a primeira vez em anos que eu pisava ali. 

Naquele parque tínhamos brincado de tantas coisas, e foi ali que ela descobriu aquele poder. 

Naquele dia ela tinha chegado atrasada, apesar disso ela usava um laço vermelho, e um vestido rosado, quando ela terminou de correr parou perto de mim com um sorriso, eu tinha esperado por tanto tempo que estava puto. Eu puxei aquelas bochechas enquanto brigava com uma garota que nem conseguia chegar na hora com um compromisso marcado. 

"Desculpa kacchan!!!!"

"To te esperando a muito tempo! Sorte sua que não sei ver horas em relógio! E eu não tenho um!" 

Apesar disso eu estava feliz naquele dia, agora eu estava desenterrando aquela merda... Izuka estava me ajudando puxando a terra com outra pá, finalmente eu encontrei. Era um dos tapuer da minha mãe, eu tinha apanhado por pegar escondido e "perder". Enquanto eu limpava a caixa a deku estava colocando a areia no lugar, aquela caixa estava toda suja. 

-oh meu plushie do all Might! Pensei que tinha perdido... 

Ela disse abraçando aquela pelúcia pequena, quem me dera ser aquela pelúcia pra ficar com aqueles peitos no rosto. Eu encontrei um papel com meu nome e....

-Bakugou izuka? Que merda? 

-deixa eu ver?! 

Eu tirei o papel do alcance dela, puta merda, se eu encontrasse com o meu eu do passado eu esforcava ele! Naquele dia... 

"Um oque?" 

"Não sei o nome, mas vi na televisão que quando duas pessoas se casam precisam assinar um documento, então como nos vamos nos casar eu fiz um pra gente!" 

"Casar? Porque você quer casar comigo? Vive dizendo que não sei fazer nada direito!" 

"Porque eu quero te ensinar a fazer tudo, como eu sou bom em tudo... você vai aprender então... quer casar comigo?"

-kacchan eu quero ver! 

Seu corpo encostou no meu tentando alcançar aquele papel, sentir aqueles peitos contra o meu era uma sensação muito boa... e pensar que ela era plana... 

-nem fodendo! Esse não é seu nome deku! Tem outra carta aí dentro... vê essa enquanto eu tô lendo essa porra. 

Então ela desistiu e foi ver a outra carta, eu abri aquele papel, como eu era.... direto, quem dera se fosse hoje em dia. Quando eu fiquei um babaca? Será que... se eu pedisse ela aceitaria? Óbvio que não, minha personalidade virou um saco de lixo, mas mesmo sendo desse jeito, ela ainda me deixou do lado dela...

Depois de assinar meu nome ela queria, eu entreguei a caneta e ela ficou indecisa, rindo da cara dela eu perguntei oque estava acontecendo, ela ficou envergonhada porque eu estava rindo. 

"Nada é que se vamos casar... mamãe disse que quando um casal se casa um pega o sobrenome do que pediu, já que você pediu... então meu nome é izuka Bakugou." 

Então eu peguei aqueles anéis de plástico...

-
kacchan...

-que é?! 

Ela estava com uma foto nossa, mesmo naquela época o sorriso dela era igual, não tinha mudado. Alívio, eu senti alívio. 

-as coisas mudam né? 

Ela disse, aquela garota conseguia ler minha mente as vezes, eu me abaixei perto dela, sua mão segurava aquela foto com força, coloquei minha mão sobre seu cabelo. Ela aproveitou aquele momento e pulou em cima de mim, eu caí com tudo na areia, sentada em cima de mim ela estava com o papel na mão e um sorriso convencido.

-FILHA DA PUTA! ME ENGANOU!!! 

-você abaixou a guarda! 

-VOU ABAIXAR SUA SAIA QUANDO EU LEVANTAR! MALDITA!?

Seu rosto ficou num vermelho tão rubro que eu não consegui conter a risada, ela me olhou curiosa, aquela gargalhada alta saia como água, a quanto tempo eu não ria assim? Estava ficando sem ar quando ela levantou tentando me ajudar a respirar, puta que pariu. 

-kacchan você tá bem?-AH!!!

Joguei ela sobre meu ombro, ela tentava me chutar enquanto eu pegava a caixa na minha outra mão, ela era mais leve que um saco de batatas. Foi fácil levar ela pela rua, chegou um momento que ela desistiu de tentar se soltar, todos olhavam pra gente com curiosidade. Foda-se eles mesmo, eu não ligava, apesar disso quando cheguei na frente da casa dela a coloquei no chão. Ela batia suas mãos em meu peito brigando por eu ter feito aquilo. 

-kacchan baka! 

Ela se virou cruzando os braços.

Midoriya Izuka...

Como ele podia ter me carregado por aquele caminho todo?! Ah como ele era imbecil, todo mundo viu ele me carregando como um saco de batatas pela rua! Me virei cruzando os braços, era impossível lidar com ele! 

Senti o tapa e me virei encarando ele, coloquei minha mão sobre a parte de trás da saia, meu rosto queimava e ele estava rindo. Eu poderia dar um tapa na cara dele porém... Seu rosto estava vermelho, corado e ele não parava de rir. Ah era assim que ele queria brincar? Então tudo bem Katsuki Bakugou, eu vou entrar nesse seu jogo. 

Segurei em sua gravata, o puxei na minha direção, ele parou de rir ficando surpreso com aquela atitude. Coragem foi oque tive pra beijar aquela boca, não tinha oque curar, apesar disso ele ficou pasmo e não fez nenhum movimento. Dessa vez aquele frio na barriga veio, me afastei antes que suas mãos passassem pela minha cintura. Peguei minha bolsa e aquela caixa das mãos dele, dei um último sorriso antes de entrar pra minha casa. Fechei a porta escutando uma explosão gigante no meu gramado.

Aquele menino... estava brincando comigo certo? Então porque? 

Antes que eu pudesse perceber já estávamos em junho, naquele sábado às meninas; uraraka, Ashido, momo, e hagakure estavam no meu quarto, momo se divertia ouvindo hagakure e suas histórias de estagio. Eu e uraraka estávamos trocando as anotações para estudarmos para os exames finais até que mina se levantou. 

-momo trouxe o quadro negro? 

Logo as duas estavam posicionando uma lousa móvel em meu quarto, todas logo subiram na minha cama. Ashido desenhou uns corações na lousa e um nome. 

-PLANO SEMANA do SHIPP! palmas por favor... 

-shipp? 

Uraraka disse do meu lado enquanto deitava sua cabeça em meu colo, apesar de suas bochechas rosadas eu fiz carinho naquele cabelo enquanto hagakure batia as palmas pedidas por Ashido.

-como vocês sabem... na próxima semana é o dia dos namorados, o plano é assim, teremos sete dias para juntar casais para que eles passem o dia dos namorados com alguém! Momo já está de acordo em ajudar e temos espiãs por todos os lados na yuuei... sete casais em sete dias, eu sei parece meio impossível, mas se conseguirmos ao menos uma declaração vai valer a pena! Faremos alguém feliz! 

-ah certo! Gostei da idéia! Quem vão ser os casais? 

Disse hagakure que já estava fazendo desenhos naquele quadro verde, seria legal fazer alguém feliz. 

-não temos idéia! Sei que uma menina do terceiro ano disse que queria unir um casal, qual era o nome... Nejire-chan... o casal que ela queria unir eram amigos de infância, mas os dois são muito lerdos pra perceberem que se amam. mas quem quiser dar idéia de casal estamos aceitando. 

-Ah eu tenho uma! 

Uraraka se levantou e foi correndo em sua bolsa, ela pegou o caderno que tinha pego emprestado e logo ficou de pé ao lado de mina. 

-esse caderno eu peguei emprestado do Iida ontem! Pra copiar matéria e adivinha o que eu achei no meio do caderno? 

Ela procurou e tirou uma folha solta, logo ela desdobrou e leu oque estava.  

-"querido eeda! Obrigada por sua ajuda com meus Babies! Se puder passar aqui amanhã também tem algo que eu gostaria de testar! Te esperando! H.M." E tem pólvora, e acreditem, eu folheei o caderno dele e tem alguns desenhos que tem corações riscados com essas iniciais. 

-nosso representante apaixonado? Isso é esplêndido! Tenya ficaria feliz em passar o dia dos namorados com essa pessoa. 

Momo disse animada, eu olhei preucupada para uraraka que ficou confusa com minha expressão... 

-Hatsume Mei... a cientista louca do departamento de suporte... 

Iida... você teria coragem pra enfrentar aquela garota? Ou talvez você estivesse ficando louco... 

-bom está decidido, iremos juntar o nosso corredor com a garota do suporte! Segunda o nosso plano irá começar! Vem cá! 

E todas nós unimos perto de Ashido que explicou um plano, era perfeito... até demais... iríamos unir os dois como duas engrenagens, isso seria segunda feira, espero que Iida esteja preparado.... 

-entenderam? Aí no domingo nos fazemos os chocolates pros meninos da sala! Qual o nome do shipp? Hatsunya? Tentsume? 

-temos que fazer até pro mineta?! 

-sim hagakure! Até pra ele, nada de enveredar mina. 

Ouvi momo dizer enquanto observava uraraka 

E apesar disso... eu estava animada, Iida merecia sorrir... depois de tudo que passou por conta do ataque ao irmão, e o ataque em hosu, ele merecia relaxar, suas feições eram sempre frias e apesar de sempre preocupados com a gente... Ele merecia alguém que se preocupasse profundamente com ele. Então... Iida, você ficaria feliz nesse dia dos namorados! 


Notas Finais


A coisa especial era....

Que tal um ask?
Vocês fazem perguntas pra qualquer personagem e eles respondem! Vale qualquer tipo de pergunta ou desafio! Minha individualidade mexe com memória então eles não vão lembrar! Podem perguntar pra mim também! Não tem limite pra quantas perguntas você queira fazer, mas eu só irei postar o capítulo se tiver muitas coisas legais pra responder, quero um capítulo com 10.000 palavras! Por isso... perguntem!

Oque gostaram mais no capítulo? Olha eu adorei escrever na visão do Bakugou, ele é um dos meus personagens favoritos... apesar disso midoriya tem coragem! Tá ficando corajosa a menina... esperem pra ver quando ela ficar adulta... esquece!

Se gostaram favoritem, comentem, façam as perguntas (quantas quiserem) mandem desafios(quantos quiserem)!

No próximo capítulo... entre engrenagens!

Vão além! PLUS ULTRA!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...