História My Hero Academia: The Forgotten Room - Interativa - Capítulo 6


Escrita por: , OiGaleris e Kurotsu

Visualizações 107
Palavras 1.205
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Teaser V;; Kanami Tsubasaki


Ela estava feliz; embora aparentasse ser por motivos fúteis, era apenas uma criança, e saber que não era diferente era um sentimento agradável. Em sua opinião pelo menos, não era diferente, afinal, a cor das asas não significariam nada. Ou significariam? Ela correra alegremente pela casa com a individualidade finalmente mostrando presença; grandes e bonitas asas de cor avermelhadas. Como ainda nova, a dificuldade para voar era grande, mas não tinha nada mais divertido do que tentar. A risada gostosa da garota contagiava toda a casa, embora não tivesse ninguém no momento para escutá-la. Quando finalmente se acalmara, as asas sumiram e Kanami pulou no sofá da sala, com os pés balançando enquanto assistia à um desenho animado. A ansiedade era visível, considerando que a pequena mal via a hora de seus familiares chegarem em casa e verem a descoberta da garota. A descoberta de que, assim como o restante da família, também tinha asas. Quando escutou a porta sendo aberta, Kanami correra para ver quem era.

 

— Papai! Mamãe! Vocês não fazem ideia do que aconteceu hoje! — Ela se pronunciara alegremente, pulando nos braços de seu pai. O mais velho sorriu, olhando do canto dos olhos para a mãe, que fazia o mesmo. Ambos cumprimentaram a filha, com direito à apelidos carinhosos, beijos e abraços. Em seguida, a mãe da pequena se pronunciara em resposta à o que a mesma havia comentado a anteriormente.

 

— O que aconteceu hoje? — Perguntara com certo tom de curiosidade, arqueando a sobrancelha e tendo um olhar fixo em sua filha. Kanami abriu um sorriso largo; sorriso que, naquela época, poderia iluminar o dia de qualquer um. Era um sorriso inocente e ingênuo, o sorriso puro de uma criança. A pequena então virou o seu rosto para trás, sendo que asas começaram a brotar das costas da mesma. Os sorrisos que habitavam os rostos dos pais foram diminuindo conforme mais as asas apareciam e revelavam a sua cor. Eles olharam incrédulos um para o outro, enojados com aquela individualidade horrível da filha. — Por que elas… por que diabos elas são vermelhas?

 

— É só uma cor, não é? — A pequena questionara com toda a inocência possível, tombando a sua cabeça para o lado ao fitar os pais. Kanami perdera o seu sorriso assim que observou as faces de seus pais. Por que eles estavam daquele jeito? Não deveriam estar felizes? Ela era como eles, não era? Vermelho era tão pior do que branco assim? — Por que estão me olhando assim? Eu tenho asas, assim como você, mamãe, e assim como você, papai. Por que estão me olhando como se eu fosse um monstro?

 

— Só uma cor?! Kanami, eu já te contei a história da nossa família. Nós somos anjos enviados pelo Senhor para proteger o mundo, por isso nossas asas são brancas. A sua é vermelha, sabe o que significa? Você foi enviada por um ser cruel, horripilante e destrutível. — O pai dissera incrédulo, negando com a cabeça. Ele não sabia o que fazer no momento, portanto apenas saiu andando, claramente decepcionado com o que havia acontecido. A mãe revirara os olhos, e dissera a frase que acabara de vez com a infância pura de Kanami.

 

Não acredito que alguém como você é a minha filha.

 

[]

 

Depois daquele dia, tudo mudou. Os pais da menina nem olhavam na cara da mesma; ela ficava sozinha, praticamente, o dia inteiro. Seu único refúgio era a escola, onde tinha dificuldades de fazer amigos por conta de tudo o que passara com os pais, por conta do fato de ser odiada por eles e por ter sido abandonada pelas pessoas que juraram proteção à filha. O medo de ser abandonada de novo a atrapalhava em tudo, mas, mesmo com toda a sua grosseria, conseguia companheiros próximos e se refugiava neles. Era triste como os Tsubasaki estavam tão cegos em sua visão falsa do passado ao ponto de negar um membro da família por causa de uma maldita cor. No entanto, teve um dia que Kanami achou que as coisas poderiam mudar. Anos após o último ocorrido, os pais finalmente olharam para ela e a cumprimentaram. A convidaram para sair, e ela entrou no carro junto a eles. Não tinha como ter tomado decisão pior do que a que tomara ao cumprir tal ato.

 

— Kanami, isso é para o seu próprio bem. — Assegurara o pai da menina, enquanto a prendia. A deixara imóvel, e mesmo com a garota tentando se soltar, era impossível. Não estava só os pais ali; tios, primos, avós… todos observando e achando que aquela droga era certa. Para eles, estariam fazendo um favor à garota, mas nem pensaram em perguntar se era o que queria. Se queria passar por tanta dor, se queria ficar sem asas, se queria nunca mais ser capaz de usar a sua quirk. Ninguém se importou em perguntá-la, afinal, ela era uma criança de sete anos que não tinha direito a ter a própria opinião. Ela gritava, esperneava, mas não mudou o fato final. Cortaram as suas asas.

 

[ ]

 

Atualmente, Kanami conseguiu as suas asas de volta. Cortaram até mesmo a pele de suas costas para retirar totalmente as asas da garota, no entanto, como ela era nova, cresceu de novo. Mas não ache que foi fácil; havia sido um ano, um ano onde a garota fora obrigada a sentir uma dor quase insuportável na região das costas. E depois daquele ano, onde as asas dela cresceram novamente, teve que lidar com a sua família a chamando de monstro por ter recuperado a individualidade, afinal, quando as asas eram cortadas, não deveriam ser capazes de crescer novamente. A questão era que os Tusabasaki eram hipócritas ao ponto de não tentarem entender a própria individualidade da família. Kanami havia tido suas asas cortadas três anos após despertá-las, portanto era natural que voltassem a crescer. No entanto, elas acabaram ficando defeituosas; uma era maior que a outra. Não era totalmente visível; mas era o suficiente para Kanami perceber. Para perceber e se lembrar de como cresceu em uma família tóxica e totalmente cega da realidade.

 

Apesar dessa família tóxica, houve alguém dentre todos eles que salvou a garota. Sua irmã mais velha, essa a qual, após ficar sabendo das atrocidades que sua família fizera com Kanami, a tirou da casa dos pais e a deu uma vida completamente melhor. Mas não mudava o fato de que a maioria dos Tsabasaki eram hipócritas. E, com esse pensamento em mente, tomara a sua decisão. Mesmo com asas diferentes, iria se tornar uma heroína, uma heroína reconhecida por todos. Kanami não tinha que provar nada para a sua família, e nem era esse o objetivo. Ela queria provar para si mesma que, independente do que os outros dizem, é ela quem está com a caneta de seu livro. O rumo que vai tomar, é ela quem escreve. É ela quem decide o seu destino. Ajudar pessoas, abandonar o mundo cego de hoje para criar um melhor… é tudo muito gratificante, e Kanami prometera para si mesma. Prometera que vai passar por cima de todos os obstáculos que colocarem em seu caminho para conquistar o seu objetivo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...