História My Hero (Todoroki x Reader) - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Eijirou Kirishima, Fuyumi Todoroki, Hizashi Yamada (Present Mic), Iida Tenya, Katsuki Bakugou, Midoriya Izuku (Deku), Mina Ashido, Minoru Mineta, Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Tsuyu Asui, Uraraka Ochako (Uravity), Yagi Toshinori (All Might)
Visualizações 217
Palavras 8.487
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Despois de muito tempo estou de volta kkk

Olá seres da madrugada, estou de volta com um capítulo bem descontraído. Vou logo avisando pra se acomodarem bem confortáveis que vai ser longo ksksk.

Espero que gostem e até ❤😘


> Minha amiga também tem uma fanfic de BNHA(yaoi), tá muito boa! Se puderem dar uma olhadinha lá juro que não vão se arrepender!

Link: https://www.spiritfanfiction.com/historia/detalhes--tododeku-13222402

Capítulo 18 - A strange day


Fanfic / Fanfiction My Hero (Todoroki x Reader) - Capítulo 18 - A strange day

           No dia seguinte...

Acordo poucos minutos antes do despertador tocar, como não queria escutar a música alta o pego na cômoda ao lado da cama e desligo em seguida. Nossa, tenho a impressão de não ter dormido direito, me sinto cansada mas tenho quase certeza de que não é cansada de "não ter dormido bem" e sim de tudo que está acontecendo, de tudo que tenho passado desde que cheguei aqui... E pra piorar tudo que Todoroki me disse ontem está me atormentando a todo instante e não consigo parar de pensar no jeito que ele reagiu a tudo e principalmente do jeito que ele falou comigo...

Eu: É difícil de explicar... - Começo desviando meus olhos dos seus. - Foi a... ahn...

Todoroki: Conta logo. - Diz o bicolor impaciente.

Eu: Krystal, foi a Krystal que me bateu. - Digo o mais rápido e o mais claro possível, não vou repetir isso.

Todoroki levanta da cama incrédulo enquanto me lançava olhares surpresos.

Todoroki: Conta a verdade S/n! - Ele está começando a ficar irritado.

Eu: Eu disse a verdade! - Falo tentando me defender.

Todoroki: Não, isso não é a verdade. - Ele me olha furioso. - A Krystal não seria capaz de bater em alguém, ela é a pessoa mais doce e gentil que conheço! Ela não faria isso e além do mais ela nem sabe quem você é, não faz sentido isso S/n!

Eu: Todoroki-Kun, eu não faço a mínima idéia de como ela é ou era! Só sei que foi ela que me bateu! Por que você não acredita em mim? - Exclamo me ajeitando melhor na cama enquanto o encarava surpresa.

Todoroki: Por que eu conheço a Krystal e ela não é assim. - Ele diz frio. - Pensei que você não menti-se, bom, parece que fui enganado mais uma vez.

Ele se vira para a porta e começa a caminhar na direção da mesma. De repente ele abre a porta e para a segurando aberta.

Todoroki: Não pense em fazer nada contra a Krystal, pois você não vai conseguir. - Ele se vira e me olha inexpressivo. - E não ouse encostar um dedo nela, você pode ser uma menina mas eu não tenho dó mentirosos como você.

Eu: Ele realmente confia nela... - Digo para mim mesma e me jogo na cama encarando o teto enquanto mordia o lábio. - Mas tanto faz também, espero que sejam felizes e que ela me deixe em paz.

Suspiro profundamente e me levanto sem vontade indo me arrumar para o meu último dia de aula da minha primeira semana na U.A e no Japão. Finalmente a sexta-feira chegou, não aguento mais ir pra escola e depois de tudo o que aconteceu sinto ainda menos vontade ainda de ir pra lá e mas infelizmente vou ter que ir, além do mais não quero decepcionar a minha família e principalmente decepcionar os meus tios que, com toda a certeza iriam me dar um longo e tedioso sermão. Visto o uniforme após ter tomado um bom banho quente e saio do quarto com a mochila em mãos.

Desço as escadas parando no último degrau. Olho para a cozinha vendo meus avós ali, dá um aperto no peito pensar que talvez eu não veja mais essa cena antes de ir pra escola, afinal logo vou ir para a "minha nova casa". Suspiro triste tentando colocar um sorriso no rosto e caminho com passos lentos até a cozinha.

Eu: Ohayo - Digo depois de atravessar a porta, tendo a atenção dos mais velhos pra mim.

Avó: Ohayo pequena, dormiu bem? - Minha avó pergunta enquanto colocava um cheiroso bolo, que eu acho ser cenoura com cobertura de chocolate sobre a mesa.

Eu: Dormi sim - Sorrio fraco para ela. Apesar de tudo devo ter dormido bem, mesmo que não pareça pra mim mesma.

Avô: Ohayo - Como sempre meu avô fala concentrado no jornal que lia. - Temos uma notícia para lhe dar.

Eu: É boa ou ruim? - Pergunto sentando na cadeira de frente para onde a minha avó costuma sentar.

Avó: É ótima! Seu apartamento ficou pronto antes da hora! - Ela diz sorrindo tristemente e senta-se na minha frente com uma xícara de chá nas mãos.

Eu: É sério mesmo? - Uma animação surge em mim. Vejo os mais velhos concordarem e dou um sorriso largo. - E quando poderei ir ver?

Mesmo não querendo deixar meus avós estou curiosa para conhecer o tal apartamento, acho que vai ser legal ter o meu próprio espaço, minhas coisas, ter mais liberdade e enfim me tornar mais independente mas com tudo isso vem o lado meio... complicado. Em primeiro lugar, vou ter que arrumar um trabalho de meio-período ou só nos finais de semana pra conseguir me manter, além de ter que pagar a possíveis contas. Segundamente, vou ter que ser mais responsável em administrar o dinheiro pois vou dar uma quantia para meus avós todo mês, afinal eles já trabalharam demais nessa vida e merecem curtir um pouco. E em terceiro lugar mas não menos importante, tentar conciliar a escola e o trabalho... quem disse que seria fácil crescer, não é mesmo?

Avó: Se quiser pode ir depois da escola ou no fim de semana - Ela diz calmamente molhando os lábios com um gole de chá. - Mas vou passar lá para deixar um pouco de comida pra você, afinal, ninguém vive de vento, não é?

Eu: *Riso* Verdade - Falo sorrindo fraco e pego um pedaço do cheiroso bolo de cenoura. - E onde ele fica vovó?

Avó: Nesse endereço aqui - Ela levanta e pega um pequeno bloco de notas de cor amarela que tinha no balcão da pia, e então começa a escrever o possível endereço do apartamento. - É apenas algumas quadras daqui, acho que você não vai se perder.

Ela me entrega o papel e imediatamente começo a ler, pra ver se eu o conheço ou já ouvi falar pelo menos.

Avô: Ih, olha só a hora! - Meu avô diz olhando seu relógio de pulso deixando o jornal em cima da mesa, e se levanta com calma. - Temos que ir minha querida.

Avó: Até a tarde pequena - Minha avó diz de levantando também indo para o lado de meu avô.

Faço um bico fofo quando vejo meu avô pegar na mão da vovó antes de passarem na porta. Essa vai ser minha meta de relacionamento, com toda certeza. Ouço a porta fechar e logo consigo ver meus avós passarem na frente da janela aberta acima da pia.

Eu: Tchau vovô! Tchau vovó! - Aceno sorrindo para eles que acenam de volta e por fim saem do meu campo de visão. - Hum... ainda são 07:45, acho que vou ficar só mais um pouquinho.

Digo olhando o relógio de parede um pouco acima da porta. Com calma termino de comer o bolo que tinha pego e também aproveito para lavar, secar e guardar a louça que tínhamos sujado. Quando tinha acabado tudo, desligo as luzes da cozinhas e vou para a sala com a mochila nas costas.

Eu: 08:00 horas... Acho que vou indo então - Digo alto assim que vi a hora na tela do meu celular, que havia pego a pouco no balcão.

Desligo a luz da sala que era a última ligada e saio de casa. Quando estava prestes a trancar a porta lembro que havia esquecido o papel com o endereço do apartamento encima da mesa e lá vai a S/n entrar correndo pegar o papel.

Eu: Quase me esqueci de você! - Falo com o papel em mãos e volto correndo até a porta.

Assim que saio tranco a porta colocando meus fones no ouvido e dou play em uma música aleatória. Me viro para descer o curto lance de escadas quando meus olhos atravessam a rua e aleatoriamente param sobre a calçada do outro lado, onde um casal eu acho, andam de mãos dadas, até então não liguei muito porém os dois olharam na minha direção e foi aí que percebi quem era o tal casal: Todoroki e Krystal, foi exatamente nessa hora que pensei em continuar a caminhar e fingir que nunca os vi juntos mas a vadia da Krystal me olha debochada e com um sorriso estúpido nos lábios, puxa o bicolor pelo colarinho selando seus lábios em um beijo amoroso. No começo a baka bicolor não reagiu por ter ficado sem reação mas em segundos ele passa as mãos pela cintura de Krystal e a aproxima mais ainda de seu corpo. Nesse momento penso em entrar em casa, deitar em minha cama e chorar até ficar desidratada ou esmurrar o travesseiro de raiva mas tenho que ir pra a escola e mostrar que não me importo, mostrar que Todoroki é mais um menino qualquer que esbarrou na mimha vida e foi embora, e também quero vê-lo descobrir por conta própria a cobra que ele tanto ama é uma vadia mentirosa! É isso que eu vou mostrar e ver acontecer! Não vou atrapalhar o "casal" e se Todoroki gosta de ser rodeado por cobras que fique assim, afinal, foi ele que escolheu acreditar nela então que se ferre também! Eu estou bem de boa aqui... ou quase isso.

Suspiro profundamente fechando os olhos evitando olhar demais para aquele cena desprezível e viro a cabeça para frente, em poucos segundos depois os abro antes de começar a andar. Dou uns dois passos e no meio do silêncio da manhã escuto vozes familiares... acho que era isso que eu precisava, escutar essas vozes, tenho absoluta certeza de que é elas que vão animar minha manhã.

Bakugo: Princesa, não vai nos esperar? - Olho para trás vendo Bakugo, Midorya e Uraraka sorrindo pra mim enquanto andavam para mais perto.

Eu: E o que você acha que eu estou fazendo? - Digo irônica.

Bakugo abra a boca para dizer algo mas parece que não encontrar as palavras e fechou rla olhando para o chão.

Uraraka: *Riso* Ficou sem reposta pra essa Bakugo-Kun? - Uraraka riu e foi empurrada levemente pelo loiro. - Ohayo, Shi-ma-da-Chan!

Eu: Você gosta mesmo de brincar com as sílabas do meu nome né? - Digo com um sorriso e recebendo um abraço apertado da morena. - Ohayo Uraraka-Chan e ohayo Midorya-Kun.

Midorya: O-Ohayo... - Ele diz apreensivo, acho que sei o porque dessa apreensão toda.

Então vou para o lado dele e sussurro algo que possa ajuda-lo na sua orelha.

Eu: *Sussurro* Fica calmo, Bakugo-Kun não vai te fazer nada, eu não vou deixar, tá bom? - Depois de falar olho para ele e sorrio mostrando ou tentando mostrar confiança nas palavras que disse.

Ele asente com a cabeça e sorri. Uraraka e Bakugo estava rindo juntos e brincando, é bom ver Bakugo se dando bem com os outros, isso me deixa feliz.

Eu: Então, vamos? - Digo e todos me olham sorrindo.

Todos: Hai!~ - Todos me respondem animados.

Começamos a caminhar rindo e tendo as conversas mais diversas e aleatórias que alguém pode ter. Por minutos consegui afastar Todoroki e tudo oque aconteceu da minha cabeça mas foi apenas chegar na escola e ver ele entrar junto com Krystal que tudo voltou, todo o sentimento de raiva e tristeza voltaram mais forte e destrutivos que antes, por curtos instantes achei que fosse desmoronar como um castelo de cartas. Ao chegar na escola vejo Todoroki e Krystal entrar e sentar em um banco perto da entrada, pensei em não olhar mas quando virei pra olhar qualquer outra coisa, percebi os fortes olhares do bicolor pra mim, apenas o ignoro, ou tento ignorar, e tento acompanhar a conversa dos garotos e de Uraraka.

Uraraka: Vocês vão fazer alguma coisa esse final de semana? - Pergunta descontraidamente.

Bakugo: Não sei - Ele me olha. - E você princesa?

Eu: Tenho que arrumar o me apartamento - Reviro os olhos fazendo uma cara entediada.

Uraraka: Apartamento? - Diz se virando para mim supresa. - Você tem um apartamento?!

Eu: Tenho sim - Dou de ombros. - Vim para o Japão morar com os meus avós, bom, pelo menos por um tempo e esse tempo acabou.

Uraraka: Ah sugoii! - Diz empolgada. - Imagina ter um apartamento só pra você,  imagina as possibilidades de fazer festas nele!

Rio e até tento dizer que não poderia fazer festas nele mas ela estava tão empolgada com as idéias que não quis estragar a sua felicidade.

Uraraka: Mas por que você não fica com os seus avós? - Ela diz depois de contar tudo que faria se tivesse um apartamento só para ela.

Eu: Meus pais acham que não é bom eu incomodar eles e que também, pra eles, eu estou grandinha e que sei me cuidar - Digo olhando-a com um leve sorriso nos lábios - E eu concordo com eles mas já me apeguei aos meus avós, vai ser meio difícil deixá-los.

Uraraka: É imagino - Ela diz pensativa formando um bico com a boca. - E você Midorya-Kun?

Midorya: Não sei... Por quê? - Ele a olha tímido e curioso.

Uraraka: Pensei em ir tomar um sorvete mas não queria ir sozinha, você poderia ir comigo? - Ela pergunta esperançosa para o esverdeado.

Midorya: Err... Eu não sei... - Ele cora. - T-Tenho que trei-treinar.

Uraraka: Ah... okay então - Ela diz tristemente abaixando de leve a cabeça.

Eu: Não fica assim, quando eu estiver com um tempo sobrando vou com você tomar um sorvete, pode ser? - Vejo a mesma abrir um sorriso enorme.

Uraraka: Pode! E nesse dia você pode vir dormir na minha casa e nós convidamos as outras meninas da para uma festa do pijama e... - Ela começa a listar coisas para fazer super feliz e até animada demais.

Midorya: Ohayo, Todoroki-Kun - Midorya diz fazendo todos os outros ficarem quietos.

Uraraka: Oha-yo, Todoroki-Kun! - Uraraka diz animada e sorrindo para o bicolor.

Bakugo: Hunf... - Bakugo bufa e olha para o lado oposto de onde Todoroki estava. É ele realmente não gosta do Todoroki.

Como eu não estou com a mínima vontade e ânimo para olhar a cara do bicolor, penso em alguma coisa para me afastar dele e acabo encontrando a opção perfeita.

Eu: Ahn... Mina-Chan - Digo tendo a atenção de todos e a de Todoroki principalmente. - Eu... Eu vou dar uma volta pela escola, okke?

Uraraka: Sim... pode ir... - Ela diz deconfiadamente.

Bakugo: Está tudo bem baixinha? - Pergunta Bakugo vindo na minha frente e repousando a mão sobre meu ombro.

Eu: Hai! - Tento forçar um sorriso convincente o bastante para fazer Bakugo não me perguntar novamente.

Então os deixo e calmamente caminho até um corredor aparentemente vazio. Quando já estava afastada o bastante e não conseguia mas ver Uraraka e nem o resto do pessoal esmurro a parede com toda a força que consegui, logo solto um grito agudo por ter machucado a mão.

Eu: Maldito bicolor! Baka inútil! - Digo enfurecida e esmurro a parede novamente. - Ah, que ódio!

Encosto a testa na parede fechando os olhos ignorando a dor da minha mão e tento organizar minha cabeça ou pensar em algo melhor.

Eu: Maldito bicolor... - As palavras soam tristes e desanimadas.

Estava com a testa ainda encostada na parede quando ouço vozes que atiçam minha curiosidade. Como a parede onde estava era dava na esquina do corredor dou mais alguns passos curtos tendo visão do que estava acontecendo no corredor ao lado, vejo Krystal dando em cima do Kirishima mas o mesmo estava apenas se distanciando da mesma.

Krystal: Que tal nos encontramos essa noite, gatinho? - Ela diz o prendendo na parede.

Kirishima: Não dá, Krystal - Ele desvia da mesma. - E além do mais, você está namorando o meu melhor amigo, não acha meio ou extremamente errado isso que está fazendo?

Krystal: As pessoas daqui não sabem mais se divertir - Ela faz um biquinho fingindo estar triste. - Mas vai, ele nem vai saber.

Kirishima: Tô fora, encontra outra pessoa - Ele sai e deixando a vadia de cabelos brancos com uma cara desacreditada.

Seguro o riso para ela não descobrir que eu estava ali, a cara dela ao ser rejeitada foi a melhor, está tão difícil não cair na gargalhada aqui! Ai que vontade de rir dela, pena que não posso, a não ser que eu queira que Krystal me veja aqui e eu ganhe uma nova surra dela, bem, mal me recuperei da outra então acho melhor ficar quietinha, apenas por enquanto...

Não demora muito para Krystal se recompor e procurar uma nova vítima, desta vez eu a sigo e vejo ela ir para o auditório da escola com um garoto que "capturou" durante o trajeto. Discretamente entro no lugar e vejo ela se agarrando a um garoto que não conheço. Mesmo que eu não tenha nada haver com isso pego meu celular e discretamente tiro fotos dela agarrada no tal garoto, faço isso apenas pra ter uma pequena recordação de quem o Todoroki escolheu acreditar e confiar. E assim Krystal sai e pela minha conta fica com mais ou menos um quarto garotos, um diferente do outro mas ela não estava namorando o Todoroki? E isso que por ele, ela é "confiável", sim confiável sei. Tento seguir Krystal novamente mas não a encontro então acabo desistindo da idéia e caminho aleatoriamente pela escola. Estava tudo bem até eu ser empurra para a parede pela puta da Krystal.

Krystal: Por que você está me seguindo?! - Ela diz enfurecida.

Eu: Não estou te seguindo - Eu a empurro. - Afinal, por que está tão brava? Por acaso está escondendo algo?

Krystal: E-Eu escondendo algo? Não tem nada a ver! - Ela diz apreensiva. - Não pense em contar nada para o Shouto!

Eu: Ou se não oque? - Falo em tom provocativo com um sorriso maldoso nos lábios.

Como reposta a mesma me dá um tapa no rosto. Imediatamente coloco a mão na boca e sinto o líquido vermelho escorrer pelos meus dedos.

Krystal: Acho que você já sabe a resposta - Com um sorriso vitorioso nos lábios ela diz antes de sair.

Por puro impulso seguro o pulso dela e também lhe dou um tapa, só que com mais força.

Eu: Nunca mais bata em mim! Ouviu?! - Falo alto, totalmente furiosa enquanto via a mesma correr para o banheiro.

Krystal: Você me paga! Vadiazinha! - Com os olhos lacrimejando ela entra no banheiro perto de onde estávamos e felizmente, some de perto de mim.

Dou de ombros e penso em procurar o pessoal, acho que Todoroki não está mais com eles agora e se estiver também, não me importo, afinal Midorya e Uraraka são meus amigos também.

Eu: Cadê eles?! - Digo olhando para os lados.

Já tinha andado muito e não os encontrei em lugar algum. Acho melhor achar outro lugar pta ficar. Se me lembro bem, deve ter uma cerejeira no gramado um pouco afastado do pátio... acho que vou lá sentar na sombra dela e esperar o sinal tocar, se é que ele vai tocar mesmo. Então com passos lentos e com a música um pouco alta no fone, caminho até a cerejeira com suas flores rosadas e sua sombra agradável. Chegando lá sento-me escorada ao tronco da árvore e fecho os olhos deixando a música afastar os sons ao meu redor, sinto a brisa morna bater contra o meu rosto, nunca me senti tão bem nessa escola e nunca foi tão quieto... é como se eu estive em outro lugar, dá vontade de nunca mais voltar pra realidade... pena que essa sensação foi embora quando algum ser teve a audácia de arrancar meu fone de ouvido e ainda falar comigo.

Todoroki: Ei! - Abro os olhos brava e encontro a Baka bicolor na minha frente.

Eu: *Suspiro* O que você quer? - Digo fechando novamente os olhos e suspirando inconformada. Por que a baka sempre vem atrás de mim?

Todoroki: Krystal disse que você bateu nela - Sua voz grave parece se misturar a brisa morna. - Eu disse pra você não encostar-

Eu: Você por acaso perguntou pra ela o que ela fez pra mim ter dado o tapa nela? - Interrompo o bicolor. - Hunf, com certeza não, então que tal você ir perguntar pra ela e parar de encher o meu saco com as suas perguntas inúteis?

Abro os olhos vendo o semblante surpreso de Todoroki com a minha atitude.

Todoroki: Ela deve não ter te feito nada, você só está mentindo de novo - O semblante antes surpreso se transformou em um irritado e com ódio - Afinal, ela não mente pra mim.

Eu: "Não mente" - Repito debochadamente dando uma leve risada.

Todoroki: Por que está rindo? Ela com certeza não mentiria pra mim como você. - Ele fecha os punhos com raiva.

Eu: Você e Krystal estão namorando não é? - Pergunto soando aleatória e inocente, quero confirmar uma coisinha antes de responde-lo a altura.

Todoroki: Sim, estamos mas por que a pergunta? - Sorrio ao lembrar da Krystal beijando o garoto no auditório.

Eu: Melhor cuidar ao deixar sua namorada sozinha, Todoroki Shouto - Falo seria e pó incrível que pareça, o sinal toca bem quando eu tinha terminado de falar, magicamente.

Todoroki: Mas por que? - Ele pergunta me olhando seriamente.

Me levanto pegando a mochila do chão e a coloco nas costas.

Eu: "Não mente"... - Sorrio ao repetir as palavras ditas pelo bicolor e começo a andar sem nem ao menos responder ou olhar para o para ele.

 

          POV Todoroki

S/n: Não mente - Ela diz em tom debochado e ainda ri.

Eu: Por que está rindo? Ela com certeza não mentiria pra mi cono você - Fecho os punhos irado. Ela está querendo me tirar do sério.

S/n: Você e Krystal estão namorando não é? - Me pergunto aonde ela descobriu isso.

Eu: Sim, estamos mas por que a pergunta? - Assim que respondo vejo ela sorri. Por que acho que ela está lembrando de algo? Isso está estranho, estranho demais...

S/n: Melhor cuidar ao deixar sua namorada sozinha, Todoroki Shouto - De repente ela fica séria e quase como mágica o sinal toca, no exato instante que ela havia terminado de falar.

Eu: Mas por que eu deveria "cuidar" dela? - Pergunto com seriedade tentando esconder o quanto curioso estava.

Ela não me responde, apenas levanta pegando sua mochila do chão e a coloca nas costas.

S/n: Não mente...  - Ela ri e com essa frase ela sai andando.

S/n não me responde ou sequer me olha, ela está diferente, ela não é assim, rude e debochada, só não entendo o porque disso. Ela não me quer por perto, está bem claro isso mas foi ela que mentiu tentou envolver quem nem tinha nada haver com a história, pra mim já deu disso, chega de ser enganado de novo e de novo... Acho que só resta uma única pessoa confiável ao meu redor: Krystal, minha menina dos cabelos brancos.

Eu: Melhor eu... ir pra aula... - Falo alto observando Shimada andar. Tenho que tentar esquecer oque aconteceu aqui.

Melhor cuidar ao deixar sua namorada sozinha, Todoroki Shouto.

Repetidas vezes as palavras de S/n ecoavam na minha cabeça como um alerta, se ela disse isso é porque deve significar alguma coisa mas não consigo acreditar, talvez seja só mais uma mentira que contaram pra mim. Depois de tentar milhares de vezes desisto de tentar esquecer e ao invés de "esquecer" penso no que ela se referia ao dizer aquilo. Porque eu deveria cuidar de Krystal? Ela com certeza não deve ter feito nada que não tenha me contado mas, por que ainda tento ver se S/n me deu algum tipo de aviso? Não, não posso achar que ela tenha feito isso! Não posso mais acreditar em mentiras ou nas pessoas que dizem elas... Tenho que continuar a confiar apenas na Krystal, ela nunca mentiu pra mim, ela não fato isso comigo... Mas porque eu ainda tento acreditar na S/n?

Eu: Oque eu faço agora? - Digo baixo fitando um ponto aleatório da sala.

Prof: Está tudo bem Todoroki Shouto? - De repente ouço a voz do professor ecoar na minha cabeça e saio do pequeno transe que estava.

Eu: H-Hai. - Minha voz falha e soa um pouco baixo demais, olho ao refor e percebo que a sala inteira me olha atentamente. - Hai!

Repondo o mais alto e firme possível.

Prof: Okay, então vamos voltar a aula. - Ele começa a explicar táticas de combate, simulações de ataques/defesa e coisas do tipo.

Mesmo a aula sendo importante não consigo prestar atenção nela, algo sempre me trás novamente as palavras que S/n disse e com isso a desconfiança retorna, de novo, de novo e de novo. Quanto mais o tempo passa mais as dúvidas me corroem por dentro, mais fico confuso e inseguro do que fazer, não sei como resolver isso, estou sem saída... só me resta duas opções, as únicas que consegui pensar mas não sei se quero fazer, são elas: A primeira seria acreditar na S/n e ter grandes probabilidades de ser enganado novamente ou a segunda, descobrir por conta própria e ver no que isso vai dar. Sinceramente falando, não quero fazer ambos, porque provavelmente eu vou sair mal dessa história toda, eu sinto que vai realmente acontecer... mas de qualquer forma não consigo ficar parado e esperar isso me corroer até eu explodir, porém sei que isso vai me deixar mal de alguma forma ou outra, então tanto faz, vou acabar com isso logo.

- Caros alunos, a aula de hoje vai ser encerrada mais cedo por causa de alguns acontecimentos - A sala silencia completamente e todos prestam atenção no auto-falante que está acima do quadro. - Então, após o intervalo todos deveram pegar suas mochilas ou se preferirem,  podem levá-las com vocês e após o lanche todos estão liberados para irem pra casa. Obrigado pela atenção e tenham um bom final de semana!

Parece que vou ter que esperar até segunda-feira... Bem, contanto que isso se resolva rápido acho que consigo esperar apenas dois dias.

        

               POV S/n

- Caros alunos, a aula de hoje vai ser encerrada mais cedo por causa de alguns acontecimentos - A sala fica ainda mais quieta que antes e todos prestam atenção no que a moça do alto-falante dizia - Então, após o intervalo todos deveram pegar suas mochilas ou se preferirem podem levá-las com vocês, e após o lanches todos estão liberados pra irem para casa. Obrigado pela atenção e tenham um bom final de semana!

Finalmente! Uma notícia boa hoje! Meu dia vai ficar bom, eu ainda acredito que ele vai ficar ou melhor dizendo, ele tem que ficar.

   

           Quebra de tempo...

As aulas parecem acabar mais rápido do que de costume e o intervalo chega rápido.

Uraraka: Vamos sua lerda! - Uraraka exclama com os braços cruzados ao lado da minha carteira, batendo o pé no chão impaciente. - Vamos logo Shimada-Chan, eu to com fome.

Ela faz uma carinha triste e põe a mão sobre a barriga.

Eu: Calma, o refeitório não vai sair correndo - Olho de relance para ela e vejo um pequeno bico formar em seus lábios. - *Suspiro* Vai na frente, arruma um lugar na mesa pra nós e me espera que logo eu vou ir também.

Um sorriso largo abre em sua boca e em um piscar de olhos a morena já estava atravesando a porta.

Uraraka: Vê se não demora tanto! - Ela passa correndo pela porta e some no corredor.

Eu: Morta de fome *Riso*. - Rio ao ver Uraraka correr o mais rápido para o refeitório.

Assim que ela sai guardo meus matérias dentro da mochila e a coloco em cima da mesa, facilitando ainda mais para mim pegá-la na hora de sair.

Me levanto e começo a andar até a porta com passos rápidos sem nem olhar direito para onde estava indo e sem querer esbarro no bicolor que estava escorado nela, murmurro um "desculpa" e me afasto rapidamente dele. Quando o olho percebo seus olhares intensos, tão intensos que me fizeram parar e ficar no mesmo lugar. Meu rosto esquenta e as batidas do meu coração aceleram, minhas mãos suam e fico totalmente paralisada no lugar, por que eu estou assim? Ele está me deixando tímida apenas por me olhar... O-Oque exatamente está acontecendo comigo? P-Por que ele mexe tanto comigo?

Respiro fundo piscando diversas vezss e volto a caminhar, para evitar ficar como antes, prendo meu olhar sobre o chão e caminho apressada para a porta. Assim que atravesso a porta e alcanço as escadas que desciam para o segundo andar, começo a correr, o mais rápido possível e sem nem olhar para trás. Chego na porta que abria para o refeitórios quase morreno de tanto correr, olho para as mesas cheias de alunos para encontrar Uraraka, mas não foi preciso olhar muito pois ela gritou meu nome o mais alto possível, fazendo assim, eu achar ela com uma facilidade absurda.

Uraraka: SHIMADA-CHANN! - A olho meio assusta, afinal ela acabou de berrar o meu nome em alto e bom som pra todas as turmas do Colégio.

Relevo o fato de quase toda a escola saber o meu nome e caminho devagar até ela.

Eu: Onde... estão... os... meninos...? - Respondo ofegante e cansada, sentando ao seu lado.

Uraraka: Nossa, parece que fugiu de uma aparição *Riso* - Ela tapa a boca enquanto ria.

Eu: Foi... quase isso - Respondo respirando rápido. - Encontrei a baka bicolor na sala.

Bufo revirando os olhos.

Uraraka: Baka bicolor? - Ela me olha confusa. - Está se referindo ao Todoroki-Kun?

Eu: Ele mesmo - Pego seu copo com suco de laranja e tomo um gole.

Uraraka: Mas por que "Baka bicolor"? Pensei que você gostasse dele - Ela diz com a boca cheia de comida.

Quase me engasgo com o suco seu comentário repentino.

Eu: Eu? G-Gostando dele? Nunca Uraraka-Chan! - Respondo rápido limpando os cantos da boca por onde escorreu um pouco de suco. - Dá onde você tira essas ideias...?

Uraraka: Em primeiro lugar: Não são "ideias", são fatos - Ela aponta o dedo para mim. - E em segundo lugar: Eu já percebi que você fica toda nervosa perto dele e de certo modo, com Bakugo também.

Levanto o dedo para me defender dos seus "fatos" mas não consigo pensar em um argumento bom o suficiente para dizern então abaixo o dedo e fico quieta.

Uraraka: Viu? Eu sabia! Você tá toda apaixonadinha pelos dois meninos: o BadBoy e o GoodBoy, quem será que vai conquistar o coração da nossa baixinha? Vejam nos próximos episódios. - Uraraka da uma entonação de narradora de novela e isso com toda a certeza me fez rir. - *Riso* Então falando sério agora, você gosta dos dois mesmo?

Pra falar a verdade nem eu sei, estou confusa, sabe? Não sei gosto ou odeio eles, estou realmente muito confusa sobre isso, nem sei oque pensar sobre esse assunto e nem quero pensar demais, não quero ficar ainda mais confusa.

Eu: É pra falar a verdade ou uma meia verdade? - A olho meio inocente.

Uraraka me olha meio brava, ou será que é muito brava? Não sei distinguir.

Uraraka: Obviamente a verdade, né S/n! - Mesmo sentada ela põe as mãos na cintura e franze as sobrancelhas ao me olhar.

Eu: Okay, okay... Eu digo - Suspiro derrotada. - Então, eu n-.

Ouço vozes masculinas familiares por perto, me viro para trás vendo Midorya e Todoroki vir conversando enquanto Bakugo os seguia com as mãos no bolso com cara de bravo. Bakugo realmente não gosta daqueles dois, acho que estou forçando o convívio com eles.

Eu: Minha cara Uraraka Ochaco, nossa conversa vai ter que esperar mais um tempinho! - Pisco o olho sorrindo vitoriosa.

Uraraka: Nada disso! Já esperei demais por essa conversa! - Ela diz incrédula e bravinha. - Me passa o seu número e o endereço do teu apartamento agora! Não vou mais ficar com curiosidade sobre isso!

Eu: Mas por que? Você vai aparecer no meu apartamento esse final de semana? Você só pode estar de brincadeira! *Riso* - Olho para a morena que cruza os braços e me encara séria. - Acho que você não está brincando... bem, eu te passo sim.

Uraraka: Acho bom mesmo - Ela sorri descruzando os braços.

Ela volta a comer e eu fico bebendo o suco que ela tinha pego. Logo os meninos chegam e sentam-se na mesa conosco, e para a minha infelicidade, o maldito bicolor senta-se com nós também.

Eu: Eu mereço... - Digo baixo e deito a cabeça sobre a mesma.

Uraraka: Disse alguma coisa, Shimada-Chan? - Levanto a cabeça e a encaro. Balanço levemente a cabeça indicando o problema, que sem sombra dúvida era Todoroki ali. - Ahh, entendi *Riso*.

Olho para o bicolor e o mesmo me encarava do mesmo jeito que antes lá na sala, isso sem dúvidas me deixou tímida. Desvio o olhar intenso daquela baka e pego novamente o copo de suco. Um silêncio estranho pairava sobre o ar, a não ser pelas conversas dos demais alunos.

Midorya: Que silêncio estranho... - O esverdeado murmurra baixinho olhando todos na mesa.

Eu: Concordo - Digo ainda mais baixo mas o suficiente para Deku escutar.

Silêncio estranho mesmo, ninguém diz um "Ah" sequer, todos estão estranhos, todos menos Uraraka. Começo a reparar em todos e concluo o porque de todos estarem tão quietos: Uraraka não fala nada por estar com a boca entupida de comida; Todoroki tem a fama de ser calado mesmo, então não é novidade alguma; Bakugo está estranho, muito quieto e parece irritado com alguma coisa ou com alguém; Deku é muito tímido pra dizer algo ou puxar assunto; E tem eu, que também não vou puxar assunto por causa da presença incômoda do bicolor, resumindo: Ninguém vai falar nada ou comentar alguma coisa.

Uraraka: Então, vocês estão bem? Estão muito quietos hoje - A morena tinha acabado de comer e eu nem tinha percebido pois estava muito concentrada olhando o nada. Ao ouvir a voz dela balanço a cabeça voltando a mim mesma.

Eu: Você já deve saber o motivo de eu estar quieta, não é? - Olho pra ela sorrindo sapeca.

Uraraka: Sei, sei muito bem o porque *Riso* - Ela ri e pega o copo de suco que estava em minha mão, tomando um gole em seguida. - Mas e você Bakugo-Kun , por que está tão quieto?

Bakugo: Por nada - Ele olha para o lado.

Eu: Você não vai contar para a sua princesa? - Faço bico e formo um "V" com as mãos apoiando o queixo nelas.

Ele sorri ladino virando a cabeça para me olhar.

Bakugo: Acho que vou sim. - Ele sorri de um jeito malandro.

Faço uma carinha triste e inflo as bochechas com ar. Vejo Todoroki revirar os olhos pelo canto do olho e o mesmo bufa provavelmente irritado.

        

        Pensamento on

Parece que alguém aqui ficou com ciúmes... Tá com ciuminho bicolor?

Eu: Chato - Franzo as sobrancelhas fingindo estar brava.

Bakugo solta uma risada nasal e sorri pra mim.

Bakugo: Você é uma criança mesmo - O loiro diz dando um sorriso largo.

Eu: Uma criança que acabou de te fazer sorrir. - Pisco pra ele com um sorriso nos lábios.

Bakugo cora e sorri tímido, ele está muito fofo assim e é muito raro vê-lo tímido e corado, queria tirar uma foto dele assim mas seria estranho. Eu e Bakugo ficamos nos olhando por um tempo antes do silêncio retornar.

Uraraka: Eu estou sentindo um clima cof cof - Ela fecha o punho e o coloca na frente da boca como se estivesse tossindo.

Eu: Nada haver - A olho com meu rosto quente, eu provavelmente estou corada agora.

Uraraka: Não é bem oque rosto está mostrando... - Ela solta uma risadinha aguda.

Eu: P-Para com isso, n-não tem nada haver - Olho para meus tênis super envergonhada.

Uraraka: Que fofa~ está vermelhinha igual uma pimenta! - Ela ri de mim e com o dedo indicador cutuca levemente minha bochecha direta. - *Riso* Parei, juro que parei.

Eu: Acho bom - Olho novamente para cima e meus olhos encontram-se com os do Katsuki, ele também estava corado.

Desvio o olhar e olho justamente para a Baka Bicolor. Seu olhar penetrante se volta para mim, ele me encara com sério, por segundos me sinto extremamente vulnerável perto dele. Todoroki sem dúvidas mexe com minhas emoções assim como Bakugo, ambos me deixam tímida apenas por me olharem diferente ou agir fora do que eu estou acostumada, mas seja lá oque for vai passar... Eu espero que passe e o mais rápido possível.

Uraraka: Olha só, parece que o Bakugo-Kun também está vermelho - Ela olha sorrindo sapeca na direção do loiro.

Bakugo: Não estou... Você que está imaginando coisas. - Katsuki a encara sério com o rosto um pouco vermelho ainda.

Midorya: Concordo com a Uraraka-Chan - O esverdeado se manifesta sorrindo.

Bakugo: Cala a boca Deku! - Ele exclama ficando um pouco mais vermelho.

Eu: Ahn... Que tal nós mudarmos de assunto? - Falo me endirentando no banco da mesa.

Todoroki: Pelo menos temos uma coisa a concordar. - Ele suspira profundamente mostrando inquietação.

Uraraka: Esse assunto está te incomodando, Todoroki-Kun? - Não ouço direito oque ela disse, estava entretida demais na vergonha que tinha passado a pouco.

Todoroki: Por que me incomodaria? - Vejo o bicolor pegar um copo de suco.

Uraraka: Talvez porque se trata da S/n-Chan - A morena põe as mãos sobre a mesa.

Todoroki: E desde de quando ela me interessa? - Ela arquea uma sobrancelha.

Midorya: Desde quando você viu ela próximo ao Kacchan - O esverdeado se manifesta de repente.

Me atento mais ao assunto. Olho para o bicolor que me encarava intesamente, seu rosto estava pouco vermelho.

Todoroki: Midorya! - Ele empurra o pequeno esverdeado que ri.

Eu: Oque vocês estão falando de mim? - Coloco o canudo de um segundo copo de suco na boca.

Todoroki: N-Nada não - Ele me olha nervoso.

Midorya: Estávamos falando que o Todoroki-Chan ficou incomodado ao saber que você tinha ficado mais próxima ao Kacchan - Ele conta como se fosse a coisa mais natural do mundo.

Meu rosto esquenta novamente, droga! Era só oque faltava eu ter ficado corada de novo. Fico sem reação e a única coisa que penso é em fugir dali mas não sabia exatamente como.

Todoroki: Mi-Midorya! - O bicolor exclama ficando vermelho.

Midorya: Oque? Só disse sobre oque conversávamos - Ele sorri sapeca.

Todoroki: Não precisava ter mencionado de novo... - Ele baixa o olhar para o chão timidamente.

Eu: M-Mina-Chan, eu e Uraraka vamos pegar mais suco, não é? - Pego a mão da morena sem deixa-la responder e nós duas saímos correndo da mesa.

Em vez de leva-la para a cantina corro aleatoriamente para algum lugar vazio e por sorte acabo encontrando um corredor vazio.

Uraraka: Sabe que fugir não vai adiantar nada, né? - Ela diz enquanto estavamos correndo para o tal corredor.

Eu: Vai, vai sim! - Corro ainda mais rápido segurando ainda mais forte na sua mão.

Não sei como reagir a tudo isso, só sei que por enquanto preciso me afastar de Todoroki, pelo menos até eu me sentir confortável o suficiente pra voltar lá, e isso significa que nunca mais vou voltar lá.

Paramos de correr por conta do cansaço. Chegamos no corredor e as duas desabam no chão ofegantes.

Uraraka: *Riso* Que... fofa..., ficou mais... vermelha ainda - Ela diz ofegante e rindo.

Eu: Para... com... isso. - Digo dando um tapa em seu ombro.

Uraraka ri. Um silêncio surge enquanto nós esperamos nossa respiração voltar ao normal.

Uraraka: Por que correu? Ficou sem reação ao que Midorya-Chan te disse? - Ela se encosta na parede.

Eu: Fiquei e a única opção que achei foi sair correndo. - Após eu praticamente cuspir as palavra Uraraka cai na risada.

Uraraka: Você é a cópia feminina do Midorya-Kun! *Riso* - Ela cai para o lado rindo alto. - Aiai minha barriga.

Eu: Não é engraçado! - Empurro levemente ela.

Como Uraraka estava rindo igual a uma hiena, pulo em cima dela e tento fazê-la parar.

Eu: Cala a boca sua Baka *Riso* - Tento tapar a sua boca com a minha mão.

A morena apenas ri cada vez mais, também não resisto e deito ao seu lado no chão rindo junto.

Eu: Tá, foi pouco parecido com jeito de Midorya-Kun - Respiro e olho para o lado vendo a morena deitada.

Uraraka: Juro que nunca ri tanto - Ela limpa uma lágrima que escorreu enquanto ria. - Mas falando sério, não sei porque correu. Não ia acontecer nada demais se você ficasse.

Eu: Ata, não foi você que passou vergonha na frente deles - Olho para o teto. - Se eu ficasse meu rosto ia pegar fogo.

Uraraka ri baixo.

Uraraka: Nisso nós temos que concordar - Ela olha para o teto também.

Ficamos em silêncio até que a morena dizer algo.

Uraraka: Você viu como Bakugo-Kun corou quando você disse aquilo? Foi muito fofo~ - Ela senta ao meu lado. - E também como Todoroki-Chan ficou sem graça quando Midorya-Chan disse tudo? Ahh, eles devem gostar muito de você!

Eu: Só nos seus sonhos - Solto uma risada fraca da imaginação fértil de Uraraka.

Ela se deita no chão novamente.

Uraraka: Então, sábado eu vou na sua casa... bem se você me passar o seu endereço - Ela põe as mãos sobre a barriga fitando o teto.

Eu: Eu te passo sim. - Olho para o céu azul fora dos limites do corredor.

Ficamos em silêncio um tempo até escutarmos uma voz.

Todoroki: S/n-Chan, posso falar com você um minuto? - Ele limpa a garganta antes de falar.

Eu e Uraraka levantamos assustadas, ficando de pé em poucos segundos.

Uraraka: Bem... vou deixar vocês conversando - Ela passa bem perto de mim e sussurra em meu ouvido. - *Susurro* Você e Shouto sozinhos, hum, não façam nada demais ok?

Dou um tapa de leve no ombro da mesma e ela ri saindo em disparada.

Uraraka: Até mais, mina-Chan! - Ela vira o corredor acenando.

Shouto e eu vemos a cena em completo silêncio. Depois que a morena sumiu de nossas vistas, Todoroki me olha, eu apenas retribuo seu olhar insegura, alternando de seus olhos para o chão.

Todoroki: Bem... aquilo que Midorya-Kun disse não é verdade, tá? - Ele coça a nuca indiferente.

Suspiro e lembro de como tenho que agir com ele, afinal quero que ele se foda.

Eu: Tanto faz - Digo indiferente e seca. Desvio meu olhar do dele e sem querer avisto a puta da Krystal passando. - Sua namorada está vindo.

E ela realmente estava, para a minha tristeza.

Eu: Vou indo então - Giro meu corpo e saio andando antes que a vadia alcança-se o lugar onde eu estava e me desse mais um soco por estar perto do bicolor que tanto "ama".

Quando está voltando para a cantina o sinal toca anuncinado o fim das aulas e começo do meu trabalhoso final de semana. Volta para a sala e pego meus materiais e também aproveito para anotar meu número de celular para entregar a Uraraka.

Uraraka: Finalmente o fim de semana chegou - Ela exclama feliz entrando na sala. - Anotou o seu número para me dar, Shimada-Chan?

Eu: Uhum, anotei - Entrego o pequeno papel de cor rosa para ela.

Uraraka: Obrigada - Ela sorri. - Vamos indo? Os garotos já estão nos esperando no portão.

Eu: Vamos sim - Digo indo para a porta. - Quem chegar primeiro lá, ganha um sorvete!

Grito e saio correndo seguida pela morena. Poucos minutos depois chegamos ofegantes no portão da escola vendo os meninos parados na frente do mesmo.

Eu: Desculpem a demora - Digo após minha respiração ter voltado ao normal.

Bakugo: Tudo bem, vamos então? Estou louco pra me jogar na cama acordar e só segunda - Ele boceja esfregando os olhos.

Eu: *Riso* Vamos - Rio um pouco antes de começar a andar.

E assim eu e o resto do pessoal começamos a caminhar entre conversas e brincadeiras, com o decorrer do tempo que caminhávamos tive que me separar deles para ir na minha "nova casa".

Eu: Bem tenho que ir - Sorrio triste pois o assunto estava legal. - Ah, e Uraraka-Chan não se esqueça de me ligar pra mim te passar o endereço da casa.

Uraraka: Quer saber? Vou ir agora com você - Ela agarra meu braço. - Até mais meninos.

Eu: Mas seus pais não vão brigar com você? Por ter saído sem avisar? - Pergunto a olhando.

Uraraka: Não, eles já estão acostumados a me ver sumir assim de repente - Ela faz um gesto com a mão de tipo "Relaxa" fechando um dos olhos.

Eu: *Risos* Ok então - Falo rindo um pouco.

Uraraka: Tchau meninos e não tente matar o Deku-Kun, ok? - Ela estreita o olhar para Bakugo indicando alguma consequência se ele fizer algo.

Bakugo: Hunf, tanto faz - Ele fala vindo até onde eu estava. - Tchau baixinha, te vejo segunda e até Uraraka.

Ele começa a andar não esperando Deku que, apressado se despede de nós.

Midorya: Até segunda! - Ele diz rápido acenando e começa a ir correndo atrás de Bakugo.

Eu: Esses dois. - Solto uma pequena risada descontraída. - Bom, vamos indo então.

Uraraka: Vamos! - Com um pequeno salto de alegria ela animada começa a andar do meu lado.

                                               

           Quebra de tempo...

Eu: Acho que errei o caminho, Uraraka-Chan - Disse vendo revendo várias vezes o pequeno pedaço de papel, onde minha avó tinha escrito o endereço do apartamento.

Uraraka: Deixa eu ver aqui - Ela olha atentamente o papel que acabara de tomar e minha mão - O número está certo, o bairro também, a rua é essa, estamos sim no lugar certo.

Eu: Mas meus avós disse era que era um apartamento, não isso aqui - Olho para frente tendo visão de uma casa enorme.

Estávamos paradas bem em frente a uma casa branca de dois andares, no estilo daquelas casas modernas nas quais eu sem quis morar. Com janelas grandes em vidro ela parecia ficar bem iluminada de dia, uma porta branca com uma fechadura pratiada parecia brilhar com a luz do sol. A casa não tinha tantos detalhes mas mesmo assim é linda.

Uraraka: Vamos fazer o seguinte: Você está com a chave aí, certo? - Ela me olha com as mãos na cintura, apenas faço que "sim" com a cabeça e retiro a chave com um chaveiro de panda do bolso, a balançando no ar a frente da morena. - Ok, então você coloca a chave na fechadura da porta e se abrir é nesse endereço aqui sim.

Uraraka caminha até o portão aberto da casa.

Eu: Mas e se não abrir? Oque a gente faz? - Falo dando passos apressados tentando acompanhar os de Uraraka.

Uraraka: Daí a gente vai lá em casa! Simples assim - Ela sorri sapeca.

Eu: Okke, vamos fazer assim então - Falo rindo de sua proposta.

Caminho apressada até a grande porta branca da casa seguida de Uraraka, que por algum motivo cantarolava uma música familiar pra mim.

Eu: Lá vamos nós - Digo sorrindo pouco apreensiva colocando a chave na fechadura da porta.

Giro a chave para o lado esquerdo e logo a porta se entre-abre fazendo um pequena corrente de ar frio vir em mim.

Uraraka: Eu disse que ia funcionar - Ela diz dando um breve risada.

Eu: *Riso* Vamo entrar então? - Dou um passo a frente e olho para Uraraka.

A morena acente e sem demorar nós duas entramos na casa, arrepiando-se e abraçando o próprio corpo por causa do ar gelado. A casa está bem escura por causa das cortinas nas janela, que impediam a luz do sol adentrar a casa. Tateio a parede em busca do interruptor da luz até escutar Uraraka falar.

Uraraka: Bem, vamos clarear as coisas aqui - De repente todas as cortinas se abrem, iluminando a casa inteiro e cegando meus olhos por conta da claridade repentina. - Prontinho!

Pisco várias vezes até conseguir me acostumar a forte luz do sol. Quando consigo voltar a enxergar direito vejo os poucos móveis que constituiam oque seria a sala de estar ou uma pequena parte dela.

Uraraka: Uau, esse lugar é enorme! - Ela diz boquiaberta olhando todos os cantos da sala.

Eu: É sim! - Falo olhando espantada para o lugar. - E isso significa que será ainda mais cansativo e demorado limpar ela.

Suspiro cansando apenas por pensar em ter que limpar todo esse lugar e para piorar ainda tem o andar de cima, o jardim também... será que vou ter que arrumar lá fora também, tipo tudo lá fora? Pelo amor de Kami-Sama que eu não tenha que arrumar tudo isso sozinha, vou morrer limpando essa casa inteira! To vendo que segunda-feira vou chegar igual um zombie na escola.

Uraraka: Meus pêsames - Ela pousa a mão sobre meu ombro e rindo da minha desgraça.

Eu: Vai rindo, vai - Cemicerro os olhos quando fui a  olhar. - Karma volta, sabia?

Uraraka ri de leve.

Uraraka: Bem, vamos começar logo isso - Ela anda até um balcão e coloca a mochila em cima. - Mas antes, música!

A morena retira uma pequena caixa de som em formato de cubo mágico da mochila juntamente com seu celular, apenas vou para o seu lado colocando minha mochila em cima do balcão, bem ao lado da mochila rosada de Uraraka. Como a caixa era via bluetooth ou pelo menos parecia ser, ela apenas conecta o Bluetooth do celular ao da caixinha logo colocando na sua playlist de músicas, quando a mesma parece achar a música que queria, ela se vira para mim com um grande sorriso sapeca na boca.

Uraraka: Tenho quase certeza de que você conhece essa daqui - Com um toque ela coloca uma música para tocar e aumenta ao máximo o volume da caixinha, fazendo o som da música ecoar pela casa com poucos móveis.

Eu: AHHH! - Dou um grito saltando no ar de felicidade escutando a batida animada da música preencher meus ouvidos e afastar os problemas.

Sem sombra de dúvidas a música que começou a tocar foi Fire do BTS, bem adequada a fazer faxina, com certeza.

Eu&Uraraka: BULTAOREUNE - As duas gritam apontando uma pra outra.

E foi exatamente assim que nós procuramos os baldes e produtos de limpeza para começar a limpar a casa. Uraraka começou pelo andar de cima enquanto eu fui limpando o andar de baixo. Durante todo o tempo que estávamos limpando consegui afastar todos os problemas da minha cabeça e me diverti muito, muito mesmo.

                                                                              Quebra de tempo...

O sol estava quase se pondo quando eu e Uraraka paramos de limpar, mas para a minha infelicidade faltava ainda muita coisa pra fazer.

Eu: Uraraka-Chan, melhor acabar por hoje - Passo a mão pela minha testa toda suada. - Está tarde, não quero que seus pais briguem com você.

Uraraka vem para minha frente arrastando um balde com a água já suja.

Uraraka: Ok. Nós encontramos aqui de novo amanhã? - Ela larga o balde no chão e vai pegar a caixa de som, e seu celular.

Eu: Você quer vir amanhã também? Por que? - Pego minha mochila que estava no balcão.

Uraraka: Ainda tenho que continuar aquela conversa com você - A morena pisca com ar malicioso. - Além do mais gostei de ficar aqui, melhor do que passar o fim de semana sozunha no quarto.

Ela revira os olhos entendida me fazendo rir.

Eu: Tá bom então, só me diz a hora que vai vir - Coloco a mochila nas costas indo para a porta. - Vamos?

Uraraka: Hai! - Ela vem meio caminhando e meio correndo pra perto de mim.

Quando alcançamos o calçada nos despedimos e cada uma vai para sua respectiva casa. Observo Uraraka até vê-la virar a esquina, só então começo a caminhar para casa dos meu avós.

Eu: Tomara que eu chegue logo em casa - Murmurro cansada chutando aleatoriamente uma pedra no chão.

Como estava anoitecendo a rua estava silenciosa e agradável. O dia pode até não ter começado bom mas até que ele ficou maravilhoso.

???: Olha quem encontramos aqui - Uma voz familiar diz atrás de mim.

Acho que falei cedo demais. Olhos para trás e infelizmente vejo aquele ser repugnante e nojento. Não, não, não, não e não! Podia ser qualquer pessoa mas tinha que ser exatamente ela. Por que sempre acontece comigo?

                                                                            Continua...


Notas Finais


Bom Mina, espero que tenham gostado e desculpem mesmo a demora (e o capítulo gigante), vou tentar mesmo escrever mais e postar mais rápido, ok? Espero também que não tenham ficado bravos, enfim, até a próxima! 😘❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...