História My history - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 16
Palavras 686
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction My history - Capítulo 1 - Prólogo

Gostar de uma pessoa é estar com ela em todos os momentos sem se importar se são bons ou ruins, agora, amar uma pessoa é estar e sentir sua dor, saber o que se esconde atraz de cada sorriso

Amar é sorrir vendo a pessoa que vc ama feliz com outra, mesmo que doa...e doi muito...mas amar é ficar feliz por que aquela pessoa esta feliz 

Para nos apaixornamos nao precisamos de um bom beijo ou uma boa transa, muito menos de beleza

Mas o amor machuca e te quebra, depois ele volta e te reconstroi para logo te destruir novamente 

[»quebrar uma asa e continuar voando....isso é se forte« ❤]

.

∞→andava de cabeça baixa com as maos no bolso do sobre tudo preto que vestia, sentia o ar gélido invadir meus pulmões e machucar aquele orgão tao sensível, o vento assopra bagunçando meus cabelos deixando os fios desengrenhados 

As lágrimas insistiam eu rolar pelo meu rosto e pingar em minha boca deixando um gostinho salgado 

Pressiono meus labios um nos outros enquanto meus dedos se concentravam em se enrolar no casaco de lã a procura de alguma coisa para se esquentar 

Meu irmão tinha me rejeitado...eu me declarei e unica coisa que ele fez foi gritar comigo, falando que eu era nojento e um desprezo para nossa familia, só de lembrar de suas palavras rudes as lagrimas inssistiam em descer mais rapidamente, fazendo coriza escorrer junto do meu nariz 


Sorrio abertamente quando vejo a numeração das casas aumentarem e meu sorriso cresce quando vejo o numero 702, corri ate a porta aos tropeços por conta de estarem dormentes por causa da neve espalhada pelo chão

Passo a mão pela maçaneta branca e logo em seguida os nós de meus dedos irem de encontro a porta amadeirada 

Segundo depois anporta abre em um rangido parecido com os de filmes de terror, e a silhueta de Lyon pode ser vista encostado no batedor

-como vai meu príncipe?-me puxa para dentro me fazendo suspirar aliviado ao sentir o bafo quente de dentro da casa 

-Aish...eu estava congelando lá fora...-tiro minha touca que estava coberta de neve a fazendo cair sobre o tapete caro bordado- m-me desculpe, e-eu nao queria -falo com a voz trêmula por causa do choro recente-

-não tempo problema princesinha, depois eu limpo- ele pega minha mão me guiando ao seu quarto, eu sempre achei que o quarto fala muito sobre a pessoa, e concerteza o quarto do Lyon fala muito sobre ele, as paredes eram brancas, um quadro de uma caveira encima da cama coberta pelo lençol preto, um abajur ao lado da escrivanhia que deixava seu quarto com um clima gostoso nesse inverno, um guarda roupa gigange e um baú ao lado, onde o garoto guardava Seus sapatos

Lyon tem seus 23 anos e eu tenho meus 12 anos, e sim eu sou apaixonado pelo meu irmão, sou gay e gosto de me vestir de modo feminino, meus pais morreram quando eu tinha 4 anos, e desde então eu moro com meu irmao que agora tem 28 anos e trabalha em um hospital famoso em seul, ele namora um menina chamada bosung que trabalha no mesmo hospital, mas como enfermeira técnica 

Conheci lyon por causa da namorada.nojenta do meu irmao, lyan e bosung são irmao, e ela é a mais velha, com 26 

-vc esta bem princesa?- Lyon me abraça porta traz acariciando minha cintura

-s-sim eu estou, só pensando no meu irmão

-ah, entendo- beija minha bochecha e logo desce os beijos para o meu pescoço meu arrepiando- esqueça isso, ele deve estar com a minha irmã- o vejo revirar os olhos 

Quando estava prestes a sentar a campanha toca me fazendo olhar o maior 

-não sabia que estava esperando visitas- sorrio fraco

-e eu não estou- ele arqueia a sombrancelha e me puxa para a sala 

-hey, eu não sou um bonequinho de pano

-não mesmo, é uma bobequinha- ele sorri e coloca a mao na maçaneta a puxando lentamente a abrindo a porta 

-PARK DONGSUL EU NAO DEIXEI VC SAIR DE CASA- me assusto ao ouvor meu nome e olho para a porta arregalando meu olinhos levemente, era minsung, meu irmao...










Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...