1. Spirit Fanfics >
  2. My Hope (Imagine Taehyung) >
  3. Desespero

História My Hope (Imagine Taehyung) - Capítulo 58


Escrita por: Mary-2004 e Pannsh

Notas do Autor


Oii people como vão?

Eu esqueci de postar ontem... Mas aqui estou hoje :)
Espero que gostem e é isso

Boa leitura <3

Capítulo 58 - Desespero



Jisso on


Depois de falar com Yoongi por telefone, segui para empresa trabalhar. Ele me disse que ficaria com Hoseok durante a recuperação dele, e até pediu para mim falar com Namjoon sobre o que aconteceu,  coisa que com certeza ele não sabia ainda. 


Yoongi também me falou sobre a Ryujin, e minha vontade de ir atrás daquela mulher e mata-la era enorme, não acredito que ela tentou machucar meu irmão, aquela mulher é literalmente maluca.


Eu já estava entrando na empresa quando de longe vejo Tzuyu, nós apenas nos cumprimentamos com míseros "bom dia", por educação e seguimos para nossos postos.


Resolvi entao ir primero falar com Namjoon sobre Hoseok, eu imaginava seriamente que ele ficaria surtado em saber que o amigo foi acidentado e ninguém lhe falou nada. Mas para minha surpresa, ele já estava sabendo.


Jisso- Então você soube hoje?


Nam- sim, a irmã do Hoseok a __, foi em casa hoje pela manhã com o Tae, e ela acabou me contando, não com muito detalhes, mas disse que estava tudo bem. E se der tudo certo, hoje saio mais cedo pra poder vê como ele estar com meus próprios olhos.


Jisso- Ah bom, por um momento pensei que eu teria que ser a exportadora de más notícias. (ele sorrir e logo alguém bate na porta e ele permite a entrada, era Tzuyu).


Tzuyu- Nam… é… oi Jisso.


Jisso- oi. 


Ela para de me encarar e se direciona a Namjoon com um sorriso no rosto e papéis nas mãos.


Nam- São os processos da nova empresa em Seul?


Tzuyu- sim, investidores de lá também já estão ligando, vai ser um ótimo negócio. 


Os dois riem e acabo revirando os olhos ao ver como Namjoon não enxergava quem realmente ela era. Quando fui pedir permissão para sair, o telefone de Namjoon toca, e pela cara de Tzuyu não parecia ser alguém que ela gostava.


Nam- oi Jin… ta-ta tudo bem?... Tá bom, eu tô indo pra ir.


Ele desliga e quando fui perguntando que tinha acontecido ele continua.


Nam- Tzuyu,  cancele todos meus compromissos de hoje e...  se tiver alguma coisa que eu tenha que assinar ou resolver me mande tudo por e-mail que farei em casa.


- Aconteceu alguma coisa grave? (Eu e a mulher ao meu lado acabamos perguntando juntas).


Nam- Sim… É...  quer dizer... mais ou menos, apenas um problema… de família… (ele parecia nervoso)  amanhã nos vemos.


Tzuyu- mas Nam, você… não quer ajuda? Se quiser posso ir com você. 


Nam- Não, é assunto pessoal. (Responde sério) Até mais meninas, e obrigado por ter vindo falar comigo sobre Hoseok, Jisso. 


Concordo com a cabeça e ele sai da sala, olho para Tzuyu que parecia decepcionada e brava. Quem mandou ser intrometida… bem feito. 


Sorrio de lado na direção dela e saio antes que ela também saísse.


Então fui em direção onde Rose fica, antes de começar a trabalhar. E ao vê-la de longe, percebo que ela estava com um sorriso enorme estampado no rosto.


Chego silenciosa querendo assusta-la, mas ela me avista antes e guarda o celular na mesma hora.


Jisso- Aí o que foi? Por que guardou o celular? Com quem estava falando? Me conta! Por que estava sorrindo feito uma apaixonada?


Ela sorrir com minha última pergunta e nega com a cabeça.


Rose- Sorriso de apaixonada que nem você da quando está falando com a Jennie da lanchonete?


Jisso- Para! Não é de mim que estamos falando e sim de você. (Arrodeio a mesa e fico atrás dela pegando em seus cabelos esperando ela me contar tudo) Voce anda saindo com alguém que eu sei, mas não me falou… quem é?


Rose- Ah Jisso... não… não é ninguém muito importante sabe.


Jisso- Não? (Encaro ela duvidosa).


Rose- ah tá bom… Eu tô saindo sim com alguém e tô gostando muito, mas não quero que o Jungkook fique sabendo, na verdade não queria que ninguém ficasse sabendo,  mas fazer o que,  não consigo…


Dou um pulo de alegria e logo pergunto de tudo pra ela, que me contou que não queria criar muitas expectativas já que eles só saíram umas três vezes e que ela estava interessada e muito, mas não sabia se era recíproco. 


Jisso- mas você só acha ou tem alguma certeza?


Rosa- pra falar a verdade eu não sei.. ele… é super lindo, legal, diverdito, gentil...  Mas... Não sei… é muito cedo pra falar sabe.


Jisso- Entendo.


Por mais alguns minutos apenas ficamos falando sobre o cara que ela estava saindo, ela me mostrou a foto e realmente era bonito,  mas parecia ser bem mais velho que ela, não que fosse um problema, já que ela já tem mais de vinte anos e tal, mas ele realmente parecia bem mais velho, não perguntei a idade, mas parecia esta perto dos quarenta. 


Após perceber que falamos muito sobre aquilo volto ao meu local de trabalho, e começo a trabalhar já que conversando tanto acabei me atrasando muito nos meus afazeres,  mas era impossível não conversar, eu não me controlo.


Jisso off 


Namjoon on


Depois que sai da empresa fui as presas para casa o mais rápido que podia ir na estrada.


O Jin me ligou parecendo estar muito mal e eu tinha que ajuda-lo e estar com ele.


Cheguei em casa e desci rapidamente do carro, esquecendo até mesmo as chaves e minhas outras coisas lá. Entro em casa e vou direto para o quarto dele.


E parecia que uma ponte acabará de cair em cima de mim, ao ver Jin chorando todo enrolado na cama. Me aproximo pegando em sua testa pra ver sua temperatura e ele estava queimando em febre. 


Jin- Namjoon-ah… eu... estou com frio…


Nam- frio Jin?! Você estar muito quente, o que você fez quando eu saí? (Ele não me responde e continuava a chorava mais).


Jin- O Taehyung não veio pra casa... ele não chegou... Ele não vai mais voltar Namjoon... ele me odeia, ele odia a gente… (e chorava cada vez mais).


Nam- calma amor calma por favor.. (abraço ele tentando passar o mais conforto possível,  mas ele estava muito quente, aquilo não era normal) eu vou ver se tem algo la embaixo pra te dar.


Me solto dele e vou até a cozinha procurando algum remédio, eu não sabia qual de todas aquelas embalagens da pra ele, eu era péssimo naquilo.


Pego duas caixinhas de remédios e um comprimido de cada uma, daria aquele a ele,  não sabia pra que servia mas torcia pra que fosse o certo e que funcionasse. Mas antes de subir tento ligar para o Tae. 


A essa hora ele já devia ter saído da escola e estar em casa, mas ele não veio pra casa, e também não me atendia.


Ligo mais três vezes e nada, então contra minha vontade olho para o contato da ___, não entendo porque  eu ainda tinha desconfiança dela mesmo já dendo provado que era alguém integra e de bom caráter.


Deixo o egoísmo de lado e disco seu número já subindo as escadas para o quarto.


O telefone chamava enquanto entrei no quarto e dei os dois remédio para que Jin bebesse, até que ela atendeu.



Nan- __, o Tae esta aí?


__- está sim, estamos na lanchonete, por que?


Nam- Por favor, você pode convencer ele pra vir para casa?! O Jin estar queimando em febre e eu não sei o que fazer, por favor __ faz ele vir pra cá.


Não escuto mais nada, e quando olho pro celular pra ver se ela havia desligado outra voz aparece na linha.


Tae- o que você fez com ele?


Nam- Eu não fiz nada Tae,  ele simplesmente está muito mal, por favor vem pra casa, eu preciso de você, o Jin precisa de você!


Tae- Eu já chego aí!


E assim encerro a ligação e volto a encarar o Jin,  ele ainda estava tremendo, então resolvi levar ele para o banheiro.


O pego em meus braços e vou até o banheiro, sento ele em cima da privada e ligo a banheira para que ela enchesse.


Vou despindo ele de vagar, ele estava muito mal e meu coração já quase não aguentava ver ele assim.


Após a banheira encher um tanto rasoavel, eu o ponho dentro. Ele recuou, mas fui mais ágil e consegui banhar ele como pude.


Após alguns minutos ele parecia mais disperso, eu o tiro de lá, e já  no quarto ele sozinho conseguiu se vestir e voltou pra cama.


Ainda parecia estar muito fraco e eu não sabia mais o que fazer, até que a porta é aberta. 


Tae- Cadê…(quando ia terminar de falar, ele olha pra cama e vai até o outro) Jin, eu tô aqui olha, olha pra mim.


Jin abriu os olhos e sorriu pequeno, mas logo voltou a chorar.


Tae- O que você deu a ele? 


Nam- Uns remédios e... E dei banho nele, mas ele ainda continua quente e mole. Eu... eu não sei o que fazer Taehyung. 


Tae- Que remédio você deu?


Nam- eu não sei… Não sei.


Eu estava me segurando para não chorar também. Taehyung não falou mais nada e abraçou Jin de vagar, que aos poucos em quanto eu andava de um lado para o outro, o amor da minha vida parecia adormecer lentamente.



Notas Finais


O que será que vem mais pra frente em?

Obrigado por lerem e até a próxima, tchau.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...