História My Hope- J-Hope bts - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope
Tags Bangtan, Bts, J-hope, Jimin, Jin, My Hope, Rap Monster
Visualizações 61
Palavras 1.049
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VORTEI AMORES
Demorei mas cheguei ne? Isso q importa
Espero q gostem do capt ^-^

Capítulo 18 - Eighteen (Suga)


'Suga On'


Meu pai, novamente bêbado, e eu? Trancado no quarto esperando ele sair ou dormir, toda semana acontecia algo parecido e dessa vez não seria diferente, ou eu me escondia, ou apanhava, era algo do meu cotidiano.

Minha mãe? Internada em um hospital psiquiátrico fazendo um extenso tratamento para esquizofrenia, foi diagnosticada após começar a agredir à família e ter alucinações fortes durante a noite.

Quando minha mãe foi levada eu tinha apenas 14 anos e ainda era inocente em ralação à essas coisas, mas agora, entendo o que se passa e tento visitá-la sempre que possível, quando esta em bom estado, é possível vê-la, porém, há dias que seu estado é deplorável e não posso ver minha mãe.

Após o ocorrido com minha mãe, meu pai começou a beber frequentemente, chegava em casa bêbado toda semana, e continua assim até hoje. Ele é um grande empresário com uma grande empresa que nos dá muitos lucros, porém, como nem tudo é um mar de rosas, há sempre alguém para atrapalhar, e esse alguém é um forte concorrente de meu pai.

O concorrente se chama Min Sanjoon, e sua filha, Min Lia, estuda comigo, e para que pudéssemos ganhar algo, meu pai sempre pede para que eu a maltrate, e faço o máximo que posso para fazer isso, mesmo que eu faça isso contra minha vontade, tenho que ajudar meu pai não é?

Embora não queira fazer isso, sinto que é minha obrigação, ou apenas para ele não me agredir ou algo assim, que pode acontecer caso eu não o obedeça.


♤• Flashback On •♤


-Pai, eu não quero humilhar ela, a menina parece ser legal, embora esteja sozinha em todo intervalo.- Tentei convence-lo de que aquilo não era uma boa ideia mas pareceu não adiantar muita coisa.

-Você é um covarde, uma vergonha.- Falou apontando para meu rosto.- Você vai lá e irá fazer o que eu estou mandando ouviu?- Assenti encolhido.- Ou irá sofrer as consequências...

-Tudo bem, mas... Até quando isso vai durar pai?- Perguntei receoso.

-Até eu ter todo o dinheiro da família daquela menina miserável.- Terminou a frase com um olhar de desprezo o que me fez querer vomitar.


♤• Flashback Off •♤


Posso dizer que odeio ser usado assim como odeio usar as pessoas, humilhar alguém te causa um sentimento ruim de tristeza e culpa, ainda mais quando essa pessoa sai machucada.

Embora Lia tenha sido a única com qual fiz isso, posso dizer o quão ruim é esse sentimento, e nunca irei esquecer do que senti ao humilhar a menina da pior forma possível.

Fui parar na diretoria, chamaram meu pai, mas o mesmo apenas demonstrava orgulho, o que causou certo nojo na diretora. Durante o tempo em que fiquei na sala dela naquele dia, me mantive cabisbaixo o tempo todo, e esperava não ter que fazer aquilo de novo nunca mais, o que infelizmente não aconteceu.

Como um belo dia que a humilhei na frente de todos da escola, mesmo tendo me arrependido depois, o que nunca contei a meu pai, já que eu quem iria sofrer por isso, e além do mais, não iria adiantar de nada, meu pai iria continuar com o mesmo objetivo, humilhar a Lia.


♤ Flashback On ♤•


-Pessoal!- Gritei em pé em uma mesa do pátio, a menina estava distante e apenas observava tudo, o que era ótimo.- Preciso falar algo. Aquela menina, aquela da árvore, que levou um fora do namorado se lembram?- Assentiram.- Sabiam que ela foi estuprada? Exatamente, ela é uma vadia, e além disso é suja, alguém aqui ainda quer chegar perto dessa imunda?

Por instantes ouvi um breve silêncio seguido de altas risadas vendo todos se afastarem da árvore em que a mesma estava sentada, e no meio disso, baixos e discretos soluços, olhei para o local em que a menina estava e a vi com a bochecha levemente rosada e molhada, seu cabelo caia sobre seu rosto o que a deixava linda.

Yoongi pare de pensar nisso, não é seu trabalho.

Confesso que senti um rápido arrependimento mas que logo passou vendo a menina sair correndo em direção ao banheiro com as mãos no rosto quase tropeçando pelos corredores.

Desci da mesa vendo Jungkook vindo até mim dando um aperto de mão seguido de um abraço.

-Mandou bem cara, ela 'tá destruída.- Falou e eu sorri amarelo pensando no que tinha feito, mas era bom, pois era para meu pai, não era?


♤•Flashback Off•♤


Esqueci de mencionar, Jungkook era como posso dizer, meu comparsa, me ajuda e apoia em tudo, sua história é parecida com a minha, mas ao mesmo tempo não é, vocês saberão daqui um tempo.

Os dias eram sempre os mesmos, todos monótonos, mesmos colegas, mesmos professores, tudo a mesma coisa, com nomes diferentes.

-Yoongi, pode responder minha pergunta por favor?- Perguntou o professor já impaciente.

-Claro professor, o X equivale a 5.- Respondi com facilidade vendo o maior assentir e continuar sua explicação enquanto eu voltava a "nadar" em meus pensamentos.


♤•algum tempo depois•♤


Dois meses se passaram e um novo menino entrou para a turma, e acabei fazendo amizade com ele rapidamente, assim como Lia, que estava bem próxima dele e dos meninos, e isso por um lado me deixava com certa raiva, por quê?

Nesse meio tempo, meu pai acabou adoecendo, havia sido diagnosticado com um tumor no cérebro que já estava num nível bastante avançado, o que provavelmente provocaria uma morte.

O tempo passou e Lia e Hoseok estavam cada vez mais próximos, enquanto meu pai ficava mais fraco e sua situação mais precária, parecia que seu coração iria parar a qualquer momento, o que realmente poderia acontecer.


•♤•


E hoje, meu pai partira para o céu, ele morreu na madrugada e eu já assinara os papéis para a doação de órgãos.

Com a morte, pude finalmente me desculpa por tudo que fiz com Lia e a mesma aceitou de bom grado, o que pode-se dizer que me surpreendeu, porque achava que ela não iria me perdoar tão fácil.

E com isso tudo, viramos grandes amigos e acabei descobrindo que Lia e Hoseok estão namorando, assim como percebi que me apaixonei por Lia por um instante, mas era apenas paixão e não amor de verdade.


E essa meus queridos, foi minha história...


Notas Finais


Bom gente, espero q tenham gostado
Talvez o 19 demore um pouco, não sei ainda, depende da inspiração e eu to em semana de prova então acho q vai demorar um pouco
Bjo meu amores ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...