1. Spirit Fanfics >
  2. My Hot and Sexy Neighbor. - Twice. >
  3. Capítulo 13.

História My Hot and Sexy Neighbor. - Twice. - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


- espero que gostem!!
- deixe o seu coraçãozinho!!
- boa leitura!!

Capítulo 13 - Capítulo 13.


Fanfic / Fanfiction My Hot and Sexy Neighbor. - Twice. - Capítulo 13 - Capítulo 13.

Autora.

— Vou sentir saudades! S/n, cuide bem dessa garota! — Nayeon disse enquanto abraçava a Jihyo.

— Eu vou cuidar bem dela, Nayeon! E é uma viagem de apenas três dias! Não se preocupe! A gente volta logo! — S/n disse sorrindo e indo para o lado de Jihyo.

— É Unnie! Não se preocupe! — Jihyo disse se soltando do abraço e segurou na mão de S/n.

— Cuidado! — Nayeon disse mais uma vez, fazendo Jihyo e S/n rirem.

— Pode deixar! Agora precisamos ir! — S/n pegou suas malas e foi em direção a fila de embarque com Jihyo.

• • •

— Amor? — Jihyo cutucou a mais nova, que estava quase dormindo e rapidamente olhou a coreana — Me desculpa... Não queria te atrapalhar! Não sabia que estava dormindo... — A mais velha disse sorrindo sem jeito e S/n riu fraco.

— Ta tudo bem, amor! Pode falar! — S/n olhou para a mais velha sorrindo e acariciou o rosto da mais baixa.

— É que... Eu queria saber de você como é lá no Brasil! Eu acho que estou bastante ansiosa e nervosa... — Park disse sem jeito e olhou para a janela do avião.

— Lá é lindo! É um país muito bonito mesmo! Os pontos turísticos, as praias, enfim, tudo! Lá tem de tudo mesmo! — A brasileira disse sorrindo e segurou na mão da mais baixa.

— E os seus pais... Vão gostar de mim? — Perguntou a mais velha em um tom baixo, mas audível para S/n poder escutar.

S/n suspirou pesado e virou o rosto da mais velha e a beijou. Depois da falta de ar, S/n deu um selar na testa da mesma.

— Vou ser bem sincera, eu acho que não gostar! Ele me odeia! — A mais nova suspirou — Mas minha mãe deve te adorar! Ela vai amar te conhecer... — Disse sorrindo e Jihyo sorriu fraco.

— Eu sinceramente não sei o que pensar, o que fazer e nem o que dizer... — A mais velha disse.

— Eu te entendo perfeitamente! Mas viemos para cá não só para ver meus pais! Eu queria te trazer faz tempo, então, me prometa que, qualquer coisa que for acontecer, não deixe estragar nossa viagem, hm? — A mais nova acariciou o rosto de Jihyo, esta que assentiu e sorriu fraco.

— Eu te prometo! — Jihyo disse e deu um selinho na mais nova — Agora pode ir dormir — Riu fraco.

— Eu quero ficar com você! Vou ficar acordada até você dormir... — S/n se ajeitou na cadeira, pegou na mão da mais velha e ficou olhando para ela com um sorriso bobo.

— Duvido! — Jihyo riu entrelaçando seus dedos nos de S/n e voltou a olhar para a janela do avião.

• • •

— Que lindo!! — Jihyo disse animada, saindo do aeroporto de São Paulo.

— Bem vinda a São Paulo, meu amor! — S/n foi para o lado da mais velha e a abraçou de lado.

— Que lindo!! Aquilo é uma lanchonete? — Jihyo apontou para uma pequena lanchonete que tinha do outro lado da rua.

— Sim, é sim! Você tá com fome? — Jihyo assentiu com os olhos brilhando e S/n sorriu — Então vou te levar para experimentar comida brasileira! — Sorriu e puxou a mais velha devagar até a lanchonete.

— E as nossas malas? — Jihyo olhou a mais velha confusa e S/n sorriu olhando a mais baixa.

— Não se preocupa! Eu contratei uma pessoa que vai levar as nossas malas para nosso hotel! — Disse e acariciou o rosto de Jihyo — Vem, vamos comer!

• • •

S/n passeava com Jihyo pelas as ruas de São Paulo. Elas já tinham trocado de roupa para uma roupa mais casual e mais livres. Já que estava um calor. Afinal.... Era o Brasil onde elas estavam.

— Eu nunca vi você falando português! Sua pronúncia no coreano é muito boa! — Jihyo comentou enquanto caminhava de mãos dadas com S/n.

— Não há motivos para falar português la na Coreia, amor! Eu não conheço ninguém que fale! — S/n disse e sorriu fraco para a mais velha.

— Você podia me ensinar a falar em português!! — Jihyo disse sorrindo divertida para S/n.

— Claro que posso! Quando você quiser! — S/n deu um selinho em Jihyo e voltou a caminhar com a mesma.

• • •

— Uau! Essa é a casa dos seus pais? — Jihyo olhou em volta e S/n assentiu.

— Sim! É sim! — S/n suspirou e tocou a campainha, logo a mãe da mesma abriu.

— Filha? S/n! — A mãe da mais nova logo a abraçou e S/n tratou de retribuir o seu abraço.

— Oi Mãe! Que saudades!! — S/n disse e Jihyo ficou olhando a mesma com um sorriso tímido no rosto.

— Uh, essa é a garota que Kira sempre fala? A Jihyo? — A mãe da garota perguntou olhando Jihyo.

— Sim! Essa é a Jihyo, minha namorada! — S/n disse indo para o lado de Jihyo.

— É um prazer, Jihyo! — A mãe de S/n disse sorrindo para a mais velha.

— O prazer é meu! — Jihyo falou sem jeito e S/n sorriu boba com a mais velha.

- O Pai esta, mãe? — S/n perguntou e sua mãe deu um sorriso fraco e assentiu.

— Sim. Ele está! Esta no escritório! — A mãe da menina disse e S/n suspirou.

— Mãe, fique com a Jihyo. Não se preocupe. Eu só vou conversar com meu papai. — S/n disse.

— Tudo bem, entre meninas! — A mãe de S/n disse já entrando na casa novamente.

— Você vai ficar bem, S/a? — Jihyo encarou a sua namorada com uma feição preocupada.

— Vou sim, amor! Não se preocupe, ok? Você vai adorar a minha mãe! — S/n sorriu e deixou um selar nos lábios de Jihyo.

Jihyo assentiu e entrou na casa dos pais da mais nova. S/n entrou também, fechou a porta e foi para o escritório do seu pai.

S/n parou na frente na frente da porta. Respirou fundo e bateu. S/n se arrepiou ao ouvir a voz de seu pai pedindo para entrar. Ele mal sabia que era S/n ali.

— Bom dia, Papai! — S/n falou em um tom de deboche, assim que entrou.

Imediatamente seu pai encarou a garota com desgoto. E uma certa raiva também.

— Você... O que esta fazendo aqui? — O mais velho ficou em pé e encarou a sua filha.

— Uma visitinha! Não estava com saudades de sua filha, papai? — S/n fingiu decepção.

— Por favor, S/n. Você sabe bem que não é bem vinda na casa! — Ele disse sorrindo de maneira nojenta — Você sabe bem que não quero você aqui!

— É... Eu sei bem.. Mas quem disse que vim ver você? Eu vim ver a minha mãe! Por mim, passaria toda a minha vida sem te ver! — S/n disse com desgosto — Você é casado com minha mãe! Tenho que te aturar, não só como pai mas como esposo da minha mãe! Mas pode ter certeza que ela merece alguém melhor do que você! — S/n disse levemente exaltada.

— Você abaixe o tom para falar comigo! E é exatamente isso que você disse! Infelizmente sou seu pai! — Ele falou se aproximando de S/n.

— Eu falo do jeito que eu quiser! Você perdeu o direito de mandar em mim desde o dia que mandou eu ir para fora dessa casa! Sendo que essa casa só esta aqui por minha causa! — Ela disse se aproximando mais — Eu só não te do olho da rua por causa da minha mãe! Que eu sei que ela te ama! — S/n disse encarando os olhos de seu pai.

— Exatamente! Ela me ama! E não vai deixar a filhinha mimada dela me colocar para fora! Aliás, se me colocar, automaticamente irá colocar ela também! — Ele disse com os braços cruzados, sorrindo ladino.

— Você é nojento! — S/n cuspiu palavras — Eu não vim só para falar com minha mãe sobre a minha namorada, tambem vim resolver tudo que preciso sobre essa casa!

— Sua namorada? Você é lésbica, S/n? — Ele perguntou levemente exaltado. Quase que saia fumaça de dentro de sua cabeça.

— Se fosse mais presente em minha vida saberia! E eu, como já disse, não vim apenas falar sobre ela e nem com a minha mãe! — S/n checando as unhas — Sobre a casa! Sobre esta casa!

— Hm.. Ótimo! Assim você nunca mais aparecerá aqui! — Ele disse e S/n riu.

— Eu não vou deixar de pisar aqui! Minha mãe mora aqui e vou vir para cá até o último dia dela! Você ainda terá que me aguentar por muito tempo! — S/n disse e se apoiou na parede.

— Até o último dia dela... Muito tempo... — O mais velho repetiu e S/n o encarou séria.

— Minha mãe viverá por bastante tempo! — S/n disse em tom alto.

— Se nada acontecer até lá! — O pai de S/n disse com um sorriso nojento em seus lábios.

— Você nem ouse! Eu te mato se encostar seus dedos podres na minha mãe! — S/n foi para cima do mais velho e o segurou pela a gola da blusa.

— Me solte sua nojenta! — O pai da mesma estava se debatendo.

— Me escute bem! Você não vai encostar um dedo na minha mãe! Se fizer isso, darei um jeito de você parar na cadeia seu filho de uma puta! — S/n disse, já estava perdendo a paciência que lhe restava.

O pai da garota não aguentou, acabou dando um tapa na cara da mais nova. S/n o soltou e deu uns passos para trás, logo parando na parede. A mesma colocou a sua mão em seu rosto. A ardência, o vermelho sobre a sua bochecha, estava nítido.

— Não ouse me ameaçar, lésbica imunda! — Ele disse e se aproximou, segurando o rosto da mais nova.

— Você vai se arrepender! De tudo que esta fazendo! Ah mas você vai me pagar! — S/n disse irritada e saiu do escritório de seu pai.

Lee desceu as escadas bufando. Observou e Jihyo e a sua mãe estavam conversando.

— Vamos, Jihyo! — S/n disse indo até as meninas — Mãe, depois conversamos!

— O que aconteceu, S/n? Porque seu rosto esta tão vermelho? — A mãe da garota olhou logo a bochecha da filha.

— Eu bati na parede quando estava indo até o escritório e acabei me machucando! Nada demais! — A mais nova disse e suspirou.

— Ok! Até mais, garotas! — A mãe da menina disse com um sorriso.

S/n e Jihyo sorriram e saíram da casa da mulher. Elas foram para a casa em um silêncio tanto desconfortável para as duas.

• • •

— Me fale amor! O que aconteceu com seu rosto? Bater na parede não causa isso! — Jihyo disse se aproximando de sua namorada.

— Eu tive uma discussão com o meu pai e ele acabou me dando um tapa! — A mais nova disse e se sentou no sofá.

— Amor, você precisa contar isso! Como assim ele te bateu e você não vai fazer nada? — Jihyo se sentou ao lado da mais nova.

— Hyo, eu sei o que fazer! E ele pode até me mata, mas encostar na minha mãe não! — S/n disse e suspirou.

Jihyo ficou estática por um tempo. Park ficou encarando a sua namorada e raciocinando as palavras que a mais nova havia acabado de dizer.

— Jih... Olha, me desculpa! — S/n suspirou e puxou Jihyo para seu colo — Eu estou bastante irritada com o meu pai! Não devo descontar em você!

— Eu me preocupo com você, S/n! — Jihyo entrelaçou as suas pernas na cintura de S/n.

— Eu sei neném! — S/n deu um selinho demorado na sua namorada — Que tal esquecermos isso e formos passear um pouco?

— Hm pode ser! Mas você não vai escapar dessa conversa! — Jihyo disse beijando o pescoço da mais nova.

— Certo... Mas podemos fazer algo antes de irmos! — A mais nova disse sorrindo maliciosa.

— Vamos! — Jihyo se levantou do colo da mais nova e a puxou para o quarto.

Continua...


Notas Finais


- finalmente postei... Passei quase uma semana sem postar. Me desculpem.

- tem erros também, ignorem please...!

- se cuidem! Até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...