1. Spirit Fanfics >
  2. My Hot Doctor - Sasunaru >
  3. Chapter five - You don't know that pen, do you?

História My Hot Doctor - Sasunaru - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Chapter five - You don't know that pen, do you?


- Mas que baixinho desaforado, eu vou acabar com ele. – o homem fechou seus punhos sentindo uma onda de adrenalina correndo pelo seu corpo como se fosse uma corrida que não tinha fim.

- Vem tranquilo, eu lhe quebro no meio. Não duvida não ouviu? Eu posso ser baixinho perto de você mas eu sei bater. Seu monstro feio – Naruto tentava chutar o estomago do homem mas todos os chutes eram desferidos no ar, eram praticamente inúteis.

- Meu Deus Naruto, você só se mete em confusão Naruto. – Kakashi revirou seus olhos tentando chegar até seu amigo.

- Ou solta ele, por favor. Ele apenas não viu você. Nos perdoe por favor – Lee reuniu todo o seu resto de consciência para tentar salvar seu amigo.

- Cala a boca sobrancelhudo – o homem deu um gole em sua cerveja sentindo o gosto amargo da cevada em sua boca.

- Vocês cismaram com minha sobrancelha, ela é muito bonita okay? Agora dá para você soltar o meu amigo ou eu vou cortar essa sua barba imunda cheia de mofo e mal feita – Lee tirou de seu bolso um canivete o apontando para o rosto do velho homem.

- Você acha que isso me dá medo? Estas muito enganado – o homem riu bem na cara de Lee o deixando vermelho de raiva.

- Escuta aqui eu não tenho medo de usar isso daqui. Eu posso ser preso mas eu juro que eu enfio esse canivete bem na sua veia jugular. Eu sou um interno do hospital Seattle Grace, o que significa que eu sei os pontos onde eu posso cortar e fazer você morrer em menos de dois minutos. Queres morrer agora mesmo ou vai soltar meu amigo? – Lee pressionou o canivete bem na traqueia do homem que estava suando de nervosismo.

- Me perdoe não foi minha intenção. Pode tirar o canivete antes que acabe acontecendo um acidente – o homem soltou Naruto imediatamente por medo do que podia acontecer dali pra frente se não soltasse o loiro de olhos azuis.

- Agora vaza daqui o pivete desmiolado – Lee fez uma cara feia olhando bem nos olhos do homem.

- Claro, me desculpe mais uma vez – o homem não queria demonstrar que estava tremendo então saiu dali o mais rápido possível.

- Viado eu quero sair daqui e ir para o parque de diversões, mas minha cabeça está girando e girando mas eu estou com tanto sono – o loiro que mais parecia um anjo falava rindo de algo sem motivo aparente.

- Eu vou levar o Naruto pra casa, antes que ele comece a vomitar em tudo. Muito obrigado Lee eu achei que ia ter que quebrar ele na porrada mas antes eu tinha que fazer dois anos de academia para ficar forte – Kakashi pegou seu amigo no colo colocando as pernas do loiro em volta de sua cintura e seus braços em volta de seu pescoço. Os dois parecia ser pai e filho sendo Naruto o filho de Kakashi, mas não passavam de melhores amigos.

- Cuida dele, senão eu vou ter que usar esse mesmo canivete para arrancar essa tua língua – Lee riu guardando a pequena arma branca em seu bolso.

- Eu irei. Tchau Lee, tchau doutor gostosão – Kakashi acenou se despedindo de Lee e Itachi. Eles nem perceberam o sumiço da Sakura e do Sasuke. Talvez por terem bebido mais que o normal.

- Tchau até amanhã – Lee acenou voltando a se sentar indo conversar com a sua amiga que estava sozinha bebendo.

~ De manhã em frente ao Hospital Seattle Grace as oito e treze da manhã (08:13) ~

E lá estava Hinata, Kakashi e Naruto de óculos escuro e mais de sete litros de água. Parecia que não bebiam água a duas semanas de tanta sede que eles sentiam.

- Bom dia família – Itachi saiu de seu carro Porsche Boxster Spyder o carro esportivo alemão custa quatrocentos e oitenta mil reais. Um esportivo bruto. Não existe um jeito melhor de definir esse carro, que foi lançado no início do ano em mercados internacionais. Depois de sentado no banco do motorista ou do passageiro, não pense em ajustá-lo por botões elétricos. A distância do assento e a altura do volante são definidas manualmente, como em populares. É o preço que se paga para cortar trinta quilos de peso. Os bancos são mais leves e envolventes e seguram os passageiros mesmo nas curvas mais fechadas. Para sair do carro, basta puxar as fitas que substituem as maçanetas internas afinal, elas são mais leves do que as peças com as quais estamos acostumados. A posição de dirigir também é mais baixa. Então, coloque o alongamento em dia antes de entrar em um carro desses. O carro foi nomeado o segundo carro mais bonito do mundo, apenas perdendo para o Ferrari 458 Itália.

- Bom dia pra quem? Me diga. Está tudo uma merda. O Sol está a queimar minhas retinas, minha cabeça parece que está estourando, eu estou com uma puta sede, eu não lembro da metade do que aconteceu ontem. Sem contar que está um puta sol e um calor do caralho – Naruto estava estressado por conta do sol que ultrapassava o óculos escuro.

- Calma, eu trouxe aspirina, café e um doce estressadinho – Itachi pegou uma sacola no banco de trás de seu carro entregando para o interno.

- Obrigada. Você está me salvando – Naruto pegou a cartela de aspirina pegando logo sete comprimidos e entregando o resto para seus amigos.

- Sua cara está péssima. Quando tempo você dormiu? – Itachi sorriu caminhando até o loiro.

- Cinco horas e cinquenta e nove minutos. Por culpa desse mala sem alça ridículo que se chama Kakashi Hatake eu não pude completar seis horas de sono – o loiro abraçou o médico na intenção de esconder seus olhos do sol forte.

- Ninguém mandou ficar vomitando a noite toda e fazer birra para tomar banho – Kakashi coçou seus olhos morrendo de sono.

- Eu quero arrancar meus olhos fora, preciso de um bisturi, urgente – o loiro continuava abraçado com Itachi morrendo de dor de cabeça.

- Meus irmãos já chegaram? – Itachi apoiou sua cabeça na cabeça do loiro.

- O Madara, o Obito e o Shisui sim. O Sasuke é o único que não chegou – Hinata se sentou no chão acabando mais um garrafa de água.

- Ele nunca chega atrasado deve ter acordado atrasado ou alguma coisa do tipo – Itachi ficou sentindo o cheirinho de laranja do cabelo de Naruto.

- Vamos entrar, ai tu me paga um café e um pedaço de bolo com muito chocolate – Kakashi puxou o Médico e seus amigos pelo braço até a refeitório do hospital.

- Por que eu? – Itachi queria voltar para o abraço de Naruto e ficar ali por algumas horas.

- Porque você é rico e tem dinheiro – Kakashi puxou a cadeira para sua amiga se sentar. Cavaleiro ele.

- Bons argumentos. Vai ser quatro bolinhos e três cafés? – Itachi puxou a cadeira para Naruto se sentar meio que copiando os atos do Kakashi.

- Não, vai ser seis bolinhos e cinco cafés, tem a Sakura e o Lee também. Dos cinco cafés dois tem que ser fraco com muita açúcar outro sem açúcar e bem forte e o outro forte e com muita açúcar, o seu tu pede de acordo com seu gosto por café. Pro bonito ai você traz café agora para nois amigo dele você simplesmente esquece – Kakashi já não sentia a dor de cabeça e podia falar sem se irritar com sua própria voz.

- Ah desculpa, amanhã eu trago café do Starbucks para as madames, ai vocês anotam em um papel o que vocês querem e entrega na sala vinte seis no nono andar que eu trago sem problemas – Itachi revirou seus olhos com um belo sorriso nos lábios andando até o balcão cercado de doces, pães e sobremesas.

Lee entrou no enorme refeitório com um óculos escuro e com uma garrafa de água nas mãos andando até seus amigos e parceiros de trabalho.

- Olha quem chegou Rock Lee. – Hinata tirou os óculos com um sorriso nos lábios.

- Não boba, aqui é um agente do FBI disfarçado, mas que bom que está acreditando que eu sou o Rock Lee, meu nome de verdade é Allan Sandler, mas que bom que você não sabe, então continua me chamando de Rock Lee – Lee se sentou acabando com a água que havia na sua garrafa em menos de trinta segundos.

- Acordou de mal humor também? – Naruto olhou para seu amigo enquanto bebia o seu café.

- Sim, acordei hoje com os olhos queimando minha audição aguçada demais uma merda de dor de cabeça infeliz e uma puta sede. Parece que tem uma faca no meio da minha cabeça que fica rodando e rodando. – Lee pegou a cartela de aspirina em cima da mesa pegando os últimos comprimidos enfiando em sua boca.

- Nunca mais eu tomo cocoroco nunca mais mesmo – Hinata fez um coque em seus fios negros.

- Cadê a Sakura? Ela é a única que não chegou – Kakashi olhou bem todos ali sentado na mês sentindo a ausência de sua amiga.

- Gente olha disfarçadamente para a porta e você verá ela abraçando e beijando o Sasuke – Naruto apontou para a porta até tirando seus óculos escuro para poder enxergar melhor.

- Eu estou chocado. Eu não acredito nisso – Lee ficou de boca aberta chocado com a cena que estava vendo.

- Ela tá vindo para cá, disfarça – Hinata falou com a voz triste pois supôs que Sakura estava tendo um caso com Sasuke, o que significava que todas as chances de ela poder ficar com sua melhor amiga foram para o ralo.

- Mas então, como que foi o resto de noite de vocês? – Kakashi deitou sua cabeça no ombro de Naruto tentando disfarçar seu olhar sobre Sakura.

- Passei a noite vomitando e chorando lembrando do ex – Lee bebia mais água olhando com desprezo para Naruto.

- Nossa que vida. Eu passei meu restinho de noite deitado na minha cama – Naruto sorriu finalmente sentindo o alivio de seus olhos não estarem ardendo perante a luz e a claridade.

- Teu cu. Você ficou deitado no vazo vomitando e ainda fez gracinha para ir tomar um banho – Kakashi ficou indignado com tamanha mentira.

- A história é minha eu conto a parte que eu quiser, eu invento a parte que eu quiser então cala a boca – Naruto mostrou a língua para seu amigo.

- A minha noite foi melhor do que vocês tudo – Sakura se sentou na cadeira com um sorriso bobo nos lábios.

- O que que aconteceu pra a bonita estar parecendo que fumou noventa quilos de maconha? – Lee perguntou tirando seus olhos ainda se adaptando a luz.

- Eu e o Sasuke transamos sete vezes em mais de dez posições e quando eu acordei ele me pediu em namoro – Sakura amarrou seu cabelo em um rabo de cavalo estendendo sua mão logo em seguida mostrando uma aliança com uma pedra de diamante verde que brilhava identicamente ao seus olhos da mesma cor que a joia.

- Sete vezes? – Naruto estava tão perplexo que ficou de boca aberta.

- Eu fico feliz por vocês, quero ser a madrinha do casamento – Hinata estava mentindo, ela queria matar o médico que agora era namorado de sua melhor amiga.

- Mas e o chefe? De acordo com a regra vinte e quatro parágrafo único diz que “É proibido manter relações amorosas dentro do hospital com pacientes, médicos e enfermeiros. Caso isso venha a ocorrer, o culpado terá suas deveras punições” – Lee falava olhando para o livrinho de regras que ele sempre levava em seu bolso.

- O Sasuke é filho do dono então eu acho que isso não se aplica a mim e a ele. Imagina, eu Sakura Haruno me casando com ele e me tornando Sakura Uchiha, ai que sonho. E no livro diz “Dentro do hospital” eu posso sair a hora que eu quiser para dar uns pega nele – a rosada estava severamente apaixonada, talvez um pouco iludida.

- Cheguei e já sei de tudo. Meu irmão finalmente tem uma namorada, que orgulho. Achei que aquele pedaço de mal humor ia ficar solteiro até minha morte – Itachi colocou os cinco cafés em cima da mesa junto com os bolinhos que era de chocolate.

- As notícias corre rápido aqui – Kakashi pegou o seu café sentindo o aroma de cada grão torrado e amassado para fazer aquele delicioso café.

- Ai eu tô tão feliz – Sakura pegou um bolinho tirando os granulados de cima do bolo.

- Parece que vai todo mundo vai namorar e eu vou servir de vela, vocês apostam quanto que isso vai acontecer? – Hinata fez uma cara feia olhando para o teto.

- Não é só você não minha querida. Faz tanto tempo que eu tô na seca – Naruto bebia o café olhando para sua mão.

- Prazer, água – Itachi tentou dar em cima de Naruto.

- Eu falei que tava na seca, não com sede – Naruto olhou com deboche para o médico.

- Nossa depois dessa eu chorava por uns noventa meses – Lee começou a rir alto chamando a atenção de todos ali presente.

- Eu juro que farei de tudo para te conquistar Naruto. Eu irei viajar por todo o país em busca do presente certo para você. Eu farei você me amar nesses trezentos e sessenta e cinco dias. – Itachi estava falando sério.

- Eu quero um macho desse. Se o Naruto não te quiser até lá, eu estarei à sua espera querido – Kakashi sorriu achando fofo o que o médico disse.

- Bom dia gente – Sasuke se sentou ao lado de sua “namorada” dando um beijo com uma certa pegada na rosada.

- Bom.... – Naruto não conseguiu terminar sua fala.

- Dia.... – Lee terminou a frase dita pelo seu amigo de boca aberta.

O silencio estava pairando naquela mesa. Ninguém conseguia falar nada e nem tinham a coragem certa para falar por conta de ter que ver Sasuke e Sakura se beijando.

- Meu Deus, isso daqui vai virar um pornô, dá para parar pelo amor aos meus olhos – Gaara chegou de penetra se sentando ao lado de Lee. Os dois se separaram por conta da falta de ar e pela interrupção de Gaara.

- Obrigado, estou te devendo uma. Eu não conseguia falar nada e tinha que ver esses dois se beijando. Eu preferia ainda estar com meus olhos sensíveis a luz para não ver isso de forma nítida – Lee falou com um tom de alivio.

- Eu preciso de um remédio que apague minha memória – Naruto fechou seus olhos com força tentando apagar naturalmente essa memória.

- Esse povo é tudo fresco. Crianças vamos? Hoje temos muito trabalho. Sábado cheguem cedo pelo amor de Deus, eu odeio atrasos ainda mais final de semana. Me esperem em frente a sala nove e não entrem enquanto eu não chegar – Sasuke falava em seu clássico tom de tedio.

- Sim senhor – todos os internos pegaram seus cafés e seus bolinhos e se levantaram saindo do refeitório. Na mesa só ficou Gaara e Itachi comendo seus bolinhos.

- Eu preciso conversar com vocês urgentemente. Eu tô lascado o pai vai me matar – Sasuke finalmente deixou a sua expressão de espanto aparecer.

- O que que você aprontou agora – Gaara continuava a comer seu bolinho sem se preocupar com o que podia vim.

- Vocês sabem da Kelly né? A ruiva alta de olhos verdes sempre de vestido e salto que vai na minha sala de ginecologia quatro vezes por mês? – Sasuke estava tão desesperado que sua respiração estava ofegante.

- Sei sim. Ela é a bonitona que tem mó cara de metida – Itachi bebeu um pouco de seu café.

- Bom, mês passado, a gente transou na minha mesa e eu estava sem camisinha então fui normalmente só que eu gozei fora. Ai ontem o pai me chamou para conversar lá fora e quase me matou porque ela está com suspeita de gravidez ai ela fez dois testes e deu positivo. E hoje quando acordei eu pedi a Sakura em namoro e não sei como terminar, ela só é boa de transa, fora isso ela é muito melosa. Ou eu terei que assumir o filho da Kelly ou eu dou o dinheiro para ela abortar. Enquanto a Sakura eu vou terminar daqui uma semana e falar esses negócios de o problema é eu – Sasuke falou baixinho como se fosse um segredo.

- Ah mas você tá lascado. A Kelly é casada, o marido dela tem ejaculação precoce ou seja eles só tem relações sexuais de dois em dois meses porque ele tá fazendo o tratamento e se ele fizer um teste de DNA e descobrir que o filho não é dele, você e ela vão conhecer o Diabo de pertinho – Itachi esbugalhou seus olhos não acreditando no que seu irmão havia acabado de falar.

- Eu sei, o pai brigou comigo por causa disso, me deixou de castigo. Ou seja sem festinha e sem eu ir pro bar até eu resolver esse problema. Só que eu não sei o que fazer, ela quer ter o filho – Sasuke quase chorava ali mesmo.

- Oferece dinheiro. Fala que você vai dar uma quantia alta se ela abortar e não contar para ninguém – Gaara deu a solução como se fosse a coisa mais fácil do mundo convencer uma mulher de abortar seu filho.

- Eu vou fazer isso valeu pela solução meio merda – Sasuke se levantou colocando seu jaleco e correndo até a sala de numeração nove. Chegando lá ele viu seus internos sentados no chão conversando sobre um assunto qualquer.

- Vamos se levantem. – o médico ajustou o seu estetoscópio em volta do pescoço e posicionou sua mão na maçaneta da porta.

Os internos se levantaram rapidamente, menos Sakura que sentia dor em seu quadril por causa da noite anterior. O Uchiha deu um sorrisinho de lado abrindo a porta e adentrando a sala com uma prancheta nas mãos.

- Bom dia senhora Osamu bom dia senhor Osamu, eu sou o doutor Sasuke Uchiha e eu vou fazer o seu parto de seus gêmeos. Esses são meus internos. Se apresentem por favor – Sasuke sorriu para a jovem moça que tinha uma barriga enorme.

- Eu sou o Naruto Uzumaki

- Sakura Haruno

- Kakashi Hatake

- Rock Lee mas pode me chamar de Lee

- Hinata Hyuga - Todos acenaram com um belo sorriso.

- É um prazer conhecer você, eu me chamo Helena Osamu e esse é meu marido Dazai dá “oi” querido, não seja tão mal educado – a jovem de cabelo azul ciano sorriu e cutucou seu marido que estava focado com o olhar em Naruto.

- Oi gente. Com licença mas você é filho do Minato? – Dazai tinha que fazer tal pergunta, não estava aguentando manter aquela pergunta em sua mente.

- Dazai! Pelo amor de Deus – Helena deu um belisco no braço de seu marido o chamando a atenção.

- Está tudo bem, não se preocupa. Sim eu sou filho da Minato Namikaze, o filho único, eu acho – Naruto não se importou em responder a pergunta um tanto invasiva.

- Você se parece demais com seu pai. Ele é meu vizinho, tem mais dois filhos com a Samantha, a esposa dele. Mas ele vive me falando de você. Os filhos dele que se chama Akira e Gohan se parece demais com você. O mais velho que é o Akira está na faculdade de medicina também, ele só é dois anos mais novo que você e o mais novo está fazendo advocacia hospitalar – Dazai sorriu notando as maiores semelhanças que Naruto tinha com Minato.

- Ele tem mais dois filhos – aquilo foi um choque para Naruto que sua pressão baixou e ele teve que se sentar para não cair ali mesmo. Saber que seu pai que ele não via a mais de quinze anos era vizinho de seu paciente e que ele estava casado e que ele.

- Olha você e essa tua boca de jacaré quase matou o menino, fica calado da próxima – Helena olhou feio para seu marido.

- Me perdoe Naruto, eu achei que você sabia – Dazai coçou sua nuca se sentiu culpado.

- Eu vou fazer uma breve explicação. A Helena tem dois úteros ou seja, tem um bebê em cada útero e eu quero que Hinata e Lee auxiliem na cirurgia, Naruto e Kakashi vai pra sala quarenta e dois que tem outro caso e você Sakura tem um especial para você na sala noventa e três. Alguém leva o Naruto pra tomar água que ele tá branco que nem farinha de trigo – Sasuke teve que interromper aquela conversa para adiantar seu trabalho.

- Vamos Naruto – Kakashi pegou a mão de seu amigo o puxando para fora da sala caminhando com ele até o banheiro masculino mais próximo.

- Ele está aqui Kakashi, ele tá aqui. Puta que pariu! – Naruto entrou no banheiro sentindo uma imensa vontade de chorar e bater na cara de seu pai.

- Calma Naruto, pode não ser ele e o Dazai está louco – Kakashi tentava amenizar a situação como um profissional.

- Não! Ele não está. Eu passei anos sem ter um pai. Ele nem deve saber do que eu gosto. Eu achei que ele estivesse morto ou algo do tipo mas não, ele está aqui e nem sequer ligou para saber se eu estava bem ou no dia do meu aniversário me desejando parabéns – Naruto deu um soco no espelho tentando ao máximo se conter para não chorar, ele não era de chorar facilmente.

- Olha segura a onda tá me entendendo. Você nunca precisou dele pra nada, não é agora que você vai precisar. Eu sei que tu sente saudades e simultaneamente sente raiva por ele ter ido embora mas você não vai chorar por coisa boba me entendeu? Você é forte e conseguiu sobreviver sem ele por quinze anos– o platinado falava segurando os ombros do amigo e falando no seu tom mais sério.

- É.... obrigada por sempre me ajudar e guardar meus segredos – o loiro abraçou seu amigo sentindo um grande alivio.

- Eu sei, eu sou incrível. Agora anda lava esse rosto ou eu te faço cócegas – Kakashi sorriu para seu amigo se separando do abraço.

- As cócegas são rápidas respostas a situações de perigo que o homem adquiriu para defender-se, são reações de pânico. Quando algum inseto tentava escalar as pernas do homem de antigamente, eram as cócegas que o faziam perceber e expulsar o bicho. Ou seja se você fizer cocegas em mim eu vou chorar de rir e propositalmente irei chutar sua barriga em forma de defesa – Naruto abriu a torneira sentindo a água fria bater contra sua mão.

- Me conte mais Sherlock Holmes – Kakashi colocou seu dedo indicador em seu buço fazendo uma expressão de deboche.

- Claro madame. Não é possível fazer cócegas em si mesmo (propositalmente) porque o cérebro prevê os movimentos antes mesmo que aconteçam, não provocando a sensação de perigo e pânico que incita as cócegas. Quando alguém nos toca, o corpo reage, tornando-se tenso. Porém quando tocamos o próprio corpo, ele não demonstra reação. Feliz em saber um pouco mais madame? – Naruto passou a água gelada em seu rosto ainda mantendo seu sorriso.

- Que legal saber. Vamos ver para o que eu usarei tais informações dada por você.... – Kakashi fez uma expressão pensativa. – Eu acabo de chegar à conclusão que pra porra nenhuma.

- Esquece, vamos logo antes que eu acabe falando para você aonde você vai ter que usar essas informações. – Naruto secou seu rosto e deu um soco de leve no ombro de seu amigo platinado.

- Vamos que eu tô afim de saber com que caso a gente vai ficar. Eu achei uma grande injustiça, só porque a Sakura é a nova namorada dele ela vai ficar com o especial – Kakashi abriu a porta pra Naruto passar.

- Esquece isso também, a gente vai pegar um tanto de cirurgia legal se nois ficar com o Itachi. Logo, logo você, a Hinata e o Lee vai começar a namorar e eu vou ficar aqui sozinho e de vela – Naruto passou pela porta sentindo o ar mais fresco.

- Eu acho que você não escuta quando eu falo que ninguém é digno de ficar com uma pessoa tão bonita como eu. Tu acha mesmo que eu não vi o Itachi dando em cima de você e tu dando o fora nele? – o platinado fechou a porta acompanhando seu amigo até a sala quarenta e dois.

- Ele falou brincando, deixa de levar tudo na malicia, seu ótario feio – Naruto sorriu ajustando o seu crachá e seu rádio comunicador.

- Me chame de lerdo, ótario, lesado, trouxa, corno entre outras coisas mas não me chame de feio porque feio é uma coisa que eu não sou, olha a minha beleza viado, te faz chorar com tamanha perfeição – Kakashi deu uma voltinha passando a mão em seus fios cinza.

- Não irei te responder – Naruto riu de seu amigo.

- Bom mesmo – Kakashi abriu a porta numerada vendo uma mulher de meia idade de olhos verdes e brilhantes e o superior deles conversando com a mulher.

- Gente essa é a Karin, ela deu entrada ontem no hospital por volta de uma da manhã com forte dores de estomago, vômitos constantes e colite. Vamos ajudar ela. Karin esse é o Kakashi Hatake e Naruto Uzumaki. – Sasuke sorriu falsamente apresentando seus internos.

- É um prazer conhecer vocês – Karin sorriu acenando para os jovens internos. O médico e a paciente ficaram conversando por alguns minutos até Naruto interromper.

- Com licença doutor, posso falar uma coisa em particular com você doutor? – Naruto levantou sua mão querendo falar o mais rápido possível com o médico.

- Claro, vamos lá fora Naruto – Sasuke abriu a porta esperando Naruto lá fora.

- Cuida dela Kakashi – Naruto sorriu passando pela porta e a fechando dando de cara com o médico que o olhava com uma expressão de impaciência.

- Fala logo Naruto, a mulher está querendo ir embora logo tadinha – Sasuke cruzou seus braços falando baixinho.

- Mas o senhor não percebeu que os olhos dela está inchado e que ela está com dificuldade em fechar o olho? Os olhos dela parecem pesados – Naruto estava avisando o médico com uma expressão de como se fosse obvio.

- Não eu não percebi. Desde que eu cheguei não percebi nada de diferente – Sasuke achava que Naruto estava ficando louco. Repentinamente um barulho foi ouvido e vinha do quarto quarenta e dois. Ataque cardíaco. Quando se era ouvido aquele som exasperante tocava, só podia ser uma coisa, e era ataque cardíaco.

- Meu Deus – Naruto foi o primeiro a entrar vendo seu amigo fazendo uma massagem cardíaca na paciente agora desacordada.

- Ataque cardíaco e perca súbita de visão – Kakashi continuava com a massagem cardíaca tentando a reanima-la.

- É Naruto você estava certo – Sasuke rapidamente foi aplicar Nitroglicerina nas veias de sua paciente.

- O problema é nos olhos dela – Naruto observou os olhos da paciente que só inchavam e lacrimejavam de acordo com o tempo perdido por eles.

- Temos uma pressão atrás dos olhos de em média de oitenta e cinco milímetros de mercúrios (mmHg) teremos que arranca-los – Sasuke abriu os olhos de Karin os observando ficando vermelho.

- Não temos tempo de ir para a ala cirúrgica – Naruto pegou um kit de primeiros socorros dentro da caixa ao lado da cama hospitalar e pegando o primeiro bisturi ali.

- Isso mesmo, vamos rápido com isso. – Sasuke fechou as persianas vestindo as luzas de cor azul, a sua touca de pato e sua máscara branca.

~ Depois de uma hora ~

- Nos desculpe pelo atraso. Tivemos um– Naruto entrou na sala número quinze sendo acompanhado de Sasuke e Kakashi.

- Me fale que tipo de imprevisto Naruto? Me apresente o caso se for verdade – Iruka estalou seus dedos sentindo raiva por ser interrompido.

-Ah claro. Karin Leehyung, de trinta e dois anos, deu entrada aqui por volta das uma e vinte e sete da manhã na terça feira no caso hoje. Devido a dez dias de fortes dores de estômago, vômitos e diarreia com sangue no caso a colite. Durante uma conversa em particular minha com o doutor Sasuke, Karin começou a inchar, causando uma súbita perda de visão e um ataque cardíaco. Começamos a fazer massagem cardíaca e aplicar ampolas de remédios. A pressão atrás dos olhos de Karin era em média oitenta e cinco mmHg. O doutor Sasuke com a minha ajuda e a do Kakashi tivemos que cortar fendas pelos olhos para destacar as pálpebras e tentar abrir a cavidade ocular para reduzir o inchaço. O inchaço começou a diminuir após a remoção dos ossos orbitais e o recebimento de mais de mil miligramas de esteroides. Karin está sedada e mais testes foram feitos. Karin foi testada para que sua visão voltasse pelos próximos quatro dias. É improvável que ela volte a ver sombras de luz. Eu acredito que o fluxo sanguíneo para o nervo óptico foi comprometido, danificando gravemente um nervo e destruindo completamente o outro. Seu olho direito experimentou o que no cérebro seria semelhante a um acidente vascular cerebral, destruindo seu nervo óptico e causando graves danos ao a retina. A pressão substancial nos dois olhos esticou o nervo óptico, separando-o completamente do olho direito e comprometendo-o além do reparo no esquerdo. Esta não é a primeira vez que Karin experimenta esse inchaço horrível. Em julho do ano passado, essa mesma doença misteriosa custou a Karin seus sentidos do olfato e do paladar. Agora, ela perdeu o senso de visão. Não houve diagnóstico para determinar a causa desse evento. – Naruto teve que explicar tudo que tinha acontecido para que não fosse punido.

- Está tudo bem, se sentem e você Sasuke, seu pai está querendo falar com você – Iruka bebeu um pouco de água apontando para Sasuke.

- Eu vou ir lá – Sasuke revirou seus olhos fechando a porta indo em direção ao elevador para subir até o último andar e encontrar seu pai e talvez levar uma bronca. Perdido em seus pensamentos ele nem percebeu que o elevador estava de portas abertas apenas com uma enfermeira muito bonita lá.

- Bom dia doutor Sasuke – a garota de cabelo castanho sorriu mordendo seu lábio inferior.

- Bom dia Christina, como vai? – Sasuke entrou no ascensor de tamanho mediano apertando o botão metálico que indicava o último andar.

- Bem e o senhor? – a garota olhava o médico de cima a baixo como se ela fosse um leão faminto e ele um pedaço de carne bem suculenta.

- Melhor agora – Sasuke se virou dando um beijo quente e selvagem na garota finalmente matando sua fome com seu lábios.

As portas se abriram e ele separam seu beijo rapidamente e Sasuke saiu do elevador limpando seus lábios vermelhos por conta do beijo que havia acabado de dar. O médico deu duas batidas na porta do escritório de seu pai ouvindo um “entra”. Ele respirou fundo duas vezes para dar uma acalmada em seus nervos e abriu a porta vendo seu pai sentado em sua cadeira com um check nas mãos e talvez sua futura esposa ali em pé, como sempre bem vestida.

- Vamos Sasuke, se sente. Temos que fazer um acordo o mais rápido possível – o homem de cabelo grisalho por conta da idade apertava a ponta da caneta repetidamente causando um click insuportável.

- Que tipo de acordo? – Sasuke fechou a porta se sentando ao lado da ruiva de olhos penetrantes.

- O obvio meu filho. Você tem três opções ou você assume esse filho, ou você dará parte do seus salario para ela todos os meses até essa criança completar dezoito anos ou tu paga a quantia mais alta que você tiver para ela. Você decide – Fugaku continuava a apertar o botão da caneta várias vezes deixando seu filho primogênito receoso.

- Eu prefiro pagar certa quantia do meu salário – Sasuke falou a primeira coisa que veio em sua mente.

- Então será assim Kelly? – Fugaku soltou a caneta desviando o olhar de seu filho e o direcionando para a mulher.

- Por mim tudo bem – a ruiva sorriu jogando seus fios ruivo para atrás do ombro.

- Então assim será feito. Como você está de duas semana, o normal é que o aborto seja feito entre a sexta a decima segunda semana, então você tem que fazer o retorno aqui no dia dois de julho e o Sasuke vai avaliar o tamanho do feto não é meu filho? – o homem olhou para seu filho com uma expressão de raiva.

- Claro que eu olharei com a ajuda de meus novos internos – Sasuke entendeu o que seu pai queria dizer.

- Muito obrigada mesmo senhor Uchiha. Agora eu já tenho que ir, hora marcada no cabelereiro e eu não posso me atrasar – Kelly se levantou colocando sua bolsa no seu antebraço com um sorriso branco.

- Claro querida, o check cairá na sua conta amanhã mesmo – Fugaku se levantou abrindo a porta para a mulher.

- Obrigada novamente. Tchau Sasuke, tchau Fugaku – a ruiva acenou saindo da sala.

- Tchau – o primogênito passou a mão em sua testa pensando na burra que fez.

- Sasuke meu filho, será que você não consegue manter esse pinto seu quieto por um segundo? Deixa eu receber mais uma reclamação sua para você vê o castigo que eu te coloco. Tu não sabe encapar essa sua caneta bic não? - Fugaku passou a mão em sua testa.


Notas Finais


tá uma merda


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...