História My human heart - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Como Treinar o seu Dragão
Personagens Astrid, Banguela, Bocão, Cabeçadura Thorston, Cabeçaquente Thorston, Fúria da Noite, Melequento, Mosca da Tempestade, Perna-de-Peixe, Personagens Originais, Soluço, Stoico, Valhallarama
Tags Banguela, Dia, Dragões, Hiccstrid
Visualizações 133
Palavras 2.806
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Apaziguando


Dois anos depois....


Soluço pov:



Depois daquele dia eu nunca mais retornei a Berk – o motivo eu não sei direito até hoje –, Banguela me contou a história sobre Morte-Rubra e como ela obrigava os dragões a roubarem comida de Berk. Então eu e ele juntos enfrentamos Morte-Rubra e a matamos. Hoje vivemos explorando novas ilhas e conhecendo novos dragões.


Eu mudei muito nesses dois anos... 

Ultimamente estou em guerra com um caçador de dragões chamado Viggo. Eu me tornei um ótimo guerreiro por causa disso. E por sorte tenho vários amigos dragões que me ajudam nessa guerra.


No momento eu estou tendo uma pequena briga com Banguela por ele ter pego meu tubo de projetos ( um pote cilíndrico que eu guardo papéis com esboços de projetos ) e eu estou na forma de dragão tentando pegar isso dele.

Soluço : “ Ei, me devolve isso agora! ”-

Banguela : “ Não... Amenos que você me traga peixe extra para comer hoje.”-

Às vezes é um droga ser o encarregado de arranjar o comida, pois o Banguela faz de tudo para ganhar peixe extra.

Soluço : “ A, nem pensar... Agora me devolve isso. Esses projetos são importantes.”-

Pulei em cima do Banguela e começamos a bater um no outro com as patas. O cilindro estava na boca do Banguela e eu estava tentando dar uma patada na cara dele para tentar fazê-lo soltar.

Dia : “ Parem agora vocês dois. Parecem dois bebês.”-

Ah, esqueci de mencionar, essa é a Dia, ela é uma fúria da luz ( basicamente a fêmea do fúria da noite ) nós a encontramos uns meses depois de sairmos de Berk.

Eu, o Banguela e a Dia temos a mesma idade, porém de mentalidade eu e o Banguela somos meio "crianças". Entre nós três a Dia é a mais certa por assim dizer..... Nós somos uma família e estamos sempre unidos. Os dois são como irmãos para mim.. embora o Banguela e a Dia estejam começando a ter um relacionamento um pouco mais romântico se é que me entende.

Dia : “ Banguela, devolva agora os projetos do Soluço.”

Banguela : “ Ah, que saco.... * Entrega o cilindro*.... Mas eu ainda posso ganhar peixe extra?- Fala com cara de cachorrinho pidão.

Soluço : “ Não... Isso é para o seu próprio bem!.”

Banguela : “ Aff...”-


Voltando a falar de mim.... Quando eu fui embora de Berk consegui curar meu braço, mas ficou uma cicatriz enorme nele, hoje eu acho que essa cicatriz até que ficou bem legal. Mais legal ainda é que quando eu fico na forma de dragão essa cicatriz permanece na minha pata dianteira direita, mas por causa da minha coleção negra e escamas a cicatriz fica um pouco apagada.... Outra coisa que também mudou em mim foi que quando eu e Banguela matamos Morte-Rubra eu perdi meu pé esquerdo, então na forma humana eu uso uma prótese lá. O interesse é que quando eu fico na forma de dragão minha pata traseira esquerda volta ao normal, a única diferença é que agora ela tem uma coloração cinza-escuro, e eu achei isso bem legal também.

Soluço : “ Eu vou, fazer uma pequena viajem, e vou voltar só em alguns dias.”-

Dia : “ Por que vai fazer uma viagem? ”-

Soluço : “ Eu quero ver se acho algumas ilhas novas que tenham os ingredientes para o antídoto da raiz de dragão.”-

Banguela : “ Agente vai com você. Isso pode ser perigoso.”-

Soluço : “Não precisam ir comigo eu sei me cuidar.”-

Banguela : “ Falou o maluco suicida. ”-

Soluço : “ Eu não dou suicida. ”- Falo um pouco irritado.

Dia : “ É sim.”

Soluço : “ Tá, talvez eu seja um pouco suicida, mas saiba que isso se chama ancia por adrenalina!.... E além do mais, eu também quero explorar algumas civilizações humanas para ver se aprendo alguma coisa.”-

Dia : “ Ok então... Mas vê se toma cuidado com essa sua "ancia por adrenalina" pra não acabar morrendo.”-

Banguela : “Perai.. agente vai mesmo deixar ele viajar sozinho!?”-

Soluço : “ Banguela não precisa se preocupar, eu vou ficar bem...... Além do mais, você vai poder passar um bom tempo sozinho com a Dia.”- Falo a última parte em um sussurro para só o Banguela ouvir. 

Banguela : “ Ok... Quando você vai partir? ”-

Soluço : “ Bem, eu pretendia ir agora. Aproveitar que está anoitecendo e eu posso me esconder na escuridão. ”-

Banguela/Dia : “ Mais já!? ”

Soluço : “ É ué... Aproveitar pra ir antes que vocês mudem de ideia de me deixar viajar sozinho.”-

Banguela : “ Faz sentido.”-

Soluço : “ Bem.... Então já vou indo......... Tchau.”-

Banguela/Dia : “ Tchau.”


~•~•~•~•~


Voei algumas horas até achar uma ilha que aparentemente tinha as coisas que eu queria achar para o antídoto da raiz de dragão.

Como ainda estava de noite eu apenas entrei em uma caverna e adormeci.


No dia seguinte eu saí da caverna, fiquei na forma humana e fui pegar os ingredientes do antídoto. 

Mas do jeito que sou sortudo, minha paz acaba durando pouco pois alguém atirou uma rede em mim. E depois alguns vikings aparecem e me saem me arrastando.

É.. parece que essa ilha já tem donos.


Eles me trouxeram até a aparente praça da vila... E agora devem vir às perguntas....

Viking 1 : Quem é você?- Diz pondo um machado em minha garganta.

Soluço : Calma, eu não sou inimigo.-

Viking 2 : O que está fazendo aqui em Teseck?-

Soluço : Teseck?... Eu apenas estava a procura de algumas ervas medicinais.... Nem sabia que esse lugar era habitado por outros vikings.

Viking 1 : Como veio parar aqui?

Soluço : Vim com um pequeno barco.. mas ele acabou naufragando.-

Ainda bem que já tenho uma desculpa pronta hehehe.

??? : O que está acontecendo aqui?

Um viking mais autoritário e bem forte chegou abrindo espaço. 

Deve ser o líder ou alguém bem importante nessa vila.

Viking 2 : Nós encontramos ele na floresta meche no mato.

Soluço : Eu não estava mechendo no mato. Estava pegando um ingrediente para fazer um remédio!

Viking 1: Calado.... Eric, o que faremos com ele?- Diz para o aparente chefe.

Eric : Chame meu filho e seus companheiros.- Ele fala sorrindo um pouco cínico olhando para mim.

Um dos vikings sai. Depois de um curto período de tempo ele volta com três jovens. Dois garotos e uma garota.

Eric : Ivair.. meu filho!.... Tenho uma tarefa para você. Considere como um treinamento para tomar o meu lugar como líder no futuro!...... Você tem que vigiar esse estrangeiro e tentar descobrir os seus motivos de estar aqui. Orelhudo e Ingrid podem te ajudar se quiserem .

Ótimo, agora vou ter babás. 

Ivir : Você tem armars. Me entregue elas.- Fala tirando a rede de mim com brutalidade.

Sem ter muita escolha eu entrego a ele todas as minhas armas.

Orelhudo : Qual é o seu nome?-

Soluço : Soluço.. muito prazer.-

Ingrid : Vamos levá-lo para a cabana.-

Essa tal de Ingrid. Era uma garota magra – porém forte – com babelhos marrons, olhos negros e pele morena

Orelhudo, cabelos negros, olhos cor de mel, pele branca com certeza mais musculoso que eu.

Ivir, cabelos ruivos e encaracolados, olhos azul claro, pele bem branca e não é tão musculoso quando Orelhudo mas é mais musculoso que eu.

~•~•~•~•~


Estou em dentro de uma cabana, e a primeira coisa que percebi aqui são os ossos da cabeça de um dragão. O que me faz concluir que esse povo ainda caça dragões e vai ser bem difícil pra mim sair daqui com o que eu quero.

Ingrid : Então, Soluço.. de onde você é?-

Soluço : Sou de Berk.

Orelhudo : Aquele lugar que vive em contante ataque de dragões!?

Ivir : Orelhudo o foco não é esse.-

Orelhudo : Tá desculpa.-

Ivir : Se você é de Berk, por que não está lá?- Fala se direcionando a mim.

Soluço : Eu fugi.-

Ingrid : Por que você fugiu?-

Soluço : Eu não me encaixava lá.

Orelhudo : Então.. conte-nos sua história.

Soluço : Tudo bem então..... Lá em Berk matar um dragão era tudo pra nós.

Ivir : Aqui também é assim. Até temos um festival de caça ao dragão.

Não me contive e acabei franzindo o cenho com nojo. Eles perceberam mas não comentaram nada então continuei.

Soluço : Eu não tinha jeito para fazer isso. E sempre que tentava uma catástrofe acontecia. Por conta disso eu fui nomeado o pior viking de Berk..... Me chamavam também de 'espinha de peixe falante'. A única que estava sempre do meu lado era minha mãe.

Ingrid : Bem que dizem: 'amor de mãe atravessa muralhas' hahahaha.-

Soluço : Continuando... Eu era fraco e magrelo de mais para um viking, e mal conseguia segurar uma espada direito. E o pior era que o meu pai era o chefe.

Ivir : Seu pai era o chefe?!

Orelhudo : Continua que tá ficando interessante.

Soluço : Por uma merda que eu fiz enquanto tentava matar um dragão, meu pai acabou me colocando no treinamento com dragões.

Nesse momento eu comecei a tirar a parte da armadura que cobria meu braço direito. Depois arregacei a manga mostrando assim minha cicatriz no braço.

Soluço : E depois de isso acontecer eu fugi.-

Orelhudo : Como isso aconteceu?-

Soluço : No teste final do treino. Onde o melhor aluno mataria seu primeiro dragão.-

Ivir : Calma aí... Você era o melhor aluno!?.-

Ingrid : Mas você não disse que era o pior em enfrentar dragões?-

Soluço : Eu era.. mas o que eu estava tentando fazer lá não era matar o dragão.. embora todos esperassem por isso..... Eu estava quase conseguindo fazer o que eu queria, mas meu pai com seu paviu curto e seu martelo estragaram tudo..... O dragão se irritou e quase arrancou meu braço.-

Orelhudo : E como você sobreviveu?-

Soluço : Meu irmão me salvou.

Ivir : Então você tem um irmão. 

Soluço : Na verdade tenho dois contando com esse claro. Mas eles não são meus irmãos de verdade, porém os considero como.-

Ivir : Oh... Então depois disso você fugiu com seu 'irmão'!?-

Soluço : Exatamente. -

Ingrid : Mas como você ficou desse jeito... Digo, você tinha várias armas, então quer dizer que sabe lutar.

Soluço : Quando se tem inimigos é obrigatório saber lutar não é mesmo?!-

Ivir : Então quer dizer que você tem inimigos.-

Eu já avia reposto minha armadura a algum tempo... E depois de ele falar está frase eu tiro meu mapa do bolso da armadura. E abri a mapa na mesa que estava a nossa frente.

Soluço : Um dos meus robs é explorar lugares novos.-

Eu adoro quando as pessoas ficam de queixo caído com alguma coisa impressionante. É isso que eles estão fazendo agora.


Nós conversamos por um tempo sobre as ilhas que eu esplorei e algumas das coisas que eu encontrei nelas... 

Ivir : Faz quantos anos que você fugiu?

Soluço : Dois anos... Quando figi eu tinha quatorze anos, agora estou com dezeseis.

Puta merda esse tal de Ivir tá me encarando. Acho que ele é um daqueles vikings que tem cérebro e começou a ligar os pontos. Ainda bem que se der merda eu posso ficar na forma de dragão e sair daqui. Eles nem vão saber o que atingiu eles.

Ivir : Quando você disse que iria tentar fazer outra coisa além de matar aquele dragão no teste final.... O que você iria fazer.- Pergunta desconfiado.

Quer saber... Foda-se. Eu vou contar tudo..... Quem sabe eu até convenço eles de que dragões não são uma ameaça.

Soluço : Aqui vocês também tem o conceito de que um dragão 'sempre ataca para matar'?-

Orelhudo : Obviamente.Dei um sorriso largo com isso.

Soluço : Então vocês não sabiam que isso é mentira.-

Ingrid : O que quer dizer com isso?- Diz apontando uma espada ameaçadoramente para mim.

Soluço : Os dragões só atacam se se sentirem ameaçados ou forem obrigados.... Exemplo: os dragões de Berk eram obrigados a roubar comida da vila, se não acabavam sendo comidos.

Eles arregalaram os olhos em surpresa.

Orelhudo : E como você sabe disso?

Soluço : Eu sei disso por que eu vi...... Outra coisa que eu vi foi você analisar o ferro da minha espada.

Orelhudo : Eu irei me tornar ferreiro e me interesso por essas coisas. O que achei estranha foi o tipo de ferro que você utilizou. Nunca vi nada parecido.-

Soluço : Isso se chama 'ferro de gronkel', pode ser obtido se você der algumas rochas específicas a um gronkel e depois fazer cócegas na barriga dele. E muito mais forte e leve que o ferro comum.-

Ivir : Acha mesmo que vamos acreditar em você?-

Soluço : Bem, pra mim tanto faz se vocês acreditarem ou não. Mas fazer amizade com um dragão é incrível. Depois que você ganha a confiança de um dragão ele nunca mais vai deixar de ser seu amigo.

Ingrid :E você sabe de tudo isso como?-

Soluço : Ora... Porque eu conheço alguns humanos que já fizeram amizade com dragões. Na verdade eu conheci foi uma civilização humana que faz amizade com dragões.-

Ivir : E como vamos saber se isso não é mais uma blasfêmia de um mercenário?-

Soluço : Se quiserem posso domar um dragão para vocês.

Eles foram para um canto da cabana para descutirem sobre mim. Se eu fosse um humano não escutaria nada. Mas esse não é o meu caso.

Ingrid : Vamos levá-lo para nossa arena e soltar os dragões.-

Orelhudo : Se ele estiver mentindo vai morrer.

Ivir : Isso não vai ser tão ruim, esse cara é muito convencido para o meu gosto.-

Orelhudo : Mas era para agente retirar informações dele. -

Ingrid : Caso der muita merda agente intervem.-

Ivir : Está decidido. Vamos joga-lo na arena com os dragões.


~•~•~•~•~


E aqui estou eu: novamente em uma arena cheia de dragões rancorosos e raivosos.

Aqui só tem os clássicos dragões iniciais: gronkel, nadder-mortal, zíperarrepiante é pesadelo-monstruoso.

Eu joguei as armas que me deram ao chão, fazendo assim os dragões se aproximarem mais  lentamente.

Soluço : Está tudo bem eu não vou machucar vocês.- Falo como um humano, não quero usar minhas habilidades de dragão para isso.

O nadder é o primeiro a se aproximar de mim.... Eu estendo a minha mão para ele, o mesmo recua um pouco, mas após um tempo cede e permite que eu faça carinho em sua cabeça.

Ingrid : Eu não tô acreditando.

Ivir : Quem é esse cara.-

Orelhudo : Será que eu posso chamar o pessoal?-

Ivir : Vai lá.

Orelhudo sai correndo e eu continuo a me aproximar dos outros dragões.


Muitos vikings chegaram e ficaram em volta da arena. Foi um pouco difícil manter a calma dos dragões por causa disso. Mas depois de muito esforço eu consegui ganhar a confiança de todos.

Eu consegui fazer aquilo que queria ter feito em Berk.

Soluço : OS DRAGÕES NÃO SÃO UMA AMEAÇA. Eles apenas atacam para se defender. Se ganhar a confiança deles saiba que terá um amigo para vida toda.

Ivir, Orelhudo e Indrid adentraram a arena receosos junto ao líder que veio logo atrás.

Eric : O que você fez com esses dragões?

Soluço : Ganhei a confiança deles.... Por que vocês também não tentam?-

Ingrid :E como exatamente se faz isso?-

Eu pego o braço dela e guio até o pesadelo-monstruoso em minha frente, fazendo com que a mão dela encostasse no focinho do dragão, e quando o mesmo fecha os olhos em demonstração de confiança eu digo:

Soluço : Agora ele confia em você.


~•~•~•~•~


                              *


Por incrível que pareça, uma coisa que me surpreendeu bastante, o povo de Teseck aceitou os dragões.


Faz apenas duas semanas que estou aqui, e ensinei algumas coisas aos vikings desse lugar. Eles ainda estão se acostumando com os dragões, e eu descobri que o principal motivo deles aceitarem os dragões é para uma guerra que eles tem contra um povo de vikings vizinho que são nada mais nada menos do que piratas e bárbaros ( que por sinal já conferi e eles não estavam mentindo ) e também pelas melhoras de condição de vida que os dragões oferecem. 

Nós fizemos uma aliança que iríamos nos ajudar e deu tudo certo. Tudo está correndo muito bem por aqui, mas agora eu tenho que voltar para os meus irmãos.

Esqueci de dizer que eles ainda não sabem que Banguela e Dia são dragões, e muito menos que eu sou um dragão também.

Eric : Obrigada por tudo Soluço, sua ajuda nos foi muito útil.-

Ivir : Tem certeza que não quer um barco?

Soluço : Tenho sim. Na verdade eu esqueci de dizer a vocês que eu sei voar por conta própria.-

Orelhudo : Como assim?-

Ingrid : O que quer dizer com isso?-

Soluço : Uma coisa que eu nunca mencionei era que eu meio que sou um dragão também.-

Ivir : Como assim?-

Soluço : Eu sou um tipo de dragão diferentes. Tenho a capacidade de ficar na forma humana quando quero.... Mas minha viradeira forma é a de dragão. A minha espécie é conhecida como 'fúria da noite'-

Ingrid : Tá de brincadeira né?-

Eu não digo nada, apenas me transformo, dou um daqueles sorrisos sem dentes e vou embora deixando eles de perplexos e surpresos para trás.










 




Contínua....



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...