História My human - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Jimin, Sugamin, Taetae, Yoongi, Yoonmin
Visualizações 202
Palavras 1.765
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


coe

Capítulo 4 - Human


— Hobi, faz quanto tempo que ele chegou? — Perguntou, colocando, sem querer, a mão dentro da caixa e na coxa do humano.


— Ah, sei lá. Acho que mais de uma hora. — Olhou para o relógio. — Já é sete e cinquenta, deve ser isso mesmo.


— Okay... Então logo, logo ele acorda... Enquanto isso, vamos eh... Preparar a comida e uma roupa pra ele. — Falou meio incerto.


— Ah, eu não. — Resmungou Hoseok, se jogando no sofá. — Você  que quis adotar esse negocio aí, você que se vire com o bonitão, então. — Virou a cara.

   

Yoongi apenas suspirou, sem entender nada. Hoseok não era assim.


— Então o TaeTae ajuda, não é? — O garoto assentiu, sorrindo grande. — Então vai lá na vó e pede um pouquinho de arroz pra ela, já que ontem um certo guloso comeu todo o nosso arroz. — A vó em questão era a sua vizinha e o guloso, bem, certamente não era Yoongi e nem Taehyung.


Tae saiu correndo para fora e Yoongi foi arrumar alguma roupa. O que seria difícil, já que o humano era bem mais cheinho que si. Foi para o quarto e abriu a porta do seu armário e deparou-se com as roupas devidamente arrumadas. — Nada aqui vai servir nele... Oh... — Já sabia o que iria pegar. Pegou, bem no fundo do armário, roupas mais larguinhas, de uma época que fora mais gordinho. — Isso dá certo, pelo menos por agora... — Cheirou as roupas, elas possuíam um cheirinho de flores.


Mesmo elas sendo velhas e ele provavelmente nunca as usaria mais, fazia questão de guarda-las com o maior carinho, já que foram de uma época bastante importante de sua vida.


— YOONIE-AH, ELE ACORDOU! — Hoseok grita da sala, fazendo que Yoongi corresse para lá quase que na velocidade da luz.


E no meio da sala, estava uma pessoa de estatura média, nua, com uma expressão de raiva.


—Hm, olá? — Perguntou Yoongi, com as orelhinhas baixas e quase tremendo de medo. Aquele humano parecia estar o matando apenas com o olhar.


— Que droga de lugar é esse? Onde é que eu tô?


Yoongi engoliu em seco, sorrindo nervoso. Sua calda balançava de um lado para o outro, sempre acontecia isso quando estava com medo ou aflito.

   

O humano de face bonita até demais o encarava com uma face emburrada e cheia de fúria. E conforme o híbrido se aproximava, ficava mais alerta, pronto para derrubá-lo caso qualquer coisa acontecesse.


— Hm, fique calmo, sim? Eu posso lhe explicar tudo, apenas... Vista essas roupas. — Balançou as roupas com as mãos tremulas –como todo o seu corpo- e  o outro as olhou, com um visível desprezo.


Pegou as roupas com brutalidade e as analisou. Yoongi, por costume de sua raça, esperava que o humano simplesmente vestisse ali mesmo a vestimenta. Entretanto, com certo embaraço pela parte do sem orelhinhas felpudas, ele pergunta onde há um quarto onde possa se trocar.


— Ah, vá ao banheiro. Primeira porta no corredor. — Tentara sorrir acolhedor, tentando ao máximo não passar nenhum sentimento negativo ao recém-chegado, mas o que muito provavelmente saíra fora um mostrar de dentes, totalmente nervoso.


O humano logo voltara,  trajando todas as roupas que lhe fora dado. A calça caíra perfeitamente—principalmente o cumprimento, já que ambos, tanto ele quanto Yoongi possuíam uma altura muito parecida. Já a camisa, ficara levemente comprida, ficando nas pontas dos dedos.


— Elas ficaram perfeitas em você... — Yoongi disse, envergonhado. E olhando para o traje do outro, lembrou-se de coisas que aconteceram há alguns anos.


— Hm, de uma voltinha. — Intrometeu-se Hoseok, olhando para o humano com uma cara emburrada, não se perdoaria se ele fosse tão mais bonito que si. O outro logo o fez, dando algumas voltinhas de maneira lenta. Ele não entendia o porquê de estar ali, o fato de haver humanos com orelhas de bichos e rabo e muito menos o fato de estar os obedecendo, mas ainda assim fazia tudo.


O Jung passava os olhos por cada parte do corpo curto do humano, analisando cada parte, e parou em uma em especifico. — Hm, Yoongi hyung, ele veio com defeito. — Apontou para a bunda do outro. — Olha o tamanho dessa bunda desproporcional! — Ficou apontando diversas vezes para aquela área.


— Ah, você acha? — Yoongi o olhou, confuso.


— Ei, dá pra parar de falar de mim como se eu fosse um boneco? — O humano interviu na conversa dos outros dois, os olhando com raiva.


— Ah, sim! Sente-se aqui, por favor. — Chamou-o enquanto se sentava no sofá. Sentaram-se a passaram a se encarar, o humano olhava cada canto do rosto de Yoongi –que se tornava mais corado a cada segundo- enquanto este olhava para as próprias mãos. — Hobi-ah, pode me deixar sozinho com ele, por favor?


— O que?! Deixar você sozinho com esse cara aí? Nem morto! — Cruzou os braços, irritado.


— Hoseok... — Pediu novamente.


— Carinha, não tá vendo que o orelhudinho quer falar a sós comigo? — Inconformado com o novo apelido, as orelhas se abaixam, quase se camuflando na cabeleira. Hoseok, talvez tendo o pensamento movido pelo ciúme, tenha sentindo um leve tom de malícia na voz do outro.


Bufou, quem esse coisinha esquisita achava que era?!


Mas, de qualquer forma, Yoongi era o seu hyung, e se ele lhe desse uma ordem —mesmo que com um ‘por favor’ no final— era obrigado a acatar, mesmo que sob xingos e resmungos. Ou, teria problemas mais tarde com as outras pessoas, que lhe julgariam mal e o tratariam de forma ruim. E elas sempre descobriam, misteriosamente.


— Entendido, hyung. — Reverenciou, mostrando que já estava de saída. Frisara a palavra ‘hyung’ deixando claro que não saíra por causa do humano folgado. — Eu vou ali na vizinha, enrolar Taehyung.


Logo estavam sozinhos, após uma batida consideravelmente forte na porta. Yoongi riu levemente incomodado, já o humano apenas voltara a encarar, fitando-o até demais.


— B-bem, vamos explicar tudo do começo, certo? — O outro apenas respondeu um melódico ‘sim’. — E-eu meio que te comprei num site, escolhi as características e tudo... Não é ilegal, claro...


Ele ouvia tudo atentamente, balançando a cabeça conforme Yoongi falava. Mas havia algo que ele não sabia.


— E porque me... Me comprou? — Perguntou meio incerto, era esquisito falar de si mesmo como se fosse uma mera mercadoria.


— Eu.. Hm... Eu não sei. Apenas achei que seria... legal. — Abaixou o olhar. De fato, não havia algum motivo real por ter comprado. Bem, nenhum bom o suficiente para convencer tanto quanto os outros quanto a si mesmo.


O humano revirou os olhos, e se espreguiçou. O seu dono(?) era um pouco entediante. — Certo, certo. E qual o meu nome?


— O-o que?


— Vamos, me dê um nome. Eu sou como um cachorrinho seu agora, não sou? — Yoongi o olhou meio perdido. Então, lá de onde os humanos vinham, eles também usavam híbridos?


— A-ah, tudo bem... Min... Min Jimin.


— Nah, outro. — Jogou-se no sofá, com cara de entediado.


— Por que?!


— Esse é muito feio! Deixe que eu escolha. Jimin... Park... Park Jimin! Esse vai ser meu nome! — O mais novo Jimin sorrira com a própria afirmação, havia, de fato, gostado de seu nome.


O humano alegara estar com fome quando ouviram um enorme estrondo na porta do apartamento. Yoongi já sabia; era Taehyung, mas Jimin não. Ele se assustou e logo se levantou, assumindo uma postura de luta.


Taehyung entrara na sala, completamente animado, gritando para os quatro ventos e Hoseok vinha logo atrás, ainda emburrado.


— AAH, HYUNG! ELE TÁ ACORDADO! — O mais novo, logo após se desprender da parede na qual havia se agarrado, correu até Jimin, prendendo-se em suas pernas. — Ele é tão bonito!


E fora subindo, com o rabinho balançando para todos os lados e as mãozinhas curiosas tocando em tudo que é lugar. E Jimin estava abismado como aquela criança esquisita conseguia ser mais irritante que as crianças que conhecia.


—  Ele não tem mesmo orelhinhas... Ele é surdo, hyung? — perguntara o menor após bater no topo da cabeça do humano. Para ele era esquisito, já que não havia nada ali. — E a calda? Deixa eu ver se tem?


— Não! — Interviu Yoongi. Não deixaria, de maneira alguma, o seu filhotinho, pegar no traseiro de Jimin. — Jimin-ah está com fome, não está? — Sorriu nervoso, vendo o humano assentir no mesmo instante.


Taehyung, ainda animado com a chegada do outro, saiu de cima de Jimin num pulo. Correndo para a cozinha, mas chegando lá, gritou; — HYUNG, CADE A COMIDA?

— Tá aqui. — Disse Hoseok mostrando uma bacia grande de plástico. A senhora Sook, a vizinha, não era pão dura quando se tratava de alimentar as pessoas. Taehyung, de tão animado que estava, acabara se esquecendo da comida em cima da mesa, ao sair correndo para o seu apartamento. Então Jung, mesmo que banhado na preguiça, pegou o pote.


Dirigiram-se, então, os outros três para a cozinha, onde Taehyung os esperava, sentado no balcão.


— Hm, o que vai querer comer, Jimin-ssi? — Yoongi perguntara ao pegar a tigela de arroz —no qual podia alimentar umas dez pessoas, de tão pesada e cheia— e assumir o controle da cozinha. Jimin e Hoseok apenas sentaram de maneira preguiçosa na cadeira, um longe do outro. O Park recebia um olhar mortal por parte de Hoseok, que parecia planejar como mataria o outro mentalmente.


— Eu vou querer... hm... Pode ser ovo...


— Ah, sim. Meu nome é Yoongi, Min Yoongi. — Havia se esquecido de dizer seu nome para Jimin, que apenas concordou com a cabeça, anotando mentalmente para não esquecer mais. Sorriu amigável para o de cabelo preto, abrindo a geladeira e pegando dois ovos.


— Entendi, Yoongi-ssi. Você quer que eu te ajude? — Perguntou apenas por educação, porque não estava com a mínima vontade de cozinhar no momento.


O Min o olhou surpreso, mas logo sorriu. — Você sabe cozinhar? — O outro assentiu. — Agradeço, mas deixe para outro dia, hoje eu quem cozinho. — Mostrou os dentinhos pequenos e Jimin retribuiu sorrindo largo.


Já Hoseok, fez uma careta de nojo e se recusando a ver aquela frescura toda,  se dirigiu até o lado de Taehyung e sussurrou bem baixinho-Porque caso Yoongi escutasse, levaria um soco. — TaeTae, eu acho que o carinha aí quer roubar o nosso hyung. 


Notas Finais


Comenta e favorita ae.eh nois


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...