1. Spirit Fanfics >
  2. My husband's economic >
  3. Our wedding

História My husband's economic - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem

Capítulo 2 - Our wedding


O pedido foi super fofo e eu estava super feliz. Minha sogra parecia já saber que ficaríamos juntos e minha avó estava feliz em saber que eu entraria pra uma família tão boa, principalmente porque nossa vida não havia sido tranquila nem fácil, mas agora por um momento tudo parecia estar entrando nos eixos, todos sorridentes, todos conversando e finalmente começamos a falar do casamento.

- Ah. Eu não quero nada muito grande. - eu disse - Acho que um jantar com amigos e família depois do casamento no civil seria bom já, com uma decoração simples em um salão com uma área externa bonita e gramada, a única coisa que realmente quero são luzinhas de natal espalhadas e velas, quero um ambiente aconchegante e mágico. E você? - perguntei ao meu agora noivo, que estava sentado ao meu lado parecendo pensar sobre o que eu havia falado.

- Não sei. - ele disse, como sempre soando indiferente - Acho que nunca parei pra pensar nisso. Acho que o que vocês decidirem está bom. Prefiro ficar responsável pela casa e pelos móveis. - eu concordei não vendo nada demais, afinal o casamento costuma ser um sonho mais da mulher, não que homens não pensem nisso, mas imagino que os detalhes acabam sendo uma coisa mais da mulher. 

- E a lua de mel? - minha sogra perguntou com uma expressão totalmente de segundas intenções. 

- Hum... - eu pensei um pouco - Acho que um lugar frio e romântico, talvez Bariloche, ou Ushuaia. 

- Fora do país? - foi a única coisa que meu agora noivo pronunciou.

- Sim. - eu respondi óbvia. Minha vó pareceu perceber o clima pesar.

- Bom, existem lugares frios e românticos no nosso país também. E acabam sendo mais baratos, ainda mais pra um casal que vai estar começando a vida a dois. 

- Sim. - eu concordei.

Os meses foram se passando, seis para sermos mais exatos, e durante esse tempo meu noivo comprou as coisas necessárias para nossa casa cama, geladeira, fogão, enfim o básico. Enquanto eu minha vó e minha sogra ficamos responsáveis pelo casamento e chás (de panela e de lingerie). Eu estava radiante, ganhamos muitos presentes principalmente de ex colegas da faculdade, e dos nossos atuais colegas de trabalho, também de familiares. O dia se aproximava e eu estava muito ansiosa e nervosa, era um momento muito importante pra nós dois.

- Esse é o último apartamento que tenho pra vocês, essa área é bem indicada por isso é difícil achar apartamentos bons e vagos. - falou o corretor que nós mostrava as últimas opções de apartamento dentro das nossas recomendações - São dois quartos com sala e cozinha e um banheiro, cerca de 40m² não muito grande, mas o suficiente pra um casal recém casados. - eu olhava atentamente pela janela do quarto parecendo um pouco distraída, o que eu realmente estava, me perguntava se era aquilo mesmo que eu queria, parecia que estava acontecendo tudo tão rápido, e bom, estava mesmo, em apenas seis meses nos preparamos pro resto das nossas vidas, parecia loucura. Eu estava feliz, só estava confusa, quase não tivemos tempo juntos esses seus meses, e sempre que nos víamos era pra tratar de coisas de casamento, quando foi a última vez que nos beijamos? Eu não conseguia me lembrar, quer dizer selinhos sempre trocávamos antes de nos despedirmos, mas e beijo mesmo? Desses que quase nos faziam dormir juntos, apesar de ainda não ter acontecido, sim, éramos os dois virgens. Muitas coisas se passavam pela minha cabeça enquanto olhava pela janela, e acabei não vendo meu noivo se aproximando e me abraçando por trás. 

- Tudo bem? - ele perguntou.

- Sim. - respondi me virando pra ele e esquecendo daqueles pensamentos que no momento não ajudariam em nada. Afinal todo casal devia passar pela mesmo coisa, é um passo grande e importante. Mas não quer dizer que seja ruim. Estar com ele e planejar nosso futuro é o que importa agora.

- O que achou desse? - perguntou novamente me virando de frente pra ele.

- Não sei, o que vimos antes parece melhor, e é mais perto da casa dos seus pais e tem ônibus pra casa da minha vó praticamente na porta.

- Sim. Esse tem um fator que é o valor pela localização, porém também acho que o outro acaba sendo melhor. Caso haja alguma emergência é melhor estarmos próximos da família. Então decidimos? - ele continuou a me segurar pela cintura enquanto esperava minha confirmação.

- Sim. - eu disse sorridente - Decidimos.

E decidimos mesmo. No fim das contas ficamos com o outro apartamento, e acabamos seguindo pra lá pra pra inspecionar o local novamente e pegarmos a chave já que precisávamos começar a transportar nossos móveis pra lá.

- Bom, essa é toda a papelada. Parabéns vocês oficialmente alugaram sua primeira casa. Eu já vou. Ainda tenho outro casal pra atender. Qualquer coisa só precisam chamar o porteiro e ele pode acionar a síndica. Boa sorte. 

Agradecemos e o corretor foi nos deixando sozinhos. 

- Eu não consigo acreditar. - eu disse pulando em seus braços - Nossa primeira casa!

- Sim! - Ele respondeu sorridente. E quando nos soltamos do abraço ele continuou me olhando fixamente com aqueles olhos lindos e brilhantes - Eu te amo! - ele disse me olhando, e mesmo não sendo a primeira vez, sempre mexia comigo.

- Também te amo! Te amo muito. - disse e colei nossas testas.

- Desculpa. - ele disse.

- Porque? - perguntei.

- Estamos tão ocupados que eu sinto que faz anos que não te falo isso. - eu ri e concordei.

- Deve ser normal, foram muitas coisas pra resolvermos em apenas seis meses. Mas está tudo bem agora. Faltam apenas 3 semanas pro casamento e daí finalmente vamos poder ir pra nossa lua de mel. Ainda não acredito que ganhou do seu chefe. Foi incrível que ele se voluntariou pra pagar nossa lua de mel inteira em Bariloche e ainda te deu a semana toda de folga pra podermos fazer os 5 dias de viagem. Ainda mais considerando que o resort é All-inclusive. Até hoje não entendo porque não o chamou pra ser  seu padrinho. Ele parece gostar muito de você. - ele riu sem graça.

- Eu sou um  bom empregado. Só isso. - e então ele me beijou do jeito que eu sentia tanta falta. Quase perdi o ar. O bom de amar alguém era isso, não importa quantas vezes eu o beijasse sempre era incrível. E vale a pena ressaltar que não era só o corpo dele que era incrível, o beijo dele era de outro mundo, eu duvidei muitas vezes que ele nunca teve uma namorada, mas ele negou todas as vezes e minha sogra também disse que ele nunca havia trazido uma mulher pra casa antes de mim. Apesar de que eu não valia já que eu me trouxe, não precisei esperar por ele. 

Continuamos nos beijando até ele me empurrar sobre uma parede e voltar a me beijar. Eu sei que eu falei que já tínhamos nos pegado até quase não aguentarmos, mas nunca rolou por motivos como meus sogros podiam chegar, ou estavam em casa, mas dessa vez havia algo diferente. Ele continuava a me beijar como se eu fosse fugir, e me apertava apertava minha cintura, e minhas costas parecendo que iria nos fundir juntos. E não me levem a mal, eu estava adorando só era algo novo, e não eu não tinha problemas com meu corpo, tá eu não era super magra, tinha o chamado corpo violão com os seios e o quadril um pouco mais largos que minha cintura, mas ainda assim ele parecia gostar e eu não tinha problemas com isso. Ainda mais porque ele parecia gostar mais ainda naquele momento, ele continuou me apertando até deixar sua mão na altura do final da minha coluna e acabou pressionando suas partes nas minhas e eu dei um pequeno salto. E isso fez ele me largar. Novamente não estava achando ruim, só nunca tinha chegado a esse ponto antes, no momento pensei que não queria que fosse daquela forma, tínhamos esperado tanto e teríamos a viagem dos sonhos dali a três semanas, então não queria nossa primeira vez num apartamento vazio e sujo, mesmo que fosse nosso lar, não estava parecendo nosso lar ainda. 

- Desculpa. - ele disse realmente envergonhado, e quase que eu pulo em cima dele - Vamos? Temos que ver o transporte.

- Hum. Tudo bem. - eu respondi. Estava muito feliz. Estava tudo perfeito e eu não podia esperar pelo casamento, pra lua de mel e pra nossa primeira viagem juntos.

Três semanas voaram e quando dei por mim já estava na salinha do salão de festas esperando pra sair e encontrar o amor da minha vida e me casar com ele. Acabamos decidindo por fazer tudo no mesmo local quando meu noivo descobriu que o preço ficava o mesmo. Estava tudo lindo e mágico e aquela foi a melhor noite da nossa vida. Dançamos, comemos, sorrimos, tiramos fotos, foi incrível, e dividir aquele momento com o homem que eu amo e nossas famílias e amigos foi sem explicação, foi como eu já falei a melhor noite das nossas vidas.

- Wow! Essa noite foi tudo que eu sonhei e mais. - eu disse me deitando no ombro do meu agora marido, a noite foi incrível e também cansativa, e agora estávamos no aeroporto esperando nosso vôo, que não era longo, cerca de 3 horas, chegaríamos no hotel aproximadamente 4:30 da manhã e poderíamos assim aproveitar pelo menos a tarde e a noite do nosso primeiro dia de lua de mel.

- Sim. Foi incrível mesmo. Eu te amo! - ah! Eu estava no paraíso, meu marido estava todo romântico e carinhoso comigo, eu estava sonhando e não queria acordar nunca mais.

- Eu também te amo. Te amo muito! Te amo pra sempre. - eu disse e ganhei um sorriso e um beijo.



Notas Finais


Espero que gostem. Não foi revisado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...