1. Spirit Fanfics >
  2. My I >
  3. Coruja-Diabo

História My I - Capítulo 23


Escrita por: e SooNini


Notas do Autor


POR FAVOR NÃO ME MATEMMMMMMMMMM

mentira, tentem! kkkkkkk

FICOU INCRÍVEL!

vocês vão conhecer Alice e Wanessa agora, são personagens que irei desenvolver nos próximos caps.

Capítulo 23 - Coruja-Diabo


Fanfic / Fanfiction My I - Capítulo 23 - Coruja-Diabo

 

 

O mistério me diria que é o acaso

O acaso me diria que é o destino

O destino me diria que é sorte

A sorte me diria que foi um acidente.

 

Ainda que eu soubesse exatamente o que aquilo significava, quando ouvi o Gabrielzinho dizer que pelo fato do Ygor estar solteiro talvez o Hiatus acabasse e ele voltasse eu quase enlouqueci.

-O que você disse?

-Ah, não me surpreendo que você não saiba, mas o Ygor mandou uma mensagem hoje no nosso grupo do whatsapp dizendo que resolveria a a fonte dos problemas dele, e claro, já sabemos qual que é a fonte.

Meu cérebro está congelando enquanto tomo mais um copo de cola-cola e observo o outro lado da avenida.

 

Estou sentado com  Gabriel comendo um lanche num restaurante que fica do outro lado da rua, precisamente, do outro lado da rua do CCSP, estamos na vergueiro e são quase 17 hrs, o sol está quase partindo.

Dá pra ver o crepúsculo nascer e morrer.

Está um ótimo dia.

Estava um ótimo dia.

Apenas dia.

 

Em que situação ficamos agora?

 

Vejo meus velhos amigos de bebida no meio do fluxo, vejo meus a novos amigos do Alive um pouco mais distantes no final conversando entre si.

Terminamos de comer e não estou falando muito Gabriel percebe minha inquietação

 

-Hey

 

-HM?

-Não precisa ficar preocupado comigo sobre as escolhas que você quer fazer, sei que o fato do Ygor estar solteiro balança várias coisas, e nós somos bons amigos, diferente de você e ele, nenhum de nós dois nutre sentimentos pelo outro, então não sei, mas acho que importante falar isso.


Ele me olhou e sorriu, aquele sorriso que sempre esteve ali, amigo.

Acima de tudo, me dando suporte.

O abracei, sua cabeça apoiada em meu peito.

Ficamos um tempo assim.

-Hey, vai ficar tudo bem ok?

-Ok...

-Boa sorte.

 

Ele me deixa em pé e vai embora atravessando a rua, andando em direção a multidão, atravesso em seguida, mas me sento na calçada entre as duas avenidas e observo as pessoas.

Várias e-girls na multidão e sad boys, kpoppers, alguns rockeiros perdidos.

Meu antigo grupo de amigos está sentado curtindo algum som, tem um garoto de capuz sentado com eles, por mais que pareça loucura, eu estou conseguindo ver de longe que é o Ygor.

 

Meu sangue está queimando.

Sou quase um narcótico precisando da droga.

Ele me enlouquece.

Pego meu celular no bolso e envio uma mensagem para ele.

Vejo o garoto enfiar a mão no bolso do jeans e tirar o celular, ele passa um tempo observando a tela, mas em momento nenhum eu vejo ele digitar.

Chega um áudio

Minha mão soa, limpo as mãos na lateral da calça olho para cima mas ele não está mais lá, começo a olhar em volta, o encontro parado na área mais vazia, próximo do fundo, próximo dele estão os grupos mais conhecidos da vergueiro bebendo de forma amistosa.

 

Dou play no áudio e vejo ele tirar o capuz e me encarar do outro lad da rua em pé

-Vem aqui agora

Me assusto mas caminho em sua direção, vou atravessando a rua e ele me olha, em nenhum momento desviamos o olhar.

Paro na sua frente, ele está de olhos vermelhos como se houvesse chorado por muitas horas.

Fiquei tão maravilhado com sua presença que sequer notei que sua mão veio em direção ao meu rosto

 

O tapa estrala, o lugar queima.

Estou sem reação e o encaro.

Ele está vermelho e nervoso bufando

 

-Quer dizer que é assim, você me trocou por ele?

Coloco a mão no rosto e olho em sua direção em silêncio.

Não acredito que ele está com ciúmes.

 

- O que?
-É ISSO MESMO QUE VOCÊ OUVIU!
-Nunca troquei você.
Sua expressão se suaviza mas ele continua nervoso.


-O que você quer de mim?

-EU QUERO VOCÊ!

Mantenha a voz baixa ciente de que todos em volta escutam tudo que ele está falando

-Você tem absoluta certeza do que está me pedindo?

Coloco uma mão em cada lateral de sua cintura e o puxo pra perto, o abraçando.

Ele se aconchega em mim, seu corpo treme, sei que ele está chorando nos meus braços.

Tento segurar o choro, mas as lágrimas escorrem na minha pele.

 

Ele se afasta seco suas lágrimas e o beijo.

 

Eu sei que todos viram, eu estou ouvindo o barulho, os comentários, talvez isso vá para alguma fanfic, seria uma boa cena de registrar.
Mas é loucura. A boca dele acabou de me destruir.

O puxo pela cintura e tenho um reprise de vezes que toquei essa boca

Flashback ALEATÓRIO~~

‘’  olhei em seus olhos e o beijei como se o mundo fosse acabar nos próximos 30 segundos. Eu jamais quero esquecer a sensação daquele beijo quente e louco,’’

 

‘’ Abri meus olhos e olhei aquela boca linda e pensei- DANE-SE EU VOU PRO INFERNO DE QUALQUER FORMA MESMO.’’

 

Minha mão foi até sua nuca, prendo meus dedos em seus fios grandes e macios, ouço ele gemer rouco quando puxo sua nuca. Suas mãos estão em minhas costas inquietas me puxando para perto. Minha língua desliza lentamente com a sua, mordo seus lábios e me sinto numa cena de pura orgia ele corresponde foge da minha boca e morde meu pescoço, estamos ofegando e ele não se afasta em momento nenhum, estamos parados no mesmo lugar, ele volta para minha boca tão feroz que me desestabiliza.

Ele é a droga mais gostosa que existe nesse universo inteiro.

Não faço ideia de quanto tempo se passou quando me afasto e o olho nos olhos.

 

Conheço aquele olhar

 

-Eu quero você

 

-O que?

 

Me assusto em ouvir isso.

 

-Não estou bêbado, drogado ou qualquer coisa do gênero, eu quero você, eu preciso de você.

 

Ele me puxa e vai andando por dentro da vergueiro, me leva em direção a biblioteca e me leva até o banheiro mais distante que tem lá, ao entrar ele encosta a porta e tira a jaqueta, está com uma regata branca tão fina que eu fico babando.

Ele me empurra para dentro de uma cabine e volta a me beijar.

O espaço é pequeno mas não me impede de querer foder ele ali.

Sex with me – Rihanna pode ser considerada a música do meu momento

 

Sex with me is amazing, with her it’ll feel alright

The sex doesn’t get any better, make it long, let it be all night

I know, I know, I make it hard to let go

 

Estamos duros a tanto tempo que não me dou conta.
Ele me beija feroz, sua outra mão me toca por cima do jeans.  Minha mão direita está em sua nuca, a outra em seu traseiro por dentro de seu jeans.

Ele geme me instigando, passo a mão por todo seu tórax, sua pélvis esfregando contra a minha me faz querer gozar em sua boca e ver a porra escorrer dela.

Como se pudesse ler meus pensamentos ele se senta em cima da tampa da privada e começa a desabotoar meu jeans. Minha cueca box preta fica exposta quando ele abaixa minha calça.

 

Ele me encara e sorri travesso.

Começo a achar essa realidade louca demais para mim.


Suas duas mãos me puxam.

 

Estou em sua boca. Guio minha mão até sua nuca onde prendo os dedos, sinto ele me levar até sua garganta, um pré gozo escorre.

Minha mente musical clama Sacrifice - Black Atlass

Beautiful, mmm

How do you make dangerous look so beautiful?

And how come when you kiss, you turn me into this?

 

Seus olhos estão vidrados em mim enquanto sua boca me toma, nosso contato visual é intenso, ele me lambe e chupa como se eu fosse um de seus doces favoritos, não que eu não seja, mas como saberia?

 

Ele começa a investir estocadas e me chupar com mais intensidade, prendo meus gemidos, apoio minha mão na parede atrás dele meu corpo se inclina um pouco para frente, seus fios bagunçados dançam emoldurando seu rosto enquanto ele se movimenta.

Entrou para a lista de cenas favoritas,

Fios loiros soltos e bagunçados, sua boca está vermelha em volta do meu pau me chupando com vontade. Estou gozando e enchendo sua boca, ele foi pego desprevenido em uma investida, algumas gotas escorrem até seu queixo, mas ele se afasta e bebe tudo lambendo os lábios inchados.

Novamente ele me encara e sorri.

Seguro em seu queixo o puxando para perto, mas o coloco contra a parede, abraço seu corpo por trás e abro seu jeans, ele fica nú em poucos segundos, o pressiono com minha semi nudez e começo a me esfregar em sua linda bundinha branca exposta, ele enrole um gemido em resposta. Me delicio com sua nuca, pescoço, ombros, distribuo beijos.

 

Arrasto minha língua em sua pele, afasto seu corpo da parede e enquanto minha mão o masturba a outra massageia a parte interna de sua coxa, estou inclinado sob ele, e ser um pouco maior me dá essa vantagem...

O pré gozo molha minha mão, a retiro de lá e afasto suas pernas passando meus dedos molhados em seu ânus o umedecendo, ele geme baixo e volto a pressiona-lo contra a parede, agora com a glande provocando sua entrada, esfregando ela, ele quase suplica para que eu entre, mas nenhum convite é necessário.

Penetrei tão fundo que para conter meu gemido mordi seu ombro, que instantaneamente ficou roxo, seu peito está colado contra a parede, seu rosto virado de lado, minhas duas mãos em cada lado de sua cintura, se tornam mais uma cena para as favoritas.

Ele morde os lábios com força, meu corpo está completamente colado ao dele, minhas investidas ecoam pelo banheiro, nossos corpos se chocando, meu pau o rasgando e preenchendo.

Um relógio apita, ouço o som, me recordo, são 18:00 horas agora, a biblioteca precisa fechar, aumento minha velocidade e sinto que ele está chegando perto, sua linguagem corporal diz isso, quando ele goza ouço o som mais pornográfico da minha vida, o líquido batendo contra a parede e pingando no chão, ele escondendo o gemido com um rosnar, quando vou gozar saio de dentro dele e molho o chão em seguida.

 

Batidas na porta

 

-Tem alguém ai? Já estamos fechando.

Deve ser algum guardinha.
coloco o dedo em seus lábios para que faça silêncio.
 

-Tem sim, só um minuto, tenho um amigo passando mal aqui, sabe como é né, bebida e tudo mais.

O segurança entra

-Hmm tudo bem, qualquer coisa nos chame, estamos aqui fora.

-Okay, obrigada.

 

Ouço passos saindo, ele se limpa com papeis e torna se vestir, volto a me vestir,

 

A porta volta a bater, e continua batendo, quando abro, não tem ninguém do outro lado, mas ouço as batidas ainda, olho para trás e Ygor não está lá, vejo Gabriel, com os lábios vermelhos sorridentes vestindo a jaqueta sob a regata, seu ombro roxo aparece amostra antes dele se vestir, as batidas continuam.

 

Sonho povs off~~

 

Abro os olhos, o sol ilumina meu quarto, a blackout está aberta, me sento na cama, por baixo do lençol vejo o volume formado. Olho para a porta onde alguém está batendo

-Entra

Lyan aparece na porta com um largo sorriso, pego um travesseiro e coloco sob meu colo lhe sorrindo de volta

 

Droga.

 

-Bom dia Matt

 

-Bom dia Lyan

 

POVS BELL~~


Estou caminhando nos corredores do hospital quando recebo uma notificação de um possível vazamento de gás na ala de emergência.
Lembrei logo de Alice que estava correndo freneticamente para todos os lados quando cheguei e já recebi alguns de seus pacientes, houve a queda de um prédio em construção, e muitos feridos.
Vou em direção ao elevador para chegar mais rapidamente a emergência, mas a fila está enorme, me dirijo a escada, uma ligação me chama

~~Kaue~~

-Oi?
Ele parece estar correndo enquanto fala comigo
-hey onde você está?
-Descendo as escadas
Ouço sua voz mais alta do que o normal quando ele responde
-Subindo as escadas
Quando viro o próximo lance nos encontramos
- O que você faz aqui? Pergunto sem pensar
-Sei que sua amiga da época da faculdade trabalha lá, também sei que está preocupada, mas o vazamento foi contido, não era nada grave, mas eu fiquei preocupado com você.
Ele confessou fácil, e me deixou assustada, ele consegue ser sempre a pessoa mais atenciosa do universo.
Com um floreio ele beija minha mão.
Lembro de nosso jantar, faço um outro floreio como uma dama de vestido puxando as laterais de meu jaleco, ele  me olha sorridente, mas vejo quando o brilho muda, e sei bem o que aquilo significa.
Desço os degraus restantes e estamos em um lance da escada, me apoio contra o corrimão e pergunto em tom inocente
-Tem mais alguma coisa para me falar?
-Seria muito errado, dizer que eu quero muito te beijar, mas tenho medo de levar um fora?
-Vem aqui e descobre.
Ele se aproxima sorridente, quando tenta me beijar me afasto, ele fica nitidamente surpreso, me delicio com seu desespero de ter levado um fora, ele se afasta de novo e dessa vez o coloco contra o corrimão, os botões de nossos jalecos se tocam quando eu o beijo na escada de emergência.
Nossa altura não ajuda muito, ele consegue ser quase 40 centímetros maior, mas lendo meus pensamentos ele inverte as posições e me pega no colo, colocando cada uma de minhas pernas em volta de sua cintura.
Seu perfume é forte, e eu não havia percebido ainda, ou ele se perfumou para me ver?
Meu cabelo está preso em um rabo de cavalo que ele solta com carinho, enchendo os dedos no meu cabelo loiro caindo como uma cascada em volta do meu rosto.
Mordo sua boca e ele suspira, sua feição meiga vai completamente embora quando suas mãos estão por baixo da minha camisa branca e ele me coloca no chão.
Ele desce, sua boca marca o envolto do meu sutiã, meu abdômen, até parar em meu jeans branco que ele se ajoelha e vai desabotoando. Não tenho tempo para pensar quando ele me abocanha me fazendo gemer sem filtros na escadaria.
Coloco a mão na boca para prender meus sons, ele é talentoso e não me deixa passar vontade alguma, a cada investida de sua língua em meus lábios me sinto a beira do precipício.
Quando enfim Gozo, ele tira um lenço de seu jaleco e me limpa delicadamente.
-Ainda não terminamos isso, não se preocupe comigo, resolvemos isso depois.
Ele sai andando e desce a escada, arrumo minha roupa e fico perplexa com o quanto isso foi estranho. Em nenhum momento ele me exigiu um orgasmo, só foi embora.
Fico parada no corredor e decido subir, quando chego em minha sala e me sento para absorver o que acabou de acontecer, uma mensagem me notifica

ALICE

-‘’Hey, está ocupada depois do trabalho hoje?’’
B- Hmmm, não muito.. tenho que levar o Thomaz a Veterinária, aconteceu algo?
-‘’Não, só queria conversar sobre uns babados’’
B- BOM, ENTÃO, VAI COMIGO QUE A GENTE JANTA FORA E TU ME CONTA
-‘’AHHHHHHHHHHH BORA ENTÃO.

Estou curiosa para saber das novidades e olho o horário.
Faltam muitas horas até o fim do turno, faltam mais horas ainda para ele me fazer gozar de novo, eu quero morrer.
Me deixo na mesa, colocando a testa no ferro frio para acalmar meu calor, alguém bate a porta, me recomponho e peço que entre.
Um entregador está parado na porta com um buquê de Margaridas
-Senhorita Bella?
-Sim sim. 

-Enviaram isto para a senhora.
Ele deixa na mesa e se retira.

Me encosto na cadeira com medo de olhar o bilhete, mas decido ter coragem.
‘’Eu te devo desculpas, não?
Seu Cretino..’’

Maldito filho da puta!

~~Corte no tempo~~
Estou em casa e peço um Uber para encontrar Alice no Pet Shop, pego Thomaz e ele se senta no meu ombro quieto e calmo.
A viagem é relaxante, o motorista se diverte com o bichinho e logo eu chego.
Alice me espera na porta animada, ela logo se apaixona por Thomaz, confirmo meu horário com a recepcionista de Wanessa e aguardamos, então ela começa a contar o motivo de sua animação
-MENINA VOCÊ NÃO SABE

- O que foi? 
Me virei para ela extremamente curiosa

-Bom, eu atendi um cara lindissimooooooo na emergência a alguns meses, ele quebrou o pé numa apresentação de dança sabe?
-Sério que isso é empolgante, já imaginou não poder dançar nunca mais por causa de uma fratura séria?
Ela murchou um pouco, mas entende o meu lado, afinal, eu não danço a muitos anos, por causa do meu joelho, e eu sinto muita saudade de dançar.
-Então? 
-Ele fez todo o tratamento lá no hospital e sempre vinha me agradecer e contar sobre seus progressos, um fofo, alto moreno, olhos puxadinhos, a coisa mais gostosa e fofa do universo.
-E AI?
-E AI QUE ELE CONCLUIU O TRATAMENTO E A FISIO E ME CHAMOU PRA SAIR.
Começamos a gritar e rir desesperadamente sem notar onde estávamos até que um rapaz entrou correndo na clínica e parou no balcão com uma ave nos braços como se fosse um bebê, protegido por uma toalha.
-Moça você pode me ajudar é uma emergência!
-Poderia me passar o quadro clinico rapidamente?
Ela começou a fazer análises na ave no colo do rapaz e ele completamente nervoso responde
-Não, porque se eu soubesse o que houve com ela e fosse formado em Medicina Veterinária eu não estaria aqui, eu preciso socorrer ela agora!

POVS ALICE

Ele estava realmente nervoso, usava um jeans branco rasgado nos joelhos que ressaltava sua pele morena, uma camiseta preta com transparência branca que deixava seus músculos a mostra. Um boné extremamente branco com duas argolas na ponta para completar.
Extremamente charmoso, com certeza eu daria muito!
Após alguns instantes foi possível ver uma médica sair de uma sala, ela é pouco mais alta do que eu, talvez 1,74? 
Seus cabelos longos estavam em uma trança boxeadora até o fim das costas, com certeza o cabelo era maior ainda, quando solto.
Com um sorriso calmo ela tocou o ombro dele e o chamou para uma sala, após algum tempo a mesma médica nos chamou e fomos em direção a sala.
Ela é realmente extremamente simpática e calma, a sala é decorada com flores, alguma flor rosa e faz o ambiente branco ser um pouco mais colorido, brinca com Thomaz e ouve as preocupações de Bell, sem deixar dúvidas do que precisa ser feito.
Após alguns testes ela tem algumas dúvidas e coleta saliva e sangue para alguns testes.
-Bell o exame ficará pronto em 2 horas, você conseguiria retornar dentro deste tempo?
-Posso deixar o Thomaz com você?
-Claro! Notifique a Leticia na recepção que ele ficará na área de cuidados e descanso, e ela organiza tudo.
-Wanessa me conta uma coisa. 

Decido perguntar.
-Pode perguntar Alice
-O cara que entrou nervoso agora?
-Hm... bem.. o cara da Coruja Diabo
-QUE?
-QUE?

Eu e Bell nos assustamos com o comentário

-Ah meninas, não se assustem, a raça da coruja, era uma Coruja-Diabo, é um animal as vezes perigoso, tem que ter personalidade forte e bastante atenção para cuidar de uma ave como essa.
-Ela é extremamente assustadora e bela, é um conflito entre a beleza extrema que existe na natureza e o medo que faz a sobrevivência ser mais importante.
-Ela está bem?
-Hmm não muito, tive que deixar ela de observação.
Tenho ir lá dar uma olhada inclusive, vocês podem me dar licença meninas.
-Clarooo, não se preocupe, voltamos em 2 horas.
Bell, Thomaz e eu vamos resolver as questões do exame na recepção e Wannessa vai para outra ala, quando chegamos na área de descanso dos bichinhos o rapaz está sentado triste em um sofá.
O olho de canto, enquanto nos dirigimos a ala das aves e vejo Wan levar uma xicara de café e entregar para ele.

POVS WANESSA ~~

Me sento ao lado de Calvin, o rapaz dono da Coruja Diabo, ele está triste e bem afetado pelo quadro em questão da coruja.
Ele toma o café devagar sem me olhar, sua barba por fazer e músculos indicam alguém que faz muitos exercícios mas que está exausta, o círculo embaixo de seus olhos não nega.
-Calvin?
-Oi Doutora.
-Você está bem?
-Confesso que não.
-Imagino que não esteja, a situação não é tão grave, mas me explique, como você chegou a criar a Diabo junto com um gato?
-Não era pra isso ter acontecido, eu sou coreógrafo e estou preparando uma turnê com a companhia de dança na qual trabalho, passei os últimos 20 dias fora... Minha irmã ficou tomando conta de Luar, eu disse que não deveria trazer outros animais, que talvez isso a deixasse nervosa, ela é bastante ciumenta....
-Então ela levou o Norueguês da Floresta e o deixou lá...?
-Aparentemente foi isso...
-Imagino que tenha sido uma briga feia, são dois animais extremamente fortes.
Me encontrei pensando agora, que ele teve sorte, Luar deveria estar morta agora.
Coloco a mão em seu ombro e aperto gentilmente para lhe dar conforto, mas na verdade me encontro tentada.
Ele tem costas largas e um perfume forte cítrico, me olhando ele sorri, é lindo em todos os aspectos.
-Obrigada Doutora Wanessa...
-Não precisa me agradecer...
-Mas provavelmente Luar terá que me visitar uma vez por semana pelos próximos 2 meses, ajuste sua agenda para que eu possa cuidar dela, ok?
-Tudo bem...

~~corte no tempo~~

Consulta 1 de retorno:

Luar tem pontos em diversas parte do corpo, uma asa muito lesionada, mas um corte acima do olho esquerdo que pode comprometer sua visão, por ser um animal arisco ela se agitou quando removi os pontos, me assustei e tentei me afastar.
Calvin aparece do meu lado e chama Luar fazendo ela se acalmar.


Consulta 2
Luar me ataca novamente, tento lhe dar petiscos e consigo seguir com os exames...
Consulta pós consulta ela se torna mais dócil, mas Calvin sempre ficava ao meu lado preocupado que ela me machucasse, é um completo cavalheiro charmoso.

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


Ao fim do tratamento descubro que ela não perdeu a visão e que terá uma longa vida saudável.
Calvin está muito contente e eu já estou caindo de amores por ele.
Na última consulta ele está surpreendentemente lindo, de vermelho e preto, um jeans preto justo marcando um volume interessante e pernas fortes que com certeza me foderiam até que eu não pudesse andar.
Uma jaqueta de couro discreta com um brasão C.R em seu ombro.

Sua barba está bem desenhada, e seu perfume está chamando total atenção.
Quando assino a alta de Luar na ficha ele tosse e eu o observo por trás de minha mesa

-Wanessa...
-Diga...
Fico nervosa mas finjo que está tudo ok
-Você... teria algo para fazer... no seu almoço?
ELE ESTÁ ME CONVIDANDO PARA ALMOÇAR????????????????

Um sorriso se espalha pelo meu rosto e não consigo disfarçar, imaginando que fiquei vermelha olho para seu ombro, vejo Luar me encarando em toda soberania.
-Bom... eu estou livre sim...

Estendo minha mão para pegar outra folha e Luar vem até mim, e pela primeira vez ela não tenta me machucar, ela passa sua cabeça em meu braço e fecha os olhos, quem sabe, seja um obrigada, não é mesmo?
-Acho que agora, vocês duas são amigas.
-Pelo visto sim, pela que só ela se aproximou né?

Joguei o verde e aguardei, sua expressão ficou tensa e logo relaxada, ele riu e foi uma risada gostosa e sacana, que com certeza eu ouviria a noite toda numa mesa de bar tomando uma cerveja, ele é cativante.
Alguém bate a porta, ele faz um sinal para que eu não me levante. Estranho a ação, mas aguardo, um rapaz entra com um buquê de flores, precisamente, é um buquê de Rosa do Deserto, a flor que eu tinha aqui quando ele veio com Luar pela primeira vez.
Ele fecha a porta e me entrega o buquê. Me levanto e vou até uma outra mesa a coloco em um vaso.
Elas perfumam a sala completamente, ele vem atrás de mim e deixa Luar no suporte para aves, toca as flores ao meu lado e próximo demais ele fala

-Esperei as flores chegarem para fazer algo.

Ele se aproxima e me beija, hoje, meu cabelo está solto, ele sobe a mão até minha nuca e me puxa para perto, sua língua desliza lentamente, quando ficamos mais próximos ele não passa muito tempo em minha boca, e logo se afasta.
-Preciso manter a compostura, já basta ter te beijado aqui. Ele fala isso próximo da minha boca e sorri.
Não resisto a tentação e o beijo, ele se surpreende mas não se afasta, dessa vez mais intenso, um está sedento pelo outro. Dessa vez sou eu que fujo.

-Temos crianças aqui na sala. Falo isso e damos risada, Luar nos olha curiosa.
-Acho melhor... irmos jantar, não?
-Hmm, jantar, tudo bem, posso te buscar aqui, que horas?
- ás 19
-Okay, então, até a noite Doutora Wanessa.

Ele caminha em direção a porta chama Luar e ela pousa em seu ombro, ela pia para mim, e imagino que ela esteja me dando um tchau, me sento a mesa e fico surpresa com o que acabei de fazer.
Meu celular vibra, chega uma notificação de Bell

B: Cortei o Milho e realmente ele está melhor, definitivamente era uma crise alérgica Wan, muito obrigada.
Antes que me esqueça, sábado vou sair com alguns amigos, vem comigo? Alice também vai ir.
W: Vou sim, não precisa agradecer.


Povs Ygor ~~

Estou sentado na vergueiro, um corote de maracujá está na minha mão, o que me desperta dezenas de memórias, não consegui tomar um gole sequer, me levanto para limpar meu jeans sujo de poeira e quando olho em frente, vejo Matheus parado a uns 10 metros de mim, nossos olhos se encontram e o silêncio reina.
Ele caminha em minha direção.


Notas Finais


Espero que não surtem, ou surtem muito, vocês que sabem! kkkkkk

COM MUITO AMOR, SUA AUTORA!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...