História MY IDOL BECAME MY LOVE Do KyungSoo - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Do Kyung-soo (D.O), Kim Jong-dae (Chen), Kim Jong-in (Kai), Kim Jun-myeon (Suho), Kim Min-seok (Xiumin), Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol), Personagens Originais, Zhang Yixing (Lay)
Tags Exo, Kpop, Kyungsoo, Romance, Stalker
Visualizações 5
Palavras 985
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Lemon, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - 2 - She


Fanfic / Fanfiction MY IDOL BECAME MY LOVE Do KyungSoo - Capítulo 2 - 2 - She

Nos dias posteriores à minha chegada, passei a fazer pequenos passeios com minha família e também sozinha para me familiarizar com o bairro em que morava e com o novo país em que estava morando.

Neste exato momento, por exemplo, eu andava abismada pelas ruas de Seul, observando e tirando foto de tudo. Não perderia um detalhe sequer de toda aquela beleza.

Na realidade desde o início as coisas não haviam se encaminhado bem, mas tudo mudaria. Esta era a minha chance de conquistar o mundo à minha maneira, aproveitando tudo o que o universo poderia mandar de bom ou ruim.

As pessoas mandavam ora olhares de desgosto, julgamento, ora de curiosidade.

Em um país tão desenvolvido era de se estranhar essas reações, uma vez que, agora que comecei a encarar todo mundo também, observei a quantidade avassaladora de gente estranha.

Vejo uma pequena loja de conveniência á minha direita e rumo para a mesma, parando na porta e tentando abri-la.

Empurrei, puxei e nada.

Comecei a olhar as letras em hangul que indicavam algo que, logicamente, eu não entendia e olhei ao redor. O trânsito de carros e pessoas continuava intenso e ninguém sequer olhava para o lado.

Apertei um botãozinho preto que havia acabado de enxergar e a porta se abriu com o clique, me assustando.

Que bosta... - Reclamei em português e entrei na lojinha com o olhar do balconista sobre mim.

Rumei para frente do mesmo e sorri, desfazendo o sorriso assim que percebi que o mesmo continuava sério.

Vocês tem T-Money? O bilhete. - Falei devagar em inglês, tentando imitar um cartão com as mãos. - O cartão recarregável para usar o metrô! -

O homem ainda sério apenas apontou para uma máquina no canto da loja que continha as palavras "EXPRESS TRAIN TICKET VENDING MACHINE" e eu me curvei para ele, rindo soprado de vergonha.

Escolhi a opção em inglês e comprei meu cartão, saindo da loja o mais rápido que pude e indo para a estação de metrô subterrâneo que se encontrava mais a frente. Desci as escadas olhando ao redor, aproveitei para tirar algumas fotos e entrei para o lugar que, estranhamente, não havia muitas pessoas.

Do lado de uma máquina idêntica à aquela que usei na loja, se encontrava vários mapas das estações e linhas do metrô em um recipiente com a palavra "FREE" escrita.

Quase chorei.

Corri e peguei um, abrindo e me assustando por apenas enxergar várias linhas coloridas sobrepostas.

Me sentei em um dos bancos e coloquei o mapa aberto no colo, tentando me situar.

Após cerca de 5 minutos, achei um pontinho que dizia claramente "você está aqui" em inglês. Fitei o nada por uns segundos abismada com o tanto que eu era tonta e depois tentei achar algo interessante que eu entendesse, e, claro, que não achei.

Decidi então entrar no primeiro treco que parasse na minha frente e assim fiz.

Olhei ao redor e todos os bancos estavam ocupados, segurei no na alça de apoio de mão e comecei a olhar para a pequena tela do lado da porta que passava as informações também em inglês.

Enquanto traduzia, meu celular vibrou e eu, que já estava com o imenso mapa ocupando uma das mãos, soltei a outra da alça para pegar o celular no bolso traseiro.

Grande erro.

O metrô diminiu a velocidade drasticamente para parar e, como em câmera lenta, eu comecei a cair.

Fechei meus olhos e segurei o celular rente ao peito esperando uma queda que não veio.

Ouvi um suspiro raivoso e abri os olhos vagarosamente mente, vendo que havia caído sentada no colo de um garoto.

VOCÊ! - A voz grave novamente preencheu meus ouvidos e o desespero consumiu meu corpo.

Era o dono das malas do aeroporto? Impossível.

Levantei de uma vez e comecei a me curvar, me desculpando inúmeras vezes.

Algumas garotas de uniforme desceram do vagão rindo e apontando para mim e me sentei no lugar onde elas estavam, que era, infelizmente, praticamente do lado do banco onde o rapaz estava.

Olhei ao redor e algumas pessoas ainda olhavam para mim. Abaixei a cabeça e comecei a chorar. Não era possível tamanho azar.

Ei. Tá tudo bem? Deixou isso cair em mim. - Um garoto de máscara, boné e óculos escuros com a voz aguda me perguntou em inglês, entregando o mapa que eu havia deixado cair.

O garoto das malas nos olhava com um olhar mortal e eu peguei o mapa, o colocando no colo e começando a olhar para o chão.

- Me desculpa... - Sussurrei limpando as lágrimas. - Eu faço tudo errado. - Respirei fundo, senti o metrô parar novamente e as portas se abrirem.

Me levantei, me curvei para ele e para o moço das malas de novo e saí correndo para fora.

Olhei para dentro do vagão uma última vez e pude perceber que o rapaz que me devolveu o mapa estava rindo enquanto o dono das malas ameaçava bater nele.

 

Após minutos pedindo informações, consegui voltar para casa e contar toda essa situação vergonhosa para Hana, que ria descontroladamente da história.

De fato tudo só se tornou mais confuso quando Hana e eu estávamos assistindo uma compilação de vídeos engraçados do tal grupo EXO - no qual ela chorava de rir enquanto eu continuava somente forçando a risada - e, ao atrapalharem um deles durante o discurso que fazia durante um show, o moço, de modo alto com sua voz grave, perguntou o que eles (outros membros do grupo) estavam fazendo.

Pausei o vídeo na hora em que ele terminou de falar. Aquela voz.

A olhei assustada. - Quem é esse? -

O D.O! Ele não é fofo até brigando com o Sehun e com o Baekhyun? - Ela respondeu animada.

Mais uma vez minha cabeça inventava outra teoria? Não. Calma.

Isso seria impossível de acontecer.

Seria... Estou certa?


Notas Finais


Obrigada por ler! :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...